Resenha – Ethernyt: A guerra dos Anjos (Márson Alquati)

Olá

A resenha dessa semana (que atrasou um pouquinho por causa da correria que enfrentei na faculdade e também pela falha do servidor do Blogger) é do livro “Ethernyt: A guerra dos Anjos”, do autor brasileiro Márson Alquati. Esse é o primeiro livro que recebo do grupo de livros participantes do Book Tour organizado pelo Selo Brasileiro.



Sinopse: A contagem regressiva para o Fim dos Tempos já foi iniciada e não pode mais ser contida... Quando o agente especial Rafael Thomas aceita o encargo de investigar a morte de um diplomata estrangeiro em solo brasileiro, ele não imagina no que está se metendo. Aos poucos, a verdade vai surgindo e ele descobre que por trás daquele crime encontra-se uma seita de fanáticos, cuja pretensão é valerem-se de uma antiga profecia apocalíptica para provocarem o Armagedon Bíblico. Começa então, uma incrível caçada pelos quatro cantos do globo, onde Thomas e os Escolhidos acabam envolvendo-se com sociedades secretas milenares, mistérios e enigmas, assassinatos, perseguições, tiroteios e batalhas épicas de tirar o fôlego. Até depararem com uma terrível revelação: Anjos e Demônios existem e estão prestes a destruírem a Terra na batalha definitiva entre o Bem e o Mal. Muita ação, suspense e aventura em uma história repleta de temas polêmicos, que vão desde a origem da Raça Humana, os grandes mistérios da antiguidade e o advento das religiões, até a existência de vida extraterrestre, culminando numa visão sombria sobre o destino da humanidade...

Ethernyt é um livro repleto de ação, a estória é traçada como um quebra-cabeça, de forma que cada detalhe nos leva a um final inesperado, por isso, o livro me surpreendeu, a maneira e a ordem com que o autor coloca os fatos me lembrou muito os livros do Dan Brown, sendo que Ethernyt, assim como o livro “O Código da Vinci”, me fez sentir a adrenalina de atravessar o mundo em busca de enigmas e de pistas ocultas. O ponto inicial da trama se dá quando Thomas, um reconhecido agente investigador da Polícia Federal Brasileira e Desirée, uma agente da Sureté Francesa, são designados para solucionar um caso misterioso que envolve a morte do embaixador Francês e de sua mulher em Angra dos Reis (Rio de Janeiro), a cena do crime é inacreditável, suas peculiaridades levam Thomas a acreditar que as mortes foram fruto de uma seita satânica, afinal, adagas, cruzes invertidas, altar de sacrifício, o que mais poderia ser?! Contudo, as suspeitas de Thomas tomam um novo rumo quando ele recebe a informação de que, em um hospital da região foi internado um homem machucado e em estado de amnésia, que em um lapso de memória diz ter presenciado o crime do embaixador e de sua esposa, ao averiguar essa informação, o agente brasileiro descobre que esse homem, seu principal suspeito, alega não se lembrar de nada, nem mesmo do seu nome, tornando-se então, incapaz de oferecer alguma informação sobre o crime. O agente brasileiro não acredita nisso, e resolve ficar ao lado desse suspeito, o Barrabás, aguardando e torcendo para que ele recupere a memória logo. Não demora muito para Barrabás sofrer tentativas de sequestro e de morte por grupos distintos, pois, além de suspeito, ele é a única testemunha viva que pode dizer quem são os responsáveis pela morte do embaixador e de sua esposa. Assim, a ligação desses grupos ao crime em questão fica clara, de forma que Thomas, Desirée e Barrabás, na esperança de encontrar uma prova que comprove essa ligação, passam a investigar estes grupos, o problema é que, as únicas pistas que eles possuem são charadas e enigmas, e isso foi um dos detalhes que eu mais gostei. Como o “próprio” Thomas coloca:

“Por que é que todos os membros da Irmandade dos Guerreiros da Luz sentem prazer em nos torturar com enigmas e charadas?”

“Eu realmente gostaria de saber, o que estes caras têm contra mapas de verdade e informações concisas e claras – Thomas lamuriou-se indignado”.

Não se animem, pois eu não vou contar quem são os membros da Irmandade dos Guerreiros da Luz que o Thomas citou, vou deixá-los na curiosidade (Gargalhadas).
Mas, como eu sou boazinha, olha um pedacinho de uma charada mega elaborada que os eles precisam desvendar:

“(...) Sou o mistério de uma raça e todos querem me desvendar. Mas apenas os Guerreiros de Ethernyt sabem onde me encontrar. Sou o Guardião da Luz, o que ilumina um caminho já traçado. Através das minhas lembranças, o segredo será revelado”.

Também preciso comentar que, nessa corrida por desvendar o mistério das mortes do embaixador Francês e de sua esposa, Desirée conta um amigo para auxiliá-los, o Leon, um excelente piloto inglês, que além de pilotar muito bem aviões e helicópteros, possui um imenso conhecimento sobre armas (Nesse ponto o autor não economiza detalhes, todas as armas são descritas minuciosamente, depois de ler o livro virei quase uma especialista!).  Cada pista ao ser desvendada leva o grupo a novos enigmas, até que eles compreendem a amplitude do caso, e se vêem totalmente envolvidos em uma batalha - a guerra dos anjos. A ligação de cada um deles com essa guerra não é uma mera coincidência, eles foram escolhidos, faz parte do destino deles participarem dessa batalha, agora o porquê, vocês só vão descobrir lendo!

No decorrer do livro, além de inúmeras citações históricas (o que, eu particularmente adoro), temos também a descrição de lugares lindos e encantadores, o grupo principal viaja pelo mundo, passando por cenários inusitados e peculiares, outro ponto essencial são as batalhas, principalmente a batalha final, as mortes são incontáveis, e os detalhes, no mínimo cruéis, mas mesmo em um clima de batalha existe espaço para muitas gargalhadas, o Thomas, personagem que me atraiu por ser tipicamente brasileiro, é muito engraçado, ele é o tipo de cara durão, que arruma briga fácil, sarcástico e super engraçadinho - Sabe aquele tipo que atribui apelidos para todo mundo? Então ele é assim, seu humor inusitado me conquistou, além de seu porte atlético e seu lado heróico claro (Abafa).

“E do que se trata essa maldita Fortaleza da Montanha? Se você me disser que é apenas uma fortaleza, erguida no cume de uma montanha, eu o acerto de novo – o brasileiro ameaçou, erguendo o punho”.

Eu gostei muito do livro, a trama é envolvente, os personagens são bons, o ritmo de leitura é agradável (existem somente alguns pontos que por causa dos vários detalhes acabamos demorando um pouquinho mais, mas no geral é tudo muito constante), os segredos revelados são bem surpreendentes, e o final do livro nos deixa com gostinho de quero mais. A única coisa de que senti falta foi do romance, existem pequenas deixas, mas nenhum beijinho, poxa e olha que existem dois casais com alto potencial viu, eu sei que o livro se trata de uma batalha, e tecnicamente não existe tempo para isso, mas eu sou romântica, e tem coisa melhor do que o amor em meio a uma batalha?! Mas quem sabe o autor não está guardando esse trunfo para o próximo livro? Um... Eu espero que sim!

Bem, no geral posso dizer que Ethernyt superou minhas expectativas, o livro merece todo reconhecimento e elogios que está recebendo, eu o recomendo a vocês. Quem gosta de uma aventura, não pode deixar de lê-lo.

Então, ai fica a dica, vamos dar mais valor aos autores nacionais!

Beijokas

Pah

*Obs: Acho que me empolguei com a resenha... Preciso aprender a ser mais sucinta, ahauhauahuah.

11 comentários:

  1. Eu gostei bastante da resenha
    Super bem feita, mas esse não é o tipo de livro q me agrada muito

    ResponderExcluir
  2. A capa desse livro me atrai bastante.
    Resenha muito empolgada mesmo, rsrsr.
    Mas curti do começo ao fim. O livro vai entrar pra minha wishlist com certeza!

    =)
    bjoks
    Dani MARREIROS

    ResponderExcluir
  3. Otima resenha adorei o Blog, eu nunca ouvi falar :/

    beijos
    http://leiturait.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ola minha querida!!!!
    Amigos são como anjos que nos levantam nas pontas dos pés quando nossas asas tem problemas, nos lembrando como voltar a voar. Você, com certeza é um desses anjos!!!
    obrigado por existires em minha vida!!!!

    meu carinho
    Giza

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela resenha Pah! Estou ansiosa para ler Ethernyt A Guerra dos Anjos. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Pah!
    Amei sua resenha! Foi um dos melhores livros que li esse ano :) Um livro recheado de ação, suspense, uma história totalmente diferente, super bem escrito, com uma narrativa que te prende do início ao fim!
    Ahh me desculpa Pah, ainda não respondi seu e-mail porque fiquei sem internet :S Mas vou responder no máximo até amanhã! Para que a gente possa colocar as ideias em prática ainda essa semana!

    Tá rolando promoção no blog de livro e marcador de "Uma Proposta Irrecusável" http://migre.me/4wwLm :D Participe!

    Obrigada pela visita e pelo comentário!
    Tem post novo no blog, dá uma passada lá!
    Beijos, Nath
    @brgnat
    Books In Wonderland - http://booksinwonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Se empolgar de vez é legal, Pah! Mostra que você tinha bastante coisa a dizer sobre o livro.

    Quando você disse que lembrava Dan Brown já me fez querer ler. Hehe!

    Beijos!!
    Boa semana!
    Arte Around The World

    ResponderExcluir
  8. Olá Pah, tudo bem? Excelente resenha, minha amiga! Não poderia deixar de passar por aqui para registrar um singelo agradecimento por ter meu trabalho tão bem divulgado no seu maravilhoso blog.
    Obrigado também a todos que separarem uma parcela do seu precioso tempo para lerem e comentarem essa resenha.
    Afetuosos abraços!

    ResponderExcluir
  9. AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
    Vc tá sendo uma ótima resenhista flor!!!!!
    =D

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. nada contra quem gostou da trilogia, mas eu particularmente axei horrivel, o escritor pecou em muitos detalhes, o livro inteiro é cheio de redundâncias, (dá até pra entender que, o escritor usa esse artificio para encher linguiça), nao existe Deus, mas ai no final, simplesmente Sarah se revela como sendo nada mais nada menos que Deus (não propriamente dito), durante as batalhas, outro detalhe, a AHA foi massacrada por um exercito totalmente inexperiente, simplesmente eles nao usaram de todas as invençoes ja criadas pelo homem e partiram de encontro aos demons, apenas com faquinhas nas maos. e o final foi pior, apenas por conveniencia o exercito de Ethernyt vem ao encalço, pq nao vieram antes? precisava morrer tanta gente, já que o tal Iluminado já sabia de tudo de ante-mão? No começo estava tudo perfeito, adorei, de repente começou estragar o livro, decepcionadíssimo. Ah e nao poderia esquecer é claro da Irmandade dos Guerreiros da Luz, onde tem inumeros adeptos e Grãos-Mestres, mas de repente os escolhidos e um punhado de anjos se veem sós sem ajuda, "uai", cadê a Irmandade?

    ResponderExcluir