[Resenha] Book Tour Marta – Breno Melo

Título: Marta
Autor: Breno Melo
Editora: Schoba
Páginas: 216
Skoob (AQUI
Sinopse: Marta é bipolar, adolescente e tenta viver uma história de amor. Um velho psiquiatra, disposto a produzir Literatura leiga e fugir das teses para o meio acadêmico, narra os fatos mais significativos da vida de Marta, abrangendo toda a sua primeira adolescência, até que possa caracterizá-la como bipolar tipo I. O mais original é que ele mostra Marta às voltas com a vida que todos levamos — tentando viver sua própria história de amor — e não apenas com o transtorno em si ou tratando dele.
­­­­­­­­­________

“O amor faz o tempo passar, e o tempo faz passar o amor”.

Marta é um livro com um grande teor psicólogo. Com uma história intensa e palpável, o autor narra com destreza a confusão de sentimentos que acabam por deixar transparecer a personalidade bipolar da jovem Marta, fator que poderia ser tratado de várias formas, mas no livro em questão é abordado sob um contexto inusitado, elemento que surpreende por sua casualidade. Sendo assim, a bipolaridade de nossa heroína é apresentada no dia a dia vivenciado pela mesma, cada detalhe, rico em características e sentimentos, nos permite compreender o quanto ela sofre com a intensidade das emoções que a afligem, hora boas, hora ruins.
Como alguns jovens de sua idade, Marta sai de casa para estudar, seu sonho é concluir a universidade tão almejada de jornalismo e então regressar para sua pequena cidade natal, onde poderá desfrutar da felicidade de viver ao lado de seu amado. Desde mais nova, ela alimenta um grande amor por João, garoto com quem namorou na época de escola. O relacionamento dos dois depois de algum tempo chegou ao fim, mas o sentimento perdurou, crescendo com o passar do tempo.
“(...) de fato ninguém se livra do amor que sente só por fugir. É inútil tentar escapar do que levamos dentro de nós mesmos cada sai - ora mais pungente, ora mais adormecido – e, quanto mais corremos para longe, mais as feridas de amor parecem abrir-se com o esforço da fuga, em vez de se fecharem. Fugir é inútil...”
Assim, com o avançar da trama, descobrimos tudo que liga ou que afasta João de Marta, e compreendemos o quanto esse amor é capaz de influenciar a vida da mesma. Suas atitudes estão sempre ligadas a João. Quando a saudade pela época em que vivia ao lado dele aperta, ela se fecha para o mundo, alimentando com a solidão a própria dor, contudo, se as lembranças dele e desse amor são capazes de criar e renovar as esperanças de tê-lo novamente, Marte se ilumina, irradiando felicidade. Às vezes percebemos o quanto ela sonha acordada, o quanto ela mescla suas esperanças com o que é realmente real, e viver a angustia dela por meio da narrativa, é demasiadamente intenso, ver o amor mediar a vida da jovem e ver como ele é capaz de conduzi-la por caminhos de tanta dor e solidão, é triste, e esse sentimento se agrava no leitor quando percebemos os sintomas da bipolaridade da protagonista.
Um fator que me agradou muito na forma de escrever do autor está relacionado com as reflexões que o próprio narrador faz no decorrer da narrativa - narrador esse, que é caracterizado na sinopse do livro como um psicólogo. Essas observações e citações, relacionadas com as situações descritas, ou até mesmo com a força dos sentimentos vivenciados por Marta, nos fazem ter a impressão de que o autor conversa conosco, possibilitando que não deixemos escapar os detalhes da trama. Outro ponto é o diário de Marta, suas reflexões e anotações nos envolvem ainda mais na narrativa, acrescentando a trama um lado filosófico, recheado com meditações e pensamentos a respeito do amor, da vida e da felicidade.
“Talvez de fato a felicidade seja o que as pessoas normais podem ter de mais parecido com a loucura, porque, quanto mais felizes, mais loucas elas parecem. Só por felicidade dança-se sob a chuva, desperta-se a namorada de madrugada para lhe fazer uma serenata, e só por felicidade grita-se de alegria e não de dor”
Preciso mencionar também um aspecto a lá Machado de Assis que me chamou a atenção na obra em questão. Quem já leu Dom Casmurro sabe que o autor abusa (de uma forma incrível, se me permitem dizer) do antigo - “Mas e se?” - Sabe as interrogações, dúvidas e possibilidades que ficam em aberto? Pois bem, senti um pouco disso em Marta, o autor deixa alguns fatores pendentes, são elementos que não influenciam diretamente o rumo da história, mas dão a impressão de que algo ficou não explicado, ou não esclarecido, a graça é que isso explora nossa imaginação, mas nunca teremos certeza se nossa intuição está totalmente correta. (Para quem já leu, vocês não acham que a amizade de Marte e suas duas amigas deixou um ponto em aberto? Para mim, uma das despedidas delas me deixou com a pulga atrás da orelha).
No todo só posso dizer que me surpreendi, o livro é intenso, mas não é cansativo e o final é, digamos, arrebatador, mas só lendo para entender. Agradeço a oportunidade de participar do Book Tour desse livro, a leitura foi muito gratificante!
Até, 

13 comentários:

  1. Olá, Pah!
    Adorei a sua resenha!!
    Fiquei curiosa para acompanhar a história, achei interessante a proposta do autor em abordar os aspectos psicológicos como a bipolaridade.
    Já estou participando do Booktour pelo blog da Mi, estou ansiosa para que chegue logo a minha vez!
    Bjos.

    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias.

    ResponderExcluir
  2. Também fiquei curiosa, é um tema interessante e pode ser bem esclarecedor nos dias de hoje... :)

    ResponderExcluir
  3. Pah, acho que é unânime citar nas resenhas a semelhança entre Machado de Assis e Marta!
    Também achei incrível a maneira encontrada pelo Breno de mostrar a bipolaridade e também amei as reflexões durante a história!
    Não fiquei com essa pulga atrás da orelha quanto às amizades, o que você pensou sobre isso?
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Oi Pah,

    Adorei demais a sua resenha, sério! Foi profunda, mas ao mesmo tempo objetiva. Você escreveu sobre tudo muito bem.
    Concordo com você sobre essa ótima semelhança entre Machado de Assis e a escrita do Breno. Além das partes em que podemos ler as reflexões de Marta em seu diário. São as melhores partes pra mim!
    De fato existem alguma questões que ficaram em aberto, mas acho que isso só acrescentou ao enredo que, vamos e convenhamos, não é nada comum.
    Mais uma vez, ótima resenha! Parabéns. o/

    Beijão ♥
    Priscilla Duhau
    Livrificando

    ResponderExcluir
  5. A capa, confesso, não me chamou a atenção logo de primeira, mas seu resumo e resenha e me fez ver pontos positivos ;D

    Beijos
    http://osbastidoresdoamor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Confesso que estou cada vez mais curiosa para ler este livro!!
    Adorei sua resenha Pah, tbm estou participando do book tour. E que chegue logo a minha vez!!
    Bjinhs
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Pah!
    Estou para receber esse livro de book tour que estou participando. Preciso dizer que estou muito curiosa? Até o momento só vi resenhas super positivas da obra e bem, sua resenha não podia ser diferente. Não vejo a hora do livro chegar em minhas mãos. rs

    Beijos
    http://manialiteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. ei Pah,
    resenha muito boa, conseguiu chamar minha atenção para o livro. ^^
    Ainda vou ler por curiosidades. ^^
    beijos.

    ResponderExcluir
  9. Nossa Pah! Que resenha bonita, eu fiquei super interessada neste livro, a capa é tão linda, tão serena, gostei, e lógico o livro parece ser muito bom, bem complexo e profundo, quero ler!
    Beijinhos,
    @PatriciaADavis

    ResponderExcluir
  10. Nossa, tenho que ler logo! Espero que não demore para chegar para mim *-*
    Que bom que você gostou! Espero gostar tanto quanto você.
    Bjão, Pah!

    ResponderExcluir
  11. Oi Paaah, amei a resenha flor!
    Bom, nos ultimos tempos tenho buscado e adorado livros com, como vc mesma diz, mto teor pscologico, é bom pra nos fazer refletir.

    Estou no B.T. do livro e aguardo ansiosa pela minha vez!

    Beeijão!
    Rapha ~Doce Encanto

    ResponderExcluir
  12. Não gosto de livros com teor psicológico assim...

    Mas gosto de algumas coisas reflexivas - meio filosóficas! *-*

    Ótima resenha.

    Beeijo

    ResponderExcluir