Fuxicando Sobre Chick-Lits: Emily Giffin

Postado em 10 maio 2012
"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões.



Oi gente!

Agora que minha correria de final de estágio passou, voltei a ter tempo para preparar melhor um post pra vocês, enquanto esse meu segundo não chega na reta final e eu fiquei doida e sem tempo novamente. 
Devo dizer que estou passando por uma crise de criatividade para trazer posts inovadores para vocês. Coloquei a cabeça para funcionar vários dias, mas nenhuma grande ideia me surgiu, então, dentro daquilo que já trouxe para vocês, comecei a pensar o que eu poderia acrescentar. 
E então me dei conta de que eu quase não falei de uma das minhas autoras favoritas, não so desse gênero. 

Vamos conhecer mais sobre Emily Giffin e compreender o porquê de eu tanto admirá-la?



Emily Giffin nasceu em 20 de março de 1972. Desde cedo, demonstrou interesse pelo mundo da escrita, tendo escrito seu primeiro livro The Funny Pandas and The Messy Room (tradução livre: "Os Pandas Engraçadinhos e o Quarto Bagunçado") aos 6 anos para seus familiares. Foi editora-chefe do jornal de sua escola, aos 14 anos, e também participava de um clube de escrita criativa, objetivando um dia se tornar uma escritora.
Ao se formar, em 1990, Emily recebeu o título de "Estudante do Ano" em Inglês e foi a oradora de sua turma. Na Wake Forest University, ela graduou-se em Inglês e História, além de ter conquistado o sonho de dirigir um time de basquete masculino da primeira divisão. 
Em 1994, ela ingressou na University of Virginia School of Law para cursar Direito. No mesmo ano, acontecia o julgamento de O.J Simpson, ex-jogador de futebol americano e ator, por ter sido acusado de assassinato de sua mulher e seu amigo. Frequentemente, Emily faltava às aulas para assistir aos julgamentos e tirou, pela primeira vez desde seu 8º ano na aula de Educação Física, uma nota B.
Depois de formada, Emily trabalhou na área de direito, mas nunca gostou de sua carreira.  Assim, em 1997, ela começou a escrever em suas horas vagas seu primeiro romance, um YA que não chegou a ser publicado.  Ela já sonhava em abandonar seu trabalho para se tornar uma escritora em tempo integral.
Somente em 2001, após ter sido rejeitada por 8 diferentes editoras, Emily abandonou seu emprego e mudou-se para Londres 5 dias antes do 11 de Setembro. Lá, começou a escrever Something Borrowed (publicado no Brasil sob o título: "O Noivo da Minha Melhor Amiga"), mas com o título original de Rolling in the Dice (tradução livre: "Rolando os Dados").
Em 2002, além de se casar, ela assinou um contrato para dois livros com a Editora St. Martin's. Something Blue (publicado no Brasil sob o título "Presentes da Vida") começou a ser escrito em 2003, no mesmo ano em que a autora descobriu estar grávida de gêmeos. Something Borrowed foi lançado em junho de 2004 e atingiu a lista dos Mais Vendidos do New York Times. O mesmo aconteceu com Something Blue, lançado em 2005.
Em 2006, foi o ano de Baby Proof (tradução livre: Prova do Bebê) seguir o exemplo dos outros dois livros, no mesmo ano em que a autora descobriu estar grávida de uma menina. Em 2007, Emily terminou seu quarto livro e estreou na TV no programa As The World Turns. Em 2008, Love The One You Are With (publicado no Brasil sob o título "Ame o Que é Seu") entrou para a lista dos Mais Vendidos do New York Times na segunda posição, ficando em primeiro no Canadá. O livro, também, foi opcionado para ser adaptado para o cinema.
Em 2009, a equipe para produzir Something Borrowed e Something Blue para os cinemas foi montada, estando Hilary Swank entre os produtores. Heart of The Matter (publicado no Brasil como "Questões do Coração") foi lançado em 2010, mesmo ano em que começou a escrever seu mais recente romance , Where We Belong (tradução livre: "Onde Nós Pertencemos") e o roteiro para Baby Proof.



(Informações retiradas do Website Oficial da autora)



Obras Publicadas no Brasil

O Noivo da Minha Melhor Amiga



Presentes da Vida




Ame O Que É Seu




Questões do Coração



Obras Não Publicadas no Brasil




Emily veio para mostrar que a generalização de chick-lits como "superficiais" não se aplica as suas obras. A autora vai realmente a fundo nas divagações e questionamentos de suas personagens, além da abordar temas um tanto quanto polêmicos, principalmente a traição, através de uma leitura leve e prazerosa.
Minha primeira experiência com a autora foi através da leitura de O Noivo da Minha Melhor Amiga, muito antes do filme ser lançado.  O livro já foi indicado pela Paulinha no Fuxicos e Futricos aqui no blog, mas tivemos experiências um pouco diferentes com a leitura, então relatarei a minha!
Quando eu li o livro em 2009, eu sequer sonhava que um dia seria uma blogueira e não fazia ideia de que o termo "chick-lit" existia. Eu simplesmente já amava ler e amei o livro que estava em mãos.
Achei sensacional a maneira de como Emily abordou um tema polêmico (a traição) de maneira que não julgamos a traidora. Aliás, pelo menos em meu caso, eu compreendi completamente suas atitudes. É claro, eu não sou nenhuma defensora de traições e não as incentivo, mas eu consegui compreender a situação de Rachel. Consegui enxergar toda a impotência que ela sentiu em toda sua vida diante de sua egocêntrica amiga. Eu enxerguei o lado omissivo da protagonista, mas não a julguei em momento algum. Eu torci por ela.
Quando, dois anos depois, me deparei com Ame O Que É Seu, eu soube que precisava lê-lo simplesmente por ser uma obra da Emily. Novamente, me vi deliciada e imersa nas páginas daquele livro, que tanto me fez refletir. Como no primeiro caso, a autora também aborda uma questão polêmica: o fato de sua protagonista, já casada, se ver dividida entre seu marido perfeito e um ex de seu passado, que a fez sofrer e nunca foi completamente esquecido. 
Através dessas duas leituras, pude perceber o quão capaz a autora é de trazer a tona questões polêmicas, mas rotineiras, de forma que consigamos enxergar pelos olhos das personagens e compreendê-las, ao invés de julgá-las. Acho que boa parte dessa capacidade se deva à formação da autora em Direito e, principalmente, aos anos em que atuou como advogada. 
Ainda não li Presentes da Vida nem Questões do Coração, mas já tenho ambos os livros e mal posso esperar para lê-los. Admiro ao extremo a qualidade da escrita da autora e quero, novamente, me deliciar com a leitura de mais uma de suas obras, afinal, os dois livros dela que já li figuram entre a minha lista de livros favoritos.


Curiosidades

- Emily, ao nascer, foi erroneamente registrada com o sobrenome "Fish" (peixe), ao invés de Giffin. Porém, coincidentemente, o sobrenome errado teve seu sentido, já que ela nasceu sob a regência do signo de Peixes;
- A autora acredita que seguiu pela carreira de Direito, ao invés da literária, como sempre sonhou, porque era algo mais real. Ela achava que precisava de uma carreira mais sólida e segura antes de ser uma escritora. A escolha pelo Direito foi influenciada pelo gosto literário de Emily por suspenses e romances policiais. Apesar de nunca ter gostado da profissão, ela não se arrepende de sua escolha, já que o conhecimento obtido teve (e ainda tem) seu valor até os dias atuais;
- Emily sempre começa seus dias com um copo de café, e acredita que sua escrita é mais consistente quando escreve durante as manhãs ao invés da noite;
- Os nomes dos dois primeiros romances publicados da autora, Something Borrowed e Something Blue, são referências às tradições "Something Old, Something New, Something Borrowed e Something Blue"  em que a noiva deve usar, no dia de seu casamento, algo velho (para representar o elo com o passado e a disposição da noiva em abandoná-lo para viver algo novo), algo novo (para representar a prosperidade no novo futuro do casal), algo emprestado (para representar os amigos e a famíla que apoiam e acompanham o casal) e algo azul (para representar a pureza, a confiança e, principalmente, a lealdade). Considerando o significado de cada tradição, fica fácil compreender os títulos originais das obras, não é?
- Entre os livros preferidos da autora, estão A Princesinha, O Céu É Para Todos, O Morro dos Ventos Uivantes e Mrs. Dalloway.


E por ai, quem já leu algo da Emily, o que tem a dizer?
Quem ainda não leu, ficou convencido/interessado a conhecer as obras delas? 

Lembrando que "Presentes da Vida" é uma continuação de "O Noivo da Minha Melhor Amiga", mas que não necessita do primeiro livro para ser lido. Um retrata a história de Rachel e o outro a de Darcy após todos os acontecimentos do primeiro livro, mas são histórias diferentes.
Igualmente, "Questões do Coração" também faz um paralelo com O Noivo da Minha Melhor Amiga, já que Tessa é irmã de Dexter e, assim, o livro pode fornecer algumas informações da primeira obra publicada de Giffin.
As informações sobre a autora foram todas retiradas de seu website oficial e apenas reorganizadas por mim. Já as informações sobre as tradições do casamento foram encontradas aqui.

Espero que tenham gostado!


Beijos a todos!




Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. oi,
    adoroooo
    só li Questões do coração, mas eu tenho os outros e quero muito ler.
    adorei seu blog, muito lindo!
    estou te seguindo, segue o meu tambem
    http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

    bjos

    ResponderExcluir
  2. Oi Aione!

    Sabe que ainda não peguei nenhum livro da autora. Já tenho dois aqui em casa, mas pretendo ler todos lançados. Confesso que não sou uma grande fã de chick-lit, mais por não conhecer do que por não gostar, mas acho que são livros ótimos para dar um tempo da leituras densas e cansativas! Espero gostar do trabalho da Emily.


    Beijo!
    Boas leituras!
    http://www.estantedanine.com/

    ResponderExcluir
  3. Tenho ''O Noivo da Minha Melhor Amiga'', vai fazer quase um ano. =O
    Me falaram que é ruim. Fiquei meio relutante com o tema e ainda não li.
    Só que não tinha analisado as circunstâncias, pelo que você falou, até que dá pra entender os motivos e etc...Vou dar uma chance a esse livro depois. rs

    Por "Presentes da Vida" ter um kit bem legal e por ser a continuação do outro, desejo ele tbm. rs

    Quanto aos outros, não pretendo ler.

    Beeijo

    ResponderExcluir
  4. Adoro a Emily e concordo sobre o fato de ter outra carreira, ainda mais quando se trata de ser escritor!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a postagem! =D
    Estou pra ler Presentes da vida.
    Bj!

    www.falandodelivros.com

    ResponderExcluir
  6. Mi, sua postagem ficou muito interessante. Nunca li nada da Emily, mas tive a oportunidade de vencer um concurso da Novo Conceito no ano passado que me premiou com um exemplar de "Questões do Coração" autografado por ela e passei a ter uma admiração especial pela autora, além de algumas entrevistas às quais assisti que só mostraram como a Emily é carismática, uma mulher inteligente e, provavelmente, ótima autora.
    A biografia dela é bem extensa e, puxa vida, tem história! Aluna exímia, treinadora de basquete, redatora-chefe do jornal da escola, advogada, mãe, autora, esposa... Ufa, heiuehieuh

    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Ola!! Amei seu blog, e principalmente sua postagem sobre minha autora predileta! Amo as obras da Emily.
    Continue escrevendo....irei me tornar sua leitora de carteirinha.
    Muito bacana blogs como o seu, um exemplo e incentivo à cultura e nao apenas voltado a um unico mundo.

    Pode ter certeza que incentivara muitas garotas a ler.
    Beijos

    ResponderExcluir