Fuxico & Futricos #39



Oi, gente!
Hoje é terça-feira, então é dia de Fuxicos&Futricos



Música
As indicações de hoje já deveriam ter aparecido aqui, na coluna, há muito tempo, mas a escolha da música para aparecer na indicação estava bem difícil, então demorei.
A canção indicada não é completamente A CARA do livro que indico logo abaixo pois o livro é cheio de altos e baixos e diferentes emoções, mas não parava de pensar nela enquanto (re)lia esse livro, então resolvi indicá-la.
Música de uma banda que amo e que já tive o prazer de indicar aqui, leiam o post ao som de...
Florence + The MachineHardest of Hearts



 “Existe amor em nossos corpos e isso nos segura juntos
Mas nos separa quando estamos nos abraçando
Todos queremos algo para abraçar à noite
Não nos importamos se dói ou estamos apertando muito forte

Existe amor em seu corpo mas você não consegue tirar
Ele cola em sua cabeça, não sai de sua boca
Gruda em sua língua e aparece em seu rosto
Que a mais doce das palavras tem o mais amargo gosto

Querido coração, eu te amei desde o começo
Mas você nunca saberá como fui tola
Querido coração, eu te amei desde o começo
Mas isso não é desculpa para o estado em que me encontro

O mais duro dos corações
O mais duro dos corações
O mais duro dos corações”


Livro


Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam. (Skoob)

 
Eu sabia que começaria pelo fim, e que o fim pareceria a morte a estes olhos. Eu tinha sido avisada.
Não estes olhos. Meus olhos. Esta sou eu agora.
O idioma que me vi usando era estranho, mas fazia sentido. Entrecortado, delimitado, despojado e linear. Impossivelmente mutilado em comparação com muitos que eu já usara, mas ainda assim conseguia encontrar fluidez e expressão. Às vezes, beleza. Meu idioma pátrio.
Com o mais verdadeiro instinto de minha espécie, liguei-me seguramente dentro do centro de pensamento do corpo, geminando-me inescapavelmente a cada uma de suas respirações e a cada reflexo até que aquilo não fosse mais uma entidade separada. Era eu.
Não o corpo, meu corpo.”


Devo ir logo avisando: OS PRIMEIROS 10 CAPÍTULOS SÃO UM SACO!
Gente, ainda bem que fui avisada disso quando o li pela primeira vez, pois cogitei desistir da leitura.
É absolutamente fantástico poder pensar no futuro da humanidade. Esse livro me fez enxergar mais do que sou ou somos agora e que, realmente, existe uma razão para as “almas” tomarem as vidas humanas, pensando em melhorar o mundo. Mas também é maravilhoso poder ver os humanos restantes ainda lutarem por suas vidas e independência.
O livro é uma montanha-russa de emoções, especialmente porque no corpo da protagonista existem dois “seres” (?!). Bom, Peregrina é a “alma” que agora habita o corpo de Melanie. O problema é que Melanie é forte e não abandonou o próprio corpo, então temos sempre muitas emoções diferentes e muitas vezes divergentes entre elas e entre as pessoas com as quais elas se relacionam.
Pra quem tiver paciência co os primeiros capítulos, a história é linda. Temos a chance de ver descobertas e amadurecimentos de sentimentos fantásticos. Ao final, temos uma lição de vida muito bonita.
Para aqueles que leram o livro e que entenderam tudo o que eu quis dizer ai em cima, fala sério, eu não gostei muito de como as coisas terminaram, mas... fazer o que né?! Eu não sou a Stephenie Meyer (mas se fosse, mudaria algumas malditas coisas naquele final ¬¬’).
No Skoob (até a data da publicação) a nota do livro é: 4.2/5.
È uma boa nota, né? Sinal de que eu tenho razão ao dizer: LEIAM!

 
Filme


Bom, pra quem ainda não sabe, o livro vai virar filme. Ele já esta em fase de pós-produção e deve ser lançado em março de 2013.
Claro que fiquei empolgadíssima, porém quando a escolha do elenco foi divulgada...
Gente, não é por nada, mas quem leu sabe que os personagens não são nada parecidos com os atores escolhidos.
Bom, já foi lançado um teaser e vou deixando ele aí só para dar um gostinho das coisas pra vocês...
Voltarei a falar sobre o filme e darei mais detalhes quando ele for lançado.




8 comentários:

  1. Olá!
    Já houve um tempo que este livro estava na minha lista, mas o tempo passou e hoje vejo que este asunto abordado não é exatamente o tipo de livro que eu gosto. Mas quem sabe um dia!!
    Gostei da música!!

    bjinhs*
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Paulinha!
    Não pude ouvir a música porque estou no pc da facul, mas gostei do trecho que você colocou!
    E eu adoro esse livro! Ele realmente é um saco no começo, mas é incrível depois!
    Estou curiosa pelo filme!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também tô curiosa com o filme, Mi, mesmo eu não tendo gostado do elenco =(

      Excluir
  3. Adoro a Florence! As músicas dela são lindas!
    A Hospedeira eu li porque estava naquela fase de Crepúsculo e queria ler mais um livro da autora. Quase que eu largo o livro, era chato, monótono. Mas não sei como, o livro me prendeu e tinha que terminar de ler o livro, me apaixonei pelos personagens.
    Se o filme for tão bom quanto livro, vai ser ótimo! Não vejo a hora de março chegar!
    Beijinhos!

    Camila.
    loucuradelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. *------------* Amo a Florence! uashahs'
    Aiai, vou ser bem sincera Paulinha, eu não tinha muita vontade de ler esse livro. Li dois capítulos e desisti dele, mas a sua resenha me deixou curiosa pra ler o resto.
    Bjokas, Sá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. leia, Sah, mas tenha consciência de que o começo é realmente um saco! =P

      Excluir
  5. ADORO as musica da Florence + The Machine já o livro nunca me interessei,mas quem sabe com o filme vindo por ai eu mude de ideia.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Paulinha, tudo bem?
    A música realmente se encaixou com o livro rs...Eu já li "A hospedeira" e concordo com você que os primeiros capítulos são "difíceis" de ler, mas no geral o livro valeu a pena. Quanto a adaptação para o cinema, apesar de fisicamente os atores não combinarem com os personagens, estou realmente torcendo por suas atuações.
    Beijos

    ResponderExcluir