Destaques

Newsletter

assine a newsletter!

E receba a notificação de novos posts por e-mail

novembro 30, 2012

Na lista de Favoritos: Arrow e Nashville

Por Paola Aleksandra

Fora do universo literário uma das minhas grandes paixões, ou vícios se assim preferirem, são os seriados de TV. De fato, se não estou mergulhada nas páginas de um livro, estou vidrada acompanhando algumas das minhas séries preferidas. Sendo assim, desde o meio do ano (quando a divulgação das novidades foi intensificada) estou de olho nas apostas dos canais pagos para esse tipo de entretenimento. Em outubro e novembro desse ano tivemos várias estreias, muitas delas consideradas fontes de sucesso certo por seus produtores, e atenta a esse grupo de novidades, estava ansiosa por 10 novas séries: The New Normal; Revolution (Segundo fontes, essa série é baseada em Jogos Vorazes, e ao ver o primeiro episódio senti uma pequena semelhança com a trilogia); 666 Park Avenue (Medo define!); The Mindy Project; Arrow; Chicago Fire; Hunted (Ótima série! Vai ter post dela aqui no blog);Nashville; Beauty and the Beast e Elementary.
Quando assisti ao episódio piloto dessas 10 séries tive reações adversas. Algumas delas eu amei logo de cara, outras demoraram a me convencer de sua qualidade e ainda, algumas delas me fizeram mergulhar em “limbo” de neutralidade: um pouco divertidas, um pouco misteriosas, um pouco autenticas, mas nada ao extremo, por isso concluí que não gostei nem desgostei delas, e que só os episódios futuros poderão me dizer se continuarei ou não, a acompanhá-las. Mas o que interessa mesmo são as séries que me deram frio na barriga, as que me ganharam por completo logo nos 20 primeiros minutos de seus episódios de lançamento. Tem coisa melhor do que um seriado que lodo de cara gera um turbilhão de emoções? Raiva, frustração, curiosidade, bom humor... Simplesmente mergulhei de cabeça nas histórias criadas e por isso elas entraram para a minha lista de favoritos.

Arrow é uma série de televisão americana de drama e fantasia baseada na história em quadrinhos do Arqueiro Verde - Definitivamente, os heróis de quadrinhos estão em alta! Ela estreou em 10 de Outubro de 2012 na emissora americana The CW e já é considerada pela mesma o grande acerto do ano. A série narra a vida do playboy Oliver Queen (interpretado pelo lindo Stephen Amell) que depois de cinco anos de um acidente que o fez ser dado como morto, retorna de uma ilha deserta para combater o crime e a corrupção da cidade (Fonte). Tal série me ganhou pelo alto índice de drama familiar da trama. Por mais que a ação reine em todos os episódios da produção, as atitudes de Oliver, nosso misterioso arqueiro verde, são fruto de enlaces familiares complexos e misteriosos. Sem contar que o tema “fazer justiça com as próprias mãos”, por mais clichê que possa parecer, sempre tende a nos entreter. Os pontos altos, a meu ver, são:

novembro 29, 2012

Fuxico de vitrine: DIY de penteados

Por Sabrina



Olá meninas (:
Então, passeando pelo Pinterest eu encontrei vários DIY de penteados, fofos e fáceis de fazer. Como o Verão esta aí, e o que nós mais queremos é tirar o cabelo do rosto, ou deixar a nuca fresquinha, ou os dois juntos uahsuah' separei alguns penteados pra vocês. Espero que gostem.


novembro 28, 2012

[Resenha] Um Amor no Deserto - Rosane Fantin

Por Paola Aleksandra

Sinopse: Amy é uma jornalista desportiva muito competente. Uma mulher independente, de ideias próprias e determinada. Numa de suas aventuras jornalísticas, durante o Rally Paris-Dakar de 1986, se vê perdida no meio do deserto do Saara, com sua moto atolada nas areias, em vias de morrer desidratada e sozinha. Porém, por obra do destino, é encontrada por um estranho tuareg, que a leva ao mundo do antigo povo nômade, numa aldeia perdida no meio das dunas. Ali se vê prisioneira do homem e indefesa contra as leis da natureza, obrigada a esperar que alguém do mundo civilizado apareça para ajudá-la. Neste ambiente, aparentemente hostil, onde Daren passa a definir suas ações, surge um sentimento novo, que vai determinar uma mudança irremediável em sua vida.

Romance Adulto|| 212 Páginas || Skoob || Blog da autora|| Classificação: 
Um amor no Deserto, obra da autora nacional Rosane Fantin, é um romance leve e encantador. Por seu tamanho (apenas 212 páginas) e pela escrita fluída da autora podemos lê-lo em “uma tacada só”, contando ainda com o fato de que a trama não exige muitos esforços por parte do leitor para que ele se conecte com o ritmo da narrativa, o que consequentemente agiliza ainda mais o fluxo da leitura. Em suma, essa agilidade natural da trama e do trabalho da Rosane me lembrou certos romances de banca, que são curtos e ligeiros na descrição dos acontecimentos, mas nem por isso pecam ao deixar muitos pontos soltos na obra.
Narrando a história de Amy a autora nos transporta a um cenário incrível - elemento que particularmente, foi o que mais me agradou em todo o livro - o deserto do Saara. Como jornalista Amy parte a trabalho em um rally (modalidade automobilística na qual se coloca à prova a habilidade dos condutores e a resistência de seus veículos) no qual dentre os vários cenários da competição encontra-se a região desértica da África, com suas adversidades temporais, certos detalhes culturais e belíssimos oásis naturais. É nessa região, desconhecida e ameaçadora para uma jornalista teimosa de Londres, que Amy conhece um homem, o misterioso Daren, capaz de gerar nela uma infinidade de sentimentos controversos.

novembro 27, 2012

[Promoção] Bem Profundo - Portia Da Costa

Por Paola Aleksandra

Gosta de romances Eróticos? Quer conhecer mais sobre essa classe literária? Então que tal concorrer a um exemplar do livro “Bem Profundo”, super lançamento da Editora Planeta?
“(...) não há como escapar daquilo que é bem profundo, não há como voltar atrás.”
Juntos, o blog Livros & Fuxicos e a Editora Planeta vão sortear um exemplar do livro e para concorrer basta:
·         Possuir endereço de entrega no Brasil;
·         Seguir publicamente o blog;
·         Comentar nesse post para validar sua participação (Vale qualquer comentário); e
·         Preencher o seguinte formulário:

Dúvidas como utilizar o formulário? Veja algumas dicas AQUI
Lembre-se, fora as opções obrigatórias, as chances extras são facultativas, participe com as que você mais gostar!
A promoção fica no ar até o dia 20 de Dezembro, e na segunda-feira (24), no máximo, posto o resultado. O vencedor tem até 48 horas para responder meu e-mail de contato, caso contrário, irei refazer o sorteio. O envio do livro será realizado pela editora, então a entrega pode variar de 20 a 30 dias.
Boa Sorte!

[Resultados]

Por Paola Aleksandra


Olá galera, tudo bem? Hoje é dia de resultado aqui no blog, vamos conferir quem foram os sortudos que levam para casa vários livros e kits e que vão receber uma visitinha adiantada do “carteiro papai Noel”.
Livros ou Travessuras
Vamos conferir quem foram os(as) sortudos(as):

novembro 26, 2012

[Resenha] Bem Profundo - Portia Da Costa

Por Paola Aleksandra

Sinopse: Uma das tarefas de Gwendolyne é esvaziar todos os dias a caixa de sugestões da biblioteca. Um dia, Gwen encontra uma carta direcionada a ela, e se trata de uma proposta indecente. Um homem misterioso começa a lhe mandar correspondências de perder a cabeça e fica claro que ele não quer ficar só no papo! Suas ideias são chocantes, mas excitam Gwen. Enquanto sua imaginação está a mil, ela ainda precisa lidar com o professor Daniel, que está fazendo uma pesquisa temporária na biblioteca. Um homem espetacular, em sua opinião. Gwen começa a fazer avanços sobre o professor inspirada pelas cartas picantes que recebe do admirador secreto. Personagens apaixonantes e um final surpreendente completam este erótico que tira o sono até das almas mais puras. Alguns envolvimentos vão longe demais, e não é possível escapar do que é bem profundo.
256 Páginas || Skoob || Cortesia Editora Planeta || Compare & Compre || Classificação:   Romance Erótico
Bem Profundo faz jus ao título recebido. A narrativa da autora é sensual e intensa ao extremo, deixando claro que o livro não se encaixa na classe dos romances adultos, mas sim, na dos romances eróticos. A diferença, por mais que não pareça, é considerável. Em um romance adulto, por mais que o erotismo se faça presente na trama, o sentimentalismo fala mais alto e em certo momento acaba se tornando o centro da história. Já nos romances eróticos, o amor pode vir a se tornar uma consequência da paixão descrita, entretanto a história sempre caminha pelos enredos do desejo carnal, levando seus personagens a vivência de suas vontades e fantasiais sexuais mais profundas.       
Por isso, confesso que a citação na capa comparando a obra com a série Cinquenta Tons me preparou para uma história totalmente diferente da qual fui apresentada. De fato, as obras se assemelham em alguns aspectos (fantasias sexuais, desejo carnal, relações de dominação, etc.), contudo enquanto Cinquenta Tons é uma história de desejo e paixão narrada pela ingênua Anastasia Steele, Bem Profundo é um mergulho na libertação da sensualidade e da libido de nossa “experiente” protagonista, que não está em busca de um conto de fadas, mas sim, de um reencontro com sua feminilidade e com seus mais sinceros desejos (mesmo que ela ainda não tenha se dado conta disso).
Gwendolynne Price é uma bibliotecária recém-separada na casa dos trinta anos, dona de um corpo curvilíneo que foge dos padrões sociais de beleza que se fixam entre os tamanhos 36 e 38, e que se vê confrontada por seus desejos mais obscuros quando recebe uma carta anônima repleta de sensualidade e promessas carnais. Como bem sabemos as palavras podem carregar uma infinita carga de sentimentos e essa primeira carta a assusta, amedronta e ao mesmo tempo enche seu corpo de desejo. Como um estranho poderia saber tanto sobre ela? Como ele fora capaz de reparar em suas roupas, manias e rotina e ainda assim, se manter no anonimato? E mais, mesmo quando ela deveria sentir medo dele, porque continua a sentir um anseio crescente de mergulhar nesse jogo de prazer e anonimato?
“Estou de olho em você, Srta. Gwendolynne Price, sabia disso? Todos os dias fico observando você na biblioteca. Todos os dias tenho vontade de estender o braço e tocar você. (...). Gostaria de revelar as suas curvas suntuosas, beijar e acariciar você com a minha língua até deixar você em um estado em que não consiga ficar imóvel. Quero chupá-la até você chiar, arquear o corpo e gozar. Gozar pra mim.”

novembro 23, 2012

Ler e assistir, ou assistir e ler?

Por Paola Aleksandra


Cinco adaptações cinematográficas e um dilema: O que fazer primeiro, ler ou assistir?
É fato que boa parte dos livros contemporâneos considerados “grades sucessos literários” acabam ganhando adaptações cinematográficas. Antes de intensificar minha paixão literária essa característica muitas vezes me passava despercebida, contudo quando me enlacei de vez a esse universo descobri vários filmes originados de livros, alguns até mesmo, em primeiro instante, inimagináveis. Por exemplo, vocês sabiam que o filme “Meninas Malvadas” teve como base o conteúdo abordado no livro Queen Bees & Wannabes? (Veja mais aqui). 
Particularmente eu gosto de adaptações, entretanto, para me agradar elas precisam manter-se fiéis aos livros retratados, mudanças exageradas na adaptação do roteiro me deixam, no mínimo, revoltada. E é exatamente por isso que costumo ver esse tipo de longa metragem depois de já ter lido o livro, podendo assim comparar as duas fontes de entretenimento e já tendo me deliciado com os detalhes da narrativa que muitas vezes se perdem no enredo do filme. De fato se eu vejo um filme e depois leio o livro me sinto roubada; É como se eles tirassem partes fundamentais da história e a transformassem de uma forma negativa. Não posso negar que existem adaptações tão boas quanto seus livros base, entretanto esses são casos raros e por isso, vou ser sempre do time: LEIA O LIVRO e depois, assista o filme! Contudo, e quando você acha que não vai gostar do livro e opta por ver apenas a sua adaptação cinematográfica?
Sendo assim entrei em um dilema, existem cinco adaptações que prometem fazer muito sucesso no cinema, entretanto, estou em dúvida sobre os encantos de seus respectivos livros. Não que eu duvide da qualidade dos mesmos, contudo, a pergunta que fica é “E se a leitura não engrenar?”. Ultimamente só leio o que me agrada mesmo, foi-se o tempo em que eu forçava uma leitura até o final só por obrigação, desta forma, entenda meu receio com as cinco adaptações que estou de olho para 2013:


novembro 22, 2012

Fuxicando Sobre Chick-Lits: TAG - Meus Chick-Lits Favoritos

Por Aione Simões


"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões.



Oi queridos!

Recebi a TAG da Camila, uma leitora aqui do Livros e Fuxicos e do meu blog, o Minha Vida Literária.
Ela me sugeriu mostrar meus 5 chick-lits favoritos. Porém, como seria injusto deixar alguns de fora, selecionei 7 (e falei de 10)!
Não indiquei ninguém para ela, mas fiquem a vontade para fazerem!
Espero que gostem! E quero ler a opinião de vocês :)

Camila, obrigada novamente pela indicação!




novembro 21, 2012

[Resenha] Retrato do Meu Coração - Patricia Cabot

Por Paola Aleksandra

Sinopse: No passado, a desengonçada Maggie Herbert vivia às turras com os meninos, entre os quais o futuro duque de Rawlings, mas tudo se resumia a provocações e brigas. Agora adultos, eles se reencontram. Porém tudo parece conspirar contra a paixão recém-descoberta. Será que os jovens conseguirão vencer preconceitos - dos outros e os próprios - em nome do amor? (Rawlings 2).
378 Páginas || Skoob || Editora Record || Compare & Compre ||  *Romance Histórico Adulto*  
Classificação:  
Retrato do Meu Coração, obra de Patricia Cabot (assinatura utilizada pela Meg Cabot em seus romances históricos), é o segundo e último livro da série Rawlings, que como o nome enfatiza narra a história dos Rawlings - os teimosos e obstinados duques de Rawlings. O primeiro livro da série, o “A Rosa do Inverno”, já foi resenhado aqui no blog e é um dos meus livros preferidos assinados sob o nome da Patricia Cabot. Divertido e sensual, o livro me ganhou logo em suas primeiras páginas, fato que também ocorreu com a história conseguinte dessa série. Ressalto que a obra Retrato do Meu Coração pode ser lida sem se fazer necessário e/ou obrigatório a leitura do primeiro livro da série, isso porque ambos livros narram histórias com início, meio e fim. Entretanto, a ligação familiar existente entre essas histórias é fundamental para uma compreensão total da narrativa, por isso, levando em conta a qualidade dos livros, eu recomendo uma leitura sequencial.
A história em destaque nos apresenta a Jeremy, futuro duque de Rawlings. Jovem e mimado, ele sabe aproveitar as regalias geradas por seu título, contudo sua personalidade determinada e teimosa (em parte incentivada pela criação de sua tia Pegeen, em parte oriunda da família do seu pai) é o que prevalece em suas atitudes. Por incrível que pareça seu futuro é incerto, a sua única ocupação é ser o “futuro duque” e o peso dessa obrigação o leva por caminhos tortuosos. No geral o que Jeremy precisa é amadurecer, mas quem disse que essa tarefa é fácil? Ele representa o papel exato da imaturidade juvenil, ele quer, ele deseja e apenas por isso acredita que deve ter. Contudo, quando seu coração é tomado por uma paixão impossível ele assume que precisa de mais, que precisa ser merecedor desse sentimento e para isso toma uma decisão fundamental para a construção do seu futuro.

novembro 20, 2012

Amanhecer, parte 2: As emoções do “grand finale”

Por Paola Aleksandra

 Ansiedade, raiva, surpresa, amor, alegria...
Não nego que minha paixão pelos livros ressurgiu com a leitura de Crepúsculo; Nem me canso de dizer o quanto me surpreendi com a narrativa dessa série que me fez encontrar nas páginas de seus livros uma intensidade inexplicável de sentimentos. Quando os li, jovem como era, me rendi a história, e hoje, mesmo ciente da presença de alguns elementos que não me agradam como antes, respeito o trabalho da autora e admiro sua criação. Assim, não poderia deixar de dizer o quanto esperei por cada uma das adaptações cinematográficas dos quatro livros dessa saga. Independente dos atores, dos diretores, do cenário escolhido e do roteiro, o que eu queria mesmo era reviver a emoção dos livros, simplesmente comparando as imagens geradas com as palavras criadas pela autora.
Desta forma, depois de anos de espera não me aguentava de curiosidade a respeito do último filme da série. Minhas perguntas eram: Será que minhas expectativas serão supridas? Será que o final escrito pela autora, tão simples e controverso, vai ser bem representado nas telonas? Que partes serão cortadas ou editadas para uma melhor comercialização do filme? No geral, eram inúmeras perguntas, mas nenhuma delas me preparou para o rumo, no mínimo inesperado, pelo qual o roteiro dessa adaptação seguiu. Será possível se surpreender com um final previamente conhecido? Se você leu Amanhecer se prepare, pois nunca um diretor da saga Crepúsculo ousou tanto!
A surpresa se concentra no rumo diferenciado do filme com relação a alguns aspectos do livro. É claro que são feitos cortes, é previsível que algumas partes são suavizadas para que o filme não se estenda demais, entretanto mudar completamente partes do final é quase inadmissível. Por isso, de início, tais mudanças me confundiram, minha indignação era tamanha que, confesso, quase chorei de raiva, afinal, não seria possível modificar tanto uma adaptação assim; Certo? Entretanto, logo a adrenalina causada pela surpresa me dominou, e o fluxo de emoções que senti foi tão grande que só de lembrar meus olhos ficam marejados. Ponto para o diretor! A surpresa, por mais que alguns acreditem ser negativa, foi no geral, a meu ver, positiva. Por mais que o final tenha sido diferente, ele não distorceu o conceito geral narrado pela autora, que se pronunciou a favor dessas pequenas modificações.

novembro 19, 2012

[Resenha] Marley & Eu - John Grogan

Por Paola Aleksandra

John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, "um bola de pelo amarelo em forma de cachorro", que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos. Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranquilizantes receitados pelo veterinário, nem a "escola de boas maneiras", de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.  Classificação: 
304 Páginas || Skoob || Compare & Compre || Resenha da Kamila Mendes 

É impressionante o reboliço que a adoção de um animal de estimação causa na vida das pessoas. Decidi escrever essa resenha, porque hoje ganhei um gatinho de minha mãe (já tinha um que está muito enciumado e desconfiado com o novo filhote...rsrrsrs) e adotar um animal é realmente um ato de amor. Mas o livro Marley & Eu vai muito além de exaltar os benefícios da adoção animal. Na realidade, John Grogan conta a biografia da ‘pessoa’ que esteve presente nos momentos mais importantes de sua vida: o Labrador, com ‘distúrbio de personalidade’, Marley. Sendo assim, John narra, com simplicidade e humor, seu amadurecimento como homem, profissional, marido e pai, tudo com a companhia do inseparável Marley. Engana-se quem pensa que o livro se resume ao que foi mostrado no filme (sim, Owen Wilson interpreta John Grogan de forma magistral), mas a obra é mais profunda, pois fala de laços de afeto.
 “Com o dinheiro que gastamos com Marley, poderíamos ter comprado iates. Mas quantos iates te esperam na porta de casa depois do trabalho ou te acordam com uma lambida no rosto pela manhã?”
O casal toma a decisão de adotar um cachorrinho quando Jenny se dá conta de que mal consegue manter uma samambaia viva (um grande problema quando se pretende ter filhos). John, então leva sua esposa para escolher aquele que ficaria mundialmente conhecido como “o pior cão do mundo”.

novembro 13, 2012

Minha Caixinha do Correio#44

Por Paola Aleksandra

Olá galera tudo bem? Demorou mas, finalmente, saiu a caixinha do correio do blog do final do mês de Outubro. Confiram:

novembro 12, 2012

[Pipocas & Fuxicos] 5 Motivos para assistir Magic Mike

Por Paola Aleksandra


Atualmente o público feminino se tornou prioridade na criação de entretenimento artístico, de forma que o departamento comercial do mundo todo está de olho na sutil mudança do perfil comportamental desse nicho de mercado, da mulher atual que foge de rótulos sexuais, aceitando e usufruindo de sua liberdade de escolha e de expressão. E é exatamente por esse motivo que encontramos filmes como Magic Mike no cinema.
O longa-metragem, no geral, segue a linha mediana, ou seja, não leva o público a emoções extremas, ou marca o telespectador com algum aspecto em particular. Narrando a história de Mike, um stripper experiente, que vê nessa profissão um meio de juntar dinheiro para montar seu próprio negócio, mergulhamos em um mundo de sensualidade, festas e “dinheiro fácil”. A mensagem, de certo modo, pode ser interessante, mas no todo, o cenário do filme é previsível, os efeitos simplórios, a trilha sonora quase irrelevante e o desenrolar dos fatos um tanto quanto maçante. Entretanto, ainda assim, existem pontos positivos, fatores que podem nos influenciar a assistir o filme.
1º Usufrua do seu poder feminino e assista a esse filme no cinema, afinal você pode!
Ativando a sensação do poder e da liberdade feminina em 1,2 e 3... Entrar no cinema para ver um filme “feito para agradar as mulheres” não tem preço! Quando poderíamos imaginar que nós teríamos a opção de assistir a esse tipo de longa metragem? Quantos filmes, especificamente masculinos nós já assistimos? Daqueles repletos de mulheres seminuas, piadas sem graça sobre casamento/enforcamento e que ressaltam a “felicidade” presente na galinhagem por parte dos homens e todos acharam completamente normal? Pois bem, agora é nossa vez de vermos piadas sem graça e poligamia, contudo com uma pequena diferença, com homens parcialmente vestidos. Então, antes de qualquer coisa, veja esse filme porque você, mulher livre, pode!
2º Cultura Pop: “It's raining Men”.
Além de um bom motivo para expressar sua liberdade de expressão, você encontra no elenco uma ótima motivação cultural. Você algum dia já viu uma chuva de homens? Pois bem, em Magic Mike nós temos uma.
 [...] It's Raining Men ainda continua entrando na lista dos singles mais vendidos anualmente (Fonte).

novembro 09, 2012

[Coleção Jane Austen] Os itens mais desejados

Por Paola Aleksandra

Não é segredo para ninguém que sou fã da Jane Austen, desde o momento em que li “Orgulho e Preconceito” soube que precisava das outras obras da autora, de formar que aos poucos, passei a montar uma pequena e singela coleção com os seus livros. Ainda não tenho todos, e também, infelizmente, ainda não os li, contudo como leitora e fã esse é o meu maior desejo, montar uma parte na minha estante dedicada especialmente para ela. Para isso estou reservando um dinheiro especial para a compra dos seguintes itens:

The Collector's Library Pocket Books Box Set - £ 29.99 (Para a compra na loja online do museu da Jane Austen, AQUI).
Definitivamente um charme de box, não concordam? Eu não teria condições linguísticas de ler esses livros em inglês, mas definitivamente preciso deles na minha estante. O charme da lateral em dourado somado com a simplicidade das capas me cativou. No próximo mês vou me presentear com tal coleção, independente do valor do frete, tá decidido! (Espero que eles façam entrega internacional #torcendo).

novembro 08, 2012

Fuxicando Sobre Chick-Lits: Entrevista com Carol Sabar

Por Aione Simões


"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões.




Oi seus lindos!

E hoje é dia de chick-lit aqui no blog \o/
Vamos falar de um brasileiríssimo, então?

Que tal uma entrevista com a querida Carol Sabar, autora de Como (Quase) Namorei Robert Pattinson?


novembro 06, 2012

[Fuxicando] Nova Parceria + 30% de desconto na Wook

Por Paola Aleksandra

Olá galera, tudo bem? Tenho duas novidades fresquinhas para hoje, primeiro a respeito da nova editora parceira aqui do blog, a Editora Valentina. Em um post anterior já tinha me pronunciado a respeito da editora, que promete lançamentos incríveis para o final desse ano e começo de 2013. O catálogo da editora abrange desde o público juvenil até o público adulto, focando até mesmo em romances adultos sobrenaturais (Quem curtiu? Eu!).
“Para a VALENTINA, leitura é, acima de tudo, entretenimento. Olho vivo e faro fino. Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a nossa pincher encarna esse lema como ninguém. A busca por livros inesquecíveis e entretenimento de alta qualidade nos leva a prazerosamente garimpar pelo mundo, todos os dias, o melhor da literatura de entretenimento, sem preconceitos. E, para não ficar ninguém de fora, procuramos um mundo de temas: urban fantasy, distopia, paranormal, romances femininos, thriller, chick-lit, religiosidade, biografia, bem-estar, steampunk… Sem esquecer, logicamente, os nossos xodós: romances que abordam a juventude contemporânea e ganham vida fora do livro – muitas vezes vão parar nas salas de aulas – com discussões fundamentais sobre os adolescentes, seus sonhos, seus medos, seus dramas e, principalmente, suas paixões. [...]. Au-au, rrrrr, au-au-au, ou melhor, muito prazer, somos a VALENTINA.”
A editora já possui dois títulos publicados, o livro juvenil “Meu Hamster é um Gênio” e o adulto “Milagres do Ágape”.
 
Confira algumas das obras que a editora lançará em 2013 (Site || Twitter):

novembro 05, 2012

[Resenha] A mulher do viajante do tempo - Audrey Niffenegger

Por Paola Aleksandra

Sinopse: Henry sofre de um distúrbio genético raro. De tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele se vê viajando no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.
496 Páginas || Editora Suma de Letras || Skoob || Compare & Compre || Resenha da Kamila Mendes || Classificação: 5/5
Você já imaginou conhecer o homem dos seus sonhos, aquele que passará a vida ao seu lado, ainda na infância? Se você tivesse em mãos um caderno contendo todas as datas e horas em que irão se encontrar? E se ele tivesse um problema genético que o impede de permanecer muito tempo no presente e que isso fosse acabando com a saúde dele aos poucos, o que você faria? Qual seria sua escolha, ficar e viver esse amor, ou deixá-lo ir?
"Bom, seja lá quem você for, estou aqui agora. Você pode ser o passado de Henry, mas sou seu futuro." (Pg. 27)
“A mulher do Viajante do tempo” foi o primeiro romance que eu li. Mas porque justamente agora me senti pronta para resenhá-lo? Bem, porque só agora me dei conta que não se trata de um conto de fadas, mas sim de um romance com bases reais firmadas na fantasia. Complexo, não é?!
O livro aborda o romance através dos olhos de Henry, um rapaz que aos cinco anos de idade descobriu que possuí uma condição genética que lhe permite viajar entre o presente, o passado e o futuro, sempre em momentos e situações que envolvam seus entes queridos, mesmo que eles ainda não se conheçam. Henry não tem controle sobre como, quando e para onde irá viajar. Os pulos, como ele chama, ocorrem sem que ele espere, sempre em momentos de estresse e pressão, contudo com o passar do tempo tais saltos vão ficando tão frequentes que qualquer emoção mais forte o faz viajar. Além da perca do controle de sua própria história, tais viagens no tempo também deterioram a saúde de Henry.

novembro 02, 2012

Resultado: Promoção October Book Fest

Por Aione Simões







Oi pessoal!

Mais uma promoção que se encerra!
Queremos agradecer a todos pela participação, pelos parabéns dados em nossos aniversários e por terem comemorado conosco nesse mês lindo!

Vamos conferir os sortudos da vez?

Resenhas

© Livros & Fuxicos – Desenvolvimento com por Subir