Sem categoria
novembro 20, 2012

Amanhecer, parte 2: As emoções do “grand finale”

 Ansiedade, raiva, surpresa, amor, alegria…
Não
nego que minha paixão pelos livros ressurgiu com a leitura de Crepúsculo; Nem me canso de dizer o
quanto me surpreendi com a narrativa dessa série que me fez encontrar nas
páginas de seus livros uma intensidade inexplicável de sentimentos. Quando os li,
jovem como era, me rendi a história, e hoje, mesmo ciente da presença de alguns
elementos que não me agradam como antes, respeito o trabalho da autora e admiro sua criação. Assim, não poderia
deixar de dizer o quanto esperei por cada uma das adaptações cinematográficas
dos quatro livros dessa saga. Independente dos atores, dos diretores, do
cenário escolhido e do roteiro, o que eu queria mesmo era reviver a emoção dos
livros, simplesmente comparando as imagens geradas com as palavras criadas pela
autora.
Desta
forma, depois de anos de espera não me aguentava de curiosidade a respeito do
último filme da série. Minhas perguntas eram: Será que minhas expectativas serão supridas? Será que o final escrito
pela autora, tão simples e controverso, vai ser bem representado nas telonas?
Que partes serão cortadas ou editadas para uma melhor comercialização do filme?

No geral, eram inúmeras perguntas, mas nenhuma delas me preparou para o rumo,
no mínimo inesperado, pelo qual o
roteiro dessa adaptação seguiu. Será possível se surpreender com um final
previamente conhecido? Se você leu Amanhecer
se prepare, pois nunca um diretor da saga Crepúsculo
ousou tanto!
A
surpresa se concentra no rumo diferenciado do filme com relação a alguns
aspectos do livro. É claro que são feitos cortes, é previsível que algumas
partes são suavizadas para que o filme não se estenda demais, entretanto mudar
completamente partes do final é quase inadmissível. Por isso, de início,
tais mudanças me confundiram, minha indignação era tamanha que, confesso, quase
chorei de raiva, afinal,
não seria
possível modificar tanto uma adaptação assim; Certo?
Entretanto, logo a
adrenalina causada pela surpresa me dominou, e o fluxo de emoções que senti foi
tão grande que só de lembrar meus olhos ficam marejados. Ponto para o diretor!
A surpresa, por mais que alguns acreditem ser negativa, foi no geral, a meu
ver, positiva. Por mais que o final tenha sido diferente, ele não distorceu o
conceito geral narrado pela autora, que se pronunciou a favor dessas pequenas modificações.

Outro
elemento da trama que me atraiu foi a representação dos laços de amor. Quem leu
o livro sabe que é disso que o último livro trata: de amor, de laços
familiares, de paixão e de amizade. E no todo, foi satisfatório ver que o filme
conseguiu passar a importância desses elementos na história. Enxergar a Kristen Stewart como a mãe disposta
a proteger sua família independente das consequências não foi um desafio, a
atuação dela ainda gera controvérsias, mas ela soube dar ênfase nas emoções presentes
em sua “nova vida”, por isso, sua atuação foi a que mais se destacou ao longo
do filme.


Um
fator que também colaborou para a intensidade do filme foi a utilização de efeitos
sonoros e visuais positivos a trama. Sobre a escolha musical não tenho o que
reclamar, como uma amante assumida de trilhas sonoras, gostei das musicas
escolhidas e aprovei a utilização repetida de algumas musicas presentes nos
filmes anteriores, como por exemplo a “A Thousand Years” da
Christina Perri
.
“I have died every day waiting for you
Darling don’t be afraid
I have loved you for a thousand years
I’ll love you for a thousand more”

sobre os efeitos, alguns são incríveis, como na parte da luta e quando Bella
explora seus poderes, entretanto, os momentos que envolvem a Renesmee ficaram
estranhos, as expressões faciais criadas por computador não me convenceram e
acabaram por distorcer o lindo rosto da atriz Mackenzie Foy
.
Assim,
entre pontos positivos e negativos eu gostei do desfecho da saga, o sentimento
que fica é de alegria pelo final, pela conclusão de uma etapa. O filme vale
tanta expectativa e espera, talvez esse não seja o melhor longa da saga,
contudo é o mais intenso deles.

Diretor: Bill Condon
Elenco: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Peter
Facinelli, Elizabeth Reaser, Ashley Greene, Jackson Rathbone, Kellan Lutz,
Nikki Reed, Billy Burke, Chaske Spencer, Mackenzie Foy, Maggie Grace, Jamie
Campbell Bower, Christopher Heyerdahl, Michael Sheen, Lateef Crowder, Daniel
Cudmore, Charlie Bewley, Billy Wagenseller, Dakota Fanning, Cameron Bright,
Andrea Powell, MyAnna Buring, Casey LaBow, Mía Maestro, Christian Camargo.
Duração: 115 min.
Ano: 2012
Gênero: Romance/Aventura
Classificação: 
Em ‘Amanhecer –
Parte 2’, a felicidade dos recém-casados Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward
Cullen (Robert Pattinson) é interrompida quando uma série de traições e
desgraças ameaça destruir o mundo deles.
 Após dar a luz a Renesmee (Mackenzie Foy), Bella desperta já
vampira. Ela descobre que Jacob (Taylor Lautner), seu melhor amigo, teve um
imprinting com a filha e passa a acompanhar seu rápido desenvolvimento. Bella
não aceita esse fato no início, mas depois compreende e eles convivem em
harmonia. Paralelamente, Aro (Michael Sheen) elabora um plano para ter a garota
em seu poder, graças aos dons especiais que ela possui.

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

14 Comentários

  • marilia martinez
    21 maio, 2013

    ai sou louca pela saga,mas a Renesme deixou a desejar a computação ficou péssima mas vale o final que ficou ótimo!

  • Jesimiel
    29 novembro, 2012

    Eu não sou fã de Crepúsculo, mas gostei do último filme, principalmente da cena de batalha que não tem no livro.

  • Anônimo
    25 novembro, 2012

    Nossa sua reação foi a mesma que a minha vontade de chorar de raiva…rsrs depois quanta surpresa…rs pensei que por ter lido os livros ja sabia o que esperar mas estava enganada!

  • Lili
    21 novembro, 2012

    Pah, concordo. o final ficou muito legal. E Rennesme ficou muito et-robô. Principalmente quando bebê. Sério, falso demais justamente quando os vampiros não ficaram excessivamente brancos com cara de gueixas-travestis.

    Os efeitos iniciais, com as sensações de Bella me deixaram bem contente, bem como as adaptações do encontro final com os Volturi.

    E a trilha foi muito bem trabalhada. O momento do encontro com os Volturi fez meu corpo arrepiar juntamente com a música.

    E ponto pro Jacob! Eu realmente curti a atuação dele nesse filme, ele parecia um cachorrinho contente!

    liliescreve.blogspot.com

  • Camila Fernandes
    20 novembro, 2012

    Pah, eu amei os livros. Estou bem curiosa para ver o filme, mas ainda não vi a primeira parte, quero ver tudo junto. Mas pelo que você falou me deixou muito mais muito curiosa, não imaginava que o filme seria tão assim.
    Beijinhos!

    Camila.
    loucuradelivros.blogspot.com.br

  • Sofia
    20 novembro, 2012

    Oi Pah! Já assisti e li as três primeiras obras da série e gostei bastante! Confesso que não era muito fã, até por que não gosto da atuação da Kriste, porém após ler os livros gostei! Meu irmão assistiu "Amanhecer" e achou um tanto quanto exagerado, rsrs! De qualquer forma parece contér um bom final!

    Beijos

    • Sofia
      20 novembro, 2012

      Corrigindo: Kristen e Conter, rsrs

  • Rayme
    20 novembro, 2012

    minha paixão por leitura tbm começou com Crepúsculo. na época nem era febre, e acabou alavancando o meu amor por livros ♥
    só que assisti somente o primeiro da saga 🙁

  • Amanda Conde Mônica
    20 novembro, 2012

    Oi Pah eu assisti na pre estreia eu achei o melhor de todos os filmes foi incrivel a sala do cinema toda reagia ao filme parecia que nos podiamos mudar a cena do filme kkk muito engracado mas foi fantastico o filme por completo amei e como sou fã numero 1 nada mais suspeito q eu gostasse ne bjusss

  • Aione Simoes
    Aione Simoes
    20 novembro, 2012

    Oi gêmea!
    E bota inesperado nisso, né? Acho que foi o final que mais me surpreendeu ever!
    Eu nem cheguei a chorar no momento da mudança, porque eu fiquei extremamente em choque! Eu só conseguia pensar "ELES NÃO FIZERAM ISSO! Por favor, que seja uma visão da Alice!!!". Quando tudo voltou ao normal, eu respirei aliviada e consegui achar a mudança positiva, porque senão o filme ficaria totalmente monótono.
    Não gostei de não terem colocado muitas cenas de treinamento para a batalha. Achei que isso fez falta no contexto.
    Sinceramente, se não fosse pela última cena, dos flashbacks, eu teria achado um filme legal e só, eu nem me emocionei antes disso. Mas foi começar a tocar "A Thousand Years" pra eu chorar que nem criança. Sou apaixonada por essa música e essa última cena ficou maravilhosa, serviu para relembrar o porquê que gosto da série: por ser uma história de amor.
    Sério, aquela cena final me arrebatou!
    Beijão!

  • Mari ♥
    20 novembro, 2012

    Oi Pah,
    Assisti o filme mas sem ler esse último livro, a trilha sonora realmente ficou linda, mas também fiquei com impressão que Renesme ficou um tanto estranhas.
    Adorei o post flor.
    Beijos
    http://marifriend.blogspot.com.br/

  • Nessa
    20 novembro, 2012

    Uaal! Não vejo a hora de assistir! *–*

  • Gabriel Ribeiro Gomes
    20 novembro, 2012

    Olá Pah !
    Nossa eu estou doido para ver esse filme estou bastante curioso , sua resenha ficou perfeita .

    Gostei bastante do modo em que você ressaltou os pontos positivos e negativos do livro adorei beijos !

    😀 Beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

  • ✿Nessa✿
    20 novembro, 2012

    Oi Pah!
    Vc comentou o que eu queria saber!
    Hj eu fiz um post sobre o filme, eu ainda não li e minha pergunta era se o filme teve o mesmo final que o livro!
    Vc me deixou curiosa!!!
    Adorei o posT.

    Bjinhs*
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/