Fuxicos & Futricos #22


Olá pessoas! Tudo bem com vocês? Espero que sim ^^
Sejam  bem-vindos a mais um Fuxicos & Futricos.

Música
Pensem aí como fiquei na dúvida sobre qual música indicar pra vocês. 
Enquanto lia o livro, 6 músicas me chamaram atenção e achei que elas poderiam, de alguma forma, se encaixar na história. Mas eu só posso indicar UMA! 
Não foi fácil, mas misturando uma melodia que me passava as mesmas emoções que a leitura e com uma letra interessante (em alguns momentos até relacionável com a história), indico uma música de uma banda que adooooro (Jared Leto, seu lindo, você canta muito) *-*
Leiam o post ao som de...
30 Seconds To Mars – Hurricane



“Enquanto os dias passam
A noite está em chamas

Diga-me você mataria para salvar uma vida?
Diga-me você mataria para provar que você está certa?
Quebre, quebre, queime, deixe tudo queimar
Este furacão está nos perseguindo debaixo da terra

Não importa quantas mortes eu morra, eu nunca esquecerei
Não importa quantas vidas eu viva, eu nunca irei me arrepender
Tem um fogo dentro deste coração e uma revolta prestes a explodir em chamas”

Ps: Quem conhece sabe que existe um clipe dessa música, mas novamente decidi não colocá-lo devido as imagens nele contidas. Como o blog é acessado por pessoas de diversas faixas etárias, não seria correto postar o vídeo. Deixo, então, a critério de cada um assistir ou não ao vídeo original.



Livro
Minha indicação de hoje é, novamente, um romance sobrenatural (amo sobrenaturais).


Em Escuridão conheceremos Alma, uma menina de 17 anos que tem tudo para ser uma garota comum. O que parece a destacar das outras meninas de sua idade é a beleza. Ela sabe que é bonita e faz disso sua força.
Tudo parecia normal e tedioso na vida de Alma até o dia em que ela resolveu comprar um caderno roxo que ela viu em uma vitrine de uma lojinha estranha, na qual o vendedor parece um anjo, como a própria menina diz. Certo dia a garota acorda e vê que escreveu em seu caderninho um conto de terror. O problema é que Alma não se lembra de ter acordado a noite e ter escrito aquilo. E as coisas ficam piores quando ela descobre que o que escreveu aconteceu de verdade alguns dias depois.
A partir de então, vários outros acontecimentos estranhos passam a cercar a menina. Ao que parece, as pessoas a sua volta estão cheias de problemas também. Alma cogita a possibilidade de que a aproximação com ela esteja acarretando diversas tragédias na vida das pessoas que a cercam. Será? 
Bom, antes disso, ó único grande acontecimento na vida da garota havia sido um acidente que ela sofreu com duas amigas, acidente esse que apenas Alma sobreviveu.
Ah, claro que não posso deixar de falar que no meio de tudo isso ainda existe um carinha chamado Morgan, que diferente dos outros garotos, desperta a atenção de Alma. Ele é esquisito e parece saber muito sobre o que acontece ao redor de Alma, mas por não falar muito sobre o que sabe, desperta a insegurança e incerteza de ser de confiança na adolescente.


Pessoas, é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo nesse livro. Como eu disse, Alma não tem que lidar apenas com seus próprios problemas, ela tem mais 3 amigas que estão passando por algumas situações bem difíceis e Alma tenta ajudá-las de alguma forma.
A história toda é muito doida, envolve seitas satânicas, assassinatos esquisitos, pessoas estranhas pra todo lado... mas, enfim, a história é boa e super envolvente.
Estou super ansiosa pra ler a continuação (pois é, é uma trilogia) pois, apesar de Escuridão ter um final bem fechadinho (odeio aqueles livros que tem um final aberto, que deixam a gente doida procurando a continuação), ele deixa muitas lacunas a serem preenchidas, ainda temos que encontrar algumas respostas, que devemos encontrar nos próximos 2 livros.

Aí em cima, vocês podem conferir as duas capas do livro. Acho a antiga muito linda, mas não poderia deixar de mostrar a capa atual, pois caso alguém o deseje na estante, deve encontrar a capa nova. Não sei porque trocaram de capa, fala sério!


Ps:Ah, a capa atual é mais feia (ou seja, a de baixo) =P

“Depois de ter escrito o primeiro conto, iludi-me que se tratasse de um horrível engano, de uma obscura coincidência do destino, de uma brincadeira cruel do meu sonambulismo. Mas agora não posso mais fingir que não é nada. Alguém ou alguma coisa está me atraindo para sua armadilha de horrores. Sinto como se fosse uma marionete em suas mãos de morte.”




[Resenha] Liberte meu Coração - Meg Cabot

Título: Liberte meu Coração
Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 404
Skoob (AQUI)
 Sinopse: Sua Alteza Real, a princesa Mia Thermopolis da Genovia, cujos diários se tornaram sucessos de venda, agora mostra ao mundo inteiro seu primeiro romance — cheio de perigo, desejo e um amor que vencerá todos os obstáculos... com a ajuda da incrivelmente talentosa Meg Cabot! Finnula é a caçula de seis irmãs e um irmão na Inglaterra do século XIII. Enquanto suas irmãs se contentam em fofocar sobre maridos, crianças e afazeres domésticos, Finnula é alvo de comentários maldosos de toda a vila por caçar nos terrenos do conde e por andar por aí em calças de couro justas! Mas de repente Finnula se vê envolvida numa complicação sem tamanho... Uma de suas irmãs acabou com o seu dote comprando vestidos e bugigangas, e a única forma em que as duas conseguem pensar para recuperar esse dinheiro é muito pouco usual... Sequestrar um lorde ou um cavaleiro rico que possa pagar um resgate! O que ela não esperava é que esse sequestro fosse criar mais problemas do que soluções: o cavaleiro recém-chegado das Cruzadas que é escolhido por Finnula vai acabar se mostrando alguém muito diferente do esperado, e a moça pode acabar tendo que abrir mão do resgate... e de seu coração.
_________

Nada menos do que extremamente divertido. Como característico da narrativa da Meg Cabot o bom humor é um traço constante na trama de “Liberte meu Coração”. Em um cenário singular - Inglaterra, 1291 - a autora nos envolve com o romance presente em sua estória, nos ganha com a personalidade ferina de seus personagens e nos encanta com um contexto medieval rico em costumes e formalidades específicos da época, ou seja, a narrativa remete a época dos feudos, dos impostos pagos sobre o uso das terras do Lorde, das Cruzadas, e claro, das donzelas em perigo.
Contudo, a “donzela” a qual somos apresentados é bem diferente das moças de sua época. Finnula é totalmente avessa às tradições e convenções sociais que determinam o que é, ou não, apropriado no comportamento de uma mulher, assim, ela não é do tipo de moça calma e amável, nascida e criada somente para cuidar da casa, costurar, lavar e cozinhar, ou ainda, do tipo que usa vestidos longos e rodados e que vive em busca de um marido. Com a graça do dom de possuir uma ótima pontaria, Finnula prefere caçar e cavalgar, andando por aí, para o espanto da grande maioria, em uma justa e inapropriada, calça de couro. Sua personalidade é forte e dominadora, com a língua afiada ela não tem medo de expressar e de fazer valer sua opinião, traço comum nas heroínas criadas pela Meg, contudo, a grande diferença entre elas e a Finnula é a ação, ela definitivamente age de acordo com seus próprios conceitos, o que é no mínimo, bem atrevido para a época em questão.
Entretanto, Finn possui um coração bondoso e diante de um pedido aflito de uma de suas irmãs, se envolve em uma tremenda enrascada. O fato é que sua querida irmã gastou todo o dote em frivolidades e para juntar o montante novamente, recore a Finn, a qual sabe que possui coragem suficiente para tal artimanha - O plano das jovens é sequestrar um homem de posses, para então, com o valor do resgate, ganhar o dinheiro suficiente para ajudar uma delas a reconstruir sua vida. Finn sabe que a prática é perigosa, mas segundo sua irmã várias mulheres da redondeza já recorreram a essa técnica, desta forma, sem muitas escolhas, sai em busca de uma “presa perfeita”.
Assim que ela escolhe um alvo, não mede esforços para encurralá-lo e sabendo da sua posição como mulher, usa esse artifício para distrair aquele que imagina ser um nobre que retorna para casa depois de alguns anos servindo no exército das cruzadas. Contudo seu sequestrado, muito maior e mais forte que ela, possui uma irritante calma com relação à situação, parecendo fazer pouco caso do sequestro. O que Finn não sabe é que ele, ao mesmo tempo em que está surpreso com os modos incomuns de sua sequestradora, está encantado com sua beleza e bom humor e que por isso, de bom grado, resolveu deixar ser raptado por ela.
“Que tipo de mundo era este onde estava? Quando, em nome de Deus, donzelas tinham começado a usar calças de couro, a capturar homens adultos e prendê-los para pedir um resgate? Estava longe da Inglaterra fazia muito tempo, ele percebeu, mas era possível que tanta coisa tivesse mudado durante esses anos? Porque, dez anos antes, adoráveis donzelas coravam ao falar com um estranho. Não tiravam a roupa na frente de um e depois pulavam em suas costas e seguravam uma faca em seu pescoço.”
Juntos, Finn e seu sequestrado nos divertem com a inusitada contradição existente na relação que os une. Ela, por um lado, quer provar a ele o quanto é forte, ameaçando-o constantemente, e ele, a contrapartida, divertido com a atitude de sua bela sequestradora, quer desvendar os mistérios que envolvem sua personalidade cativante. Nesse impasse eles vivem um longo período de brigas recheadas de muito bom humor e uma leve dose de desejo.
“(...) Bem, meu irmão mais velho, Robert, tenta cuidar de mim, eu acho. Mas somos seis... — Seis o quê? — Seis irmãs. E não é fácil para ele... — Meu Deus — ele exclamou. — Você está dizendo que existem mais seis de você em casa?”
Hugo, o sequestrado, tem uma personalidade envolvente, ameaçador quando precisa, ele sabe como intimidar as pessoas, irônico não poupa palavras, mas quando quer, sabe ser sedutor e encantador. Logo descobrimos seus segredos e a forma com a qual eles colidem com o passado de Finn, um passado repleto de lembranças que ela quer, de todas as formas, esquecer. Assim, não demora muito para a autora inserir boas doses de mistério a trama, surpreendendo-nos com o caminho para o qual ela segue.  
Gostei muito do livro, me diverti muito com Finn e Hugo, me emocionei com a estória do passado de cada um deles, me encantei com o cenário, mas principalmente adorei ver a forma como eles passam a se amar. O início da paixão, o leve indício do amor, tudo é belo e contagiante, mas como um bom livro de romance, não é fácil, afinal, Finn tem uma grande resistência ao charme natural de Hugo.
“— Você acha que sou tola? — ela perguntou. — Que vou ficar extasiada por suas lindas palavras e implorar para você me tomar em seus braços? — ela riu com sarcasmo. — De jeito nenhum! — Vai ser uma longa noite. — Hugo suspirou. — Longa e fria. Pense no conforto que encontraríamos um nos braços do outro… Finnula ergueu-se e, com o punho, desferiu um golpe sonoro no meio da testa do cavaleiro, fazendo com que a cabeça dele batesse contra o pé da grade da manjedoura”.
Toda a diversão e encanto do livro são previsíveis, afinal, não esperamos menos do que isso nos romances históricos escritos pela Meg Cabot, mas nesse, em particular, teve um ponto que me incomodou, a grande semelhança da trama com os outros livros desse gênero escritos pela autora. Não me entendam mal, o livro é ótimo, contudo, em alguns pontos eu me questionava - Sério que novamente a estória vai caminhar para esse rumo?. O ponto central é que os romances históricos da Meg seguem um ciclo vicioso - mocinha fora dos padrões da época, paixão avassaladora, resistência que o casal tem em assumir o sentimento de amor que os liga, ambição por poder de alguns e suspense quanto ao “final feliz”, claro que a trama varia, mas a semelhanças existentes entre elas, como já disse, me incomodou, principalmente pelo fato de que esse livro, em particular, ter me lembrado, e muito, a narrativa do livro “A Rosa do Inverno”.
Entretanto, mesmo com as semelhanças, a autora conseguiu me surpreender com a força de seus personagens e claro, com a riqueza do cenário criado. Confesso que talvez tenha esperado mais, mas isso é devido a minha preferência pelos romances históricos, e pelo fato de que ultimamente tenho lido uma grande variedade de livros dessa classe, o que com certeza, modificou minhas expectativas quanto aos mesmos.
De qualquer forma, super indico o livro, ele é leve, divertido e romântico, talvez um pouco previsível e clichê, mas vindo da Meg, isso é relevante, afinal, sua escrita bem humorada nos proporcionar uma leitura super agradável, independente dos artifícios de sua narrativa.








[Fuxicando] Férias de Verão


O final do mês de Janeiro não representa apenas o fim do primeiro mês do ano, mas também, a aproximação do término das férias de Verão.  Para muitos fevereiro é o mês de volta as aulas, para outros, o retorno ao trabalho e para alguns, o simples final de um dos períodos mais gostosos do ano, em que em clima de férias, aproveitamos mais nossos fins de semana, prolongando os momentos em que passamos na agradável companhia do Sol.
Mas quem disse que com o final das férias de verão, devemos nos deixar levar pela previsibilidade da rotina do trabalho ou da escola? Façamos de 2012 um ano melhor, e em clima de férias, vamos aproveitar o que ainda nos resta do verão, usando nossos fins de semana para fugir da rotina, e nossas noites posteriores ao trabalho ou ao estudo para cultivar e manter o que as férias possuem de melhor.
Por exemplo, você passou parte de suas férias de verão na praia? Nesse período qual era a sua rotina? Caminhadas no calçadão, almoços regados a frutos do mar com muito sorvete de sobremesa, festas à beira do mar, longas noites de passeio e muita diversão? Bem, nada de ficar só na saudade, pois é possível levar um pouco disso para o seu dia a dia.
Assim, substitua os passeios matutinos à beira mar, ou as caminhadas no calçadão por alguns minutos diários andando de bicicleta. O destino pode ser um belo parque da sua cidade ou até mesmo um perímetro urbano pouco movimentado, o gostoso é se movimentar. Desta forma, você troca seus exercícios diários de férias por algo prazeroso, que te permite observar a beleza de sua cidade de uma forma não convencional, além do fato, é claro, de que você queima várias calorias, preparando o corpo para o próximo verão. Já as festas na praia podem ser substituídas por gostosos piqueniques, festas na piscina ou até mesmo, por um barzinho com os amigos, afinal, o mais importante é a boa companhia, não é mesmo?   


Agora se você passou suas férias de verão em casa, com certeza aproveitou para ir ao cinema, para sair com os amigos e com a família, para descansar na varanda de casa e principalmente, para se desligar do mundo, coisas que são fácies de virar hábito, basta querer!
Desta forma, se para desligar-se dos problemas e da rotina você fugiu da televisão, quando suas férias terminarem não se deixe levar pelas novelas ou programas de auditório, desligue a TV e vá ler um livro! Mantenha sua mente ativa buscando ler vários tipos de histórias, mergulhando de cabeça nos gêneros que lhe agradam mais, mas também, dando uma chance para o novo, afinal, nas férias sempre experimentamos algo novo, não é mesmo? Estão faça disso um hábito, e ao decorrer de 2012 dê uma chance a novos estilos literários.
Para fugir da TV também aposte em boa música! No verão os hits do momento nos pegam de jeito com suas melodias “marcantes” e de fácil memorização, você pode até não gostar da música, mas quando se dá conta já está cantando-a (“Delícia, delícia, assim você me mata, ai se eu te pego, ai, ai, se eu te pego...” ¬¬). Mas para fugir da rotina evite as melodias “chicletes”, que não tardam a enjoar, e crie sua própria seleção de hits do verão, monte uma pasta com suas músicas de verão preferidas, aquelas que te lembram os bons momentos de suas férias, e quando bater a saudade ou o estresse do dia a dia ameaçar “te pegar” é só sentar na varanda de casa e aproveitar a boa música.



Você ainda pode cultivar um dos melhores hábitos da suas férias de verão de forma fácil e barata, quer sair com os amigos, mas está faltando dinheiro? Ou bateu aquela vontade louca de ir ao cinema, mas o tempo está apertado? Faça uma boa festa do pijama (Porque não?). Chame os amigos, loque filmes, faça pipoca e brigadeiro, e mergulhe na diversão. Além de passar bons momentos com aqueles que te fazem bem, você assiste bons filmes na comodidade de sua casa.
Bem, independente do local ou de como você passou suas férias, se lembre de cultivar os melhores hábitos criados nela, querendo, você pode levar as férias de verão com você por todo ano e quando menos esperar, as férias de inverno já vão chegar, reservando a você longas sessões de pipoca, filmes e chocolate quente!





[Resenha] Para sempre Ana – Sergio Carmach

Título: Para sempre Ana
Autor: Sergio Carmach
Editora:Caravansarai
Skoob (AQUI) 
Sinopse: Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados. A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo. Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores.
______________

“É certo não deixar nossos sonhos se converterem em ilusões, mas também não devemos abandoná-los ao sabor da maré. Ao contrário, é necessário apontar-lhes o rumo em direção a destinos firmes e reais, ainda que tal travessia seja repleta de tempestades. Se alguns deles naufragarem no caminho, paciência. O importante é a consciência de tê-los dirigido com diligência e confiança. Eu denomino essa jornada de felicidade.”
A leitura de “Para sempre Ana” foi uma agradável surpresa. Repleta de mistérios, a trama nos prende a leitura, incitando nossa curiosidade do início ao fim. Confesso que no primeiro instante apresentei certa resistência quanto ao ritmo da narrativa, o autor mescla elementos do presente com um passado próximo e também, com um passado mais distante, conduzindo assim, a narrativa de uma forma não convencional. Desta forma, demorei a entender o significado das idas e vindas da estória, contudo, logo que compreendi que são essas mudanças de época e cenário que enchem a trama de mistérios, não consegui parar de ler o livro.
Logo de início somos apresentados ao distrito de Três Luzes, cenário peculiar e místico, repleto de crenças populares. Mais do que um palco para uma bela estória, o local é o ponto chave para as mudanças enfrentadas pela família Rigotti, protagonista da trama. Sendo assim, em primeiro instante conhecemos Caio, jovem da família Rigotti que retorna ao distrito de Três Luzes com a esperança de reencontrar sua mãe, Ana, que se encontra há muito tempo desaparecida. Mergulhamos então no passado da família em questão, de forma que o autor, aos poucos, vai apresentando pequenos detalhes que tendem a nos responder a grande questão do livro, a localização de Ana.
Ao lermos sobre o passado da família Rigotti nossa curiosidade vai a mil, pois já sabemos da existência de Caio e do desaparecimento de sua mãe, Ana, mas os detalhes da vida de seus pais, de seus avós, tios e amigos da família, parecem caminhar para uma direção adversa ao presente que já conhecemos, de forma que esse fato faz com que constantemente nos questionemos - Se isso aconteceu, como eles chegaram a determinada situação?.
O gostoso do livro é que ele é narrado como um quebra-cabeça, os detalhes passam a fazer sentindo aos poucos, e ao passo que alguns mistérios vão sendo revelados, novos segredos surgem, gerando novas dúvidas. Por isso, o livro como um todo, é um grande mistério, nada nele é previsível, nada segue um caminho pré-determinado, tudo é infinitamente instigante. Poderia dar mais detalhes sobre a estória, mas com certeza comprometeria a leitura de vocês, afinal, o segredo do livro está nos pequenos detalhes da trama.
Saliento aqui como ponto positivo a escrita do autor. O português é utilizado de uma forma rica, bonita de se ler, e me arrisco a dizer, em alguns momentos, filosófica - Sabe quando você mergulha não só no significado aparente das palavras, mas também, nas diversas definições e sentimentos que elas podem gerar?
Além da escrita, gostei muito da construção do cenário e dos personagens, cada um deles é extremamente humano, real, imperfeito, todos falham, mas só alguns são capazes de se redimir de seus erros, para então, amadurecer e buscar uma felicidade plena, baseada não na perfeição, mas sim, no crescimento interior proporcionado pelos erros e dificuldades vivenciados. E essa é a grande mensagem do livro, o amadurecimento e a felicidade proporcionada pelo dia a dia, de forma que o autor nos mostra com destreza que, nossa jornada, mesmo repleta de falhas, pode nos levar a um futuro repleto de felicidade, a grande questão, é saber escolher por qual caminho trilhar.
Para aqueles que gostam de estórias envolventes e misteriosas, regadas a muito drama familiar, “Para Sempre Ana” é uma ótima escolha de livro. Aproveito para agradecer ao autor, e sua esposa Luzia, pela parceria!
Até, 




[Vem por aí] Novidades Literárias #36


Olá galera, tudo bem?
2012 promete ser um ano repleto de ótimos lançamentos literários, ultimamente as editoras estão nos bombardeando com ótimas notícias a respeito do que vem por aí, sendo assim, separei algumas para vocês, vamos conferir?
Destinada - P.C. Cast
Há novas forças trabalhando na Morada da Noite. Algumas delas ameaçam sua estabilidade. Zoey está finalmente em casa, segura, ao lado do guerreiro Stark, se preparando para enfrentar Neferet. Kalona lançou seu poder sobre Rephain. E, após terem sido presenteados por Nyx com uma parte humana, Rephaim e Stevie Rae estão finalmente juntos - isso se ele puder andar no caminho da Deusa e ficar livre da sombra de seu pai... Há também o belo e misterioso Aurox, um adolescente que é mais ou menos humano. Apenas Neferet sabe que ele foi criado para ser sua maior arma. Mas Zoey pode sentir a parte de sua alma que ainda é humana. Há algo estranhamente familiar nele. Será que a verdadeira natureza de Neferet será revelada antes que ele consiga silenciar a todos? E Zoey será capaz de tocar a parte humana de Aurox na hora de proteger a ele, e a todos, a partir de seu próprio destino? Desvende todos esses mistérios nesse emocionante capítulo da série House of Night. 
Fala Sério, Filha!  - Thalita Rebouças
Enfim, a vingança dos pais, o esperado momento em que Angela Cristina e Armando vão dar o troco e despejar em sua primogênita, Maria de Lourdes, sem dó nem piedade, todos os "fala sério" que ela merece. Menina abusada! Fala Sério, Filha! Segue a mesma linha de Fala sério, mãe! e Fala sério, pai! e acompanha, em crônicas, a vida de Maria de Lourdes e sua relação com seus progenitores ao longo de 21 anos. Dessa vez, porém, o bastão da narrativa está com eles, embora ela também conte algumas histórias em que se viu obrigada a ouvir dos pais o seu famoso bordão. Aqui, os pais dizem "fala sério" para as inúmeras festinhas infantis, os fins de semana nos parquinhos barulhentos de shopping centers, os shows de bandas pop de talento questionável, os namorados de perna cabeluda, as desculpas esfarrapadas, a obrigação de esperar os filhos a duas quadras da escola, e muito mais! Este livro só veio ao mundo devido aos vários pedidos de pais e mães de leitores. Inconformados com o fato de não terem voz diante de uma menina com o nariz tão em pé, queriam ir à forra. Chegou a hora. Pais, mães e filhos... Divirtam-se! 
É Tudo Tão Simples - Danuza Leão
O mundo deu muitas voltas desde que Danuza Leão escreveu seu primeiro livro: Na sala com Danuza. Agora, 20 anos depois, a colunista fala com aquele charme que lhe é peculiar sobre etiqueta pós-internet, romance pós-celular e outras pós-modernidades. Com dicas para as classes emergentes sobre o que levar na primeira viagem de avião, para o filho que quer contar para a família que é gay e para as mães que estão vivendo sua segunda juventude depois dos 40, Danuza aposta num mundo sem ostentação e regras rígidas de etiqueta, em que o chique é ser simples e de bem com a vida. 
Big Bang: A Teoria, Guia Não-autorizado da Série - George Beahm
Big Bang - A Teoria, Guia não-autorizado da série é uma obra completa com informações e curiosidades a respeito da série de humor mais inteligente e aclamada do momento. Aqui, o leitor vai conhecer as origens do seriado, vai entender melhor os personagens por meio de análises esclarecedoras, vai aprender a desenvolver seu lado geek/nerd e vai ter uma análise microscópica de todo esse universo brilhante e hilário. Um livro para agradar o nerd/geek que existe em cada um de nós!!! 
Um Coração Cheio de Estrelas - Uma Fábula Sobre o Poder Ilimitado do Amor - Alex Rovira e Francesc Miralles.
Um conto mágico sobre a beleza do amor nos pequenos detalhes da vida! Uma cativante história cheia de esperança que foi criada a partir de uma experiência real, emocionante, que uniu histórias de pessoas que vivem em lugares tão distantes, mas que estiveram unidas pelo sentimento de humanidade mais universal: o amor.
A Visita Cruel Do Tempo - Jennifer Egan
É essa a realidade, não é? 20 anos depois, a sua beleza já foi para o lixo, especialmente quando arrancaram fora metade das suas entranhas. O tempo é cruel, não é? Não é assim que se diz? Bennie Salazar é um executivo da indústria fonográfica. Sasha é sua assistente cleptomaníaca. E é a partir da história desses dois personagens que Jennifer Egan retrata, em uma narrativa caleidoscópica, a passagem do tempo e a transformação das relações. Da São Francisco dos anos 1970 até a Nova York de um futuro próximo, a autora cria um romance de estilo ímpar sobre continuidade e rupturas, memória e expectativas. Surpreendente, A Visita Cruel Do Tempo combina diferentes pontos de vista sobre histórias que se entrelaçam de maneiras inesperadas. Ao longo dos sabores e dissabores da vida dos personagens, Egan traça um interessante e envolvente panorama sobre crescimento, perda e ambição e sobre o que acontece entre o que esperamos de nossa vida e o que se torna realidade. 
1ª Capítulo AQUI 
Quem Vai Dormir Com Quem? 
Uma semana de férias com a família em uma casa no sul da Espanha parecia ideal para Chloe. Philip, seu marido, anda obcecado com a possibilidade de ser demitido e precisa relaxar. Hugh, Amanda e as duas filhas têm uma vida aparentemente perfeita, mas na verdade o casal não está nada bem. Uns dias de descanso em uma pequena "villa" parecem perfeitos para uma reconciliação. As duas famílias se surpreendem quando se veem juntas na casa de um amigo em comum. Coincidência? Talvez, pois Chloe e Hugh foram apaixonados um pelo outro no passado. 
Codinome Cassandra - Meg Cabot
Jessica Mastriani que ficou conhecida como 'garota do raio' pela imprensa, após ser atingida por um raio em uma enorme tempestade, desenvolveu a habilidade psíquica de encontrar crianças desaparecidas perdeu seu poderes miraculosos. Ou não perdeu? Ela queria que a mídia e o governo acreditassem que sim. Tudo o que Jess quer é ficar sozinha, longe de todo mundo exceto do sexy Rob Wilkins que ainda não tinha lhe ligado, a propósito… Mas não parecia que Jess ia conseguir seu desejo especialmente não enquanto ela está presa trabalhando num acampamento de verão para crianças superdotadas musicalmente. Até o pai de uma criança desaparecida aparecer e implorar pra Jess encontrar sua filha. Jess não pode dizer não, mas agora os federais estão no seu rastro de novo, assim como um genioso padrasto, que gostaria de ver a 'garota do raio'… bem, morta.
Novas séries que serão lançadas pela Galera Record:
Abandono - Meg Cabot (Previsto para Outubro de 2012)
Pierce tem dezessete anos de idade e sabe o que acontece quando morremos.   É assim que ela conheceu John Hayden, o misterioso estranho que fez ela voltar a vida normal — ao menos a vida que Pierce conhecia antes do acidente — quase inacreditável.  Embora ela pense que escapou dele — começando em uma nova escola em um novo lugar — confirma-se que ela estava errada. Ele a encontra.  O que John quer dela? Pierce acha que sabe… também acha que ele não é um anjo da guarda, e seu mundo sombrio não é exatamente o céu. Mas ela não consegue ficar longe dele, especialmente porque ele está sempre lá quando ela menos espera, exatamente quando ela mais precisa.  Mas se ela deixa cair qualquer coisa, ela pode se ver no lugar que ela mais teme. E quando Pierce descobre uma verdade chocante, sabe de onde John a salvou: o submundo.
Leviatã - Scoot Westerfeld (Previsto para Julho de 2012)
À beira da I Guerra Mundial, os países começam a preparar-se. Enquanto os austro-húngaros e os germânicos possuem máquinas de ferro a vapor munidas de armas (clankers), os darwinistas britânicos preparam as suas bestas resultantes do cruzamento de vários animais. O Leviatã é uma baleia-dirigível e o animal mais imponente que se pode ver nos céus da Europa. Alek (Alekxander Ferdinand), príncipe do império Austro-Húngaro, está em fuga depois do seu próprio povo lhe ter virado as costas. Tudo o que tem é um marchador (uma máquina de guerra), com uma tripulação que lhe é leal. Deryn(Deryn Sharp) é do povo, uma britânica disfarçada de rapaz que se alista na Força Aérea para lutar pela sua causa - enquanto tenta proteger o seu segredo a todo o custo. No auge da guerra, os caminhos de Alek e Deryn acabam por se cruzar a bordo do Leviatã. São inimigos com tudo a perder, mas na verdade estão destinados a viver juntos uma aventura que vai mudar a vida de ambos para sempre.
Confira as capas dos mais novos lançamentos da Editora Novo Conceito:
Beijada por um Anjo - Revelações - Elizabeth Chandler 
Depois que Ivy descobre que Tristan está no corpo do assassino Luke, a vida deles toma um outro rumo. Tristan se esconde da polícia e Ivy não sabe onde localizá-lo. Para piorar as coisas, Beth está cada vez mais distante e estranha, e só Ivy sabe o que realmente está acontecendo com ela. Ao descobrir o paradeiro de Tristan, Ivy não se contém e corre para ele, apesar do risco de ver seu amor descoberto. Para conquistar sua liberdade, Tristan, com a ajuda da namorada, tentará descobrir em que encrenca se meteu o garoto que lhe empresta o corpo. E, na busca de evidências, Tristan e Ivy percebem que existem mistérios sobre os quais eles não têm controle e que podem levá-los por um caminho sem volta. Além disso, a interferência de Tristan sobre o destino de Ivy deverá ser punida duramente. Pode ser que um deles não viva por muito mais tempo.
Um Mundo Brilhante - T. Greenwood
Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu.Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.
_________
Ótimas novidades. Agora é só aguardarmos ansiosos por seus lançamentos, ou para aqueles que já foram lançados, por um boa promoção para podermos comprá-los {rs}.
Até, 


Fuxicos & Futricos #21



Olá, galerinha! Tudo bem?
Bem-vindos a mais um Fuxicos & Futricos.


Música
Quando faço a indicação de uma música aqui é tentando passar um pouco do sentimento que tive ao ler o livro ou tentando mostrar um pouco do que o livro é (pelo menos pra mim).
Estava a reler o livro que indicarei logo mais abaixo e, como só leio escutando música, essa tocou e parei para prestar atenção na letra e... de alguma forma acho que ela se associa a história.
É com muito prazer que posto, aqui, pela primeira vez uma música nacional! \o/
Barão Vermelho – Amor, Meu Grande Amor


“Amor, meu grande amor
Não chegue na hora marcada
Assim como as canções
Como as paixões
E as palavras...
Me veja nos seus olhos
Na minha cara lavada
Me venha sem saber
Se sou fogo
Ou se sou água...
Amor, meu grande amor
Me chegue assim
Bem de repente
Sem nome ou sobrenome
Sem sentir
O que não sente...”



Livro
Pela primeira vez trago pra vocês um Romance de Banca. Pra quem se interessa por esse tipo de romance, a Paola tem uma coluna aqui no blog chamada Fuxico de Mulherzinha onde ela só fala sobre eles.


 Nesse romance, conheceremos Hanna Ramsey, uma super modelo de fama internacional que, cansada da vida que levava, resolve se afastar do seu mundo glamuroso.
Ela sai de Nova York e vai morar no interior, junto com uma senhora, Ruby, que a hospeda.
Mas Hanna não simplesmente se afastou, ela não quer ser reconhecida então se esconde atrás de roupas largas e de um óculos de lentes escuras. Ela sabe que assim não chamará a tenção de ninguém por sua beleza, pois é exatamente disso que ela se cansou, pessoas que vão atrás dela pelo superficial.
Agora ela faz pinturas em tecidos e assina com o nome de AnnaH e está tranquila com a vida que leva. Ou melhor, estava, isso foi até ela encontrar...
Trent Gamblin, o novo hóspede de Ruby. Ele é sobrinho da senhora e é um famoso jogador de futebol. Arrogante e egocêntrico, Trent acha que todas as mulheres rastejam por ele, mas com Hanna tudo é diferente. Por mais que ele não saiba quem ela é, ele se sente extremamente atraído pela mulher simples.

Gente, no começo, Trent tenta enfernizar a vida de Hanna porque se acha o gostosão, mas ela consegue por um basta, o falando umas boas verdades. Eles até se tornam amigos, mas será que com toda a atração que um exerce sobre o outro eles conseguirão permanecer só na amizade?! E será que Hanna deve contar a verdade sobre quem ela é para Trent?
Durante a narrativa percebemos que os dois tem alguns traumas e obstáculos a serem superados.
A história é fofa e leve. Gostei muito e recomendo.

“ Interessante. A Srta. Ramsey não deveria ter mais de trinta anos, no entanto, ela parecia querer se passar por alguém próximo aos quarenta. Ela o intrigava.”








[Resenha] Terra Ardente – Janice Diniz


Título: Terra Ardente
Autor: Janice Diniz
Editora: Multifoco
Selo Desfecho Romances
Páginas: 284
Skoob (AQUI

Sinopse: Karen tem má fama na cidade. Envolvida com corridas de cavalo, dívidas que podem levá-la à falência e uma vida afetiva que segue a regra dos três encontros e nunca mais, ela não pode fracassar. No seu encalço, dois fazendeiros ambicionando tomarem-lhe a propriedade. Com a vida em risco e sozinha num lugar hostil, ela tenta sobreviver e cuidar da avó e do filho. Se for preciso, seduzirá o delegado de polícia de Matarana para protegê-la – um caubói da lei que se comporta como um xerife durão do velho-oeste americano. Mas Karen não é a única mulher em apuros. A jornalista Nova Monteiro investiga um latifundiário suspeito de aliciar trabalhadores. Abandonou o sudeste para ficar ao lado do homem que ama desde a infância. Um amor que tem tudo para não se concretizar. O que Nova não sabe, porém, é que, segundo boatos, a chuva de cinzas na estação do estio não é somente das queimadas, mas também dos corpos dos forasteiros que se metem com os poderosos da região. Assim, ela faz duas descobertas: que luta pela causa errada e que o amor verdadeiro é um sentimento bruto que pode nascer do medo. Matarana, a cidade das aparências, onde nem sempre o mocinho é bom e o vilão, mau. Um faroeste moderno com mulheres fortes, homens destemidos, pistoleiros, matadores de aluguel e paixões devastadoras. A humanidade posta à prova em situações-limite. 
_______________
Paixão a primeira vista. Assim que descrevo meu encanto imediato com o livro “Terra Ardente”. A capa, a sinopse e os trechos disponibilizados pela autora em seu blog me deixaram totalmente curiosa, além do fato de que, desde que passei a ler romances de banca criei um apreço especial por livros de faroeste, o que só colaborou para aumentar a minha ansiedade em ler o livro em questão. Sendo assim, criei muitas expectativas e esperei muito da leitura de “Terra Ardente”, confesso que minha estima por tal obra era tão grande, que no fundo, sabia que as chances de me decepcionar com a mesma eram grandes, não por não acreditar na capacidade da autora, mas por saber que quando se trata de um livro, as expectativas tendem a ser traiçoeiras. Contudo, para minha alegria, “Terra Ardente” foi muito além do esperado, deixando-me extasiada não só com a história, mas também, com os personagens, com o cenário e principalmente, com a escrita da autora.
“- Sabe doutor, o patrão uma vez me disse uma coisa sobre o povo desta cidade que descreve direitinho como as coisas são por aqui. Ele disse que Matarana é um vespeiro envenenado. Só que quando a gente é picado não morre por causa do ferrão; a gente se torna outra vespa e passa também a espalhar o veneno.”
Sob o sol quente de Matarana, faroeste moderno localizado no interior do Brasil, somos apresentados a duas mulheres fortes e determinadas, que em meio a intrigas e guerras de poder, trilham caminhos perigosos que podem levá-las a situações de perda e muita dor. Afinal, Karen está no meio de uma batalha territorial encabeçada pelos dois maiores fazendeiros da região, que em busca do domínio total da cidade visam (independente dos meios necessários para isso), reclamar para si sua propriedade, uma estalagem localizada em um lugar estratégico da cidade, ao mesmo passo que Nova Monteiro, jornalista que há pouco tempo chegou a Matarana, corre perigo ao insistir em investigar os meios duvidosos utilizados por um destes fazendeiros na contratação de mão de obra.
Desta forma a autora nos apresenta ao cenário incomum e intrigante de Matarana, uma cidade dominada por dois homens obstinados e poderosos, que não medem esforços para atingir seus objetivos e que por isso, ditam o ritmo da cidade.  Logo de início é fácil se entregar a narrativa da autora, que não priva detalhes com relação às características da cidade, seus costumes e hierarquias sociais criadas e mantidas pelos detentores de poder, contudo a narrativa realmente flui quando Karen e Nova se envolvem de forma ativa em meio à guerra por poder que domina Matarana.
Nova e Karen representam muito bem o reflexo da mulher moderna. Elas não se deixam amedrontar facilmente e mesmo diante de ameaças e afrontas, lutam em busca da felicidade. Nova, é uma personagem que amadurece seus objetivos no decorrer da estória, aos poucos ela percebe o que quer e então, passar a lutar contra suas dúvidas e medos. Já Karen é incrível, sua personalidade arredia a faz parecer os heróis com os quais estamos acostumados a lidar, sabe aqueles mocinhos que com medo de se machucar, fogem de relações que envolvem sentimentos? Pois bem, Karen é assim, sua verdadeira personalidade é amigável e bondosa, mas sua atitude com os homens a rotula com uma fama negativa, com a qual ela faz questão de não se importar.
Além de personagens femininas fortes, “Terra ardente” nos presenteia com caubóis muito envolventes, personalidades difíceis, dramas familiares, marcas e traumas do passado, são personagens tão ricos que nos perdemos entre a linha do certo e errado, de forma que aqueles que a princípio nos parecem príncipes encantados, correm o risco de perder facilmente o encanto. Entre os personagens masculinos, meu preferido, com certeza é o delegado Rodrigo, em meio à guerra de poder não declarada que aflige Matarana ele tenta proteger a cidade, e por isso tem um papel de mediador muito importante na estória. Contudo, Rodrigo não nos envolve somente por fazer o papel de moço da lei, mas sim, por deixar transparecer seus sentimentos, por ser forte quando deve, mas abusar da compaixão, do carinho e do amor quando menos se espera, ele é o tipo de personagem que nos faz pensar – Cara, onde estão os homens assim?
“Ali, estava o abismo, diante dele e dormindo na sua cama, chamando-o para pular. De todas as mulheres de Matarana, a única que tinha chance de atingi-lo era a menos adequada para tal missão. Esboçou um sorriso fraco, do tipo que os lascados – sabendo-se nessa condição, sorriam. – Durma bem, perigo. – murmurou resignado...”
Além do cenário e dos personagens, a autora media as batalhas que envolvem os grandes fazendeiros de Matarana com amor. Quando Karen e Nova se vêem em apuros elas descobrem com quem podem, verdadeiramente contar, e quando menos esperam são bombardeadas pela força do amor, que as enlaça em sentimentos complicados e para alguns, improváveis.
 “Por que está chorando? A pergunta a pegou de surpresa, e ela lutou para não desabar. – Porque não tenho ninguém. – falou, enquanto engolia uma lágrima. – Já estou chegando. – disse para acalmá-la. Ele, que quase a expulsara de sua vida. – Não demora. – pediu num gemido. Ela, que temera morrer em suas mãos.”
Ação, romance, bom humor, tudo na narrativa de “Terra Ardente” se complementa, envolvendo-nos a trama de uma forma gostosa, na qual o ritmo da leitura nos encanta com a mistura de sentimentos presentes em cada página da estória. Um aspecto do livro muito positivo é a flexibilidade do tempo da narrativa. Em alguns momentos os fatos ocorrem de forma acelerada, fazendo-nos devorar as páginas do livro, ansiosos pelo desfecho da trama, em outros, as cenas são narradas com uma calma e uma riqueza de detalhes que nos envolve ainda mais em cada pormenor da trama.
Saliento também que me surpreendi com a forma da autora escrever, ela utiliza o português de uma forma rica, o que nos fascina e encanta ainda mais. Outro ponto é o final, mesmo o livro fazendo parte de uma série, “Terra Ardente” tem um desfecho suficiente para nos preencher como leitores, ao mesmo passo que, sentimos que novas batalhas surgiram nos próximos livros.
Para concluir, só posso dizer que, para aqueles que apreciam romances repletos de personagens fortes e muita ação, “Terra Ardente” é uma ótima escolha de leitura. E eu, super indico a obra. Também aproveito para agradecer a autora pela oportunidade de participar desse Book Tour, com o qual tive a oportunidade de me encantar e surpreender com seu livro.
E para todos aqueles que comentarem na resenha fiquem atentos, pois vou sortear um Kit de marcadores contendo um marcador lindo do livro autografado pela autora!

Foi para os favoritos!