abril 26, 2013

[Resenha] O Duque e Eu – Julia Quinn

Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de
retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e
solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em
arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de
nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um
plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de
seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante,
todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes
ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons
maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja.
Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por
um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está
interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à
medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios
de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo
não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se
apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela
mais quer na vida.
Romance de Época (Com conteúdo adulto) || 288 Páginas ||
Cortesia Editora Arqueiro ||
Skoob || Compare
& Compre
|| Classificação: 5/5
(Favorito)
 ‘O Duque e Eu’ é o primeiro volume entre
oito livros que narram as aventuras da grande e barulhenta Família
Bridgerton. Sendo
ela composta por oito irmãos, a série conta com uma obra para cada um deles,
apresentando-nos a família como um todo, porém priorizando as histórias
particulares de cada um dos seus membros, que são: Anthony, Benedict, Colin (lindo), Daphne, Eloise,
Francesca, Gregory e Hyacinth. Desta forma, mesmo que cada livro apresente
início, meio e fim, é importante lê-los em sequência para evitar spoilers, já
que é comum os irmãos participarem (leia-se intrometerem)
nas histórias uns dos outros. Exatamente por isso, neste primeiro volume não
conhecemos apenas a história de Daphne, a irmã mais velha entre as moças da
casa, e consequentemente, nossa protagonista; o que acontece de fato é que
mergulhamos na rotina dessa família, nas façanhas e artimanhas desses jovens,
na grandiosidade do amor que os une, e principalmente, somos tocados pelas
descrições rotineiras e verdadeiramente familiares, como o amor de uma mãe
protetora e cuidadosa e a amizade e cumplicidade nutrida entre esses irmãos. Mas
então vocês se perguntam, e o romance? Pois bem, e onde mais o amor se
consolidaria se não no seio de uma família?
“- As mães da sociedade, seu
tolo. Aqueles dragões cuspidores de fogo que têm filhas em idade de casar, que
Deus nos ajude. Você pode fugir, mas é impossível se esconder delas. E devo
alertá-lo para o fato de que a minha é a pior de todas. – Minha nossa… E eu
pensando que a África era perigosa.”

Imagine-se situado na alta sociedade londrina,
na época dos grandes bailes, vestidos redondos, mães casamenteiras, e convenções
sociais que ditam e definem o comportamento populacional; pois bem, esse é o
cenário dessa trama, que abusa do que os romances de época possuem de melhor
para criar uma história doce e bem-humorada, capaz de emocionar e tocar o
coração do leitor.
Em meio a tantas regras sociais e
comportamentais, comuns ao período descrito, Daphne se destaca por sua
personalidade, pois diferentemente das outras donzelas da sua idade ela
conviveu tempo suficiente com seus irmãos mais velhos para saber ser uma boa
ouvinte (isso sem comentar o gancho de direita que aprendeu com eles), além de
evitar ‘afetações e afeminações’ desnecessárias, o que faz dela uma moça forte,
alegre e, como ela mesma já ouviu de diversos
rapazes, distinta de todas as outras raparigas da época. A questão é que,
além de ter uma beleza normal segundo os padrões ditados em tal período, ela
tem um comportamento que amedronta seus pretendentes, o que faz dela uma boa
amiga, mas não uma donzela que inspira duelos ou poesias. E exatamente por
isso, depois de dois anos do seu debute e de algumas propostas de casamento
rejeitadas, ela não encontrou seu futuro esposo, alguém com quem ela pudesse
construir o sonho de ter uma grande família, e um homem pelo qual ela se sinta
envolvida e até mesmo apaixonada.
Divagando entre o ponto de vista de Daphne, a
autora apresenta Simon, o duque de Hastings, grande amigo de Anthony que
retorna para Londres depois de vários anos viajando pelo mundo. Os motivos que
o trazem a Londres são infinitamente dolorosos, e enfrentar tais memórias com
as mães casamenteiras em seu encalço, buscando nada mais do que um bom partido
para suas filhas, não é nada fácil. Assim, em busca de uma forma de fugir do
passado, e também de um futuro indesejado, ele vê em Daphne a solução para os
seus problemas, resolvendo ajuda-la, e consequentemente se ajudar também,
estabelecendo um cortejo de aparências.  Ele iria visita-la, ela o receberia com a
graça e honras devidas ao ganhar a atenção de um duque, até que ele estivesse
longe das mães ‘aves de rapina’, e ela se tornasse um bom partido, visto que
foi capaz de despertar o interesse do Duque. Ideia perfeita, não é mesmo? Em
tese talvez, mas tente juntar duas pessoas com tamanha força de espírito como
Daphne e Simon e espere que as coisas saiam como planejado… Impossível, simplesmente
impossível.  
Dizer que a instituição familiar é o ponto
alto da série escrita pela Julia Quinn seria dizer o óbvio, porque o livro, e a
saga como um todo, são essencialmente sobre isso. Tudo, desde o bom-humor, o
romance e o drama, giram em volta do enlace familiar… Da família Bridgerton,
dos sonhos em ter uma família de Daphne, e claro, do herói que balanceia essa
equação apresentando aos leitores seus traumas e decepções familiares. Ler
sobre isso, a respeito das dores, perdas, triunfos e amores desses personagens é
incrivelmente natural. É estranho por que considerando o cenário comum e o
romance previsível, espera-se algo tão fantasioso e superficial que quando nos
deparamos com um enredo diferente disso é impossível não se surpreender. Eu sei
que como uma amante do gênero, como um fã da autora, e como uma leitora que os
apresenta um dos seus romances favoritos (E olha que essa é a segunda vez que o
resenho para vocês, veja o livro em formato de romance de banca aqui)
sou suspeita para falar, mas não posso negar a força dessa história. Ora, esse deveria
ser só mais um romance, e mesmo assim, não consigo deixar de vê-lo como um livro
lindo, emocionante, tocante, que fala sobre superação, mágoas, medos,
preconceito e infinitos dramas familiares que enfrentamos todos os dias. Não
sou ingênua de pensar que todos os leitores irão ver esse romance sob o mesmo
ponto de vista que eu, mas é como se ele fizesse parte de mim, então não posso
e não consigo vê-lo de outra maneira.
Sabe do que mais gosto nesse livro, e nessa
série em especial? Todos os personagens principais possuem um defeito, uma
mágoa, um medo, uma imperfeição que seja, que os afasta da felicidade. Um
sentimento de culpa ou de dor que eles carregam diariamente, e que não são
capazes de ver o quanto tal carga está pesada. Exatamente como nós, não é? E é
isso que me emociona, a apresentação da dor e da superação; fico pensando que,
se tais personagens conseguiram enfrentar seus medos, nós também somos capazes
de tal ação. E Simon, ah o Simon, ele é o mestre nesse quesito, ele e Anthony,
o irmão protagonista do próximo livro da série Os Bridgertons, estão no topo da
minha lista de personagens guerreiros.
Será que escrevi demais? Será que foi
suficiente? Ainda queria falar o quão incríveis são os outros membros da
família Bridgerton; o quanto chorei e ri relendo o livro, mesmo sabendo
exatamente como as coisas iriam acontecer; o quanto as superficialidades e fantasias
presentes na história me passaram despercebidas; o quão enigmática é a figura
da Lady Whistledown e claro, o quanto o romance da trama é lindo e
envolvente… Devo ter me repetido em elogios, e claro me estendido em descrições,
mas o fato é que sou apaixonada incondicionalmente por esse livro, seu encanto,
sua emoção, sua alegria, é como um porto seguro, sei que sempre que quiser
posso retornar para essa leitura em busca das infinitas emoções que ela gera em
mim.
Quote:
 “- No que diz respeito a você, meus padrões de beleza são os únicos que importam a partir de agora.”
‘- Que diabo você pensa que
está fazendo? – sibilou ela. – Protegendo minha irmã! – Do duque? Ele não pode
ser tão perverso assim. Na verdade, ele me lembra você. Anthony soltou um
gemido. – Então ela realmente precisa da minha proteção. ’
“(…) – Antes de conhecer
você, estava vivo apenas pela metade.”
‘Daphne se abaixou e ajeitou as
tulipas, roçando o braço de leve na frente do casaco dele. Ela imediatamente
deu um salto para trás, surpresa com a quentura e a força dele. Meu Deus, se
ela podia sentir tudo aquilo através da camisa e do casaco, como ele deveria
ser… Daphne ficou vermelha, muito vermelha. – Eu daria minha fortuna por seus
pensamentos – disse Simon, erguendo as sobrancelhas com curiosidade. ’
Capas pelo Mundo:
Esse livro já foi protagonista da
coluna ‘Fuxico de Mulherzinha: Capas pelo Mundo’, sendo assim, confira outras
edições da obra
AQUI.

   

    


confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

32 Comentários

  • Marileuza ou simplesmente MARI
    18 setembro, 2017

    Eu amo os Bridgertons, acho que quem gosta de romance de época doce, divertido e cativante pode colocar esta série na lista de desejados. Tenho os 9. Já li e já emprestai as minhas amigas que também adoraram. Sei que seus olhos brilham ao falar sobre eles Pah, tamanho sentimento que demonstra em suas resenhas quando fala desse gênero literário. Digo a você que também fico emocionada por ter partilhado dessa emoção, pois já no 1° livro a Julia Quinn é capaz nos encantar com sua escrita, fazendo-nos querer ler a série inteira. Daphne e Simon se completam em todos os sentidos, enfim são inesquecíveis. Amei a resenha. Um bjo para você.

  • Larissa Carvalho
    24 setembro, 2016
  • Priscila Alves
    06 setembro, 2015

    Já li o livro e é realmente ótimo! Sua resenha também está ótima. .. Agora que estou me sentindo órfã deste, partirei para a leitura do segundo. .. espero que seja tão bom quanto!

  • Priscila Alves
    06 setembro, 2015

    Já li o livro e é realmente ótimo! Sua resenha também está ótima. .. Agora que estou me sentindo órfã deste, partirei para a leitura do segundo. .. espero que seja tão bom quanto!

  • Vivian Pitança
    25 abril, 2014

    Ahhh… Pah..

    A lista de leituras aqui está enorme, e aí eu descubro mais uma série que eu simplesmente PRECISO ler… omg!!
    Eu gosto muito de história. Lendo o outro post sobre a autora que saiu no blog há pouco, me perguntei como eu ainda não li nenhum desses romances históricos. O mais perto que cheguei foi A Linhagem, da Camila Dornas (nacional e muito bom – amei e recomendo!) e Amor de Redenção (aquele que eu tinha te indicado – e reforço: leia!!). Agora com certeza vou procurar e ler algo da autora.

    Beijos.

    https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=3412947036494175997#overview/src=dashboard

  • Valéria Darcy
    16 agosto, 2013

    Oii!! Amei seu post! Li esse livro recentemente e tô apaixonada!! Vc conhece outros livros com histórias assim??
    Eu gostei pelo fato de ser um romance e um pouco mais adulto, meio hot mas sem ser vulgar….
    Se conhecer livros assim me indica por favor?!
    🙂

  • Letycia Menezes
    14 junho, 2013

    Amei a sua resenha.. To muito encantada com o livro. Espero poder ler ele o mais rápido possível.

  • CMachado
    11 junho, 2013

    Já ia ficar meio chateada 8 livros.
    Mas, é bobagem, cada livro é único mesmo se tratando de série.
    Então, é a família bem grande, gostoso ler isso eu gosto, muitos personagens. Eu imagino como em Downton Abbey. Aliás na Inglaterra é que encontramos essas histórias, por conta da tão valorizada descendência. Herdeiros etc. Gosto muito de ler sobre isso!!
    Bjk

  • Cristiane Souza
    10 junho, 2013

    Ótima resenha, despertou ainda mais a minha vontade de ler.

  • Suy Gomes
    04 junho, 2013

    Amei a resenha!Agora você me deixou ainda mais com vontade de ler o livro.Espero que eu goste tanto quanto você!
    Beijos.

  • Cássia Vicentin
    03 junho, 2013

    Nem sei o que dizer sobre esse livro! Sério, só de ler a resenha/sinopse, váaáárias emoções passam por mim. Nunca li um romance histórico, mas sinto que tenho uma ~conexão~ com essa história.

  • brunalais
    02 junho, 2013

    incrivel resenha .muito boa ja quase sei o livro inteiro muito boa sabem mesmo como contar um livro

  • VANESSAANGELQ
    28 maio, 2013

    Oi Pah!
    Adoro romances históricos,fiquei na expectativa para ler e acompanhar Simon e Daphne nessa histórica e descobri como vai terminar esse acordo,o surgimento do romance,o drama…
    Nossa,o primeiro volume entre oito livros…
    Deve ser interessante e divertido acompanhar a Família Bridgerton.
    As capas pelo mundo estão bonitas e criativas!

  • Camila Giotto
    25 maio, 2013

    Eu nunca li um romance histórico, e de tanto que você fala morro de curiosidade. Adoro você seu blog e seu jeitinho de falar nos vídeos!!! bjo

  • Mari
    20 maio, 2013

    Nossa, amei sua resenha! De verdade!

    Eu sinto a mesma coisa em relação ao livro. Por mais que não seja o meu preferido, não tem como não amar (aliás, tem algum livro da Julia que a gente consiga não adorar??). Eu também acho que a família é o ponto forte dessa série: a gente se apaixona pelos casais, é claro, mas no final de tudo o que a gente mais ama mesmo é a interação entre os Bridgertons. Eu amei The Bridgertons Happily Ever After absurdamente por isso: a gente tem a chance de ver toda essa dinâmica familiar anos depois e ainda podemos ver episódios da vida da Lady Bridgerton em Violet in Bloom. Sério, é lindo demais. Não vejo a hora de lançarem em português.

    beijo!

    http://livrosouniversoetudomais.blogspot.com.br/

  • Fabi Liberati
    16 maio, 2013

    Paaah!!! Amei *.*
    E pelo jeito que você escreveu, você também amou né? hahaha.
    Eu nunca me interessei por romances de épocas, mas você me deixou com muita vontade de ler esse livro. Eu adoro humor e romance juntos, e adorei os quots que você usou.
    Já está na minha listinha =D
    Beijos

  • Nessa
    16 maio, 2013

    Oi Pah!
    Que história linda!
    Adoro sua indicações de romances históricos, eu li A Rosa do Inverno da Patricia (Meg) Cabot que você indicou e amei, estou super curiosa pra ler O Duque e Eu também!
    A história parece ser super gostosa de ler! adoro romances construídos assim, através de uma "brincadeira".
    Espero ler em breve!
    Bejos!

  • Fabiana Moraes
    12 maio, 2013

    Oi Pah!!!

    Faz pouco tempo que estou acompanhando seu site, mas afirmo COM CERTEZA, suas resenhas são INCRÍVEIS!!!! Quase choro lendo-as!!!
    Amei esta resenha, já estava com vontade de ler o livro antes, agora é 100% de certeza que vou ler!!!
    Beijoss

  • Yasmim Namen
    07 maio, 2013

    Oi, Pah!
    Eu "segurei" as lágrimas nos dois últimos parágrafos porque é exatamente o que sinto por essa série! A mãe é tão especial, carinhosa e ardilosa para ver os filhos felizes e no caminho certo. Eu me apaixonei pela história quando li pela primeira vez e quando reli fiquei mais apaixonada ainda! Eu não sei o que dizer o que achei sobre a série que você não tenha dito e pensar em todo o texto lido e a história e momentos que vivi com a família tão me deixando com um nó na garganta e se eu não parar por aqui vou ficar chateada com o meu coração afetado. u.u'
    Espero que o gênero tenha vários títulos publicados aqui no Brasil e da Julia Quinn também, principalmente mais livros históricos. o/

  • Anônimo
    30 abril, 2013

    Nossa! Já adicionei a minha meta de leitura no skoob. Adoro o seu blog, Parabéns!

  • Mayara
    Mayara R. da Cruz
    29 abril, 2013

    Vc fala com tanto carinho deste livro que já da mais vontade ainda de ler.
    Eu lia MUITO romance histórico quando era mais nova (olha a véia falando, rs) e eu AMAVA, mas com o tempo deixei este gênero de lado e fui me aventurar por outros, lembro que o ultimo romance histórico que peguei pra ler *ano passado eu acho* eu nem curti muito, mas é um gênero muito gostoso e sei que tem muito livro bom por ai. Este livro parece ser um deles, eu já estava com vontade de ler e agora então…
    Sabe, a gente tem gosto MUITO parecido e eu tenho certeza que vou amar O Duque e Eu e fiquei muito feliz da Arqueiro estar trazendo livros assim, estou começando a ter aquela sensação de mais nova (olha a véia de novo, rs) excitação e ânsia por um mocinho todo cavalheiro que me faz suspirar. Ok, estou ficando mais e mais ansiosa por este livro…

    A Paola SEMPRE me fazendo querer mais livros e mais livros. o.O
    hahahhaha

    Linda resenha como sempre. <3

    Beijos ;*

  • Nathália Risso
    29 abril, 2013

    Oi Pah 🙂
    Que saudade que eu estava de passar por aqui :DDD
    Bom, estou amando esses romances de época que a Arqueiro está lançando, acho que eles estão fazendo a aposta certa 🙂 Porém, acredita que nunca li um livro do gênero? Sim, pode me bater hahahahahahaha…
    Mas, a cada resenha que leio, estou ainda mais ansiosa, e acredito que um desses romances será um dos próximos livros que vou solicitar à editora 😉
    Sua resenha ficou maravilhosa Pah, e foi palpável os seus sentimos nela, você a escreveu com paixão, e eu adoro isso 🙂 Parabens! A história é muito convidativa, e os personagens parecem ser maravilhosos…
    Com certeza será um dos próximos que lerei, e claro, quero virar fã desse gênero hahahaha 🙂
    Beijos,
    Nath
    Books in Wonderland

  • Camila Costa
    28 abril, 2013

    Oi Pah!
    Poxa o livro parece ser bem legal, mesmo mesmo! Porém.. minha santa que capa horrorosa! Ok, a gente não pode julgar pela capa, mas parece que pegaram duas imagens qualquer em um banco de imagens online e pronto u.u sou chata com capas queria todos os livros do mundo lindos e maravilhosos 🙁
    mas entrou pra lista de quero ler, isso é fato, a resenha me interessou bastante *-*
    Beijão linda!

    Cabelos ao Vento

  • DreehLeal
    28 abril, 2013

    você acabou de despertar TOTALMENTE a minha vontade de ler o livro.
    ja esta na minha lista de compras rs.

    Beeijinho. Dreeh
    Livros e tudo o que há de bom

  • Jp Oliveira
    28 abril, 2013

    Olá. Sou do blog "Literamore".
    Adorei seu blog. muito bonito e organizado.
    Queria convidar você a visitar o nosso blog.
    Ficaríamos feliz com sua visita! obg.

    http://literamore.blogspot.com.br/

  • Ana Alves
    27 abril, 2013

    Oie, Pah!
    Este livro já estava na minha listinha de leituras e compras, mas após a sua resenha, a vontade aumentou.
    Com certeza eu vou gostar.
    Beijos,Ana.
    http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

  • Pati Peña
    27 abril, 2013

    Faz tempo que você fala muito bem deste livro e eu nunca tive a oportunidade de comprar, agora que a Arqueiro está lançando, vou ler e pelo visto me apaixonar 😀
    Bjs,
    Pati

  • ✿Nessa✿
    27 abril, 2013

    Oi Pah!
    Desde que eu vi o lançamento deste livro eu fiquei doida para ler, sua resenha ficou muito boa e me deixou mais curiosa!!
    Ai, eu adoro este cenário de bailes, vestidos, e etc e ect..
    Quero logo ler. Ameii.
    Eu gosto mais da nossa capa, ficou linda!

    Beijos*

  • Rayane
    27 abril, 2013

    Amei a resenha…nunca li romance de época (tirando Orgulho e Preconceito) mas fiquei encantada com tudo o que vc escreveu…quero muito ler o livro…

  • Anônimo
    27 abril, 2013

    Lindo livro… já li em e-book e estou ansiosa para vê-lo na livraria… Amei Simon e Daphne… adoro os Bridgerton!!!

  • Mirelle Candeloro
    26 abril, 2013

    Amei sua resenha Pah, você me deixou muito curiosa em relação a esse livro. Tenho um segredo para contar, nunca li nenhum livro de época.. hehe morro de preconceito, mas nunca li! Acredita?! Será que esse seria um bom livro para começar e pegar gosto pelo gênero? hehe Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  • Rayme
    26 abril, 2013

    sua resenha ficou incrível!
    estou doida para ler! ;~~
    parece ser um livro muito bom mesmo… e só eu que vi pontos em comum com os livros da Bella Andre? ;x