[Resenha] O Carrasco do Amor - Irvin D. Yalom

Solidão, desprezo, obsessões amorosas, depressão... Este livro traz a história de dez pacientes que procuraram soluções para seus problemas cotidianos, buscaram terapia e que se depararam com as raízes das próprias dores da maneira mais crua. Um livro que mostra como é possível enfrentar as verdades da existência e aproveitar tal poder para mudar e crescer em nível pessoal.
288 Páginas || Editora Ediouro || Skoob || Compare & Compre|| Resenha da Kamila Mendes || Classificação: 5/5
Ao contrário do que o título aparenta, não estamos falando de um romance dramático com traições ou coisa parecida. O Carrasco do Amor pode ser descrito como um conjunto de crônicas escritas por Dr. Yalom, psicoterapeuta renomado nos E.U.A e ao redor do mundo; seu livro mais famoso é o aclamado Quando Nietzsche Chorou.
 “O amor é um modo de ser, um ‘dar a’, não um ‘enamorar-se’; um modo de se relacionar como um todo, não um ato limitado a uma única pessoa. Embora tentemos arduamente seguir pela vida dois a dois, ou em grupos, há momentos, especialmente quando a morte se aproxima, em que a verdade – de que nós nascemos sozinhos e devemos morrer sozinhos – irrompe com fria clareza.”

As crônicas giram em torno de histórias reais vividas por dez pacientes que buscaram a ajuda do Dr. para encontrar uma saída para o seu sofrimento. Mas o livro não engana apenas pelo título. Muitos, após saberem que a obra foi escrita por um psicoterapeuta, podem pensar que se trata de mais um livro de auto-ajuda, entretanto, para a surpresa da maioria, a obra não segue por esse caminho.
O Carrasco do Amor leva o leitor ao âmago da mente humana. São relatos de vida de pessoas como eu e você, mas que não conseguiram superar alguns momentos de sua vida e acabaram criando bolas de neve gigantescas com seus sentimentos.
Eu ri, chorei, me alegrei, tirei algumas lições de vida, e até me senti revoltada com alguns pacientes e mesmo com a disposição de Yalom sobre algumas pessoas. Mas o mais interessante é observar a sinceridade do Dr. como psicoterapeuta. Como ele lida com revelações bombásticas e como revela que tem preconceitos e traumas como qualquer um.
O bom é que esse livro pode agradar qualquer leitor. Ele está livre de jargões técnicos e mesmo que você não tenha interesse nenhum por livros de psicologia e psiquiatria, O Carrasco do Amor pode ser lido apenas como um livro de crônicas emocionantes.
Não é meu livro favorito, mas dei cinco estrelas por ter me surpreendido. Eu realmente me envolvi com cada caso! Indico para quem está à toa por aí ou para quem tem interesse no assunto e procura saber mais sobre a psique humana.
Capas pelo Mundo:

  




2 comentários:

  1. Gente do céu, eu odiei o livro!! Não porque o livro é ruim, mas simplesmente porque criei uma grande antipatia com o Yalom. Eu amo psicologia, psicanálise e psiquiatria. Por mais que eu tenha me formado em Direito, já li muitossss livros, inclusive técnicos, nessa área. Além disso faço terapia desde criança e já conheci muitos terapeutas e técnicas diferentes e achei um absurdo a forma que o Yalom tratava os dele. Acho que tinha mandado ele longe se ele fosse meu terapeuta e se eu soubesse tudo o que ele de fato pensava de mim. Achei ele de uma petulância e prepotência, como se fosse o senhor da verdade.. aff, não sei nem como consegui chegar no final do livro. Tirando esse asco que tive pelo autor, a proposta do livro é ótima. Adoro esse estilo de literatura em que apresenta casos verídicos sobre terapias e pacientes. Adoro ver como as pessoas lidam com as suas situações e resolvem, ou tentam resolver, seus problemas. Ótima resenha Pah. Beijão, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir