Os Instrumentos Mortais no cinema, eu vi!

Então você descobre que um dos seus livros de fantasia juvenil favoritos vai virar filme, como não se empolgar ao extremo? Como não contar os dias até o seu lançamento? Foi com altas expectativas que eu fui ao cinema assistir Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos; eu não me aguentava de curiosidade quanto ao desempenho dos atores, as escolhas das músicas, a caracterização dos cenários e dos personagens e, principalmente, quanto a qualidade do roteiro, afinal, para um bom leitor não existe NADA pior do que ver um livro sendo mutilado e/ou destorcido ao ganhar uma adaptação cinematográfica.

Assim, vamos eu e meu namorado ao cinema super empolgados (sim, no plural, já que meu amor não me aguentava mais ouvir falar desse filme e acabou se empolgando para vê-lo também) assistir um dos filmes mais aguardados do ano por mim, resultado: Uma Paola muito feliz entrando na sala do cinema, mas extremamente confusa ao sair dela. Sabe quando você não consegue definir em palavras o que achou de um filme? Quando ele fica preso entre a sinuosa divisão do amar e o odiar? Pois é, é assim que eu vejo esse filme. Eu não desgostei dele, muito pelo contrário, me empolguei em vários momentos, porém tal empolgação não foi suficiente para me fazer amá-lo. Diferentemente do que aconteceu enquanto eu lia livro, eu não torci pelo romance principal, não me apaixonei pelo Jace, não senti tanta raiva do Valentim, não entendi o papel exato dos outros seres do submundo na trama, e muito menos compreendi o sentido de tanta luta, dor e perda, fatos que são a essência do livro, pelo menos em minha humilde opinião.
Sendo assim, se vocês me perguntarem se eu gostei do roteiro minha resposta será um sonoro NÃO. Não gostei das adaptações e cortes feitos, da representação do Jace (da forma como eles montaram o personagem, não do ator... Cadê o olhar irônico dele minha gente?), de como a Clary descobriu seus poderes (Já?) e do final, que final foi aquele? AFF *gritinhos histéricos*... Aí vocês contra-atacam, mas Pah, sabemos que sempre rolam algumas modificações, afinal é pouco tempo para retratar o livro – Só que gente são 130 minutos de filme! Poxa, dava tempo de fazer algo mais semelhante ao livro.
Pontos Negativos
1.       Cortes e adaptações desnecessárias;
2.       Caracterização do Jace;
3.       A descoberta dos poderes de Clary;
4.       Desfecho da trama.
Mas calma, lembra que disse que não tinha odiado o filme? Pois é, ele também tem seus pontos positivos como a trilha sonora, os cenários (UAU, ficou show de bola os efeitos e tudo mais), e (mordendo a língua agora) as ótimas atuações da Lily Collins e do Robert Sheehan. Sério, como eu reclamei da escolha desses dois: porque ela não parece a minha Clary, porque ele é feio demais para ser o Simon, porque ela é arrumadinha demais para um papel desses, porque isso, porque aquilo... Pois é, reclamei mesmo e agora digo que eles merecem vários elogios, o Robert então, superou TODAS as minhas expectativas ao ponto que cheguei a me apaixonar por ele *ele é tão lindinho gente*.
Pontos positivos
1.Trilha Sonora (AQUI);
2.Cenários;
3. Lily Collins e Robert Sheehan.
  
No geral, como já disse o filme foi mediano. Eu queria mais, MUITO mais, mas é claro que vou indicar o filme a todos que leram o livro, e é claro também que eu vou ver no cinema TODOS as adaptações da franquia, até porque, sou fã gente. Fã que reclama, mas que ama o mundo criado pela Cassandra Clare.
Agora é esperar por Cidade de Cinzas e *suspira* As Peças infernais.
Mas e vocês, já viram o filme? O que acharam dele? 



Direção: Harald Zwart
Gênero: Aventura
Duração: 130 min.
Distribuidora: Paris Filmes
Sinopse:
Quando a jovem Clary (Lily Collins) decide ir para Nova York se divertir numa discoteca, ela nuca poderia imaginar que testemunharia um assassinato – muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Para piorar a situação, sua mãe desapareceu sem deixar vestígios e agora ela precisa sair em busca dela em uma Nova Iorque diferente, repleta de demônios, magos, fadas, lobisomens, entre outros grupos igualmente fantásticos. Para ajudá-la, Fray conta com os amigos Simon (Robert Sheehan) e o caçador de demônios Jace Wayland (Jamie Campbell Bower), mas acaba se envolvendo também em uma complicada paixão.



9 comentários:

  1. A atuação do Robert realmente foi MUITO boa, amei <3 Assim como o Kevin também, que, apesar de ter aparecido pouco, gostei muito de vê-lo como Alec *----*
    Discordo de você sobre a trilha sonora. Se escutássemos ela isoladamente, é uma trilha sonora muito boa, mas, colocando as músicas nas cenas do filme, ficou horrível, porque umas músicas não tinham nada a ver com a cena que se passava.
    Cenários lindos, ótimos efeitos especiais.
    Algumas atuações me embrulharam o estômago de tão ruins! Credo. Também não gostei da descoberta dos poderes da Clary, foi muuuito rápido. O final então? O filme acabou e eu continuei sentada na cadeira do cinema, porque simplesmente fiquei sem acreditar que já tinha acabado. Foi muito do nada.
    Umas piadinhas muito forçadas, em momentos inoportunos.
    É, fiquei empolgada em alguns momentos, mas comparando com o resto do filme... Não, não gostei, não gostei, não gostei!

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. bom, acho que eu já comente aqui que os livros da autora não me pegam mais né? li um e detestei tanto que nem senti mais vontade de ler os outros...
    MAS para o filme, também estou curiosa! o bafafá e o tumulto quando saiu o primeiro trailer e tudo o mais foi tanto que acabou me deixando curiosa também hahaha
    assim, acho que quem lê o livro nunca achara o filme bom ou igual o bastante comparando ao livro, mas há certos filmes que zoam demais da nossa cara né? enfim, esse não parece ter a trama e tudo o mais tão diferente assim, e quero ir dar uma olhada nele :D

    ResponderExcluir
  3. Oi Pah*

    Me senti como você quando fui assistir "O mar de monstros", não sei se gostei ou não. Na verdade eu não gostei que mudaram algumas coisas da história.

    Eu vi o trailer deste, mas como não li o livro não quis ir assistir e nem sei se irei.
    Adorei o post.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não vi, e vou ter de esperar para ler o segundo livro, porque dizem que o filme tem alguns spoilers.
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  5. Oi flor!

    Eu vi o filme sim, fui correndo assistir quando lançou porque sou louca pela saga. Também não tinha curtido a escolha dos atores, mas o Robert, OMG o Robert! Tô in love por ele, vou até caçar outros filmes. Sem dúvidas o grande destaque da adaptação! Eu não curti o Jace. Primeiro por motivos superficiais: ele é muito barango pra ser meu Jace. Segundo porque não achei que ele se encaixou no papel, pra mim esse Jamie é a versão masculina da Bella, a única diferença é que ele ainda consegue sorrir. Cadê a ironia, cadê o olhar, cadê o jeito Jace de ser? ODIEI ODIEI ODIEI. Curti a interpretação da Lily (mordi minha lingua até sangrar hehe, porque nunca fiz nada alem de falar mal da atriz, tenho cisma), mas nao consegui curtir pro casal, porque nao tinha a menor quimica entre eles. Ao inves disso, me peguei torcendo pra ela ficar com o Simon, porque aí sim seria um casal fofo. No momento que pensei isso no cinema eu quis me bater. Amo o Simon, mas sou Team Jace até o fim, como eles distorceram o filme a ponto de tirar isso de mim? #revoltada. Mas o pior é que curti o filme, no geral. Odiei as mudanças, mas o central da trama foi mantido. E os cenarios foram mesmo incriveis. Como voce disse, fã á fã e aguardarei os outros filmes ansiosamente, mas dizer que amei? Não, nem perto disso.

    P.S.: Imagine duas loucas cantando a música da Demi Lovato em um cinema lotado... Eu e minha amiga! haha #mico

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii Pah!
    Eu concordo com você. Eles mudaram umas coisas que (na minha opinião) não deveriam ter mudado. Como eu só li o primeiro livro dessa série, eu vi muito spoiler assistindo ao filme (mas, até ai tudo bem, porque acho que sou uma das únicas pessoas que gostam de spoiler, pois é...).
    O Jace deixou a desejar mesmo, eu amei tanto ele no livro, e no filme ele tava tão sem graça. A personalidade irônica dele sumiu, parecia que ele só ficava de mau humor.
    O Robert foi uma super surpresa mesmo. Ri muito com ele. Tudo que eu deveria ter rido com as falas do Jamie, eu ri com o Robert (isso não deveria ter acontecido kk).
    E eu simplesmente amei a trilha sonora. Fiquei muiiiito viciada na música da Demi *.*

    Adorei o post!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  7. Pelo visto, como todos os filmes, a adaptação foi meia boca, né?! Eu ainda não li os livros, então de repente quando assistir o filme consiga vê-lo de forma mais imparcial. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  8. Eu acho melhor lerem até o terceiro livro para poderem assistir o filme. O filme contem um spoiler totalmente desnecessário, eu senti vontade de chutar a cara da primeira pessoa que aparecesse. Mas tirando isso, não consegui odiar muita coisa no filme, apenas claro, o que você citou, os cortes e adaptações desnecessárias. Amei a atuação do Jamie Bower, sério, mesmo por vários motivos que deveriam me deixar brava, eu não consigo sentir ódio daqueles olhos... Em fim, eu e a minha mãe assistimos duas vezes, e eu já emprestei para vários amigos meus que já estão me implorando o segundo livro.

    ResponderExcluir
  9. Fiquei super de cara com o final; com os figurinos (o que era aquilo gente, um bando de góticos quando a autora SEEEEEEEEEMPRE descreveu como os caçadores de sombras bem vestidos!); com o Jace, que se bobear até o Edward do Crepúsculo é mais emotivo e brincalhão do que ele. Hodge foi como eu imaginava, já o Valentim... Pfff! Nem vou comentar! Alec e Magnus perfeitos, já Isabelle não mostrou sua personalidade no filme.
    Enfim, a conclusão que cheguei é que apesar de ser uma série, o filme foi feito pra ser filho único mesmo (é a única resposta que justifica, não, mesmo assim, não justifica aquele final).
    #prontofaleitôlevemasaindaindignada

    ResponderExcluir