[Fuxicos e Vícios #5] Uma autora especial ♥

Todo bookaholic, pelo menos uma vez na vida, tem algum surto quando aquele autor que você adora e admira muito anuncia que vai lançar um livro novo e, viciada como sou em ficar atenta a qualquer novidade literária que surja em meio a blogosfera, eu sofro muito *sintam o drama* quando vejo a minha lista de livros desejados aumentar a cada dia, mas não é sobre listas que irei discorrer hoje *embora eu ame fazê-las* e sim da aflição causada por uma pessoa linda e maravilhosa que me deixa nervosa, ansiosa, excitada e completamente desesperada para ler seus livros. *Exagerada? Eu???? Não desta vez.*.

[Resenha] Drácula - Bram Stoker

Este clássico escrito em 1897 já é muito conhecido do grande público, mas esta versão tem o grande diferencial de ter sido traduzida por Lúcio Cardoso, o que dá ao texto um valor histórico singular. A tradução está há anos fora do mercado, sendo rara até mesmo em sebos. No romance, Jonathan Harker é um jovem advogado enviado ao castelo do conde Drácula, na Transilvânia. Durante a viagem, Jonathan percebe que foi envolvido em uma trama sinistra, cheia de mistério, em que nada é por acaso, e da qual só sairá vivo se for capaz de exterminar o poderoso conde e sua amaldiçoada sede de sangue.
Sobrenatural || 256 Páginas || Cortesia Editorial Record || Skoob || Compare & Compre || Classificação: 4/5
Como uma leitora que experimentou e se apaixonou por livros de vampiros a partir da modinha literária criada por Crepúsculo e seus semelhantes, sempre tive uma grande curiosidade para conhecer a obra de Bram Stoker, escritor responsável por desmistificar a mitologia vampiresca (o que fez dele um dos autores obrigatórios na busca de inspiração sobre o tema). Além da curiosidade nata a respeito da forma como o autor descreveu tal criatura da noite, queria saber como ele conduziu sua história. Teria ela doses de romance? Aventura? Seria Drácula um vampiro capaz de amar, como teimosamente ele é retratado nas obras atuais?  Para a minha surpresa, Drácula é sim um livro sobre amor, aventura e mistérios sombrios, contudo os que vivenciam tal trama emocionante e perigosa são as vítimas do poder desse sanguíneo e perigoso vampiro. Nada de brilhos, beijos ao entardecer ou mocinhas prontas para amar um vampiro, apenas a luta de homens e mulheres que buscam aceitar e combater o desconhecido.
 “É um verdadeiro demônio. Pode tomar certas aparências e desaparecer como a nuvem. Como agir para destruí-lo? Onde apanhá-lo? A tarefa é rude, a luta pode ser trágica. Eu estou velho; mas eu, que importa, no entanto vocês, que são moços, ousariam afrontá-lo?”

[Resenha] Cidade das Almas Perdidas – Cassandra Clare

Quando Jace e Clary voltam a se encontrar, Clary fica horrorizada ao descobrir que a magia do demônio Lilith ligou Jace ao perverso Sebastian, e que Jace tornou-se um servo do mal. A Clave decide destruir Sebastian, mas não há nenhuma maneira de matar um sem destruir o outro. Mas Clary e seus amigos irão tentar mesmo assim. Ela está disposta a fazer qualquer coisa para salvar Jace, mas ela pode ainda confiar nele? Ou ele está realmente perdido?
Sobrenatural; Jovem Adulto|| 434 Páginas || Cortesia Galera Record || Skoob || Compare & Compre|| Classificação: 5/5
Cidade das Almas Perdidas é o quinto (e penúltimo) volume da série Os instrumentos Mortais. Após um final eletrizante em Cidade dos Anjos Caídos, meu coração se manteve apertado imaginando qual rumo à história tomaria... Mais sacrifícios? Novas perdas? Um notável renascimento do inimigo? Iniciei a leitura de Cidade das Almas Perdidas com tantas expectativas, tantas dúvidas e medos, e por incrível que pareça a concluí ainda mais maravilhada e temerosa.  Como um presságio do que vem por aí Cassandra Clare nos leva a uma aventura impensável, que confunde e surpreende o leitor. Será que podemos acreditar que as pessoas são capazes de mudar, que elas podem reprimir o mal que, mesmo que não seja por vontade própria, as consome? Será possível o sangue, o laço familiar, vencer as trevas? E ainda, será que devemos manter a esperança de que o bem sempre vencerá o mal? Entre muitas questões não respondidas, muita ação, paixão e mistério, somos levados ao início da batalha final. As trevas se aproximam, é chegada a hora de decidir por qual lado lutar, e o mais importante, por quem lutar.  
“No meu coração eu me lembro e acredito, mesmo nas palavras que não posso dizer. D... – Engasgou e engoliu em seco. – Ele fez um acordo conosco, exatamente como os Caçadores de Sombras acreditam que Raziel fez um acordo com eles. E acreditamos nas promessas. Portanto, não se pode jamais perder a esperança, hatikva, porque se mantiver a esperança viva, se manterá vivo.”

[Resenha] Fallen Too Far - Abbi Glines

Querer o que você não deveria ter... Ela tem apenas dezenove anos. Ela é filha de seu novo padrasto. Ela ainda é ingênua e inocente por ter passado os últimos três anos cuidando de sua mãe doente. Mas, para Rush Finlay, 24 anos de idade, ela é a única coisa que está fora dos limites. Culpa, dinheiro, pai famoso, seu charme e o desespero de sua mãe para conquistar seu amor, são as cinco razões pelas quais ele nunca tinha ouvido um “não”. Blaire Wynn deixou sua pequena fazenda no Alabama, depois que sua mãe faleceu, para morar com seu pai e sua nova esposa em sua casa de praia ao longo da costa do golfo da Flórida. Ela não está preparada para a mudança de estilo de vida e ela sabe que nunca vai pertencer a este mundo. Além de tudo, seu pai a deixa sozinha no verão com o seu meio irmão sexy, enquanto ele foge para Paris com sua nova esposa. Rush é tão mimado quanto lindo. Ele também está ficando sob sua pele. Ela sabe que ele não é nada bom para ela e que ele nunca vai ser fiel a ninguém. Ele está cansado e tem segredos. Blaire sabe que talvez nunca irá descobrir, mas mesmo sabendo de tudo isso... Blaire apenas pode ter caído longe demais.
New Adult || 188 Páginas || Kindle Edition || Skoob || Goodreads || Compre: Kobo Books ou Amazon|| Classificação: 4,5/5 (Favorito)
Uma tragédia, duas famílias, um mesmo destino...  Fallen Too Far é o primeiro volume da trilogia Too Far, composta também pelos livros Never Too Far e Forever Too Far; e antes de vocês me reprimirem por eu estar resenhando mais um new adult em inglês, aqui vai a boa notícia: a editora Arqueiro divulgou essa semana (aqui) que comprou os direitos de publicação da série! Dito isso, eu pergunto, o que vocês esperam de um bom new adult? Romance, drama, segredos e paixão? Se sim, já adianto que Fallen Too Far tem tudo isso e um pouco mais. Mesmo repleto de clichês e elementos previsíveis a história abocanha o leitor com o drama (um tanto quanto implícito) presente na narrativa da autora. E daí se o romance é previsível, e daí se o mocinho é todo trabalhado no “não namoro, só faço sexo”, ao passo que a mocinha é pura, mas não consegue deixar de cobiçar o mocinho? E daí se tudo isso é repetitivo? Nada disso importa tanto quando acrescentamos à história uma intensa carga de drama familiar, uma mocinha que perdeu tudo, um mocinho que parece ter tudo, e uma mesma família que carrega segredos capazes de mudar, completamente, a vida desses jovens. Romance, emoção e revelações... novela mexicana? Não, somente a Abbi Glines nos dando lições sobre o que é a vida real.
“-... Mas porque eu sabia. Eu sabia que você ia ficar sob minha pele. Eu sabia que não seria capaz de ficar longe. Talvez eu te odiei um pouco, em seguida, por causa da fraqueza que você seria capaz de encontrar em mim.”

Fuxicando Sobre Chick-Lits: Desafio de Julho - Simplesmente Ana - Marina Carvalho


"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões.




Oi  queridos!

Vamos prestar contas sobre o Desafio Fuxicando Sobre Chick-Lits de julho?
Nesse mês, a proposta era ler um chick-lit que, em sua sinopse, houvesse um personagem cuja inicial fosse a mesma de seu nome.
Minha ideia inicial era ler Como Ser Solteira, da Liz Tuccillo, mas a leitura não fluiu pra mim, ainda que o livro estivesse divertido. Por sorte, eu havia lido Simplesmente Ana e ele, por mágica do destino, se enquadrava na minha proposta (eu nem precisei ir até a sinopse! Inicial estampada na capa!).

A Kamila já postou a opinião dela aqui. Contudo, a Pah me permitiu postar a minha opinião também, então não se incomodem de ver duas resenhas do mesmo livro, ok?
Lembrando que essa resenha já foi postada em meu blog, o Minha Vida Literária, então caso vocês já a tenham lido, não achem que é plágio!

[Resumo de Junho] Livros lidos + Melhor e Pior do Mês

Bom dia galera, tudo bem? 
Hoje tem vídeo novo no blog, o primeiro Resumo do Mês! Aqui vou mostrar quais foram as minhas leituras do último mês e entre elas, o melhor e o pior livro lido. Vem conferir:

[Resenha] O Anjo de Hitler - William Osborne

Leni tem catorze anos, é austríaca, judia e muito corajosa. Refugiada na Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial, certo dia é convocada pelo almirante MacPherson para a missão mais perigosa de sua vida... Otto é alto, bem magro, tem olhos cacastanhos e vive na Inglaterra - sua família foi aprisionada pelos nazistas. Ele adora se meter em confusão e é por isso que, quando o almirante sugere que ele ajude o governo inglês numa missão ultrassecreta, ele aceita na hora. Otto e Leni são enviados à Alemanha para resgatar uma garotinha chamada Angelika. Pouco se sabe sobre essa pequena órfã misteriosa em quem a Inglaterra tanto aposta como a arma secreta que colocará o ponto final naquela guerra sangrenta. Leni, Otto e Angelika enfrentam grandes desafios, descobrem segredos importantíssimos e acabam mudando os rumos deste episódio tão marcante para a história. 
Jovem Adulto || 272 Páginas || Cortesia Seguinte || Skoob || Compare & Compre|| Resenha da Kamila Mendes || Classificação: 5/5
Impactante, terminei a leitura desse livro há alguns minutos e decidi escrever a resenha logo para registrar minhas primeiras impressões.
A estória se passa em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. Dois adolescentes são escolhidos pelo serviço secreto britânico para trabalhar como agentes infiltrados. Sua missão? Sequestrar uma menina de dez anos, levá-la em segurança para a Suíça (país neutro durante o período abordado pela obra) e entregá-la ao comandante Mcpherson.
Uma raposa pode até começar com vantagem, mas no final acaba sendo devorada pelos cachorros, pensou Otto. (Pg. 205)

[Resenha + Promoção] Métrica – Colleen Hoover

O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor. 
New Adult || 299 Páginas || Cortesia Galera Record || Skoob || 1º Capítulo || Compare & Compre || Classificação: 4,5/5 (Favorito)
Métrica é o primeiro volume da trilogia Slammed, composta também pelos livros Point of Retreat, uma continuação direta da história, e This Girl obra que narra a trama do ponto de vista do mocinho Will, apresentando aos leitores sua história antes e depois de experimentar o verdadeiro amor. Como qualquer bom livro do gênero new adult a história reserva muita tensão emocional e um romance de tirar o fôlego, entretanto, como seu próprio título prevê, o livro vai além do esperado, transformando-se em uma expressão poética dos sentimentos que acompanham e afligem seus personagens. Mas afinal o que o título da obra tem a ver com a história? Para quem não sabe métrica na linguagem poética é, de forma simplificada, a contagem silábica das palavras em um verso, o que pode estar ligado à maneira como o leitor da poesia a entona, sendo assim, tal romance é como a entonação, a métrica das emoções mais fortes da vida de Lake e Will, fato que nos faz, com uma avalanche de sentimentos conflitantes, de dores e de lições de vida, mergulhar em um mundo de perdas, superação, amor e claro, poesia, muita poesia.  

Ela me ensinou a questionar.
A nunca me arrepender.
Ela me ensinou a ampliar meus limites,
Porque é para isso que eles existem.

Minha Caixinha de Correio #52

Bom dia galera, tudo bem? Demorou mas chegou o dia da Caixinha de Correio! Tem muita coisa boa, espero que gostem.


[Fuxicos e Vícios #4] Livros que mexem com o leitor


De tempos em tempos nos deparamos com livros que mexem com a gente. Livros que nos emocionam tanto que é impossível segurar as lágrimas. Livros que nos deixam uma mensagem linda que nos acompanhará para a vida toda, mensagens de amor e coragem e superação... Livros que a gente olha e pensa ‘Ah, esse livro nem deve ser tão bom’ e sem perceber ele nos conquista, ganha espaço dentro do nosso coração, nos encanta, surpreende e quando nos damos conta já é um favorito. Livros contraditórios, polêmicos, que nos deixam sem ação e sem saber o que pensar.  
Eu não sei pra vocês, mas para mim está cada vez mais difícil encontrar livros assim, que mexam comigo, que me deixem atônita e sem ação, livros que despertem estes sentimentos que citei acima. E quando isso acontece é uma sensação maravilhosa, afinal de contas queremos livros que nos marquem de alguma forma não é mesmo? E uma coisa que eu amo neste universo literário é que cada livro desperta uma sensação diferente em mim, e a sensação que desperta em mim não é mesma que desperta em você caro leitor, porque cada um é cada um e nunca a minha opinião sobre um livro vai ser igual a sua e trocar estas ideias e experiências é enriquecedor para todo leitor.
Mas porque eu estou falando tudo isso?

[Resenha] My Favourite Mistake - Chelsea M. Cameron

Taylor Caldwell não pode decidir se ela quer beijar o colega de faculdade novo ou socá-lo. Por um lado, Hunter Zaccadelli é um belo pacote de charme com olhos azuis. Por outro lado, ele é um tatuado, guitarrista e bad boy. Talvez seja por isso que Taylor tem medo de se apaixonar por ele, ou qualquer outra pessoa. Ela não quer se queimar, e mesmo que seus colegas de quarto o adorassem, ela quer que ele vá embora, antes que seja tarde demais. Hunter já tinha se queimado antes, mas o fato de Taylor ir com sua cara e de chamá-lo de lixo e de ter a risada mais sexy, o faz pensar que talvez o amor não seja uma causa perdida. Eles fazem uma aposta: se ela pode convencê-lo de que ela realmente ama ou o odeia, ele vai sair do apartamento - e deixá-la sozinha. O problema é que, quanto mais o tempo os dois passam juntos, menos ela o odeia, e mais se move em direção ao amor. Mas quando o homem que detém a chave para o medo de Taylor ressurge, seu coração se vê ameaçado e tudo pode se desfazer, ai ela tem que decidir: confiar a Hunter seu maior segredo, ou fazer tudo que pode para ganhar essa aposta e afastá-lo para sempre. 
New Adult || 356 Páginas || Editora CreateSpace || Skoob || Goodreads || Compre: Kobo Books ou Amazon|| Classificação: 4/5 (Favorito)
Dois jovens marcados pelo passado, dois grandes segredos, uma forte atração e uma aposta... My Favourite Mistake é mais um new adult que tem a honra de figurar a minha lista de queridinhos do gênero – o que não significa que o livro é perfeito, longe disso, afinal a obra é embasada em uma boa dose de elementos clichês como a virgindade da mocinha, a pinta de bad boy do mocinho, a aposta feita entre eles (Belo Desastre a gente se vê por aqui), e até mesmo as dúvidas que giram ao redor do passado de tais personagens, porém o que torna a história especial é a força emocional presente na narrativa da autora. Taylor e Hunter se deixaram moldar pela dor da perda, ambos jovens presenciaram a queda brusca e desenfreada de suas famílias e aos poucos, solitários, revoltados e machucados, arruinaram suas chances de amar e se deixar amar. Como dois semelhantes eles deveriam se repelir, contudo, não é isso que o destino reserva para eles, e em um jogo de ódio versus amor, vemos esses jovens revelarem seus segredos mais sombrios enquanto torcemos para que eles possam, finalmente, abrir as portas de seus corações.
— Me ama? — ele sussurrou enquanto jogava sua cueca no chão. — Não.
— Me odeia? — Não tanto quanto conjugar verbos.

[Vem por aí] Novidades Literárias de Julho

Olá galera, tudo bem? Dá para acreditar que já estamos em Julho? Pois é, o ano está voando e como sempre, trazendo muita novidade bacana para as nossas estantes (que estão cada vez mais abarrotadas de livros, certo?). Então prepara: que agora é hora (... não do show das poderosas) mas definitivamente de um show de lançamentos literários; confiram:
Novidades Nacionais

UMA PALAVRA: romance! Os lançamentos nacionais (e os internacionais também) do mês de Julho estão no ponto para os amantes de romance, seja ele sobrenatural, erótico, juvenil, new adult... Dizer que eu estou surtando com tanta coisa boa é pouco! 

 

Fuxicando Sobre Chick-Lits: Um Tour Pela Minha Estante



"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões.




Oi queridos!

Estou, no meu blog, fazendo uma atualização do meu BookShelf Tour em etapas. A cada cinco semanas, apresento uma prateleira da minha estante.
Comecei, na semana passada, justamente com a minha prateleira de chick-lit e achei que seria interessante mostrá-la para vocês também!

Vamos conhecê-la?

Tour Literário pelo Chile


Olá galera, tudo bem? Não sei se vocês sabem ou se sentiram minha falta nas redes sociais, mas final do mês passado eu tive o prazer de conhecer o Chile, mais precisamente sua capital, Santiago. Foi uma viagem de apenas cinco dias (isso sem excluir desse montante um dia e meio dentro do avião), o que é sem dúvidas pouco tempo para conhecer as belezas culturais e sociais desse país, contudo, é claro que entre meus afazeres turísticos (leia-se conhecer a Catedral de Santiago, ver a neve, ter aulas de Sky, jantar no restaurante Giratório, ver o porto em Viña del Mar, entre muitas outras coisas)  eu encontraria um tempinho para sanar minha curiosidade literária, afinal, um bom leitor, independente de onde esteja, não consegue deixar de ficar curioso a respeito da história e do gosto literário da região que visita, não é mesmo? Sendo assim, resolvi compartilhar um pouco do meu giro literário pelo Chile com vocês.

[Resenha] Sex, Lies, and Online Dating - Rachel Gibson

Sexo, mentiras e encontros virtuais conta a história de Lucy Rothschild, uma escritora de romance policial, que se emprenha em buscar fonte de pesquisa e inspiração para suas histórias através de e-mails - trocados com desconhecidos, os chamados "encontros virtuais da internet". Através desses encontros virtuais, o policial e detetive Quinn busca freneticamente por um assassino que ataca suas vítimas usando-se desse meio. E então Quinn se encontra com Lucy... e ela passa a ser a principal suspeita! Virtualmente vale tudo: ele diz ser um encanador; ela uma enfermeira. Mas logo Lucy percebe que Quinn não é igual aos outros... 
Chick-Lit (Conteúdo Adulto) || 384 Páginas || Editora Avon || Skoob || Goodreads || Compre: Kobo Books ou Amazon|| Classificação: 5/5 (Favorito)
Sex, Lies, and Online Dating é o primeiro volume da série Writer Friends, que conta com quatro volumes já publicados, sendo que um entre eles, o terceiro (intitulado Tangled Up In You) já foi publicado no Brasil pela editora Jardim dos Livros com o título Sempre ao Seu lado. Mas antes de vocês falarem lá vem a Pah com a indicação de outra série que praticamente não foi lançada por aqui (e que nem tem previsão de o ser), saliento que cada livro dessa saga pode ser lido de forma individual, tendo em vista que eles narram separadamente à história de amor de quatro amigas escritoras; cada uma delas dona de uma personalidade particular, de um talento para a escrita que segue seu próprio gosto literário, e de casos amorosos engraçados e inusitados – o que, por si só, já as tornam merecedoras de livros singulares com início, meio e fim. Sendo assim, nesse primeiro volume conhecemos a escritora de romance policial Lucy, uma mulher talentosa, forte e determinada, que empenhada na escrita de seu novo livro mergulha em um alto número de encontros virtuais.  Só que ao contrário do que parece ela não está à procura do homem perfeito, pelo menos é o que ela diz para si mesma quando conhece seu próximo encontro, o enigmático, protetor e carinhoso encanador Quinn. Entre idas e vindas, segredos, mistérios, ação e muita paixão, a autora conduz o leitor a um romance repleto de bom humor e emoção. Se prepare, pois assim como um candidato suspeito em um site de encontros, essa história definitivamente não é o que parece.
“(...) ela queria ver se ele era tão bonito como ela se lembrava. Ele não era tão bonito. Ele era ainda melhor. “Eu prefiro um bom livro a um mau encontro”...”.

Playlist Literária #1: ♥ Sou eu assim sem você ♥

Coluna destinada à junção de duas coisas que amamos: música e literatura. Você já leu um livro e ficou apaixonado por sua trilha sonora? Ou ainda, a leitura foi forte o suficiente para te lembrar de uma música? Eu respondo sim, e com essa coluna tenho a intenção de mostrar as minhas Playlist literárias preferidas. 
... Amor sem beijinho, Buchecha sem Claudinho, sou eu assim sem você.
Já disse isso por aqui uma vez, mas para quem não sabe: sou apaixonada por trilhas sonoras. Sejam elas de livros, filmes ou séries de TV, se escutei ou li a indicação de uma música que gosto pronto, já vou logo procurando a trilha sonora inteira para ver se irei curtir. Contudo, existem casos em particular que não precisam de uma pesquisa prévia, geralmente isso ocorre quando uma música se torna a representação sonora de uma emoção, quando uma imagem – seja ela da telinha ou da minha imaginação de leitora – ganha sua própria música de fundo, e quando isso acontece é simplesmente impossível deixar de ligar tal música com a cena em questão e as emoções que ela gera.
Quer um exemplo? Gostou do filme Titanic? Então me diz, sabe aquela cena linda do filme, de emocionar até os corações mais durões... pois é, que música ela tem de fundo mesmo? VAI, me diz se não é impossível se esquecer dela?  E para a geração mais nova: Vocês assistiram a nova versão do clássico Os Miseráveis? Sim? Então fala aí, aquela cena com a Anne Hathaway, que música (LINDA, por sinal) que ela está cantando mesmo? ...  I had a dream my life would be, So different from this hell i'm living...

[Resenha] Will & Will - Um nome, um destino - John Green, David Levithan

Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em uma aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.
Jovem Adulto|| 352 Páginas || Cortesia Galera Record || Skoob || Compare & Compre || Classificação: 4/5
Existem certos autores que te fazem esperar grandiosidades de uma leitura, de forma que você nem precisa conhecer todas as suas publicações para saber que seus livros são especiais, e no meu caso, é assim que enxergo o trabalho do John Green. Existe algo de mágico em sua escrita, e não digo isso apenas porque me emocionei horrores com o livros A culpa é das estrelas, mas porque aprendi com ele, da mesma forma que aprendi com Will & Will.  De fato, o autor, em parceria com o David Levithan, manteve uma característica de sua escrita que não cansa de me surpreender, a forma livre com a qual ele trata de temas polêmicos comuns de nossa sociedade, a maneira como ele fala do jovem como um jovem, apresentando morais e afirmando seus valores sociais de forma implícita, como se ele não tivesse a intenção de ensinar ou pregar nada com seus livros, e exatamente por isso, o fazendo. Isso faz sentido? Creio que não, mas é o que acontece quando se trata do autor. Nós lemos sobre amor, amizade, depressão, preconceito, homossexualidade e aprendemos a ver tais aspectos sobre um novo olhar crítico, isso tudo sem parecer que estamos lendo um livro feito com a intenção de emocionar ou conscientizar. Portanto, se você espera uma história reflexiva e extremamente emocionante já aviso, não é disso que se trata esse romance; ele é um retrato juvenil de dúvidas e medos, que vai do clichê ao exclusivo em instantes, e que para os mais sensíveis, tende a apresentar inúmeras lições de vida.
 “Além disso, acho que chorar é quase – assim, exceto em caso de morte de parentes ou coisa parecida – totalmente evitável, se você seguir duas regras muito simples: 1. Não se importar muito com nada. 2. Calar a boca.”

[Fuxicos e Vícios #3] O Inverno está chegando

Coluna na qual conhecemos os melhores vícios – literários ou não – da colunista May.
Pelo título do post você deve estar pensando: “Mayara tá louca?! O inverno já começou...” ou ainda (se você foi esperto e ligou o título ao assunto que estarei discorrendo hoje) “Mas como você esta atrasada neste assunto...”, isso porque no domingo (dia 23 de junho) eu comecei a assistir a tão aclamada série de TV Game of Thrones. Resultado: viciei tanto que é só Guerra dos Tronos na minha cabeça nesses últimos dias.

Eu sei eu sei a série já esta caminhando para sua quarta temporada e somente agora que eu comecei a acompanhar, mas vejam pelo lado positivo: eu não vou ter que esperar pela segunda e terceira temporada, só pela quarta, visto que estou assistindo numa velocidade surpreendentemente rápida pra quem não tem muito tempo livre. Mas é sempre assim não é mesmo? Quando começamos a ler ou assistir uma nova série e literalmente viciamos não sossegamos até que o ultimo capitulo seja lido ou o ultimo episódio assistido.