junho 10, 2014

[Resenha] Claros Sinais de Loucura – Karen Harrington

Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra. Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.

Jovem Adulto || 256 Páginas
||
Cortesia Editora Intrínseca ||
Skoob || Compare & Compre || Classificação: 4/5
Claros Sinais de Loucura é um livro reflexivo, divertido e emocionante. Sarah,
nossa jovem protagonista, leva uma vida atípica: desde muito pequena ela e o
pai vivem se mudando de cidade, isso porque quando a jovem tinha dois anos sua
mãe tentou afogá-la, o que rendeu muitas fofocas em rede nacional, repórteres
enxeridos tentando encontrar a família – ou o que restou dela – em situações
comprometedoras, olhares de pena e de julgamento onde quer que eles fossem, o
internamento de sua mãe em uma clínica psiquiátrica, e o isolamento emocional
do seu pai, que acabou se rendendo ao alcoolismo. Agora, com praticamente doze
anos, Sarah não sabe nada sobre sua mãe (fora o fato que ela é louca), não pode
contar muito com seu pai (que passa mais tempo bebendo e remoendo o passado do
que cuidando da filha), só tem sua planta e seu diário como ouvintes, e não
consegue deixar de pensar que, se ela não se cuidar, vai ficar tão louca e/ou
tão alcoólatra quando seus pais. Confusa, curiosa e magoada, essa jovem almeja uma
vida diferente, uma vida mais leve e menos louca.

Como sempre, tenho que descobrir as coisas por conta própria e responder às perguntas que o meu cérebro inventa. Se você quer saber, estou à procura de qualquer sinal de estar enlouquecendo. Quando mais informação eu tiver, melhor poderei me defender do mundo, do cérebro dentro de mim que pode ou não ser igual ao dela.

Sarah é uma
jovem incrivelmente perspicaz e observadora, o que torna a narrativa dinâmica e
envolvente. Ela nos conta, sem nenhum pingo de ressentimento, tudo o que
aconteceu com sua mãe, ou melhor, aquilo que ela sabe – o que ouviu na TV e
juntou dos trechos ocasionalmente ditos por seu pai – e como isso influência
sua vida: as constantes mudanças, a solidão de não poder confiar nas pessoas
para contar sua história, a dor de não ter amigos, e a mágoa causada pela
indiferença do pai. A jovem não cobra nada e raramente fala de si, contudo fica
claro para o leitor o quanto ela anseia por uma vida diferente, o quanto ela
sonha com o dia que poderá conversar com a mãe e entender o que realmente
aconteceu. Nesses momentos a dor da protagonista se mescla com sua
inteligência, com a maneira objetiva dela observar as pessoas ao seu redor, de
forma que além de memórias e observações astutas, compartilhamos também trechos
do seu diário em formatos de cartas, mensagens escritas para Atticus Finch,
personagem literário de O Sol é para Todos, homem que ela usa como modelo de
pai.

Outro ponto
marcante da história, além das reflexões da personagem principal, é a fase de
transformação pela qual ela está passando. Como uma jovem que sai dos onze e
entra na casa dos doze anos, Sarah aspira por uma mãe que a ajude a escolher
roupas da moda, uma mãe carinhosa que a ensine como domar seus cabelos
rebeldes, um pai que se preocupe com o fato de que o aniversário dela precisa
ser uma data comemorada de forma especial – e não triste –, e uma garota que
quer ganhar seu primeiro beijo. Trata-se então de uma história sobre mudanças,
de crescimento e amadurecimento, algo que observamos ao longo da narrativa
enquanto vemos a jovem e calada Sarah colocar para fora, seja por cartas ou por
gritos de rebeldia, suas vontades e medos. Isso sem mencionar que ela se
apaixonar por seu vizinho nerd gatinho bem mais velho do que ela, alguém que mesmo
sem saber oferece o que ela mais precisa: um ombro amigo. Vemos então Sarah
crescer, criar laços de amizade, e descobrir mais sobre o seu passado, o seu presente
e o seu futuro.

É isso o que eu sou. Uma cripta de segredos. Eles se agitam dentro do meu peito como pássaros engaiolados que querem fugir, mas têm medo de voar.

O mais legal
desse tipo de livro, sem dúvida, é que a voz de uma criança dá um ar
diferenciado a narrativa, fazendo com que a trama, mesmo abordando temas como
alcoolismo e doenças mentais, fique leve e emocionante sem exagerar na medida. Assim,
logo de cara me envolvi com a história de Sarah, torcendo por ela e compreendendo
totalmente seus medos – afinal, é impossível não se compadecer com sua
história, ou ao menos aceitar o quanto essa tal fase da pré-adolescência é complicada.
Além do carisma nato de Sarah, a autora tem uma escrita fluída que deixa a
leitura rápida e direta, e por mais que eu esperasse um pouco mais do final,
ficou claro que a intenção da autora não era explicar todos os porquês da vida,
mas sim nos presentear com a narrativa da luta de Sarah, com a força que essa
jovem faz para ingressar na casa dos doze anos sem nenhum sinal assustador de
loucura. No geral, é um livro belo, fácil de se ler, e que traz uma mensagem
bonita sobre família, recomeços e amizades verdadeiras. Como disse o Booklist,
Uma história com claros sinais de excelência”.

É engraçado como eu não sabia que era só um monte de peças soltas até que alguém me abraçou forte.

“…ela disse que, se eu amar alguém quando mais estiver precisando me sentir amada, bem, aí vai chover tanto amor em mim que eu vou poder mergulhar.”

• Curiosidades •

Uma das
peculiaridades da obra Claros Sinais de
Loucura
é sua constante citação de “O Sol é para Todos”, uma história
extremamente lida e estudada pelos americanos. Abordando o preconceito típico
dos anos de 1930, a autora Harper Lee transmite belas mensagens sobre igualdade
e fraternidade, as quais frequentemente aparecem em obras literárias,
principalmente na voz de crianças (já que a obra traz como protagonistas dois
jovens: Jem e Scout Fincher).
Esse é o
segundo livro que leio com crianças peculiares, com visões diferentes do mundo,
citando a força e a união da família Fincher, e só posso dizer que estou
extremamente curiosa a respeito dessa obra e de sua adaptação cinematográfica.

Outro detalhe bacana é que a editora criou um site super lindo para o livro, dá um pulo lá para matar a curiosidade: http://www.intrinseca.com.br/clarossinaisdeloucura/.






Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe uma resposta para Ana Elisa França da Costa SouzaCancelar resposta

50 Comentários

  • Thaise Jacobs
    28 setembro, 2015

    Olá,
    Desejando esse livro agora, sua resenha ficou perfeita e esse livro é o tipo de história que estou interessada em ler ultimamente…

    Colaboradora: http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/

  • Aline Ramos
    04 julho, 2014

    Que capa mais fofa..adorei…pelo que vi em sua resenha sei que vou adorar o livro. Adoro livros emocionantes e que me divertem…a Editora Intríseca está de parabéns pela publicação.

    bjs

  • Douglas Fernandes
    03 julho, 2014

    Primeira vez que vejo algo sobre esse livro, gostei da sinopse, e fiquei com vontade de conhecer a historia de Sarah, ja vou adcionar da minha lista aqui 😀

  • Pamela Verdan
    02 julho, 2014

    Em um evento da intriseca eles falaram desse livro, mas tinha esquecido o nome.
    Achei a história super interessante, tinha ficado realmente interessada em ler. Agora vou tentar procurar

  • ♥ Sâmella Raissa ♥
    01 julho, 2014

    Oi, Pah!
    A sinopse, desde o início, já é interessante, mas sua resenha aguçou a minha vontade de ler o livro. Confesso que não via muita chance de gostar dessa leitura, antes, mas agora vejo pontos positivos em sua narrativa e parece mesmo ser uma história bem tocante e cativante. O fato da protagonista estar para completar seus doze anos também é um diferencial, pois normalmente leio histórias cujas personagens já passaram dos quinze, então é sempre bom mudar um pouco o estilo das leituras. Principalmente por aquelas que parecem valer bastante a pena.
    Beijos…

  • Emilene
    01 julho, 2014

    Oi, só pela sinopse não me interessei muito, mas ler sua resenha me fez ficar curiosa sobre o livro e já fiquei com pena da Sarah. Tadinha, tão nova e já com tanta preocupação, tanta coisa na cabeça…
    Pretendo ler quando der.

  • Anne Viana
    29 junho, 2014

    Já tinha ouvido falar desse livro..mas é a 1 resenha que eu vejo e simplesmente adoreei…mais um livrinho pra minha lista o/
    adorei a capa!!!!

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/livroaoavesso

  • João Victor Muniz
    27 junho, 2014

    Opa Gostei! A vida de Sarah é atípica e trágica de certa forma! Com a família desvairada que ela tem, a tendência dela ser louca pode ser provável, fique curioso pelo desenrolar dessa história! Intrínseca sempre com bons livros! 🙂

  • Renata Sales
    27 junho, 2014

    A capa é muito bonita e achei que ela esconde um pouco a estória do livro. A capa parece mais alegre e pela resenha tenho a impressão que a história é um pouco sofrida. Mas gostei, parece ser bem interessante e um livro para se refletir.

  • Daniela Pasquali
    27 junho, 2014

    O fato de ter um tema meio adulto e ser narrado por uma criança realmente me pareceu bem interessante. Gostei, vou querer ler! Bjs

  • Anônimo
    26 junho, 2014

    Achei a capa muito fofo a cativante, adoro ler livros com capas bonitas. Por incrível que pareça pra mim isso influencia muito!
    Fiquei louca para conhecer a história da mãe da Sarah, ainda mais sendo contada por ela que é uma criança.
    Adorei e estrará para a minha listinha, bjs

  • Mirelle Candeloro
    21 junho, 2014

    Ai Pah, já me emocionei só pela sua resenha.. acho que o livro vai me tirar do prumo.. medo.. mas preciso ler. Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

    • Yulli Strambek
      23 junho, 2014

      Oi
      Eu quero ler esse livro! Desde da primeira vez que o vi eu queria ler, agora que você fez essa resenha super linda e detalhada, fiquei com mais vontade ainda. Espero compra-lo em breve rs
      Beijos

  • Mallu Marinho
    19 junho, 2014

    Que história mais linda, gente! Essa é a primeira resenha do livro que eu leio e agora só sei que já quero esse livro na minha estante. Acho que vou gostar muito desse livro porque sou fã de histórias que abordem crianças e explore um pouco do psicológico da personagem.

  • Érika Rufo
    19 junho, 2014

    Adorei a resenha! Achei a história muito linda e fiquei muito interessada nele. Apesar de abordar temas pesados o fato de ser narrado por uma criança deixa a história mais leve, o que me agradou muito. Já está entre os meus desejados!

    Beijos!!

  • Rayane
    19 junho, 2014

    É a primeira vez que leio algo sobre o livro e já estou morrendo de vontade de ler esse livro!! Adoro histórias contadas por crianças e adoro quando os autores conseguem nos emocionar através da simplicidade, parece ter um enredo bem envolvente. Espero ter a oportunidade de ler o livro em breve.

  • Lélia Varela
    17 junho, 2014

    Olá, Paola!
    Meu Deus, que livro é esse!
    Achei muito interessante sua citação de que aborda temas complexos de forma leve devido à narrativa do ponto de vista de uma criança, isso me faz lembrar de um livro que me marcou muito que foi O menino do pijama listrado e Primavera num espelho partido, você já leu? São maravilhosos!!! Recomendo… claro que não tem nada a ver com esse livro que resenhou, mas tem a narrativa similar (criança narrando de forma coerente e que surpreende)… deve ser uma leitura surpreendente!
    Acredito que é o tipo de livro que tem tudo muito do estilo que gosto, porque trás mensagens de reflexão e isso me encanta!
    A capa do livro é muito linda neh?!?!
    Anotado no caderninho de desejados.
    Adorei a resenha!
    Mil beijinhos!

  • Jaqueline Sampaio
    17 junho, 2014

    Oi Pah!
    Gosto de livros em que os personagens amadurecem no decorrer da história, parece sempre tem algo que é possível aproveitar para nossa vida…rs
    Mas já ouvi opiniões bem diferentes sobre esse livro, no entanto, sua resenha despertou minha curiosidade.
    Adoro suas resenhas.
    Beijinhos.

  • Lorraine Lira
    17 junho, 2014

    Ótima resenha Pah! Como você mencionou no início, Claros Sinais de Loucura é um livro reflexivo, divertido e emocionante. Sou apaixonada por essas abordagens. Você me fez ficar mais ansiosa ainda pra começar a ler o livro haha!

  • Marcela Claret
    17 junho, 2014

    Esse livro me parece encher e compreender a inocencia de uma criança, me apaixonei pela sua leveza. Alias sua resenha maravilhosa contribuiu muito com a minha vontade de devorar esse livro hahahhaha

  • Raissa Lohayne
    16 junho, 2014

    Não sei se quero ou não quero ler esse livro >< não gosto muito de histórias do tipo por me deixarem meio que angustiada e nervosa pelos personagens, mas eu fiquei tão curiosa pra conhecer eu mesma o desenrolar dessa história que to pra abrir uma exceção. O livro é bem diferente do que eu to lendo por esses tempos então quem sabe… Talvez passe a gostar mais de livros assim tbm

  • Eu vi um post no qual a Jú, do Nuvem Literária, comentava sobre esse livro e fiquei super curiosa. Gosto de livros que são contados por criança por terem certa leveza. Pretendo ler, até em ebook talvez, quando tiver um tempinho livre por agora, gosto de intercalar romances, new adults e YA. E tenho muita vontade de ler O sol é para todos. Um outro livro que li que trazia referencias dele também foi Dessezeis Luas, você já leu? E o que achou?

    • Paola Aleksandra
      Paola Aleksandra
      16 junho, 2014

      Oi Ana! Sério que 16 luas faz referência a "O Sol é para todos"? Não li esse jovem adulto sobrenatural, só vi o filme e não curti nenhum tiquinho, rsrs Beijos

    • Sim Pah =) No livro, a professora de inglês pede aos alunos que leiam o livro durante as férias de verão, e uma coisa que fiquei triste por não ter no filme é o cachorro de Lena, o Boo Radley rs. Mas Pah, eu ainda acho que o filme é melhor do que o livro, e em 90% das vezes sempre prefiro o livro, mas no caso de Dezesseis Luas, achei o livro um pouquinho arrastado. Não que ele seja ruim, adorei a escrita, o Ethan é muito fofo, mas achei meio prolixo sabe, tipo de 400 e tantas páginas, poderiam ter diminuido umas 100… Beijos =)

    • Paola Aleksandra
      Paola Aleksandra
      23 junho, 2014

      Oi Ana! De certa maneira você me deixou aliviada, porque agora sei que não ia mesmo gostar desse livro, rsrs

      Beijos

  • Oliveira
    16 junho, 2014

    Acredito que os temas desse livro tem muito ao que acrescentar aquele que lê, e sua observação foi boa, vê o que uma criança passa e o seu crescimento, suas angústias por ter pais desajustados.

  • Vitoria Bastos
    15 junho, 2014

    Ah que fofo! Esse livro parece ser bem engraçado. A Sarah está tentando procurar sinais de loucura? Me ganhou já de cara. Entrou na minha lista ENORME rs. Beijos

  • Bárbara Carollo
    15 junho, 2014

    A resenha está ótima o que só fez aumentar meu interesse pelo livro!! Quero muito saber e entender como uma menina tão nova já começa a ter medo de que a "Genética fale mais alto". Nessa idade, as meninas têm outra realidade, a realidade que eu conheço: pais carinhosos, segurança no lar, amor, conselhos… Estou muito ansiosa para ler esse livro!!

  • Ana Carolina Alves
    14 junho, 2014

    Oi, Pah!
    Vi você falando desse livro na sua caixinha e fiquei curiosa, ainda me falta algo a mais para querer ler mas curti bastante a ideia. Vou folear numa livraria e tentar mudar de ideia!
    Beijos e até mais,
    Ana.
    http://www.umlivroenadamais.com

  • Franciele Ferreira Silva
    13 junho, 2014

    Pah, confesso que essa resenha não me chamou atenção (não sei porque mas…..), porém quando no 1º trecho que postou, senti um sentimento tão forte de como só faltava uma faísca para Sarah explodir, que ela estava tão cansada com tudo aquilo que eu fiquei meia angustiada na hora por lembrar que infelizmente existem fatos reais, mas depois fui me acalmando.

    Pah, como sou nova, ainda não li suas resenhas desde o começo, mas desde maio quando iniciei, percebi que nos últimos post você tem lido muito sobre assuntos "traumáticos", tem algum motivo especial ou esta´sendo coincidência?????

    Bjssss

    • Paola Aleksandra
      Paola Aleksandra
      13 junho, 2014

      Oi Fran! Senti isso em algumas partes desse livro, mas no geral ele não é muito angustiante sabe? É triste, mas não chega a ser extremo 🙂

      Quanto ao motivo, tem um pouco dos dois, rsrs – Coincidência e uma vontade própria de saber mais e mais a respeito de alguns traumas. Culpo "Os 13 porquês" por isso, rsrs

      Beijos

  • jennifer luna
    12 junho, 2014

    Adorei essa historia , quero muito esse livro amo livros que tem esse tipo de escrita , !

  • Ana Carolina
    11 junho, 2014

    Oi Pah!

    Desde que vi a caixinha desse mês Claro sinais de loucura já tinha despertado meu interesse. Bem depois da sua resenha minha vontade de lê-lo só aumentou.
    Acho muito legal livros com temas delicados na visão de crianças elas tem um jeito só delas de enxergar as coisas.
    Pode ter certeza que ele já esta nas minhas próximas aquisições.
    Beijos.

  • Izabela Cristina Melo
    11 junho, 2014

    Oi Paola,

    Sua resenha me deixou com bastante vontade de ler esse livro. Ainda não havia ouvido falar dele e me parece uma narrativa envolvente apesar de tratar de assuntos delicados que estão presentes em nosso cotidiano. Entrará na minha lista de querências com certeza.

    Beijos!

    Izabela
    Caderno de Resenhas…

  • Sika Gennargh Pelegrino
    11 junho, 2014

    Primeiro pensamento: como a vida dessa menina é uma porcaria! Então espero que melhore né 😉
    A história parece ser tão linda… A personagem só quer ter uma vida normal, como as outras meninas da idade dela! Awwwn
    Já tá na lista de desejos. Quero ver essa luta, essa transformação.

  • Paula Zawatski
    11 junho, 2014

    Oi, Pah… Que capa lindíssima *-* simples e meiga.
    Pela sinopse o livro não me puxou, digamos assim. Mas a tua resenha, Paola, tua resenha me encantou. Fiquei com sede das palavras desta leitura, sério mesmo. Parece ser uma trama muito mas muito emocionante, e com um encargo traumático e de recomeço que vai fazer o leitor tocar no fundo da alma e se ver realmente.
    O tema é bem pesado, e aprece ser tratado com uma delicadeza na medida, sendo narrado de forma um tanto mais infantil.
    Parece ser uma boa pedida, pra quem na verdade gosta de ler e aprender com as experiencias do mundo literário real.
    Beijos

  • Paty Algayer
    11 junho, 2014

    Oi Pah!
    Não tinha me interessado muito por este livro, mas agora fiquei curiosa… parece uma ótima história! Gosto de livros que abordam esta fase transitória, da infância para a adolescência, e passar por isso com todos os problemas que Sarah enfrentou deve ser interessante de ler… vai para a listinha! 😉
    Bjus!
    Paty Algayer – http://www.magicaliteraria.com/

  • Anônimo
    11 junho, 2014

    Paola, a sua resenha está maravilhosa!
    Fiquei com muita vontade de ler esse livro. Acho que esse meu desejo tem alguma coisa a ver com o livro Extraordinário, da Palacio.
    Abraços!

  • Vanessa Llona
    11 junho, 2014

    Li a resenha com lágrimas nos olhos, ela é muito jovem pra ter que enfrentar tanta coisa, vou dizer que PRECISO desse livro, parece maravilhos, emocionante mas como vc mesma diz o fato de ser narrado por alguém tão jovem não deve deixar muito pesado. Quero muito ler, entrou na minha lista com toda certeza. Bjs

  • Bruna T.
    11 junho, 2014

    Oi Paola,
    Tenho gostado muito de histórias contadas através da perspectiva de crianças… Esse tipo de narração carrega uma pureza e inocência, que me encanta e me prende muito!
    Este livro já entrou para minha listinha! 🙂
    Beijos, Bru
    http://www.sobrelivroseetc.com

  • Estante Diagonal
    11 junho, 2014

    Uau Pah me interessei demais pelo livro e fiquei mega curiosa em saber por que a mãe ter tomada este tipo de atitude. E saber o quanto a criança da historia lida com tudo isso, foi para minha lista com certeza. Otima resenha, como sempre.

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  • Raquel Pereira
    11 junho, 2014

    Não conhecia esse livro, mas a história parece ser bem encantadora. Fiquei bem curiosa pra ler.

    Bjok

  • Monica Navarro
    11 junho, 2014

    Oi, Paola
    Não conhecia esse livro, mas achei muito interessante o enredo. Gostei da narração ser feita por uma criança. Com certeza, quero ler.

  • Catharina M.
    11 junho, 2014

    OIII
    Amo essa capa e morro de curiosidade para ler este livro, parece ser super interessante e adorei a sinopse, desde o lançamento fiquei com bastante vontade de ler, estou esperando apenas uma oportunidade.
    Amei sua resenha haha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/06/resenha-historia-de-uma-paixao-paulo.html

  • Ruuh Gomez
    11 junho, 2014

    Livros & Fuxicos sempre me tirando do famoso "pé atrás" sério só pela resenha da pra perceber que o livro é FODA, amor livros que envolve problemas pessoas, nem eu ao menos sei porque mas sempre me encanta. Enfim, mas um pra minha lista de espera, ah e a resenha foi MUITO bem estruturada, normalmente eu tenho preguiça de ler as resenhas todas, mas suas resenha awwn *-* da até gosto. Enfim, vou lá baixar esse livro :3 e vai ser uma experiência já que nunca li um livro narrado por criança.

  • Nah
    10 junho, 2014

    Eu não conhecia o livro. Me parece bem interessante abordar temas tão delicados e ao mesmo tempo tão reais no ponto de vista de uma criança. Nos da uma outra visão de uma realidade que querendo ou não, está presente na sociedade. Realmente, não deve ser nada fácil passar por as situações que a protagonista passa. Fiquei interessada, vou adicionar na minha lista. 🙂

  • Amanda in the Bucket
    10 junho, 2014

    Oi, Pah!
    Que linda história… Amo livros que não exageram na inocência ou inteligência da criança. A maioria dos adultos (escritores, haha) parece esquecer como é ser criança. Gostei bastante da premissa e, em qualquer oportunidade, comprarei. Mais uma coisa: os dois últimos quotes são amooooor. ♥_♥

    Me in the Bucket

  • Leonardo Ribeiro
    10 junho, 2014

    Olá Pah!
    Amei o enredo! Essa coisa de a menina está preocupada e fica procurando "claros sinais de loucura" por causa da mãe dela. Parecer ser o tipo de livro igual a Extraordinário que irá mudar sua vida. Já entrou na minha wishlist! Beijos

  • Ariane
    10 junho, 2014

    Essa história me encantou de alguma maneira rsrs sua resenha ajudou bastante pra colocar ele na listinha de desejados
    Beijos, Ariane
    http://www.diariodostreze.blogspot.com (visita?) ♥

  • Rayme
    10 junho, 2014

    oi Pah,
    não conhecia este livro ainda, mas parece ser muito interessante.
    fiquei com pena da garota, não deve ser fácil.. e depois de tudo o que ela passou ainda tem que aguentar o pai bêbado… fiquei com vontade de, daqui, dar um chacoalho nele! hahahaha
    vou anotar aqui e ir atrás do livro, porqeu fiquei, realmente, muito curiosa! *-*