[Fuxicando Sobre Chick-Lits] Jojo Moyes entrevista Sophie Kinsella


"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões. 




Oi queridos!

Recentemente, Jojo Moyes, renomada autora de Como eu era antes de você, entrevistou a diva Sophie Kinsella por conta do lançamento de Finding Audrey, que chega na segunda quinzena desse mês no Brasil pela editora Galera Record com o título À Procura de Audrey. A entrevista aconteceu no canal do YouTube da revista Glamour Magazine UK e decidi traduzir parte dela para vocês! Como a entrevista, ao todo, tem cerca de 14 minutos, seria impossível transcrevê-la inteira aqui, então selecionei alguns trechos! Deixarei o vídeo original aqui para vocês, mas já adianto que, infelizmente, ele não tem legendas em português disponíveis.




A entrevista começa com Jojo Moyes perguntando sobre a premissa de À Procura de Audrey e sobre quem é a protagonista.

Sophie explica que esse é seu primeiro livro Young Adult e que Audrey é uma adolescente divertida, mas, ao mesmo tempo, vulnerável, que sofre de Transtorno de Ansiedade. Além de ser um livro sobre ela, Finding Audrey é um livro sobre sua família, um tanto quanto caótica.

JM: "O que me pareceu é que, sim, o livro é sobre um Transtorno Social de Ansiedade, mas também é muito, muito divertido. Quer dizer, o modo que envolve situações familiares, uma mãe tentando desesperadamente ter um espaço entre seus filhos - seu filho mais velho, Frank, e seu vídeo game -, mas também a própria família... É algo fácil para você escrever?"
SK: "Acho que não consigo evitar escrever comédias, então mesmo que eu pegue um assunto um tanto quanto sério e problemático, como ansiedade ou até mesmo vício em vídeo games, que é mesmo um problema, não consigo evitar de encontrar um lado cômico. Então, se eu imagino uma cena, eu sempre vou procurar por uma piada. Eu procuro olhar para as manias das pessoas, porque eu acho que nós aprendemos tanto rindo de nós mesmos, e se você pode parar para rir, na verdade pode aprender algo sobre isso e fazer algo além das risadas. "

Mais adiante, Sophie relata que, para ela, a comédia funciona como uma luz na escuridão, no caso de ter essa abordagem sobre temas tão sérios quanto a ansiedade e o bullying. Também, que esse, em alguns aspectos, é um dos seus trabalhos mais "sombrios" porque Audrey está em uma situação bastante problemática, mas que jamais perde seu senso de humor.
SK: "As pessoas reagem de formas tão diferentes [sobre o livro]. Alguns dizem 'Ah, meu Deus, esse livro é tão hilário' e outras acham tão triste. Eu espero que seja as duas coisas, porque a vida é assim, não é mesmo?"

Sophie Kinsella acrescenta que esse é um livro basante pessoal para ela e que espera que seja também para quem sofre dos mesmos problemas da Audrey. Tanto ela quanto Jojo Moyes falam da dificuldade de compreender as pessoas que passam por essas situações quando não se sofre dos mesmos problemas, e que estar na mente e na pele de Audrey facilita essa compreensão.



Jojo Moyes, então, fala do último livro de Marian Keyes, The Mystery of Mercy Close, que, embora seja um livro bastante divertido, demonstra muito bem uma séria experiência de depressão, de forma que Moyes jamais encontrou em outro livro. Assim, Audrey, da mesma maneira, pode tanto ajudar adolescentes que estejam na mesma situação que ela quanto também os pais que precisam lidar com esses adolescentes. Sophie Kinsella acrescenta que isso é exatamente o que ela espera com Finding Audrey, já que o livro não traz apenas a recuperação de Audrey, mas, também, a recuperação de sua família.
SK: "Eu amei escrever sobre uma família, e cada membro é importante, desde a criança de 4 anos até o membro mais velho. (...) Eu pude enxergar cada situação sob cada ponto de vista, e cada um tem um ponto, cada um tem uma vida diferente. Eles só precisam trabalhar juntos, e é o que nós também temos que fazer vivendo com as nossas famílias."
Jojo Moyes então pergunta se Sophie Kinsella pensa em voltar a escrever sobre essa família. A autora responde que não sabe. Embora tenha gostado muito de escrever esse livro e que adoraria retornar a esse universo, só voltaria a escrever sobre ele se realmente tivesse algo muito importante a dizer. Diz, ainda, que tudo depende de seu momento, de ter algo em sua mente para escrever. A própria série Becky Bloom era uma que ela não planejava dar continuidade e acabou por continuar.



A entrevista fala sobre mais detalhes do que coloquei aqui, mas, como falei anteriormente, tanto seria impossível transcrever os 14 minutos de duração quanto meu inglês não está apurado o suficiente para captar tudo o que foi dito (as legendas em inglês geradas pelo YouTube as vezes mais atrapalharam do que ajudaram rsrs), mas espero que tenham gostado!

Particularmente, fiquei ainda mais ansiosa para ler À Procura de Audrey e para encontrar essa pessoa incrível que Sophie Kinsella demonstra ser! Para mim que estou maluca para encontrá-la na Bienal, assistir ao vídeo foi um pequeno gostinho de seu jeito de ser!


Beijos para todos!










Participe Aqui

38 comentários:

  1. Ansiona, adoro os livros dela!!

    ResponderExcluir
  2. Paola,amo a Sophie e ela sendo entrevistada pela querida Jojo é maravilhoso.Quero muito ler o novo livro da Sophie que além de ser um jovem adulto,o primeiro da autora gostei muito de saber que ele trata do tema transtorno de ansiedade sem perder os traços de humor da autora que é sua marca registrada em seus chick-lits. Recuperação da protagonista,recuperação familiar,estou contando os dias para conferir a obra.Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Adorei esse post com a entrevista com essas duas autoras maravilhosas que é a Jojo Moyes e a Sophie Kinsella. Conheci ambas as autoras por meio da minha irmã, sendo q apenas li um livro da Jojo Moyes, como eu era antes de você, que é um livro lindíssimo onde chorei muito com a história. Gosto muito de ler chick- lists principalmente os da Sophie Kinsella, gosto muito dos livros dela são histórias muito boas que me prendem do início ao fim e divertidíssimas. O primeiro livro q li dela foi o livro Lembra de mim?, e a partir daí me apaixonei pelos livros dessa autora incrível.
    Parabéns adorei mesmo o post
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Ai que máximo!!! Acho que darei boas risadas com essa família da Audrey! rsrs
    Gostei que a Sophie falou que, apesar do livro tratar de um assunto sério, tem a dose da comédia pq ela sempre busca uma piada e que devemos rir de nós mesmos e eu sempre digo isso tb. Não dá pra ser sério o tempo todo né, tem que saber descontrair e, às vezes, rir de si mesmo em momentos ruins. Vem livro bom por aí, certeza!!! rsrs
    Quero muuuito ler!!! Soube do lançamento dele no Mochilão da Record do RJ e até apresentaram um videozinho dela super fofo ;)

    ResponderExcluir
  5. Aione!
    Bem imagino seu prazer em ver essa entrevista... espero que consiga encontrar a autora na Bienal.
    Quanto ao livro parece uma proposta realmente interessante para os adolescentes que possuem tal transtorno. Acredito que sempre ajuda a leitura.
    Fiquemos então no aguardo, né?
    “Sede pacientes; a paciência também é uma caridade, e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus.”(Allan Kardec - O Evangelho Segundo o Espiritismo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  6. Que entrevista legal!!! Obrigada por compartilhar e vou ficar aguardando o livro.
    Beijos, Fernanda D>
    NovoRomance.com.br

    ResponderExcluir
  7. Ahh eu amo a Sophie, o primeiro livro que eu li dela foi Fiquei Com o Seu Número, depois não parei mais, e fiquei mais ansiosa ainda para ler À Procura de Audrey.
    bjuss

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto muito dos livros da Sophie são sempre bem divertidos.. e acredito que seu novo lançamento também vai ser um sucesso, bem interessante ela querer dar uma diversificada e mudar seu estilo... quanto a Jojo ainda não li nenhum livro dela.. mas já estou com uma pequena lista para ler rsrsrsrs com tanta gente elogiando seus livros vai ser impossivel não querer ler..

    ResponderExcluir
  9. Já vi muitos comentários sobre essa autora, e a maioria deles sendo positivo. Achei bastante interessante saber que a autora aborda outros tema como Bullying! Parabéns pelo vídeo que você traduziu, ficou ótimo! =)

    ResponderExcluir
  10. Ooi,
    Que legal, fiquei bastante curiosa sobre o livro, ainda não tinha ouvido falar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Aione..
    Legal trazer a entrevista aqui. Eu não me lembro de saber desse lançamento. Até hoje para falar verdade não li nada das duas autoras. Eu sei, uma negação!
    Saber que o bullying será citado já é motivo para mim querer ler. Você deve star ansiosa para encontrá-la na Bienal.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Amo ler os livros da Sophie, pois ela demonstra exatamente o que relatou em na entrevista, todos os seus livros trazem assuntos que são, na maioria das vezes, um tabu. A sociedade escolhe não ver os problemas e isso só torna tudo mais sombrio e o fato da Sophie fazer um momento dramático, hilário é incrível, acho que é por isso muitas pessoas a admiram, pois para os leitores que passam por algo parecido encontra um pouco de esperança e que sim o todo problema tem solução e que ela nunca vai estar sozinha.

    ResponderExcluir
  13. Oi Aione, muito legal sua ideia. Eu adoro as duas autoras, e não tinha visto essa entrevista, e é claro que fica mais fácil ler tudo em português. rsrs
    Beijões

    ResponderExcluir
  14. Eu gosto muito da Sophie Kinsella, é legal ver que mesmo em histórias de comédia ela busca abordar temas importantes como o bullying e o transtorno de ansiedade. Estou esperando muito para ler À Procura de Audrey, porque aborda temas com os quais eu me indentifico e presencio no meu dia a dia. (:

    ResponderExcluir
  15. Nossa, obrigada por traduzir pequenas partes dessa entrevista e compartilhar conosco. Me interessou muito e pretendo ler assim que for possível. A primeira vez que vejo falar sobre Sophie Kinsella, sempre temos coisas para aprender não é!? :D

    ResponderExcluir
  16. Adorei a entrevista!
    Bom ainda não li nenhum livro da autora Sophie Kinsella, mas como na entrevista ela falou que o livro tem um pouco de comédia, e que os livros dela são divertidos, já me interessei, pois é bom livros que não só retratem as histórias, mas também retratem momentos divertidos, fiquei curiosa e ansiosa para ler À Procura de Audrey , parece que vai ser um ótimo livro.

    ResponderExcluir
  17. Achei bem legal a entrevista, já que é com duas autoras. O livro da Sophie parece ser muito bom, gosto de livros que abordam assuntos desse tipo, pois nos conscientiza mais sobre isso e nos faz pensar muito antes de fazer essas coisas com alguém. Bjus.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Mi!
    Duas divas juntas!! hahah
    Amei essa entrevista, e também fiquei com muita vontade de ler À Procura de Audrey depois dela. Gosto muito de histórias que tratam de problemas da vida real, e ver isso de modo cômico vai ser muito bom!
    Bjos <3

    ResponderExcluir
  19. Adorei, duas grandes autoras, ansiosa para ler À Procura de Audrey.

    ResponderExcluir
  20. Oi Ayone
    Confesso que tentei entender o vídeo, porém sem resultados, então neste momento o post já mais que esclarecedor.
    Gostei bastante da primissia de "A Procura de Audrey', parece bastante com uma fase da minha vida. Passei pela ansiedade e sei o quão difícil é sair sem "sequelas" (se assim posso dizer), porém não impossível. Quero conhecer esse desfecho, livro mais que adicionado em minha lista.

    bjssss

    ResponderExcluir
  21. Gosto mto de chick-lit, li praticamente apenas esse genero qdo era mais nova!
    Bacana demais o video, mas uma pena q esteja apenas em inglês, de novo essa lingua nos fazendo ver como é importante aprender! aiai...
    O livro A procura de Andrey me deixou bem interessada, acho que vai ser aqueles q a gente ler de boa, mas depois se pega pensando na vida.
    Adorei que o blog trouxe a entrevista pra gente e deu uma maozinha na tradução.
    Bjus

    ResponderExcluir
  22. Duas escritoras maravilhosas. Já tive a chance de ler alguns livros delas e adorei. E claro que esse novo livro não ficaria de fora. Abçs!
    E-mail: sandrinha.icm@hotmail.com
    GFC: Alessandra Fernandes
    Facebook: https://www.facebook.com/AlessandraFernandes.S2

    ResponderExcluir
  23. Olá!
    Ainda não li nenhum livros das autoras, porém logo irei ler.
    Sempre leio resenhas positivas sobre seus livros.
    Não sabia que seria lançado À procura de Audrey e pelo que foi falado parece bem legal, gosto do gênero e fiquei interessada em ler.

    ResponderExcluir
  24. A Sophie realmente tem esse modo de não deixar seus temas pesarem demais e desenvolvê-los com naturalidade. Além disso, o fato de ela não restringir seus livros para um público somente é super interessante. Essa autora é encantadora e seus personagens não são diferentes da mesma. Estou muito ansiosa para conhecer a história da Audrey. Aliás, já li Fiquei Com o Seu Número e a Sophie tem o poder de me prender na leitura, espero que não seja diferente com Finding Audrey. Muito obrigada por traduzir partes da entrevista <3

    ResponderExcluir
  25. Nunca li nenhum livro da Sophie, mas alguns deles já estão no meu skoob.. Muito legal a entrevista!

    ResponderExcluir
  26. Olá!


    À Procura de Audrey, pelo que vi na entrevista, parece ser um livro muito bom, uma história rica em detalhes. Nunca li nenhum livro da autora, acho que é uma ótima ideia começar por esse.


    Beijo.

    ResponderExcluir
  27. Olá!


    À Procura de Audrey, pelo que vi na entrevista, parece ser um livro muito bom, uma história rica em detalhes. Nunca li nenhum livro da autora, acho que é uma ótima ideia começar por esse.


    Beijo.

    ResponderExcluir
  28. amei a entrevista, adoro as duas autoras e seu livros sao maravilhosos, sou fã de um chick lit.

    ResponderExcluir
  29. Adorei esse post, de tu trazendo pro leitor esse tipo de notícia, postagem e tals.
    Adoro a Jojo, então me interessei pela entrevista, porém não sou fã de chick lit, e nem da Kinsella, então esse livro não será um que especialmente eu tenha interesse em ler ):

    ResponderExcluir
  30. Gente, que entrevista incrível. Estou mega na vibe Chick lit

    ResponderExcluir
  31. Noooossa! Sophie Kinsella é incrível!
    Adoro ela e tudo o que ela escreve! Sou fã de Becky Bloom, mas meu livro preferido é Fiquei Com Seu Número! Muito engraçado! A Poppy não existe! Hehe!
    Estou ansiosa pelo livro novo! E animadíssima pela vinda dela ao Brasil! Pena que não conseguirei ir pra Bienal... Paola, abraça ela por mim! :)
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  32. Gente, que barato!
    Nunca tinha visto isso de um autor entrevistar o outro, ainda mais duas autoras tão queridas assim do público.
    Gostei muito!!

    ResponderExcluir
  33. Meu inglês não está muito bom, mas vou salvar aqui para assistir com calma e tentar entender mais coisas.
    Adorei ver duas autoras que gosto tanto juntas. <3 Logo que vi o lançamento da Sophie, nem quis saber do que se tratava, só que queria lê-lo. Achei bem interessante ela falar de coisas tão sérias de uma forma leve, mas sem deixar de ser verdade, de que há muito famílias assim na vida real.

    ResponderExcluir
  34. Ai que tuuudo, amo a Sophie, eu ri horrores com Fiquei com seu Número, e a Jojo, sem comentários, o encontro das tops, muito legal.

    ResponderExcluir
  35. Já me identifiquei com essa Audrey, uehehehe xD Fiquei bem curiosa por esse livro, e agora estarei mais atenta pra essa autora, ela parece construir o tipo de narrativa que me encanta: falar sobre assuntos sérios, mas de um jeito engraçado.

    ResponderExcluir
  36. Oi Aione!
    Podia tanto ter legendas desta entrevista, queria poder entender.
    Preciso fazer um curso de inglês mais rápido possível.
    Eu nunca li nada da Jojo Moyes, mas já li vários da Sophie e sou apaixonada por ela.
    Beijos!

    ResponderExcluir