janeiro 14, 2016

[Resenha] A Linguagem das Flores – Vanessa Diffenbaugh

Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar… até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.

304 Páginas|  Cortesia
Editora Arqueiro| Skoob |
Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação 4,5/5
É
impossível não se surpreender com essa história. Ao considerar a capa e o
título da obra imaginei, e não nego que julguei pela aparência, que A Linguagem das Flores fosse um romance
doce e emocionante.  Porém, por mais que
o livro seja comovente ao ponto de tocar nossos corações, é fato que a história
está longe de ser leve ou delicada, muito pelo contrário, ela é tão complexa e
dolorosa quanto à vida real. E talvez esse seja o maior triunfo do livro: não
banalizar a maldade e a solidão que existe no mundo. Ao falar de temas duros e
reais como depressão, abandono, falta de perspectiva e futuro financeiro, e até
mesmo das falhas por trás do nosso sistema de adoção, a autora mostra o que a
humanidade tem de pior, ao mesmo tempo em que nos convence que a esperança e o
amor são flores capazes de brotar até mesmo nos corações mais arenosos.


A trama
gira em torno de Victoria e intercala passado e presente: o antes, quando ela
era uma garotinha que passava por várias casas de adoção tentando encontrar uma
família disposta a ficar com ela, e o agora, quando completa dezoito anos e sai
da casa de assistência governamental para garotas na qual vive há dez anos. O
passado nos mostra o quanto Victoria sofreu como órfã, as pessoas ruins que ela
encontrou no caminho, e os momentos de tristeza que foram matando a esperança
do coração da garotinha. Suas lembranças também mostram que a protagonista tem
a possibilidade de encontrar um novo lar – local em que ela é apresentada à
linguagem das flores e a emoções que nunca teve a possibilidade de viver. Já
com o presente acompanhamos essa jovem mulher, peculiarmente solitária e
marcada pelo passado, tentando construir um futuro. E enquanto isso não
acontece, observamos Victoria passar por inúmeros altos e baixos, como morar na
rua, se alimentar de restos de comida, se deixar engolir pela sensação de
solidão, lutar por um emprego quando estudou tão pouco, e aprender a confiar
nas pessoas ao seu redor. Sendo assim, por unir passado e presente, fica claro
que o grande diferencial da trama é o segredo por trás da história de Victoria,
mas o que o leitor demora para perceber – pelo menos não até estar completamente
absorvido pela narrativa – é o quão dolorosa a vida dessa jovem foi.
Uma das
características mais conflituosas do livro é a personalidade da Victoria. Por
ter perdido a fé nas pessoas ainda muito pequena, a começar com a mãe que a
abandonou, a jovem tem uma maneira sombria e peculiar de ver as coisas. Não
consigo expressar com palavras, mas é óbvio que suas atitudes são lapidadas
pelo sofrimento, e é muito doloroso mergulhar em sua mente e em seu dia a dia,
afinal ela mostra como as coisas verdadeiramente
são. O ponto é que temos uma visão esperançosa de que uma criança, independente
de sua criação, pode ser quem ela quiser. Mas o fato é que a história de Victoria
nos faz enxergar, mesmo quando não queremos, que a vida real não é assim, que
nós refletimos nossa criação, e que mesmo quando transformamos o rumo do nosso
futuro ainda carregamos, durante nossa vida inteira, sequelas do passado. Então
não posso dizer que essa protagonista é perfeita; sua personalidade é arredia,
esquiva, solitária e obscura – fato que, na maior parte do tempo, torna sua
narrativa cruel. Contudo, é impossível não se envolver com a história de
Victoria, com seu doloroso e marcante passado e, principalmente, com o frágil
futuro que ela está construindo.
Além da
personalidade da mocinha e de todas as reflexões que ela gera, também gostei do
papel que as flores desempenham no desenvolvimento da obra. Victoria tem um
problema sério para se comunicar, mas graças às flores sua vida dá uma guinada,
e isso acontece exatamente pelo fato dela falar
com elas – ela vê nas flores mais do que beleza, vê significados que surgiram
na época das cortes da era vitoriana. E essa parte deixa a história menos
densa, pois enche a mente do leitor com belas flores, seus significados e
mensagens. Graças às flores a história é inundada de paixão, perdão e
recomeços.
No
geral, a obra é do tipo que fisga o leitor do início ao fim – deixando-nos
ávidos para descobrir o desfecho da história de Victoria. Além disso, ao
abordar temas complexos e, infelizmente, comuns em nossa sociedade, a autora
garante muita emoção e reflexão. Portanto, amei cada detalhe do livro. A trama
é mais complexa e tortuosa do que eu imaginei, mas me ganhou por ser real –
mesmo quando, no fundo, eu esperava um conto de fadas. Vale muito a pena
ler! 
Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

29 Comentários

  • Rafaella Abreu
    01 fevereiro, 2016

    Confesso que também julguei mal o livro pelas aparência!!!

  • Ana I. J. Mercury
    01 fevereiro, 2016

    Pah, já faz meses que estou loooouca por esse livro!!
    Tinha me esquecido dele, e agora amei demais sua resenha, me deu ainda mais vontade de ler, principalmente porque você explicou beeeem a personalidade daa protagonista, explicou toda dificuldade que a Victoria passsou e tal.
    Porque li uma resenhas que dizia que a Victoria era muito problemática, porém, você deixou claro o quanto reflexivo ele pode ser.
    bjos

  • camila rosa
    29 janeiro, 2016

    Ok eu julguei esse livro pela capa um monte de vezes, já a tinha visto, mas nunca procurei ler nem sequer uma sinopse, o livro pelo visto é ótimo, e ainda mais mostrando uma realidade dura, e quantas dificuldades são passadas pela Victoria, morar na rua, comer restos, agora sim fiquei super interessada em ler ele.
    Beijos *-*

  • Raissa Albuquerque
    29 janeiro, 2016

    Não gostei da capa mas qual o livro que eu não fico com vontade de ler depois das suas resenhas??!?

  • Maria Fernanda Medeiros
    26 janeiro, 2016

    Sobre essa resenha, só tenho uma única palavra: intrigante! Ótima dica, me deixou bastante curiosa! Ainda não sei se esse vai entrar na minha lista de compras, mas já da pra pedir emprestado se vir nas estantes alheias, haha.

  • Amanda Ferreira
    21 janeiro, 2016

    A história de Victoria é bem forte, gostei bastante do enredo do livro. E intercalar passado e presente nos mostra o quanto ela sofreu e sofre até hoje. Achei bem interessante e sofrida a história de Victoria e fiquei bem curiosa para saber mais sobre o livro. Ótima dica!

  • Jéssica Fernanda
    19 janeiro, 2016

    Se arrependimento matasse! Esse livro com a capa original já esteve por 4,90 na Americanas comprei varios e desprezei ele, agora morro de vontade de comprar e além de não baixar o preço é com essa capa q não curti

  • Potato Purple Blog
    19 janeiro, 2016

    Oi, flor! Fiquei muito curiosa pra saber o que aconteceu com a mãe adotiva que ela gostava, muito mesmo! Adorei o enredo, gosto de livros que mostram a realidade e tenho certeza que quando ler este, irei gostar. Beijos.

    potato-purple.blogspot.com
    youtube.com/potatopurpleblog

  • Bruna Helena
    19 janeiro, 2016

    Pela capa e pelo título também imaginei que o livro fosse um romance doce e leve. Não sabia do que se tratava. Confesso que fiquei bastante curiosa para ler o livro, para saber mais do que a Victoria passou.

  • Theresa Cavalcanti
    18 janeiro, 2016

    Já tinha visto esse livro, mas agora vou dar uma chance para ele.

  • Unknown
    18 janeiro, 2016

    OLha…já tinha lido a sinopse desse livro mais de uma vez no ano passado, inclusive o cogitando a o dar como presente, mas acabei por declinar dele, não sei bem, mas algo não me convencia nele, acho q o achei mto cheio de "dramas" rs, mas agora já vejo com outros olhos!(a gente realmente muda de opinião com o tempo, q bom!) e claro q ver a resenha de alguém sempre ajuda a ter uma noção mais abrangente do livro, só a descrição dele mta vezes engana. E levando em conta q o q vc recomenda (dependendo do enredo) eu geralmente curto, esse acabou de entrar pra lista tbm!

  • Micheli Pegoraro
    17 janeiro, 2016

    Oi Pah,
    Já tinha lido uma resenha desse livro e a história me encantou, agora lendo a sua resenha fiquei ainda mais interessada, quero muito ler. A Linguagem das Flores é o tipo de livro que sempre procuro ler, pois gosto de histórias que abordam temas complexos e polêmicos da sociedade, como o abandono. Essas histórias trazem muito emoção, reflexão e aprendizado, amo isso. Além disso, sou apaixonada por flores, vou adorar ver os significados e mensagens que as flores trazem para a Victoria.
    Beijos

  • cantinho da anny
    17 janeiro, 2016

    Já vi esse livros em vários blogs,sempre tinha resenhas sobre ele mas nunca tive curiosidade nem de ler a sinopse,até agora.Coitada da protagonista,que sempre está a sofrer.Adoro quando a historia trás reviravoltas para um final feliz

  • Aciclea vieira
    17 janeiro, 2016

    Paola,tenho esse livro em minha coleção,mas ainda não li,só que depois de sua resenha com certeza será minha próxima leitura.Amo histórias complexas e dolorosas quanto a vida real.Gosto muito de histórias que intercalam passado e presente.O fato de mostrar a dura realidade e o quanto carregamos sequelas do passado é incrivelmente impactante e realista.Amo livros com teor emocionante e reflexivo.Mil beijinhos!!!

  • suzana cariri
    17 janeiro, 2016

    Oi!
    Ainda não conhecia esse livro e ao ler a resenha gostei da historia que me surpreendeu positivamente, parece uma historia bem emocionante e que a autora aborda temas muito importantes ao longo do livro é parece uma historia muito envolvente !!

  • Evellyn Mendonça
    16 janeiro, 2016

    Ooi Pah, antes de ler esse livro, eu também imaginei que iria ser uma historia de romance doce, eu também julguei pela aparência.
    Adorei o livro, com certeza é muito emocionante.
    Bjs

  • Bia
    16 janeiro, 2016

    Fiquei comovida pela sua resenha pq é REAL, podemos achar historias assim em nosso dia-a-dia. Pelo que parece é bom que a historia não foi romantizada para parecer bela e clichê e achei linda a capa que apesar daquele ditado "não julgue um livro pela capa" eu olhei e pensei deve ser um bom livro. Minha lista de o quero ler só cresce, mas acho que esse vai servir como aprendizado e servir para meu curso de psicologia….

  • Amanda Souza
    16 janeiro, 2016

    Oii Pah!
    A trama do livro me pareceu bem envolvente, gostei do fato de autora focar na realidade, pode ser um defeito meu, mas como leitora sempre espero um final feliz nas obras que leio, e esse livro nos faz refletir que infelizmente moramos numa sociedade em que nem sempre isso acontece, fiquei lendo a resenha e torcendo pra que a Victória tivesse de certa forma um final que a fizesse se sentir melhor, e espero realmente que isso tenha acontecido!

  • Dan Igor
    15 janeiro, 2016

    A história parece linda, delicada, mas parece que é preciso ter algum senso se realismo e complexidade p/ poder lê-lo. Não sei se sou apto para isto, mas a capa, a premissa e a resenha me fizeram querer lê-lo para ontem *_*
    Abs
    bookdan.blogspot.com

  • Luciana Lole
    15 janeiro, 2016

    Adorei sua resenha Pah! Muito bem escrita, me deixou bastante curiosa. No momento estou mais para livros tipo conto de fadas, mas de tempos em tempos gosto dessas histórias que retratam a realidade em que vivemos. vou colocá-lo na lista! Beijos!

  • Três Livrólatras
    15 janeiro, 2016

    A história parece ser muito tocante por conta de todo o sofrimento da protagonista, o fato de ela não ter ninguém prende o leitor de uma forma como se nós pudessemos fazer companhia a ela.

  • Josiane
    15 janeiro, 2016

    As vezes eu leio um livro pela capa.se a capa não for atrativa não me desperta nenhum interesse.

  • Leticia Golz
    15 janeiro, 2016

    Oi, Pah
    Acho que gostaria desse livro só pelo fato da personagem não ser perfeita. Pelo que parece que ela sofreu, acho até normal ela ser um pouco arredia. Gosto de personagens assim, verdadeiros, como na vida real. Achei muito lindo o fato de ela conversar com as flores, e acho que com certeza esses trechos devem cortar a tensão.
    Amei a resenha, Pah. Pretendo ler.

  • Lara Cardoso
    15 janeiro, 2016

    Esse livro parece ser bem encantador! Não gostei da sinopse do livro, pois não vi nada nela que me convencesse a ler. Quando comecei a ler a resenha, eu achei que não iria gostar do livro, mas aí vi que no livro conta um segredo, me deixando curioso para saber qual é esse segredo hahah Amei a resenha!

  • rayane colombo gomes
    14 janeiro, 2016

    tenho o livro aqui em casa pois minha irma comprou mas fico meio que enrolando para ler o livro porque tenho medo de ser mto triste. com toda ctz vou sim ler o livro. me parece ser uma leitura do mundo real que nos parece ver como o mundo é mesmo e as pessoas que nele estao.

  • Isabelle Lorrayne
    14 janeiro, 2016

    Pah, esse é um dos meus livros favoritos da vida. E fiquei feliz de saber que você gostou! Victoria me deixou meio chateada em alguns pontos, mas é como você disse, as atitudes dela são por causa do sofrimento, e no decorrer do livro me encantei com ela!

    Beijos,
    http://www.notavelleitura.blogspot.com

  • Jesica Duarte
    14 janeiro, 2016

    To até emocionada,pois acho que no mundo ninguém deveria sofrer assim, a pior dor é não ter quem a ame,isso é muito triste,não ter um lar. Muito bem construída a história.

  • Veronica Vieira
    14 janeiro, 2016

    Nossa, que resenha incrível, espero que o livro seja tão bom quanto…
    Nunca tinha ouvido falar desse livro,e agora simplesmente preciso ler…

    Anotei aqui, vou tentar ler antes de sair o vídeo com as leituras do mês, para poder comentar direitinho…

  • Elda (Arte da Elda)
    14 janeiro, 2016

    Boa tarde, Paola!
    Parece-me que este seja um daqueles livros que a gente senta para ler e não quer parar mais… Adoro livros assim.
    Feliz 2016!
    Abraço.
    Elda.
    http://artedaelda.blogspot.com.br/