agosto 22, 2016

[Resenha] A Fera do Brasil – Tom Connolly

Na praia de Boa Viagem, Recife, um menino porto-riquenho, órfão, sem-teto e de passado sombrio, entra em ação. Seu nome é Chunk DeLuna, e ele jamais será pobre novamente. Vinte anos mais tarde, ele é o criminoso mais poderoso do Brasil, proprietário de uma grande construtora e está encarregado de construir um estádio para a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Com a aproximação das Olimpíadas, os obstáculos se acumulam para DeLuna: protestos populares, o temor do Zika vírus, a ameaça oculta de um rio subterrâneo, o COI e a FIFA não querem realizar jogos em seu estádio. Ao mesmo tempo, o amor de DeLuna, Lívia, começou a questionar seus valores e motivações para continuar ao lado dele. Chunk DeLuna, a Fera do Brasil, está à beira do abismo!

Suspense Policial| 256 Páginas|  Amazon
Books|
Skoob |
Copre na Amazon ou no Clube dos Autores.

As Olimpíadas do Rio
chegaram ao fim. E, apesar de alguns imprevistos, a imagem que o Brasil
transmitiu foi de organização, respeito e união. Contudo, e se não tivesse sido
assim? E se durante essas semanas o mundo fosse bombardeado com o que temos de
pior: assaltos, assassinatos, prostituição, tráfico de drogas, corrupção e,
principalmente, o temido Zika Vírus? Em um cenário recheado de conflitos
políticos e dominado por grandes mentes do crime,
Tom Connolly criou
uma história recheada de mistério e reflexões acerca da triste realidade por
trás da criminalidade brasileira.


A obra gira em torno da vida de Chunk DeLuna, conhecido no
auge de sua carreira como A Fera do
Brasil. Acompanhamos desde a infância até a vida adulta de Chunk, observando o
motivo dele e de sua família terem vindo para o Brasil, a vida sofrida que ele
teve desde pequeno, a fome e o desespero que o levaram a roubar para
sobreviver, e seu amadurecimento no mundo do crime: de pequenos roubos à
posição de dono de empresas de tráfico, prostituição e até mesmo de construção.
A figura de Chunk é um mistério a ser desvendado, entretanto, fica claro que
sua mente é perversa e que ele usa manipulação e agressão para conseguir o que
quer. O sonho de Chunk é ser conhecido como um grande líder, e ao lado de sua
gangue – a mesma que ele conheceu quando ainda era um garoto –, DeLuna fará
história e será conhecido pelo mundo inteiro. O problema é que esse sucesso
obtido de formas ilícitas, uma hora ou outra, vai ruir.

O que mais gostei na leitura foi da oportunidade de
acompanhar a construção da personalidade de Chunk. Como observamos o personagem
desde seus quatorze anos, fica mais instigante ver sua mente má ser
desenvolvida e passar de um simples ladrão de praia para um grande executivo. O
autor deixa claro que a maldade do personagem é nata, ao mesmo tempo em que nos
mostra que ele é uma cria do sistema ao seu redor. Desde pequeno Chunk conviveu
com abuso, roubo, solidão e preconceito, portanto ele usou o que tinha de
melhor – sua inteligência para o crime – para mudar sua vida. Claro que nada
justifica as ações do protagonista, mas achei interessante a forma como ele foi
posto como um mero coadjuvante de uma sociedade que incentiva a miséria e a
corrupção da alma. Gostei também de como o personagem vai crescendo dentro do
crime, como vai se envolvendo com peixes grandes (vulgo nossos queridos e corruptos políticos), e de
como ele alcança seu objetivo de fama, dinheiro, mulheres e sucesso, mas vê
tudo isso ruir graças as Olimpíadas do Rio.

A obra promete um suspense grandioso ao redor das Olimpíadas
– Será que o Brasil dará conta do evento? Porém, apesar de termos os jogos
olímpicos como pano de fundo, eu não achei que esse é o verdadeiro enfoque da
trama. E confesso que senti falta desse suspense ao longo da leitura. Temos sim
a história de Chunk interligada com a das Olimpíadas, mas o fato é que apesar
do mistério e do alto teor de criminalidade, o livro é antes de qualquer coisa
um salto na mente de um homem assassino, manipulador, corrupto, preconceituoso
e ardiloso. Portanto, temos que iniciar a leitura sabendo que o foco está na
vida do personagem principal e nos caminhos tortuosos que o levam a se tornar A
Fera do Brasil.

Gostei dos personagens e dos tabus abordados pelo autor (que, apesar de ser estrangeiro, criou um cenário nacional instigante e contundente). Vemos aqui muitos dos preconceitos a respeito do nosso país: criminalidade,
prostituição, drogas, corrupção na política e até mesmo uma visão fantasiosa
sobre a nossa extensa fauna. Mas no final, toda obra – assim como as coisas
ruins que encontramos no Brasil – gira em torno de homens maldosos e dos erros
que eles cometeram. Nosso país, apesar das falhas, é maravilhoso, rico e cheio
de pessoas boas e de enorme coração, então não podemos deixar que Feras como o
DeLuna tirem esse brilho. Assim, apesar de ter achado a narrativa lenta e mais
focada no personagem central do que no suspense em si, indico a leitura para os
fãs de obras psicológicas e ricas em cultura nacional.

Agradeço o autor pela oportunidade de conhecer seu livro.
Para quem quiser saber mais, acompanhe a página do livro no Facebook (
aqui) ou a do autor (aqui).
Beijos,




Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

17 Comentários

  • Lara Cardoso
    31 agosto, 2016

    Eu gostei do livro, mas mais como uma leitura despretensiosa e divertida.

  • Adriana Holanda Tavares
    29 agosto, 2016

    Para mim é muito estranho perceber um livro escrito por alguém que não mora no Brasil sobre o Brasil, e quando falo estranho não pe um termo ruim, apenas diferente, porque não estamos acostumados com isso. Mas a trama em si não me ganhou não, acho que esse eu deixo passar, primeiro porque não é uma temática que me prende, e porque estou mais num momento de romances e trilhers!

  • Maria Fernanda Medeiros
    29 agosto, 2016

    Fico muito feliz quando vejo divulgação de livro nacional.
    Agora, vou te contar… tem capa que eu olho e penso "migo, me ajude a te ajudar". Não devemos julgar um livro pela capa, mas não dá pra negar como essa apresentação contribui para a atratividade do material, né não? E sobre essa capa… não sei nem o que dizer, só sentir.

  • Vania Correa
    28 agosto, 2016

    Achei a história bem instigante, e acredito também que muitas pessoas são como são por culpa do sistema, apesar que não justifica, confesso que fiquei curiosa com o final.Beijos…

  • Jesica Duarte
    27 agosto, 2016

    Achei interessante, muito crítico e fala tudo sobre o problemas que o nosso país enfrenta, mas é verdade existe muitas pessoas maravilhosas no Brasil e os outros país podem dizer isso porque presenciaram nas olimpíadas.

  • N4tyDark
    27 agosto, 2016

    O livro parece ser bem atual e tem tudo haver com a situação que o Brasil se encontra, fiquei muito curiosa apesar de não ser muito meu estilo de leitura !

  • Micheli Pegoraro
    27 agosto, 2016

    Oi Pah,
    Estou bem curiosa para ler esse livro, adorei a ideia desse autor gringo em mostrar um pouco da realidade cruel do Brasil com as Olimpíadas como pano de fundo. Mesmo não sendo meu estilo de leitura, com cenário de conflitos políticos (já temos muita corrupção na vida real, então fujo desse assunto em livros haha), sempre é bom ler uma história relacionada ao nosso país. Gosto de suspense policial, uma pena que nesse livro o suspense não foi bem trabalhado.
    Beijos

  • Theresa Cavalcanti
    24 agosto, 2016

    Confesso que não chamou muito minha atenção, já que não gosto muito desse estilo.

  • Márcia Saltão
    24 agosto, 2016

    Olá.
    Com certeza é um livro com uma premissa muito interessante e atual. Uma leitura agradável par os fãs do gênero. Desejo sucesso ao autor e a sua obra. Abraços.

  • Bruna Lago
    24 agosto, 2016

    Oi Pah ! Olha, achei essa história bem crítica não é ? Um tema interessante pra se escrever, ainda mais que estamos envolvidos nessa atmosfera de Olimpiadas.Não é muito meu estilo de leitura, no entanto, é bom ler sobre algo relacionado ao nosso país.
    Abraços

  • camila rosa
    23 agosto, 2016

    Oiee, tudo bom?
    O livro parece ser bem interessante fiquei curiosa, achei super legal termos as Olimpíadas como pano de fundo, mas o que mais me chamou a atenção é que acompanhamos o desenvolvido do mal na vida do nosso protagonista, como tudo começou com pequenos furtos até se tornar algo grande, e sem contar que temos um autor estrangeiro, escrevendo algo ambientado no nosso país.
    Beijos *-*

  • Leticia Golz
    23 agosto, 2016

    Oi, Pah
    Ainda não conhecia o livro, mas adorei essa ideia de ter as Olimpíadas como pano de fundo. Fiquei curiosa para saber o que aconteceu. Uma pena que faltou um pouco de suspense. Pela descrição, não parece que o foco seria o personagem. De qualquer forma, adorei a dica e leria o livro sem problemas.

  • Anna Mendes
    23 agosto, 2016

    Oi Paola! Eu não conhecia este livro, mas fiquei curiosa pela leitura.
    Acho bacana livros que retratam o Brasil, misturando ficção com a nossa triste realidade. É uma boa forma de refletirmos sobre o país e sobre a sociedade que o compõe.

  • Rônida Lorenzoni
    23 agosto, 2016

    Achei o livro interessante, pois é voltado bem para a realidade…pobreza, vícios que levam o personagem principal para a vida de crime. Colocarei na minha lista.

  • Rônida Lorenzoni
    23 agosto, 2016

    Achei o livro interessante, pois é voltado bem para a realidade…pobreza, vícios que levam o personagem principal para a vida de crime. Colocarei na minha lista.

  • Josiane
    23 agosto, 2016

    primeira resenha que leio do livro, achei interessante a sinopse. O tema esta na moda e o suspense me agrada bastante, só não achei a capa muito bonita

  • Midnight - Bruna Prata
    22 agosto, 2016

    Nunca ouvi falar desse livro. O fato da personalidade do personagem principal ser desenvolvida no livro é bastante estimulante, principalmente por ele ser do "lado negro da força" (desculpa hahaha) já torna algo inovador. Sem falar que ele se passa no Brasil -na época mais recente possível-. Vou titubear um pouco sobre esse livro.