[Resenha] Uma mulher Livre – Danielle Steel

Dos deslumbrantes salões de baile de Manhattan para os horrores da Primeira Guerra Mundial, Danielle Steel nos leva para um mundo fascinante de uma jovem de espírito indomável. Nascida numa vida de luxo e glamour, Annabelle Worthington carrega o sobrenome, e a nobreza, de uma das famílias mais influentes de Nova York. Até que, num dia cinzento de abril, o Titanic afunda, levando junto o seu mundo. Seus pais e seu irmão mais velho estavam na viagem inaugural do majestoso navio, e apenas sua mãe sobreviveu. Para tentar confortar seu coração, Annabelle se voluntaria para trabalhar em um hospital, ajudando a cuidar dos enfermos, onde descobre sua verdadeira vocação. E, quando um homem nobre a pede em casamento, ela acredita que, enfim, voltará a ter dias felizes. Porém, novamente, o destino lhe prega uma peça, colocando-a no centro de um escândalo. Para fugir da tristeza que sua vida se tornou, ela vai para a Europa trabalhar no front da Primeira Guerra Mundial, ajudando a salvar os feridos. Na França, no auge do conflito, Annabelle consegue realizar um grande sonho: estudar medicina. O problema é que, mais uma vez, sua fé é colocada à prova, e ela precisará tentar retirar forças de uma grande tragédia se quiser renascer para uma nova vida. Com uma narrativa de tirar o fôlego e repleta de detalhes históricos, Danielle Steel nos apresenta uma de suas personagens mais fascinantes e singulares, e sua história inspiradora de dignidade, coragem e amor pela vida.
Romance Histórico| 294 Páginas|  Cortesia Editora Record| Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon| Classificação 4/4
Danielle Steel é mundialmente aclamada por seus romances e, como adoro uma boa história de amor e superação, confesso que estava ansiosíssima para conhecer sua narrativa. O mais engraçado é que quando iniciei a leitura da obra “de uma das autoras mais vendidas em todo o mundo”, ao contrário da grande maioria, criei pouquíssimas expectativas. Havia lido tanto a respeito da autora que, erroneamente, criei uma imagem exata de como seus livros seriam: superficiais e embelezados por um romance doce e cativante. Assim, foi uma enorme e gratificante surpresa me deparar com uma história que, ao invés de narrar o surgimento de um enlace amoroso, traz a jornada de uma protagonista injustiçada pela vida. Amo histórias de mulheres guerreiras que enfrentam a sociedade, assim, Uma mulher Livre me cativou desde o começo e me surpreendeu por focar na luta e na força feminina. – Sabe aquele tipo de livro que te inspira a lutar por seus direitos? Pois bem, é disso que estamos falando aqui.

A obra parte do início do século XX quando Annabelle debuta e é apresentada com louvor, graças a sua família tradicional e a sua magnífica beleza, para a sociedade americana. Linda, rica e criada por pais unidos e amorosos, a jovem não esperava nada grandioso para o futuro, apenas ser feliz e contrair um bom casamento – de preferência com um marido compreensivo o suficiente para entender sua paixão pelo trabalho voluntário em hospitais. Porém, com o naufrágio do Titanic todos os seus sonhos, literalmente, foram por água abaixo. Quando o fabuloso navio afundou, levou consigo a família de Annabelle. E se não fosse suficiente essa grande tragédia, muitas outras surgem no caminho da jovem, mudando novamente seus planos para o futuro. O dia a dia faz com que a jovem e sonhadora Annabelle vá morrendo aos poucos e, em seu lugar, surja uma mulher guerreira e fiel aos seus princípios. De flor da temporada à pária. De futura noiva à possível médica. O que será que o destino reservou para ela?
Pelo fato da obra girar em torno de Annabelle, temos a oportunidade de acompanhar desde sua juventude até o ápice de sua vida adulta. Desta forma, ao longo dos anos observamos a jovem perder pessoas amadas, se apaixonar, se magoar, ser afastada de tudo o que um dia considerou seu lar, e ser moldada pelos erros dos outros. E tudo isso com um cenário histórico rico e conflitante: o naufrágio do Titanic, o início e término da Segunda Guerra Mundial e, principalmente, as regras e a segregação feminina tão características ao período. Além disso, enquanto os anos passam e Annabelle constrói sua vida, somos apresentados a lugares esplendidos como Nova York, Paris e outras cidades da França. Assim, sem dúvida, uma das coisas que mais amei no livro é o panorama histórico que ele traz. Temos um cenário de guerra que emociona e toca o leitor, e tudo isso narrado por uma mulher que sofre por sem quem é. Achei maravilhoso o pano de fundo da obra, e amei ainda mais o fato da autora abordar também o preconceito que as mulheres enfrentavam nessa época. A parte social do início do século XX é fundamental para a narrativa, pois são essas regras tolas e preconceituosas que fazem Annabelle sofrer tanto. E eu amei isso; amei a realidade histórica por trás da vida da personagem.
Além disso, uma das maravilhas da obra é a personalidade de Annabelle. Que jovem mais determinada e forte! Chorei muito com o sofrimento vivenciado por ela; são tantas provações e dores que, sinceramente, duvidei de sua força para enfrentar tudo com a cabeça erguida. Claro que o fato de Annabelle ter dinheiro, graças à herança deixada pelos pais, a ajudou a enfrentar tamanho sofrimento – se não fosse isso, seu destino final teria sido outro. Contudo, nada desmerece a história dessa jovem e o fato dela ser um peão nas mãos de homens errados. Fiquei tão revoltada com a história (do mundo, digo), com os homens, com a vida, e com tudo de ruim que essa protagonista vivenciou. E ao mesmo tempo, amei como ela saiu mais forte de cada dificuldade e dor. Por isso gostei tanto da leitura, porque ao invés de um romance, ela trouxe a luta e o amadurecimento de uma mulher forte e de coração gigante. Por mais livros assim, por favor!
Confesso que não achei a narrativa da autora perfeita; a obra tem sim seus clichês e uma condução em terceira pessoa que às vezes nos afasta dos protagonistas. Também acho que, exatamente pela maneira da autora escrever, de começo a leitura pode parecer cansativa. Porém, sinto que tais detalhes não tiram o brilho da história de vida de Annabelle. Sem medo, indico o livro tanto para os amantes de personagens fortes, quanto para os adoradores de romances históricos. Vale muito a pena dar uma chance para essa trama cheia de drama e superação.

Beijos,



Participe Aqui

19 comentários:

  1. Parece ser demais, quem diria que Danielle Steel colocaria um dos meus filmes favoritos no livro dela, estou louca para começar a leitura, só um pouco triste pelo romance inexistente T-T

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Ainda não tive a oportunidade de ler nenhuma obra dessa autora. Pretendo ler um livro dela, em breve, para conhecer a sua escrita e ver se vou gostar. A sua resenha está muito bem explicada e nota-se a sua sinceridade para com a leitura. A premissa parece ser envolvente, apesar dos pontos negativos que você citou. Talvez eu venha a ler! Obrigada pela dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Pah!
    Quando era mais jovem apreciava muito os livros da autora.
    Imagino que agora esteja em nova fase, tomando novos rumos e mudando um pouco a forma de escrita dos seus romances.
    Já gostei do enredo, porque mulheres fortes e que superam as adversidades, sempre nos estimulam a lutar pelo que achamos correto.
    Gostaria de ler.
    “O amor é a única loucura de um sábio e a única sabedoria de um tolo.” (William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Gente , mas que livro diferente!! Nunca vi nenhum com uma história assim ou parecida ! Já vi que se passa no tempo de guerra , e fala de uma mocinha muito brava e forte, que passa por mudanças grandes em sua vida... Falou em livros de épocas anteriores eu já adoro , a capa então , linda demais e o nome do livro é lindo também ! Nunca vi essa autora em lugar algum , então, pretendo dar uma oportunidade!!! Adorei a resenha Pah!!

    ResponderExcluir
  5. Que sinopse mais linda ! Adoro personagens femininas fortes e que lutam pelo que quer, alem de falar de um sonho que eu também compartilho: a medicina.
    Imaginei que a história não fosse focar tanto no romance e sim na luta da personagem, o que é ótimo. Assim mudamos um pouco o foco e podemos nos deparar com algo grandioso.
    Eu adorei que traga pra gente tanta tragedia, assim podemos refletir sobre nossa própria vida e as incertezas que aparecem. Com certeza é um livro que eu daria uma oportunidade !
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Já li várias outras resenhas desse livro e cada vez que leio uma nova, mais vontade eu tenho de ler. Acho a capa bem diferente com esse destaque na palavra "Livre". A personagem principal parece ser bem forte mesmo, principalmente porque passa por muitos sofrimentos. Uma vez li que só acontece desgraça nesse livro (ri muito, confesso). Adorei a sua resenha, super explicadinha e espero que as próximas também sejam assim.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Amei muito saber sobre esse livro, nao conhecia ele, mais ja quero para mim e logo....
    Logo quando eu me deparei com a capa, me veio a mente que seria um romance de adolescente meio clichê, mas quando eu li a resenha eu fiquei surpresa; não rinha nada haver com o que eu estava pensando e me apaixomei pelo livro e agora estou muito ansiosa para ter um e começar logo com essa leitura que promete ser muito emocionante.
    Um super beijo Pah e pra turma do livros e fuxicos.

    ResponderExcluir
  8. Annabelle é um exemplo de femnismo muito bem criado, nós percebemos o quanto a própria é corajosa e forte durante todo o livro. Danielle Steel criou realmente uma personagem cativante. Esse é um romance leve e repleto de lições para a vida! "Uma Mulher Livre" é lindo e se você adora um romance romântico é leitura mais do que recomendada. Acho a capa desse livro tão bonita, principalmente pela palavra "livre" que é tão especial para o livro

    ResponderExcluir
  9. Adquiri o livro hoje. Tenho vários livros dessa autora e Mensagem de Saigon, o primeiro que li dela há anos atrás, é até hoje o mais marcante, mas não necessariamente o único. Indico para quem gosta de romances, principalmente os ambientados durante a 2a Guerra.
    Além desse, Caleidoscópio e Ecos do Passado são bem bacanas.
    Bj

    ResponderExcluir
  10. Oi, Pah
    Que linda deve ser a história da protagonista. Ainda não li nada da autora, mas tenho um livro seu em casa que ainda não me animei a ler.
    Adoro histórias de mulheres fortes e que enfrentam a sociedade e lutam como guerreiras. Pela sua descrição parece impossível não se encantar com ela. Fiquei muito curiosa pela leitura.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Confesso que já tinha vontade de ter o livro olhando para essa capa que achei linda. Agora sua resenha me deixou com mais vontade ainda de ler! Ver toda a trajetória mostra o comprometimento que a autora teve em buscar pelos fatos e características da época, e acho isso admirável. Pesquisou mesmo ao invés de só jogar palavras por aí!
    Beijos,
    Carol | Fantasma Literário
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Já tinha visto ese livro em outro lugar, e achei ele bem interessante! Fiquei com vontade de dar uma lida.

    ResponderExcluir
  13. Esse é um daqueles livros que eu só vou saber lendo, leio uma resenha e me encorajo a ler, leio outra e desencorajo. Pelo que observo, há opiniões bem controvérsias rsrs Vai ser ler para crer. E espero que seja tão lindo quanto a capa, pq fala sério, que capa bonitinha.

    ResponderExcluir
  14. Oi Pah,
    Faz anos que não leio Danielle Steel, quando buscava uma leitura mais dramática sempre escolhia um livro da autora; se me recordo bem, dos livros que já li da autora, a vida dos protagonistas era bem sofrida, muitas perdas, injustiças...drama, drama!
    Quando vi esse lançamento já coloquei o livro na lista, primeiro porque amei essa capa, e também gostei do que li na sinopse. Pelo jeito é mais uma história cheia de drama, com certeza vai ser muito emocionante acompanhar a trajetória da guerreira Annabelle. Acho que nunca li um livro com a tragédia do Titanic incluída na história, gostei disso, e como amo livros com cenário de guerra já sei que vou gostar de Uma Mulher Livre.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Já li um livro que amei e alguns que não gostei tanto da Danielle Steel. Pela sinopse e pela resenha, talvez eu dê uma chance a ele. Vamos ver!
    (Se chegar perto de "Jóias", valerá a pena! *-* Ansiosa!)

    ResponderExcluir
  16. Amei todo o contexto que envolve a história por completo, admiro muito o crescimento da personagem Annabelle, já me apaixonei de cara com a capa linda dessa.

    ResponderExcluir
  17. Amei a resenha Pah...Nunca li nada dessa autora, mas vou dar uma chance pois simplesmente sou apaixonada por romances históricos♡ ainda mais quando foca em uma personagem feminina forte, e a capa é linda!!!

    ResponderExcluir
  18. Eu acredito que em algum momento de minha adolescência eu tenha lido um livro dessa autora pois me é muito familiar, mas ao mesmo tempo a impressão que tive não foi muito boa! Achei a capa sem graça, mas percebi que muitos comentários a respeito desse livro e da autora em si são bem positivos, acho que vou dar uma chance!

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir