[Resenha] Desejo Concedido – Megan Maxwell

Na Inglaterra do século XIV, após a morte dos pais, a jovem lady Megan Phillips, de vinte anos, segue uma vida tranquila, focada na educação e na criação de seus dois irmãos mais novos. Para fugir de um casamento arranjado por sua tia, Megan e a irmã, Shelma, vão para o castelo de Dunstaffnage, na Escócia, onde vive seu avô Angus de Atholl, do clã McDougall. Anos depois, durante o casamento de um de seus primos, Megan – uma mulher aguerrida, pronta a empunhar uma espada pra defender sua família e que não se dobra por nada e nem por ninguém –, conhece o temido guerreiro de olhos verdes Duncan McRae – um homem acostumado a liderar exércitos, mas que nunca esteve preparado para enfrentar o gênio forte de uma mulher. O destino trama contra (ou a favor de) Megan, que, contra a sua vontade, acaba se casando com Duncan. Conseguirão os dois se entender e seguir a vida como um casal feliz? Ou viverão às turras, como se estivessem num campo de batalha?
Romance de Época |464 Páginas | Cortesia Editora Planeta| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 4/5
Já havia lido outros livros da Megan Maxwell, mas nenhum deles do gênero histórico – que, como vocês já sabem, é o meu preferido. A trama tem como pano de fundo a Escócia medieval e, como todas as histórias da autora, tem como diferencial a personalidade irreverente de seus protagonistas. Além disso, a narrativa encanta por unir com maestria tudo o que mais gosto em livros desse estilo: romance (que não poderia faltar, é claro), diversão, drama familiar e muita aventura. Aqui a autora nos faz mergulhar nas terras altas da Escócia através do olhar atento e irônico de mulheres decididas, corajosas e um tanto quanto teimosas. Fazia tempo que não lia um romance de época tão divertido e inusitado.

A obra gira em torno das irmãs Megan e Shelma. Filhas de pai inglês e de mãe escocesa, as jovens – aonde quer que vão – não são vistas com bons olhos. Na Inglaterra, apesar do conforto e da boa vida, são tidas como mulheres rebeldes e de linhagem ruim. Enquanto na Escócia elas são amaldiçoadas pelo sangue inglês responsável por tantas mortes e guerras. Antes dos pais morrerem as duas não precisavam se preocupar com isso, mas agora que estão órfãs (e sob os cuidados de tios maldosos que só querem sua herança), Megan e Shelma precisam encontrar uma maneira de recomeçar. E é por isso que elas vão acabar morando com o avô nas dependências do castelo do clã McDougall. Lá elas crescem livres para ser exatamente quem são: independentes, divertidas, aventureiras. E apesar do pré-conceito vindo de outros membros do clã, as duas são muito felizes. Contudo, não demora para tal conforto ser colocado em risco, pois seus tios ingleses contrataram assassinos para acabar com as jovens e com seu pequeno irmão. Tudo o que querem é matá-las e abocanhar uma grande herança e, exatamente por isso, os assassinos colocam em risco pessoas que Megan e Shelma aprenderam a amar. Precisando de segurança e proteção, mais do que elas admitem, o avô das jovens vai dar uma de casamenteiro e uni-las com dois homens fortes e líderes de seus próprios clãs. O problema é que essas irmãs foram criadas como guerreiras e não como esposas de um laird (senhor do castelo). O que significa que ambas vão viver muitas confusões, aventuras e– mesmo a contra gosto – um grande e inesperado amor.
Apesar de a história girar em torno das duas irmãs – e de acompanharmos o enlace amoroso de ambas - é Megan a grande protagonista da trama. Seu casamento com Duncan, um guerreiro conhecido por todos por suas inúmeras vitórias, é praticamente forçado. Apesar de se sentir atraída por ele, Megan tem certeza que nunca será feliz ao seu lado: ele quer uma esposa perfeita e ela, rebelde e teimosa, está longe de ser isso. Além de tudo, Duncan já foi magoado uma vez e por tal motivo se fechou para o amor. Desde o momento em que encontra Megan ele sente algo vibrar no peito e, com o passar do tempo, percebe que pode se apaixonar por essa mulher respondona. Entretanto, Duncan prometeu que nunca mais voltaria a amar e Megan, apesar de sua força e determinação, quer ser amada com todas as forças. Temos então uma obra que gira em torno de personagens fortes que combinam perfeitamente quando estão juntos, mas que são cabeça-dura demais para admitir isso. Megan e Duncan passam o livro todo aprendendo a amar e ao mesmo tempo negando seus sentimentos; eles brigam como cão e gato – uma hora porque Megan é livre demais para se submeter às regras típicas de um casamento naquela época (querendo ou não, ela precisa se sujeitar as ordens do marido); outra porque ela é teimosa e quer fazer as coisas a sua maneira (e acaba se embrenhando em aventuras que colocam sua vida em riso); e em outros momentos simplesmente porque gostam de brigar sobre praticamente tudo.  E, apesar de clichê e previsível, amei as idas e vindas desse casal.
Gostei de como o romance nasce aos poucos, amei como Duncan entrega seu coração à Megan e a sua família, vibrei com o fato deles construírem o amor ao superar os desafios da vida a dois, me deliciei com as cenas de aventura (é incrível ver mulheres usando suas espadas e saindo para a batalha), me diverti com a união das duas irmãs, mas odiei o quanto Megan é teimosa e irritante. Veja bem, eu gostei da protagonista e de toda a sua força. Mas confesso que em alguns momentos senti que a autora quis tanto criar uma personagem independente que esqueceu do fato de que existem regras de convívio social que qualquer pessoa – não importa se homem ou mulher – precisa seguir. Megan não ouve os outros, não aceita ajuda, é desconfiada e teimosa, e na maioria das vezes arruma briga á toa. Muitos dos conflitos centrais poderiam ser evitados se ela pensasse racionalmente e não levasse tudo para o lado de “estão tentando me mudar ou estão tentando dominar o que penso e o que sou”. Achei digno ela lutar por seus sonhos e necessidades, mas ao mesmo tempo gostaria que ela tivesse sido mesmo chatinha em alguns conflitos.
No geral eu adorei a leitura cheia de romance, brigas entre um casal cabeça-dura, e muita aventura. Claro que a mocinha me irritou várias vezes, mas a trama cativante compensou sua teimosia. Agora quero os próximos livros da série pra já! Indico a leitura para todos os fãs de romances sensuais, divertidos e protagonizados por personagens determinados e mandões.
• Sobre a Série •
Desejo Concedido é o primeiro volume da trilogia As Guerreiras Maxwell. Cada livro traz a história de um casal diferente, ainda assim, é importante lê-los na ordem.
Ainda não temos previsão de lançamento para os próximos – mas algo me diz que não vai demorar.

Beijos,




Participe Aqui

12 comentários:

  1. Estou bem animada em relação a esse livro.
    Já está na minha listinha de desejados. AMO esse gênero literário.
    Estou bem curiosa em relação a escrita da autora, pois não li nenhum livro dela ainda.
    Mas só vejo comentários positivos de suas história e isso está cada vez mais me deixando curiosa.
    Desejo Concedido parece ter um enredo bom, com personagens muito bem desenvolvidos.
    Sua resenha me deixou ainda mais interessada.
    Espero poder ler essa e as outras obras da autora em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Não tem como não desejar ler esse livro , depois de tantas palavras positivas sobre a história. :)

    Para ser bem sincera,nunca me interessei em ler os livros da autora, por achar que todos eram beeemmmm hot.
    Confesso que esse gênero tem me irritado bastante!
    Mas lendo agora sobre o enredo desse livro, e sua empatia pelos personagens, me deu uma vontade danada de também conhecer cada detalhe da vida deles.

    Só posso dizer que gostei bastante e pretendo ler em breve! ;)

    ResponderExcluir
  3. Pah!
    Romance histórico é tudo de bom e ainda com pano de funda as terras altas da Escócia, deve ser fenomenal.
    Gostaria de saber se a autora descreve o ambiente em que se passa o enredo?
    “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descreve sim - e muito bem por sinal! :)

      Excluir
  4. Oi Paola! Adorei a resenha!
    Eu nunca li nada da autora, mas gostei da premissa deste livro. Não costumo ler muitos romances históricos, mas pretendo mudar isso, pois estou ficando muito curiosa para ler mais livros desse gênero.
    Gostei da trama e da construção dos personagens. Adoro protagonistas fortes e decididas. E como gosto muito de romance e aventura, pretendo apostar na leitura :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Posso dizer que já amei mesmo sem ler ? Adoro quando os romances históricos trazem casais que se casam contra a vontade e o amor vai nascendo aos poucos. Há algum tempo li Seduzida por um guerreiro Escocês, que trata exatamente disso, e claro fiquei babando pelo livro. Me encantei com a resenha e pretendo ler em breve ;)

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada da Megan Maxwell, mas como você romance de época/histórico são meus favoritos. Adoro quando o romance vai nascendo e evoluindo aos pouquinhos, isso faz com que nós, leitores, sintamos que estamos lá, como um personagem no livro apenas observando.
    Não li nenhum histórico ainda que traga um cenário medieval mas amo muito a Escócia. Acho um país incrível com uma cultura única e diferente de muitos outros. Espero ter a oportunidade de ter esse livro em mãos para poder devorar *-* Por que quase sempre série? ai, meu coração não aguenta kkkk'

    ResponderExcluir
  7. Oi Paola, ouvi você dizer romance histórico?
    Opa, então é comigo mesmo (rsrs). Gostei muito da história e do pano de fundo da trama. Espero poder conferir a obra o quanto antes.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler esse livro, gosto da autora, então estou bem empolgada para ler :/

    ResponderExcluir
  9. Uau! Lembro de quando estavam escolhendo a capa desse livro. Não dei muita bola na época, mas agora aguçou meu interesse na leitura. Mesmo sendo uma sequencia é bom saber que os demais contam histórias de outros personagens, significa que esse enredo tem um fim. Sobre a personagem ser chata, espero que isso não atrapalhe minha leitura, estou torcendo para ser tão boa quanto foi para você, já que ainda não li nada dessa escritora!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Pah,
    Essa é uma leitura indispensável, quando vi o lançamento desse livro não pensei duas vezes, coloquei na mesma hora na lista de desejados.
    Amo histórias que se passam na época medieval, e sendo na Escócia então, já quero ler agora mesmo. A história promete ser muito envolvente, apaixonante e repleta de aventuras com essa protagonista forte, determinada e guerreira. Vou adorar acompanhar o amadurecimento do relacionamento do casal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Se é romance histórico, com certeza é bom. Me parece muito profundo a narrativa e tudo em torno dos personagens. Como você diz que o romance nasce as poucos, eu adoro assim bem leve no começo, pois flui muito melhor.

    ResponderExcluir