Newsletter

assine a newsletter!

E receba a notificação de novos posts por e-mail

março 07, 2017

[Resenha] Cilada para um Marquês – Sarah MacLean

Por Paola Aleksandra

“De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.” Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares. Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela. No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço. O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam
Romance de Época | 320 Páginas | Editora Gutenberg| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 4/5
Antes de mais nada preciso dizer que a Sarah MacLean é uma das minhas autoras preferidas. Amo sua narrativa reflexiva e divertida, e amo ainda mais a personalidade desprendida e irreverente de suas protagonistas. Em uma sociedade dominada pela prepotência masculina, a autora cria histórias que exaltam a força feminina. Assim, sinto que é impossível ler um livro da Sarah e não se apaixonar pela mensagem que suas histórias trazem: da importância e da valorização da mulher dentro da sociedade (seja a do século XIX ou a dos tempos atuais). Tanto é que em Cilada para um Marquês, em meio a um romance extremamente bem-humorado e inusitado, o que se sobressai é o carisma de uma jovem que quer mais do que a sociedade dita, do que um nome significa e, principalmente, do que o dinheiro pode comprar.

Desde que o pai de Sophie comprou um título de nobreza, graças a sua extensa riqueza adquirida como comerciante, a vida da família Talbot não é mais a mesma. Decididos a construir um nome dentro da aristocracia inglesa, e também na intenção pouco sútil de casar suas filhas com homens de título, eles saíram do conforto de uma casa grande no interior e partiram para Londres. O problema é que a sociedade só aceita a família por causa do dinheiro que ela possui, e faz questão de desdenhar as mulheres Talbot, sua linhagem impura, e seus modos poucos tradicionais. O fato é que as Irmãs Talbot não são como as outras garotas da sociedade: elas falam o que pensam, abusam de roupas marcantes que valorizam seus corpos, adoram causar boatos e – claro – paquerar homens belos e charmosos. A única exceção é Sophie, a mais nova entre elas, que odeia a maneira com a qual a sociedade exclui e apelida sua família. Cansada de levar uma vida de aparências, a jovem decide fugir para a antiga casa dos pais no interior. O problema é que nessa fuga ela vai fazer duas coisas que odeia: depender de um homem nobre e aparentemente fútil (ninguém mandou ela pegar carona com ele, não é mesmo?) e criar um bafafá na sociedade ao escolher fugir com ninguém mais ninguém menos do que o Rei, Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, também conhecido como um dos maiores libertinos da sociedade.
Achei o livro extremamente divertido. O fato de a família Talbot ser diferente permitiu que a autora criasse um cenário irônico e muito bem-humorado. Criticar a sociedade da época é um dos pilares principais desse livro. Aqui, a autora fala das regras ridículas impostas pela aristocracia com propriedade e diversão, principalmente quando o assunto é o comportamento feminino. E é claro que eu amei isso. Por mais que ame esse gênero literário, sei o quanto essa época era machista, dominadora e preconceituosa. Portanto, meus livros preferidos entre os romances de época são sempre aqueles que vão além e mostram os pontos negativos do período. Além disso, Sophie é uma personagem que ganha e encanta o leitor logo nas primeiras páginas. Sua voz é ativa, sua personalidade é instigante, suas peripécias são dignas de um filme de Chick-Lit contemporâneo, e seus sonhos são reais e emocionantes. Muitas mulheres sonham com uma vida pacata, longe dos olhos críticos da sociedade, em que possam casar, criar seus filhos, ou ver nascer seu próprio negócio (como no caso de Sophie, que sonha em ter sua própria livraria). E eu adorei como conseguimos nos enxergar em Sophie, tanto em suas forças quanto em suas inseguranças. Fazia tempo que não encontrava uma protagonista assim, que me emocionasse e divertisse tanto.
Sophie, contudo, não adorava nada daquilo. Na verdade, ela amarrotou o jornal com fervor e refletiu sobre as opções de que dispunha. Opções, não. Opção. No singular. Porque a verdade era que as mulheres, na Inglaterra de 1833, não tinham opções. Elas tinham um caminho que deveriam trilhar. Que eram obrigadas a trilhar. E que deveriam se sentir gratas por serem obrigadas a trilhar esse caminho.
O romance também é pura fofura! Rei é um personagem meio reclamão mas que facilmente embarca nas loucuras proporcionadas por seu convívio com Sophie. Fora que ele traz para a história uma carga de drama que deixa o romance ainda mais tocante e cativante – amei esses dois juntos. O único grande problema é que me decepcionei com o final. A Sarah nunca cria desfechos previsíveis, mas nesse caso ela seguiu por um caminho totalmente esperado, e no sentido de ter optado pelo que seria mais fácil para a construção do clímax da história (até porque não tenho problema algum com finais clichês, só quando eles são pouco explorados pelo autor). Achei que tal detalhe diminuiu a beleza e o encanto do livro. Assim, uma leitura que eu tinha certeza que ia ser favorita, acabou na lista de decepções. MAS, veja bem, a história é ótima, só não teve um final tão bem explorado quanto gostaria que fosse. E levando em conta os livros maravilhosos que já li dessa autora, foi impossível não torcer para que o final fosse diferente.
Em linhas gerais a obra é divertida, cativante, emocionante e mega gostosa de ler. O final não é dos melhores, mas mesmo assim vale dar uma chance para esses personagens tão maravilhosos. E vale o mesmo para a autora: dê uma chance, tenho certeza que ela ganhará seu coração.
 • Sobre a Série •
Cilada para um Marquês faz parte da trilogia Escândalos e Canalhas. Cada livro é protagonizado por um casal diferente, entretanto é importante lê-los na ordem de publicação (pois os casais estão interligados).
Beijos, 




Participe Aqui

Comentários via Facebook

22 comentários:

  1. Oi Paola, eu também me diverti muito durante essa leitura e apesar no final não ter sido muito explorado como você disse a história me encantou tanto durante grande parte do livro que favoritei rsrs. Achei a capa da edição nacional muito linda e já quero a continuação. Sarah é uma autora incrível e mesmo quando não gosto tanto da história, consigo aproveitar a leitura e criar empatia pelos personagens. :) Curti demais a resenha ;)

    ResponderExcluir
  2. Pah!
    Não há como se querer perfeição em um livro que já traz tanto de irreverência, boas risadas, uma protagonista além do seu tempo, o final pelo menos, podemos relevar por causa de sua previsibilidade.
    “Saber de cor não é saber: é conservar aquilo que se deu a guardar à memória.” (Michel de Montaigne)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Olá, adorei sua resenha...e super legal, divertido na forma que falou dele..nunca li nenhum romance desses generos más eles sempre ficam ali me cativando por ler...
    Achei a historia super interessante, e também bem legal essa familia, e essa menina que fugiu, ummm ela não deveria ter feito isso, eu só acho!!
    Como será o final dessa historia!!?

    ResponderExcluir
  4. Oi Paa, adorei a resenha e adoro as histórias da Sarah, são sempre muito gostosas de ler!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha do livro, já está na minha lista de compras. Adoro romances de época, me faz viajar no tempo literalmente, fiquei empolgada com a ideia de Duquesa. ;)

    ResponderExcluir
  6. Me apaixonei pela Sophie Talbot de cara, porque ela não é o tipo de pessoa que vive de aparências, só porque passou a ser da nobreza.
    Ela faz o que pensa e luta pelo que é certo. Uma pessoa de fibra que defende seus interesses. Isso é muito importante, mostra que, mesmo com todas as represálias daquela época, já existiam mulheres que lutavam pelo bem comum.
    Adorei sua resenha,essa leitura tende a ser muito promissora, devido aos ensinamentos de virtualidade e conquista, e ao mesmo tempo divertida.....pois ja estou sentindo q a Sophie vai aprontar todas...kkkk
    E aproveitando que hoje é o dia das mulheres,o nosso dia, a escolha da resenha foi perfeita, pois por mais que ainda existam resistências e preconceitos com as mulheres, ja alcançamos várias conquistas e quebramos muitos paradigmas.
    Parabéns mulheres!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Paola!!
    Gostei muito do livro. Gosto de livros de romances de época, e esse parece ser legal pela resenha.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Katharine Emídio8 de março de 2017 21:30

    Paah, estou louca para ler este livro!! Amo a escrita da Sarah e eu também não apresento nenhum problema com finais clichês, só quando são rápidos e sem a devida aprofundação. Amei a resenha e espero me apaixonar por mais esse casal!! Super Beijo

    ResponderExcluir
  9. Oi Paola! Ótima resenha!
    Adorei a capa deste livro, assim como a premissa. Ainda não li nada da autora, mas fiquei curiosa para ler esse livro e conhecer essa série. Gosto muito de livros com protagonistas fortes e inspiradoras. Também gostei de saber que a história é divertida, porque adoro um livro com bons toques de humor. Pena que o final não foi o que você esperava. Já passei por isso e é um pouco decepcionante mesmo.
    Mas com certeza vou incluir esse livro nas minhas metas de leitura. Quero ler mais romances de época também! :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  10. Amei a capa,linda <3
    Já me conquistou quando li romance bem-humorado. Gostei tambem de saber o jeito de Rei, esse vai ser um personagem que tenho certeza que ira me conquistar.
    Ainda não li os primeiros, mas foi bom saber que preciso e adoro quando é uma série e os personagens são interligados
    http://livrosseriesfilmesemais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Paola, eu ainda não tive a chance de ler alguma obra dessa autora e pretendo mudar isso o quanto antes. Ah, Londres... <3 Vou acabar morando lá (rsrsrs).
    Eu amei cada detalhe dessa história. A sociedade aceitando a família apenas pelo dinheiro deles, as mulheres não estando nem aí pra bagaça, a Sophie tendo de que passar pelo que mais despreza. Nem preciso dizer que esse livro entrou para o primeiro lugar dos livros da autora que eu preciso ler né.
    Beijos
    [SORTEIO]Baile Literário
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  12. Eu comprei esse livro essa semana sem saber muito sobre ele, mas sua resenha me deixou loucaa para lê-lo. Adoro romances de época, sempre me fazer desejar fazer uma visita aos mocinhos <3

    ResponderExcluir
  13. Faz séculos que quero ler algo dessa autora, mas sempre fico adiando :/ E agora que to sem tempo :/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Pah
    Também amo toda essa abordagem do lado negativo da época, acho essencial. O bom é que algumas autoras desenvolvem de maneira divertida. Adorei saber que a autora trabalhou bem nisso e no romance em si. Uma pena que o final deixou a desejar.
    Espero ler o livro em breve.

    ResponderExcluir
  15. OI Pah.
    Vir muito gente reclamando desse final.
    Uma pena realmente.
    Esse livro está na minha lista a bastante tempo, adoro personagens recalmões kkkkkkkk são os melhores.
    O casal parece ser bem divertido, e pelo que li no começo a mocinha é uma guerreira, adoro que a autora fez uma critica a sociedade de antigamente, mas confesso que gostaria de ter nascido naquela época kkkkkkkkk, pelo menos eu acho :).
    Adorei.
    bjs.

    ResponderExcluir
  16. Só em ler a sinopse e já me encantei *---* Já entrou na lista de livros que preciso ler desesperadamente rsrs Obrigada pela indicação <3

    ResponderExcluir
  17. Sou apaixonada por Romance, porém nunca li um de época, gostei desse vou procurar para comprar...

    ResponderExcluir
  18. Não costumo ler livros de romance de época, mas adoro quando as mulheres mostram que são mais do que apenas nomes ou propriedade de homens, gostei bastante da resenha e fiquei com vontade de ler, quem sabe esse seja o romance que faça eu gostar dos livros de época, não é mesmo?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Acho linda as capas dos livro da Sarah, já sou doida para ler e com essas capas...

    ResponderExcluir
  20. Adorei aquele rotulo de Irmãs Perigosas que livro tem porque parece que as mulheres são fortes. Gosto de livro assim.
    Então as irmãs Talbot, é exatamente como pensei que fosse, rebeldes, usam e abusa da sedução, e não leva a serio a tradição da época.
    Isso acaba sendo bastante divertido, engraçado de acompanhar (você tem razão) pois você acaba ser divertido juntos com as irmãs.
    Eu ainda não li nenhum livro da autora, devo confessar. Porém saber que ela é uma das suas autoras favoritas me animada bastante para futura leitura. Adorei a resenha como sempre digo a ti. Beijos

    ResponderExcluir
  21. Olha o tanto que tu falou que amava essa autora já estou pesquisando alguns livros da mesma para poder adicionar a lista rs. Só de ler sua resenha eu notei que a leitura deve ser gostosa, eu tenho um carinho por livros de época. A Sophie mesmo que se pôs em problemas se parece comigo que sempre causo confusão rsrs.

    ResponderExcluir
  22. Os livros da Sara são muito apaixonantes e pelo visto esse não vai ser exceção. O formato de colunas de jornal no inicio dos capítulos lembra muito o da serie Love by Numbers e a do Clube dos Canalhas. Preciso ler imediatamente.

    ResponderExcluir

Resenhas

© Livros & Fuxicos – Desenvolvimento com por Subir