Newsletter

assine a newsletter!

E receba a notificação de novos posts por e-mail

Tudo se inicia com a vida de um homem simples e trabalhador que pregava o Evangelho de Deus, Bíblia, nas estações de trem, trens e no centro da cidade de São Paulo aos sábados. Seu filho, um menino cego, cresceu ouvindo histórias (ensinamentos, amor, direitos e deveres) contadas pelo pai, principalmente antes de dormir. O garoto tem seu pai como um ídolo, mas presencia seu herói humilhado, desrespeitado e desacreditado em suas palavras quando prega, não entende qual é o propósito de vida dele e o que ele procura com essa atitude. Um acidente leva à morte de seu pai, mas o que era para ser o fim se torna o começo de uma grande história. Seu pai é doador de órgãos, e eles são transplantados em quatro pessoas: em um homem rico que não tem herdeiros; um advogado de sucesso; uma professora aposentada; e no seu próprio filho que muda seus pensamentos sobre o mundo ao ver ao seu redor uma realidade diferente daquele que sempre imaginou. A curiosidade de conhecer e a vontade de agradecer aos familiares da pessoa que salvou suas vidas levam os transplantados a procurarem a família do doador. Um livro que vai levar o leitor a pensar, rir, emocionar-se e ter certeza que ser honesto, lutar pelos seus ideais e ajudar o próximo é um dever, e ser doador de órgãos, uma divindade.
312 Páginas|  Editora Biblioteca 24Horas| Skoob | Compare & Compre: Editora Biblioteca 24HorasAmazon| Conheça o Autor| Classificação 4,5/5
O Legado do Justo é o tipo de livro que transborda, desde a primeira página, valiosos ensinamentos sobre amor, respeito e honestidade. Ao falar de assuntos polêmicos – como doação de órgãos, preconceito, disparidade social e serviço a Deus – o autor criou uma história emocionante e reflexiva, que toca o leitor ao mesmo em tempo em que incita nele a vontade de repensar seus valores de vida. Aqui é importante fazer a leitura com o coração, e não apenas com a razão, pois só assim conseguimos sentir o debate criado através da figura de um jovem que, apesar de cego, enxerga o mundo com mais destreza do que muitos homens perdidos no vazio da ganância e do poder.

A obra gira em torno de Daniel, jovem que nasceu cego e que apesar das dificuldades encontra na figura do pai – seu grande herói – motivação mais que suficiente para seguir em frente. Acompanhamos a história do garoto desde a infância e vemos, com o decorrer da narrativa, ele crescer e amadurecer: adolescência, período escolar, vestibular, faculdade, primeiro emprego e, então, as típicas aventuras da vida adulta. E intercalada à história de Daniel, e a relação incrível que ele tem com o pai, conhecemos também algumas figuras aleatórias: uma professora aposentada, um advogado rígido e engomado, e até mesmo um ricaço desbocado. Todos esses narradores, assim como Daniel, possuem alguma especialidade ou limitação física e, de uma forma incrível e surpreendente, graças a um mesmo doador de órgãos a história deles se unirá. A partir desse gesto de amor todos eles receberão uma nova chance de viver plenamente e também, quem sabe, de retribuir tal gesto de amor gratuito que mudou suas vidas.
Uma das coisas mais notáveis da história é a relação de Daniel com o pai. A família do garoto é simples e já passou por algumas dificuldades financeiras, mas é fato que são unidos, esperançosos e extremamente justos. O pai de Daniel é uma figura que irradia amor e entrega; sem se importar com a o preconceito ou com os obstáculos impostos pela vida, ele prega a Palavra de Deus e, com ações de respeito e fraternidade, mostra o que esse amor grandioso significa. Nesse ponto é importante dizer que o livro não tem conotação religiosa – ele não fala sobre uma religião específica – mas sim sobre Deus, Seus ensinamentos, Sua Palavra e, o mais importante, como Ele guia nossos corações e nos ensina a amar sem medida. Assim, a questão principal é que Daniel cresce ao lado de um homem incrível, de um pai presente, temente, bondoso, caridoso e extremamente justo. Esse é o maior legado que ele poderia deixar ao seu filho, e aqui – como futura mãe – senti o quanto é importante mostrarmos (com gestos muito mais do que com palavras) aos nossos filhos os valores que carregamos no peito. Tanto é que ao longo do livro vemos como Daniel segue os passos do pai e coloca em prática, mesmo sem perceber, os valores que um dia recebeu em casa.
“Não, olha para mim, eu sou negro, tenho orgulho das minhas origens. Meu pai me ensinou que tenho que me aceitar, amar e ter orgulho do que sou, aceitar as diferenças faz parte da vida dos justos, é o básico da civilização moderna.”
Além de uma relação incrível entre pai e filho e de trazer uma mensagem importante sobre alicerce familiar, Alberdam também encanta ao falar dos preconceitos que dominam nossa sociedade. Uma hora Daniel é excluído por ser cego, outra por ser pobre, outra por sua cor, outra por sua fé... e assim seguimos através de relatos reais, que infelizmente fazem parte do dia a dia de inúmeras pessoas, sobre a disparidade social gigantesca que afasta uma comunidade que, no fundo (seja metaforicamente ou não), é composta por homens e mulheres extremamente iguais. Além disso, o livro também aborda corrupção, desvio de verbas, leis que não favorecem os mais pobres e transplante de órgãos (algo que amei ver no livro). Ou seja, a história é recheada de temas importantes e reflexivos, que fazem o leitor avaliar suas escolhas e repensar o quanto está se doando pelo próximo.
Uma coisa importante é que a narrativa do autor é detalhada e carregada de emoção. É perceptível para o leitor que os valores do Alberdam estão nessas páginas, portanto trata-se de um livro que vai bem além da história de vida do protagoniza e que traz a contemplação de temas importantes na intenção de quebrar – nem que seja só um pouco – as barreiras do preconceito e da desigualdade social. Ou seja, estamos falando daquele tipo de história perfeita para os momentos em que buscamos inspiração e força, e não quando procuramos um leve e romântico entretenimento. O que encontramos aqui é uma narrativa mais lenta que exige do leitor tempo e esforço mental. E sobre isso, não vou negar que sou do time que gosta de livros fluidos (aqueles que devoramos em poucas horas) e que estranhei um pouco a escrita do autor, contudo preciso dizer que mesmo demorando um pouco mais para terminar a leitura sinto que valeu a pena conhecer Daniel. Aprendi bastante com o jovem e com os ensinamentos deixados por seu pai.

Gostou da resenha? Então que tal concorrer a um exemplar do livro? Para participar basta:
• Possuir endereço de entrega no Brasil;
• Preencher o seguinte formulário:
Prontinho, agora você já está participando! A promoção fica no ar até o dia 07 de Julho e o ganhador será divulgado no dia seguinte. Lembrando que o mesmo tem até 48 horas para responder o contato de solicitação de endereço, se não, realizaremos um novo sorteio. Além disso, vale salientar que o envio do prêmio pode demorar até 40 dias.

Beijos,




Comentários via Facebook

21 comentários:

  1. Só a sua resenha já me deixou reflexiva, então quero muito ler esse livro! Doação de órgãos é sempre um tema delicado e gostaria de ver como é abordado no livro! Ótima resenha!! 😘

    ResponderExcluir
  2. Que livro tocante ! Percebemos que desde a primeira página, o livro traz lições que o leitor leva pra vida toda, além de repensar toda a sua vida e como vem vivendo.
    Adoro livros que falam de Deus, de seus ensinamentos e nesse livro em questão, tratar de um assunto como doação de órgãos, mostra que o bem deve vir em primeiro lugar.
    Eu estou participando do sorteio :)
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Oi Paola! Adorei a resenha!
    Gostei muito da premissa deste livro. Os temas abordados pelo autor são muito importantes de serem discutidos na sociedade e achei muito interessante ele ter inserido esses temas na obra.
    Parece ser uma leitura comovente e repleta de reflexões. Fiquei curiosa para fazer a leitura :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Pah!
    Assim que li a sinopse percebi que esse livro seria bem emocionante, achei muito legal esse livro falar sobre doação de órgãos (quero fazer parte disso algum dia), gosto também de o livro falar sobre Deus sem abordar uma religião específica, mas confesso que gosto mais de livros não tão reflexivos e com uma leitura mais fluida.
    Deve ser uma otima pedida para quem gosta desse tipo de livros.
    Otimo resenha como sempre :)

    ResponderExcluir
  5. Pah!
    Adoro livros que trazem as relações familiares, ainda mais com um protagonista que não enxerga, entretanto, transborda amor e tem uma relação fantástica com o pai.
    Sem contar com todos ensinamentos que o livro deve trazer.
    Fiquei encantada!!

    Participo e mais tarde sairá divulgação no blog.
    RUDYNALVA CORREIA SOARES
    rudynalva@yahoo.com.br
    Boas festas juninas!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Pah!
    Adorei saber um pouquinho da história de vida do Daniel e dos conflitos dele também.
    A relação da família com ele parece ser bem carinhosa. Os temas abordados estão bem atuais e gostei da temática do transplante de órgãos.
    Amo livros emocionantes assim s2

    ResponderExcluir
  7. Otimo livro leitura deliciosa adorei.Recomendo .
    Aline Du

    ResponderExcluir
  8. Não tenho palavras para descrever o quanto que eu me apaixonei pela resenha desse livro, de todas as resenhas que já li nesse canal, essa foi uma das que mais me prendeu. Estou encantada com essa história, sei que vou me prender ela do começo ao fim. Espero muito ganhar um exemplar dessa vez...que a sorte esteja comigo nesse sorteio...kkk Um super beijo, Pah!

    ResponderExcluir
  9. Nossa, eu me emociono muito com livros com temáticas fortes e que falam sobre a relação de pai e filho, livros que trazem temáticas sérias, como o preconceito, para serem debatidos são muito importantes e válidos. Adorei o jeito cuidadoso como você escreveu a resenha, Paola! <3

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro e nem o autor. Não costumo ler muito sobre esses temas, mas estou tentando, aos poucos, incluí-los em minha literatura. Gostei do que li na resenha e vou fazer um de tudo para poder ler.

    ResponderExcluir
  11. Ai esse livro já vi que vou me encantar! Adoro livros com temas reflexivos, que nos fazem pensar, até mesmo crescer como pessoas. Vou acrescentar na minha lista já, Pah!

    ResponderExcluir
  12. Oi Pah,
    Não conhecia esse livro mas fiquei completamente tocada lendo a sua resenha. Que história reflexiva e emocionante, amo livros que abordam temas importantes e que trazem um belo relacionamento familiar, e a relação do Daniel com o pai dele é inspiradora e enche o nosso coração de amor e fé no ser humano.
    Pelo jeito é um livro bem intenso e carregado de emoção, pois aborda tantos temas reflexivos como preconceitos e disparidade social e, principalmente, por ser uma história carregada de valiosas lições. Adorei que o livro aborda esse gesto de amor que é a doação de órgãos. Fiquei bem interessada em ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Uauu, parece lindo! Fiquei super curiosa com o modo da abordagem!! Livros que envolvem alguma limitação sempre me emocionam muito! Obrigado pela dica, Pah!!
    Participando do sorteio!!

    ResponderExcluir
  14. Oi! Uau, essa sinopse mais resenha foram um tiro na minha face. Adoro livros com muita intensidade, e pelo jeito como você falou do livro parece ser bem emocionante, com uma temática que mesmo quando terminar de ler o livro ela ainda vai permanecer na cabeça. Não me lembro de ler um livro falando sobre doação de órgãos, junto da importância dessa ação. Bom saber que tem autor nacional se importando com o tema que e tao importante. Fiquei bastante interessada para ler o livro e ler sobre essas lições de vida :)

    ResponderExcluir
  15. Me intrigou muito a sua resenha desse livro. Não é o estilo que costumo ler mas tenho tentado ampliar meu gosto literário.

    ResponderExcluir
  16. E a primeira vez que vejo falar sobre esse livro, e confesso que me surpreendi com sua resenha, até porque o livro retrata a estória de um personagem que tem uma deficiência visual, e por isso acaba tendo que se apoiar em seu pai, e vamos seguindo a trajetória de sua vida desde a infância a vida adulta. O que deu para notar e que esta leitura e envolvente e cativante, e por isso me interessei pela leitura.
    Participando.
    lannawesley@gmail.com

    ResponderExcluir
  17. Um livro para refletir bastante, e com um assunto muito importante para os dias atuais. Uma verdadeira concientização sobre a doação de orgãos.

    ResponderExcluir
  18. Olá Pah,
    Que historia maravilhosa.!
    É tão bom ver que o filho tem uma relaçao encantadora com o pai, muitos pais hoje em dias já não liga muito pros filhos, deixa sempe de lado. A premissa do livro e muito incrivel, a trama tem aquele amor incodicional de uma familia unida e que nós somos filhos e que levamos o aprendizado da nossa familia para frente e passando pra geração futura. A leitura e muito envolvente e cativante, seria uma otima tranquilidade para pessoa.

    ResponderExcluir
  19. Parece ser realmente um livro lindo, que nos inspira a ser pessoas melhores e refletir sobre nosso papel na sociedade. Realmente gosto de livros assim, que nos ensinam sobre a vida e nos facam pensar sobre as atitudes que estamos tendo e que tipo de pessoa queremos ser. Espero me emocionar tanto qto vc na leitura!

    Participando
    carolina_ofds@hotmail.com

    ResponderExcluir
  20. Parece um livro muito enriquecedor. É sempre bom ler livros que nos fazem refletir sobre nós mesmos, as vezes percebemos que estamos repetindo uma atitude que não é legal e não tínhamos nos dado conta disso.

    ResponderExcluir
  21. Que legal! Uma história de superação, e também de amizade e cumplicidade entre pai e filho. Parece ser um livro muito bom, onde mostra o que é realmente importante na vida. Quero ler!!

    ResponderExcluir

Resenhas

© Livros & Fuxicos – Desenvolvimento com por Subir