[Resenha] Boo, Minha Vida Após A Morte – Neil Smith (+ Sorteio)

Oliver Dalrymple é o típico “looser” americano: aos 13 anos, magro e pálido como um fantasma, está mais interessado em biologia e química do que em esportes e vida social. Um dia, enquanto se recupera de um dos frequentes episódios de bullying de que é vítima recitando a tabela periódica em frente a seu armário, ele desfalece para sempre. E é aí que sua verdadeira vida começa. O “céu” onde Oliver acorda depois do que acredita ter sido uma parada cardíaca em função de um problema congênito chama-se Cidade e é povoado por pessoas que morreram aos 13 anos, como ele e seu colega de escola Johnny Henzel, que chega dias depois de Boo à Cidade, trazendo notícias perturbadoras sobre a causa da morte deles. Notícias que mudam para sempre a percepção de Oliver Boo sobre sua personalidade e seu lugar no mundo. Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, Boo é um romance cativante sobre amizade, confiança, bullying e a difícil tarefa de ser adolescente.
Jovem Adulto| 336 Páginas|  Editora Rocco| Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação 4/5
Você já pensou no céu e em como sua vida após a morte será? Em Boo descobrimos que é o céu é uma versão desatualizada da terra e que Deus, apelidado carinhosamente como Zig, adora escrever certo por linhas tortas. O livro é diferente de tudo o que já li. Com um cenário extremamente inusitado – afinal, trata-se de um garoto morto em um além bem diferente da ideia de céu azul e anjinhos fofos – e uma trama reflexiva que aborda assuntos como bullying, preconceito e violência, Neil Smith ganhou meu coração. Confesso que não foi fácil amar esse livro, contudo foi impossível não ser modificada por ele. Depois da história de morte do Boo, sem dúvida, nunca mais serei a mesma.


Antes que eu vá – Lauren Oliver

Oi galera! Tudo bem com vocês? Ainda debatendo sobre o Bullying, tema central das publicações do Livros & Fuxicos durante essa semana, resolvi reforçar a indicação de um dos melhores livros que li nos últimos tempos: Antes que eu Vá, da Lauren Oliver. O livro é impactante e extremamente reflexivo, do tipo que entra para a lista de histórias que todo mundo tem que ler. Curiosos? Então vêm conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

Bullying nos Filmes

Oi galera! Tudo bem com vocês? Hoje teremos mais um post da semana de debate sobre o bullying, só que dessa vez indicarei filmes que giram em torno desse tema.
O bacana de assistirmos filmes que falam sobre o assunto é que a crueldade do bullying torna-se visual, impactando ainda mais os telespectadores. Ás vezes, precisamos de um choque de realidade para entender o quão sério é o debate contra o bullying, portanto preparem-se para filmes dolorosamente reais. Vêm ver:

Bullying nos Livros

Oi galera! Tudo bem com vocês? Hoje iniciamos uma semana recheada de indicações e debates sobre o bullying, um tema muito real e presente nos dias atuais. Para começar com o pé direito reuni livros que falam sobre o tema com propriedade, veracidade e, em alguns casos, leveza. 
Jovens, adultos, professores e crianças... todos devem dar uma chance a esses livros reflexivos e marcantes. Curiosos? Então vêm conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

[Resumo do Mês] As DEZ Leituras de Fevereiro (2017)

Oi galera! Tudo bem com vocês? Hoje vou contar quais foram as minhas dez leituras de Fevereiro. Li muita coisa boa, então eis a dica: preparem-se para um vídeo recheado por livros incríveis. Vem conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

[Fuxicando Sobre Chick-Lits] Destinado - Carina Rissi



Oi gente linda!

O Desafio Fuxicando Sobre Chick-Lits 2017 está seguindo por aqui e estou adorando a participação de vocês ♥

Para cumprir a TERCEIRA meta, li esse mês Destinado, de Carina Rissi e, assim, risquei da lista o item #10: Ler um chick-lit cujo título seja formado por uma só palavra. 


[Resenha] Os Impostores (A garota do Cemitério) – Charlaine Harris, Christopher Golden e Don Kramer

Ela adotou o nome Calexa Rose Dunhill, inspirada numa lápide do sombrio ambiente em que acordou, ferida e apavorada, sem qualquer lembrança de sua identidade, de quem a jogou lá para morrer ou mesmo do porquê. Fez do cemitério o seu lar, vivendo escondida numa cripta. Mas Calexa não pode se esconder dos mortos – e, quando descobre que possui a estranha capacidade de ver as almas se desprenderem de seus corpos... Então, certa noite, Calexa presencia um grupo de jovens praticando uma sinistra magia. Horrorizada, testemunha o ato insano que eles cometem. Quando o espírito da vítima abandona o corpo, ele entra em Calexa, atormentando sua mente com visões e lembranças que parecem não ser dela. Agora, Calexa deve tomar uma decisão: continuar escondida para se proteger – afinal, alguém acredita que ela está morta – ou sair das sombras para trazer justiça ao angustiado espírito que foi até ela em busca de ajuda?
Fantasia (HQ) | 128 Páginas | Cortesia Editora Valentina | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon| Classificação: 4/5
Ultimamente tenho feito da leitura de quadrinhos um hábito – adoro essas histórias repletas de mistério, aventura e ilustrações maravilhosas. Contudo, o que chamou minha atenção em A Garota do Cemitério foi o nome, de peso por sinal, da Charlaine Harris. Apesar de ter lido poucos livros dela (só os de True Blood para ser mais exata) gosto bastante de suas histórias, tanto é que mesmo com altas expectativas fui completamente surpreendida por seu novo e inusitado livro. E sabe por qual motivo? Por a história da garota do cemitério ser diferente da maioria dos livros que já li. Aqui, além da aventura e fantasia, uma protagonista jovem, determinada, e completamente solitária. – Já imaginou ser abandonada em um cemitério e não ter memória alguma da sua antiga vida? Pois bem, é exatamente assim que essa história começa.


5 Motivos para assistir A Bela e a Fera


Impossível falar de outra coisa que não seja a nova e MARAVILHOSA versão de A Bela e a Fera. Assisti ao filme na sexta-feira e ainda sinto o coração aquecido por essa história cativante, divertida, reflexiva e, principalmente, mágica. Fazia tempo que não saia do cinema com a sensação gostosa de ter vivido, por algumas horas, um verdadeiro conto de fadas. Por isso, caso você ainda esteja na dúvida se deve ou não dar uma chance para a história, decidi elencar cinco motivos que fazem A Bela e a Fera ser um filme tão especial e digno de uma visita ao cinema. Vêm ver:

[Vem por aí] Novidades Literárias de Março

Olá galera, tudo bem? Hoje é dia de conferir as novidades literárias do mês de Março. E mais uma vez deixo o apelo: preparem os bolsos porque esse mês promete lançamentos incríveis!
Novidades Nacionais
Óbvio que começaria o post com essa edição maravilhosa de A Bela e A Fera. Apesar de esse ser o meu conto de fadas preferido, confesso que nunca li a história que deu origem ao filme. Por isso, fiquei bando nessa edição assim que bati o olho nela. Também estou muito ansiosa (e babando horrores nessas capas lindas) para ler os romances de época: Quando a Bela Domou a Fera (dizem que a autora é extremamente talentosa); Victoria e o Patife (ADORO os livros de época da Meg); e Amor para um Escocês (sempre me surpreendo com os livros da Sarah).

[Resenha] A Ditadura da Beleza e a Revolução das Mulheres – Augusto Cury

Com mais de 2 milhões de livros vendidos no Brasil, Augusto Cury retrata neste romance o cotidiano de mulheres que sofrem caladas as consequências de uma cruel realidade do mundo moderno: a ditadura da beleza. Apoiando-se em sua vasta experiência como psiquiatra e pesquisador, Cury dá um grito de alerta contra essa forma de opressão que vem deixando mulheres, adolescentes e até crianças tristes, frustradas e doentes. Influenciadas pela mídia e preocupadas em corresponder aos inatingíveis padrões de beleza que são apresentados, milhares de mulheres mutilam sua autoestima - e, muitas vezes, seus corpos - em busca da aceitação social e do desejo de se tornarem iguais às modelos que brilham nas passarelas, na TV e nas capas de revistas. Ao tratar de um tema tão atual, este livro faz com que o leitor se identifique imediatamente com os personagens e sua luta por uma vida mais plena, em que cada pessoa se sinta livre para ser o que é, sem se envergonhar de sua aparência e sem se comparar a ninguém
208 Páginas | Editora Sextante | Skoob | Compare: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 4/5 | Resenha da Kamila Mendes 

Sempre tive um pé atrás com os livros do Augusto Cury. Nada contra o autor, mas toda vez que tentava ler um livro dele ficava presa logo no início e perdia o interesse. Contudo, confesso que com esse livro minha experiência foi completamente diferente. Até porque, apesar de fazer parte do gênero autoajuda (como a maior parte dos livros de Cury), a obra também se encaixa no gênero romance. E não aquele tipo de romance entre casais, mas sim um muito mais importante: o amor próprio.

[Dica] Lua Azul e a Terra Paralela – Leca Haine

Olá, galera! Como vocês estão? A dica de hoje é para quem gosta de livros jovens e repletos de fantasia. – Já imaginou se existisse uma realidade paralela igualzinha ao nosso mundo? Será que você seria o mesmo nessa Terra Paralela?
Ou veja direto no Youtube: aqui.

[Resenha] Escândalos na Primavera – Lisa Kleypas

Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa. Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift. Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado? Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos Na Primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.
Romance de Época | 288 Páginas | Cortesia Editora Arqueiro| Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon| Classificação: 5/5
Mais um livro da Lisa para chamar de queridinho. Escândalos na Primavera fecha com chave de ouro uma série repleta de bom-humor, reflexão, paixão e mistérios. No verão vimos quatro amigas, consideradas pela sociedade como flores secas (ou seja, futuras solteironas), unindo-se na intenção de contrair matrimônio. Ao longo das estações cada uma delas encontrou seu amor verdadeiro, e agora – na primavera – é a vez de Daisy, a mais jovem e sonhadora entre elas, encontrar o homem da sua vida. O único problema é que o pai da jovem está cansado de esperar o amor bater à sua porta e, ansiando urgentemente por um casamento vantajoso, planeja unir a filha com alguém que ela despreza. Agora as flores secas terão que ajudar a amiga a fugir de um casamento fadado ao fracasso e, em pouco tempo, encontrar um partido que esteja a altura do bondoso coração de Daisy. – O que será que as flores secas aprontarão dessa vez? Artimanhas e planos mirabolantes, com certeza!


[Fuxicando Sobre Chick-Lits] Séries de Chick-Lits + Dicas para o desafio (Itens 7 a 12)


Oi pessoal!
Vamos dar continuidade às dicas do Desafio Fuxicando sobre Chick-Lits 2017?
Pra quem não conferiu, o post com as dicas para os itens 1 a 6 saiu no mês passado, e você pode vê-lo aqui!


Book Haul| Aquisições de Fevereiro

Olá, galera! Como vocês estão? Hoje é dia de Book Haul! Vou mostrar tudo que recebi no último mês – e, como de praxe, saliento que o vídeo está recheado de livros incríveis. Vem conferir:
Ou veja direto no Youtube: aqui.

[Resenha] Fogo, como tudo começou – Kristin Cashore

Não é um tempo de paz nos vales. O jovem rei Nash se apega a seu trono, enquanto senhores rebeldes no norte e no sul reúnem exércitos para derrubá-lo. As montanhas e florestas estão cheia de espiões, ladrões e homens sem lei e honra. Isso é onde Fire vive. Com uma aparência selvagem, irresistível com cabelos da cor das chamas do fogo, Fire é a última remanescente de uma raça de monstros humanos, com habilidades especiais. Igualmente odiada e adorada, que tinha a capacidade única de controlar a mente das pessoas, mas ela guarda seu poder, sem vontade de roubar os segredos de pessoas inocentes. Especialmente quando ela mesmo tem tantos. Mas então o príncipe Brigan trata de trazê-la a cidade do rei. A família Real precisa de sua ajuda para descobrir a trama contra o rei. Longe de casa, Fire começa a perceber que há mais em seu poder do que ela jamais sonhou. Seu poder pode salvar o reino... Se ela não tiver medo de se tornar o monstro que seu pai um dia foi...
Fantasia Medieval | 512 Páginas | Cortesia Editora Rocco | Skoob | Compare & Compre: Saraiva • Submarino • Amazon | Classificação: 3,5/5 | Resenha da May
Fogo faz parte da trilogia Graceling da autora Kristin Cashore, entretanto sua história acontece trinta anos antes dos acontecimentos do primeiro volume, Graceling – o dom extraordinário, logo ele pode ser lido antes ou de forma independente do livro anterior. Li Graceling há muitos anos, e quando efetuei esta leitura fui completamente arrebatada por uma narrativa fluida e gostosa, e por uma mitologia única e diferenciada que fez a obra tornar-se um dos meus livros de fantasia medieval favoritos da vida. Ou seja, minhas expectativas com Fogo estavam nas alturas – apesar do tempo que passou entre uma leitura e outra – e sinto dizer que a leitura não foi tudo aquilo que eu esperava.



[Resenha] Cilada para um Marquês – Sarah MacLean

“De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.” Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares. Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela. No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço. O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam
Romance de Época | 320 Páginas | Editora Gutenberg| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 4/5
Antes de mais nada preciso dizer que a Sarah MacLean é uma das minhas autoras preferidas. Amo sua narrativa reflexiva e divertida, e amo ainda mais a personalidade desprendida e irreverente de suas protagonistas. Em uma sociedade dominada pela prepotência masculina, a autora cria histórias que exaltam a força feminina. Assim, sinto que é impossível ler um livro da Sarah e não se apaixonar pela mensagem que suas histórias trazem: da importância e da valorização da mulher dentro da sociedade (seja a do século XIX ou a dos tempos atuais). Tanto é que em Cilada para um Marquês, em meio a um romance extremamente bem-humorado e inusitado, o que se sobressai é o carisma de uma jovem que quer mais do que a sociedade dita, do que um nome significa e, principalmente, do que o dinheiro pode comprar.


UNBOXING • Amazon (+ Semana de Ofertas)

Oi galera! Tudo bem com vocês? Quem aí AMA vídeo de recebidos? E semana de promoção na Amazon? Eu adoro as duas coisas! Tanto é que o vídeo de hoje é bem especial: recebi um presente lindo da Amazon e aproveitei para compartilhar algumas promoções com vocês. Curiosos? Então vêm conferir: 


Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

5 Coisas que Odeio ver em Livros

Oi galera! Tudo bem com vocês? O vídeo de hoje é inusitado e – já aviso – com alto teor de desabafo! Vim contar para vocês cinco coisas que me irritam em certas tramas literárias. Curiosos? Então vêm conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

[Resenha] Crave a Marca – Veronica Roth

Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.
Fantasia Distópica | 480 páginas | Cortesia Editora Rocco | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 4/5 | Resenha da May
Crave a Marca surpreende e prova a capacidade que a autora Veronica Roth tem de criar e inovar. Aqui, somos apresentados a um universo distópico regido por uma força da natureza chamada Corrente. Esse poder está presente em tudo e em todos e, exatamente por isso, se manifesta em cada pessoa através da concessão de dons extraordinários e únicos – dados de acordo com a personalidade do indivíduo. A ideia de seres únicos e poderosos pode não parecer inovadora, mas é fato que o universo criado pela Veronica é completamente distinto (até mesmo quando comparado com Divergente) e instigante.

[Resumo do Mês] As NOVE Leituras de Janeiro (2017)

Oi galera! Tudo bem com vocês? Hoje - finalmente - vou contar quais foram as minhas nove leituras de Janeiro. Adianto que comecei o ano com o pé direito e li muita coisa incrível. Vem conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

Top Comentarista de Março

Bom dia, galera! Tudo bem com vocês? Aproveitaram muito o Carnaval? Está no ar a edição do Top Comentarista de Março! Dá uma espiadinha nos incríveis prêmios desse mês:


Gostou? Então vem participar!