[Resenha] Os Impostores (A garota do Cemitério) – Charlaine Harris, Christopher Golden e Don Kramer

Ela adotou o nome Calexa Rose Dunhill, inspirada numa lápide do sombrio ambiente em que acordou, ferida e apavorada, sem qualquer lembrança de sua identidade, de quem a jogou lá para morrer ou mesmo do porquê. Fez do cemitério o seu lar, vivendo escondida numa cripta. Mas Calexa não pode se esconder dos mortos – e, quando descobre que possui a estranha capacidade de ver as almas se desprenderem de seus corpos... Então, certa noite, Calexa presencia um grupo de jovens praticando uma sinistra magia. Horrorizada, testemunha o ato insano que eles cometem. Quando o espírito da vítima abandona o corpo, ele entra em Calexa, atormentando sua mente com visões e lembranças que parecem não ser dela. Agora, Calexa deve tomar uma decisão: continuar escondida para se proteger – afinal, alguém acredita que ela está morta – ou sair das sombras para trazer justiça ao angustiado espírito que foi até ela em busca de ajuda?
Fantasia (HQ) | 128 Páginas | Cortesia Editora Valentina | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon| Classificação: 4/5
Ultimamente tenho feito da leitura de quadrinhos um hábito – adoro essas histórias repletas de mistério, aventura e ilustrações maravilhosas. Contudo, o que chamou minha atenção em A Garota do Cemitério foi o nome, de peso por sinal, da Charlaine Harris. Apesar de ter lido poucos livros dela (só os de True Blood para ser mais exata) gosto bastante de suas histórias, tanto é que mesmo com altas expectativas fui completamente surpreendida por seu novo e inusitado livro. E sabe por qual motivo? Por a história da garota do cemitério ser diferente da maioria dos livros que já li. Aqui, além da aventura e fantasia, uma protagonista jovem, determinada, e completamente solitária. – Já imaginou ser abandonada em um cemitério e não ter memória alguma da sua antiga vida? Pois bem, é exatamente assim que essa história começa.


5 Motivos para assistir A Bela e a Fera


Impossível falar de outra coisa que não seja a nova e MARAVILHOSA versão de A Bela e a Fera. Assisti ao filme na sexta-feira e ainda sinto o coração aquecido por essa história cativante, divertida, reflexiva e, principalmente, mágica. Fazia tempo que não saia do cinema com a sensação gostosa de ter vivido, por algumas horas, um verdadeiro conto de fadas. Por isso, caso você ainda esteja na dúvida se deve ou não dar uma chance para a história, decidi elencar cinco motivos que fazem A Bela e a Fera ser um filme tão especial e digno de uma visita ao cinema. Vêm ver:

[Vem por aí] Novidades Literárias de Março

Olá galera, tudo bem? Hoje é dia de conferir as novidades literárias do mês de Março. E mais uma vez deixo o apelo: preparem os bolsos porque esse mês promete lançamentos incríveis!
Novidades Nacionais
Óbvio que começaria o post com essa edição maravilhosa de A Bela e A Fera. Apesar de esse ser o meu conto de fadas preferido, confesso que nunca li a história que deu origem ao filme. Por isso, fiquei bando nessa edição assim que bati o olho nela. Também estou muito ansiosa (e babando horrores nessas capas lindas) para ler os romances de época: Quando a Bela Domou a Fera (dizem que a autora é extremamente talentosa); Victoria e o Patife (ADORO os livros de época da Meg); e Amor para um Escocês (sempre me surpreendo com os livros da Sarah).

[Resenha] A Ditadura da Beleza e a Revolução das Mulheres – Augusto Cury

Com mais de 2 milhões de livros vendidos no Brasil, Augusto Cury retrata neste romance o cotidiano de mulheres que sofrem caladas as consequências de uma cruel realidade do mundo moderno: a ditadura da beleza. Apoiando-se em sua vasta experiência como psiquiatra e pesquisador, Cury dá um grito de alerta contra essa forma de opressão que vem deixando mulheres, adolescentes e até crianças tristes, frustradas e doentes. Influenciadas pela mídia e preocupadas em corresponder aos inatingíveis padrões de beleza que são apresentados, milhares de mulheres mutilam sua autoestima - e, muitas vezes, seus corpos - em busca da aceitação social e do desejo de se tornarem iguais às modelos que brilham nas passarelas, na TV e nas capas de revistas. Ao tratar de um tema tão atual, este livro faz com que o leitor se identifique imediatamente com os personagens e sua luta por uma vida mais plena, em que cada pessoa se sinta livre para ser o que é, sem se envergonhar de sua aparência e sem se comparar a ninguém
208 Páginas | Editora Sextante | Skoob | Compare: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 4/5 | Resenha da Kamila Mendes 

Sempre tive um pé atrás com os livros do Augusto Cury. Nada contra o autor, mas toda vez que tentava ler um livro dele ficava presa logo no início e perdia o interesse. Contudo, confesso que com esse livro minha experiência foi completamente diferente. Até porque, apesar de fazer parte do gênero autoajuda (como a maior parte dos livros de Cury), a obra também se encaixa no gênero romance. E não aquele tipo de romance entre casais, mas sim um muito mais importante: o amor próprio.

[Dica] Lua Azul e a Terra Paralela – Leca Haine

Olá, galera! Como vocês estão? A dica de hoje é para quem gosta de livros jovens e repletos de fantasia. – Já imaginou se existisse uma realidade paralela igualzinha ao nosso mundo? Será que você seria o mesmo nessa Terra Paralela?
Ou veja direto no Youtube: aqui.

[Resenha] Escândalos na Primavera – Lisa Kleypas

Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa. Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift. Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado? Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos Na Primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.
Romance de Época | 288 Páginas | Cortesia Editora Arqueiro| Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon| Classificação: 5/5
Mais um livro da Lisa para chamar de queridinho. Escândalos na Primavera fecha com chave de ouro uma série repleta de bom-humor, reflexão, paixão e mistérios. No verão vimos quatro amigas, consideradas pela sociedade como flores secas (ou seja, futuras solteironas), unindo-se na intenção de contrair matrimônio. Ao longo das estações cada uma delas encontrou seu amor verdadeiro, e agora – na primavera – é a vez de Daisy, a mais jovem e sonhadora entre elas, encontrar o homem da sua vida. O único problema é que o pai da jovem está cansado de esperar o amor bater à sua porta e, ansiando urgentemente por um casamento vantajoso, planeja unir a filha com alguém que ela despreza. Agora as flores secas terão que ajudar a amiga a fugir de um casamento fadado ao fracasso e, em pouco tempo, encontrar um partido que esteja a altura do bondoso coração de Daisy. – O que será que as flores secas aprontarão dessa vez? Artimanhas e planos mirabolantes, com certeza!


[Fuxicando Sobre Chick-Lits] Séries de Chick-Lits + Dicas para o desafio (Itens 7 a 12)


Oi pessoal!
Vamos dar continuidade às dicas do Desafio Fuxicando sobre Chick-Lits 2017?
Pra quem não conferiu, o post com as dicas para os itens 1 a 6 saiu no mês passado, e você pode vê-lo aqui!


Book Haul| Aquisições de Fevereiro

Olá, galera! Como vocês estão? Hoje é dia de Book Haul! Vou mostrar tudo que recebi no último mês – e, como de praxe, saliento que o vídeo está recheado de livros incríveis. Vem conferir:
Ou veja direto no Youtube: aqui.

[Resenha] Fogo, como tudo começou – Kristin Cashore

Não é um tempo de paz nos vales. O jovem rei Nash se apega a seu trono, enquanto senhores rebeldes no norte e no sul reúnem exércitos para derrubá-lo. As montanhas e florestas estão cheia de espiões, ladrões e homens sem lei e honra. Isso é onde Fire vive. Com uma aparência selvagem, irresistível com cabelos da cor das chamas do fogo, Fire é a última remanescente de uma raça de monstros humanos, com habilidades especiais. Igualmente odiada e adorada, que tinha a capacidade única de controlar a mente das pessoas, mas ela guarda seu poder, sem vontade de roubar os segredos de pessoas inocentes. Especialmente quando ela mesmo tem tantos. Mas então o príncipe Brigan trata de trazê-la a cidade do rei. A família Real precisa de sua ajuda para descobrir a trama contra o rei. Longe de casa, Fire começa a perceber que há mais em seu poder do que ela jamais sonhou. Seu poder pode salvar o reino... Se ela não tiver medo de se tornar o monstro que seu pai um dia foi...
Fantasia Medieval | 512 Páginas | Cortesia Editora Rocco | Skoob | Compare & Compre: Saraiva • Submarino • Amazon | Classificação: 3,5/5 | Resenha da May
Fogo faz parte da trilogia Graceling da autora Kristin Cashore, entretanto sua história acontece trinta anos antes dos acontecimentos do primeiro volume, Graceling – o dom extraordinário, logo ele pode ser lido antes ou de forma independente do livro anterior. Li Graceling há muitos anos, e quando efetuei esta leitura fui completamente arrebatada por uma narrativa fluida e gostosa, e por uma mitologia única e diferenciada que fez a obra tornar-se um dos meus livros de fantasia medieval favoritos da vida. Ou seja, minhas expectativas com Fogo estavam nas alturas – apesar do tempo que passou entre uma leitura e outra – e sinto dizer que a leitura não foi tudo aquilo que eu esperava.



[Resenha] Cilada para um Marquês – Sarah MacLean

“De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.” Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares. Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela. No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço. O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam
Romance de Época | 320 Páginas | Editora Gutenberg| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 4/5
Antes de mais nada preciso dizer que a Sarah MacLean é uma das minhas autoras preferidas. Amo sua narrativa reflexiva e divertida, e amo ainda mais a personalidade desprendida e irreverente de suas protagonistas. Em uma sociedade dominada pela prepotência masculina, a autora cria histórias que exaltam a força feminina. Assim, sinto que é impossível ler um livro da Sarah e não se apaixonar pela mensagem que suas histórias trazem: da importância e da valorização da mulher dentro da sociedade (seja a do século XIX ou a dos tempos atuais). Tanto é que em Cilada para um Marquês, em meio a um romance extremamente bem-humorado e inusitado, o que se sobressai é o carisma de uma jovem que quer mais do que a sociedade dita, do que um nome significa e, principalmente, do que o dinheiro pode comprar.


UNBOXING • Amazon (+ Semana de Ofertas)

Oi galera! Tudo bem com vocês? Quem aí AMA vídeo de recebidos? E semana de promoção na Amazon? Eu adoro as duas coisas! Tanto é que o vídeo de hoje é bem especial: recebi um presente lindo da Amazon e aproveitei para compartilhar algumas promoções com vocês. Curiosos? Então vêm conferir: 


Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

5 Coisas que Odeio ver em Livros

Oi galera! Tudo bem com vocês? O vídeo de hoje é inusitado e – já aviso – com alto teor de desabafo! Vim contar para vocês cinco coisas que me irritam em certas tramas literárias. Curiosos? Então vêm conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

[Resenha] Crave a Marca – Veronica Roth

Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.
Fantasia Distópica | 480 páginas | Cortesia Editora Rocco | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 4/5 | Resenha da May
Crave a Marca surpreende e prova a capacidade que a autora Veronica Roth tem de criar e inovar. Aqui, somos apresentados a um universo distópico regido por uma força da natureza chamada Corrente. Esse poder está presente em tudo e em todos e, exatamente por isso, se manifesta em cada pessoa através da concessão de dons extraordinários e únicos – dados de acordo com a personalidade do indivíduo. A ideia de seres únicos e poderosos pode não parecer inovadora, mas é fato que o universo criado pela Veronica é completamente distinto (até mesmo quando comparado com Divergente) e instigante.

[Resumo do Mês] As NOVE Leituras de Janeiro (2017)

Oi galera! Tudo bem com vocês? Hoje - finalmente - vou contar quais foram as minhas nove leituras de Janeiro. Adianto que comecei o ano com o pé direito e li muita coisa incrível. Vem conferir:

Ou veja direto no Youtube: 
aqui.

Top Comentarista de Março

Bom dia, galera! Tudo bem com vocês? Aproveitaram muito o Carnaval? Está no ar a edição do Top Comentarista de Março! Dá uma espiadinha nos incríveis prêmios desse mês:


Gostou? Então vem participar!