setembro 17, 2018

Leve-me com Você e a estrada do recomeço

Terminei Leve-me
com Você
 na madrugada deste domingo e, desde então, não consegui parar de pensar na trama e em seus personagens. Além de estar apaixonada pela
escrita da autora, sinto que a narrativa da autora falou com meu coração.
Luto, dor e o desejo de esquecer permeiam os primeiros capítulos dessa
história, mas o que surpreende é a viagem física e emocional para a qual somos
convidados. Assim, não teve jeito, acabei completamente apaixonada. 





Durante a leitura acompanhamos August Shroeder, professor de
ciências e alcoólatra em recuperação, pegar seu trailer e percorrer longos
quilômetros na esperança de visitar os belos parques e reservas naturais
localizados no norte dos Estados Unidos. Esse é o destino de todas as suas
férias de verão, mas – pela primeira vez em anos – a companhia do filho estará
apenas em seu coração (ou nas cinzas guardadas no porta-luvas, se preferir ser
mais literal).

O livro começa com uma road trip com cara de resignação.
Perdido, August segue os planos para o verão na tentativa de enfrentar o peso
da morte do filho, mas o que ele não esperava era encontrar dois companheiros de viagem capazes de mudar completamente o clima dessas férias – de luto para um pingo de alegria. E é aí que o livro ganha
vida, pois ao mesmo tempo em que conhecemos lugares incríveis, conhecemos também
três personagens encantadores.



Ao longo do caminho encontramos os famosos gêiseres (nascente termal que entra em erupção periodicamente,
lançando uma coluna de água quente e vapor de ar¹);
as
divertidas chaminés de fada
(popularmente conhecidas como pirâmides de terra); passamos por trilhas
lindíssimas e por parques naturais que parecem saltar das páginas do livro; e,
claro, encontramos várias falésias e
cânions. – Sério, a vontade é de
fazer parte da história e dessa viagem tão incrível!

 



E é assim, em meio a lugares lindos e naturais, que encontramos
algo que amo ver na literatura: uma chance de se perdoar e recomeçar. Em uma
viagem repleta de aventuras e belas paisagens, nossos personagens aprendem
valiosas lições sobre curar feridas, construir laços de amor e amizade e,
principalmente, encontrar motivos para ser feliz. 

Esse é o segundo livro com uma road trip tão significativa
que leio. E, curiosamente, ambos criaram em mim a mesma vontade: de descobrir
mais sobre mim mesma ao desbravar novos lugares.

Prometo que logo trago a resenha em vídeo para vocês e dou mais detalhes desse livro incrível. Mas, enquanto isso, vem dar uma espiadinha no livro:

August Shroeder é um professor de ciências desacreditado e um alcoólatra em recuperação. Todos os anos, seu destino nas férias de verão é o mesmo: a estrada. Em seu trailer, ele percorre quilômetros e mais quilômetros nas rodovias para visitar os belíssimos parques e reservas naturais. Seu plano era visitar o Parque Nacional Yellowstone com seu filho, Phillip, mas agora não há ninguém no banco do passageiro — apenas um punhado de cinzas guardado no porta-luvas, em uma garrafa de chá carregada de significado. Quando o trailer quebra, August busca conserto na oficina mais próxima. Mas, além do motor home pronto para seguir viagem, ele sai de lá com dois garotos a tiracolo — seus novos companheiros nessa road trip — e a chance de repaginar uma viagem que tinha tudo para ser melancólica e permeada por lembranças doloridas. É com a sensibilidade e o encanto que se tornou marca registrada dos livros da linha DarkLove que Catherine Ryan Hyde fala sobre honestidade, luto, perdas, conquistas e transformações, desatando nós nos corações dos leitores e curando feridas que ninguém imaginava ter. Com sua voz poderosa, que já emocionou milhares de leitores pelo mundo, traz à tona uma discussão sobre a imprevisibilidade da vida e como família nem sempre significa dividir o mesmo sangue.


AmazonSaraivaSkoob





Espero que tenham gostado da dica!

Beijos



¹ Fonte

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário