agosto 27, 2019

[Resenha] Eu quero mais – Tayana Alvez

Tayana Alvez - Eu quero maisAos dezenove anos Elizabeth se mudou do interior do Rio de Janeiro para a capital de São Paulo com a intenção de conseguir seu diploma de Jornalista e trabalhar com o que sempre sonhou, rádio. Deixar para trás a estabilidade e segurança da casa dos pais a assustou, mas com o apoio do melhor amigo – Joaquim Hernandez – ela decidiu lutar para conquistar o que sempre quis. No primeiro dia de aula, Elizabeth conhece Breno e o riso fácil, o sotaque arrastado e as covinhas encantadoras dele fazem com que ela se sinta bem recebida em meio ao total desconhecido. Pouco tempo é necessário para que ela encontre nessa amizade a possibilidade de finalmente pertencer a algum lugar, já que todas as vezes que ela sorri com as surpresas de São Paulo, Breno sorri de volta como quem quer apresentá-la a cada pedacinho desse mundo novo. Ainda assim, seu coração não consegue esquecer o amor que lhe roubou o chão, muitos anos atrás. Em meio a hostilidade de um ambiente elitista, novas amizades, relacionamentos tóxicos, dores do passado e um amor surpreendente, ainda existe uma questão a ser respondida: Será que existe algo que o amor não pode superar?

New adult (+16) l Compare & Compre l Skoob 

Eu Quero Mais é um livro pelo qual eu tenho um carinho muito especial – e não só porque sou amiga da autora, mas porque vi essa história crescer, tomar forma e arrebatar meu coração. O livro tem tudo o que mais gosto de ver em um new adult: romance, perdão, recomeço, drama familiar e, principalmente, amadurecimento pessoal. Mas também tem vários tópicos que fizeram meu coração rasgar. Entre temas tabus, racismo e abusos emocionais, mergulhamos em uma história agridoce, envolvente e repleta de reviravoltas.

Depois de um empurrão do seu melhor amigo, Elizabeth deixa a casa dos pais e a cidade do interior na qual cresceu para estudar em São Paulo. Em meio aos ruídos da cidade grande, ela finalmente percebe todos os sonhos que estava calando e, ignorando o passado e as dúvidas que pesam em seu coração, resolve lutar por um novo futuro. É na faculdade que Lizzie conhece Breno, uma amizade divertida e cativante que logo evolui para um sentimento que pega todo mundo de surpresa – ela, Breno e uma paixão de juventude que Lizzie deixou para trás. Para a personagem, seu coração parecia já ter dono, mas no sorriso do Breno ela encontra um amor diferente de tudo o que já havia sentindo. Assim, acompanhamos o dia a dia de uma jovem que sai da casa dos pais e dá início a uma jornada de crescimento, amores, erros, lutas sociais e muitas descobertas.

Um dos pilares mais fortes na história é o crescimento da Lizzie. Como uma mulher negra, ela enfrenta olhares preconceituosos e, dividida entre calar e lutar, precisa batalhar para ser ouvida. Aqui a autora dá ênfase no racismo que ainda faz parte da nossa sociedade, fazendo-nos refletir sobre nossas certezas e valores. Aprendi muito com a jornada de luta da Lizzie! Além disso, sua história também envolve se abrir para novas pessoas, descobrir quem ela é longe dos pais e do melhor amigo, e até mesmo se permitir amar plenamente – algo que a jovem sempre teve medo de fazer. Ao lado dela, aprendemos como amar pode doer e, principalmente, como nada no amor é certo. Às vezes a gente ama plenamente uma pessoa e, ainda assim, sofre mais do que sorri ao vivenciar essa relação. Existem pontos aqui, os quais vocês precisam ler para entender, mas que preciso ressaltar o quanto são importantes e precisam ser lidos, falados e debatidos. A verdade, cruel e real, é que nem todas as facetas do amor são belas.

O romance presente na trama foi um dos pontos mais conflituosos para mim. Quem me conhece sabe que não gosto de triângulos amorosos e aqui a autora aborda esse pilar – de uma forma diferente da qual estamos acostumados, mas ainda assim é um triângulo amoroso. Não estava preparada para ele e, durante muitos capítulos, julguei os envolvidos com meus olhos tendenciosos. Chorei, fiquei com raiva, briguei com a Lizzie mentalmente centenas de vezes e, só fui mesmo compreender suas ações, no final da leitura. E, confesso que esse ponto foi muito importante para mim. Apesar de não pensar como a personagem, consegui não a julgar por cada uma das escolhas que ela fez e com as quais eu não concordei. Essa sensação de empatia foi nova para a Paola leitora – principalmente quando o assunto é triângulo amoroso – e foi bom demais me sentir assim.

A escrita da autora é envolvente, sensual (com algumas cenas bem picantes, viu?), o romance é uma montanha russa de emoções, os personagens masculinos são reais e surpreendentes, e o final deixa nosso coração quentinho. De fato, trata-se de um livro repleto de emoções e que mexe com o leitor de várias formas. E isso é uma das coisas mais incríveis da história: ela nos faz sentir um pouco de tudo, desde raiva até amor.

Gosta de new adults cheios de emoção? Então você precisa ler esse livro!

 

 

Beijos

 

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Bruna
    08 setembro, 2019

    Oi, Pah! Tudo bem?

    Eu amei sua resenha desse livro! Acompanho o seu canal e seu blog há anos e sempre me surpreendo com a qualidade excepcional das resenhas que você posta. Quando as leio, tenho vontade de comprar o livro e começar a lê-lo na hora. Aliás, é exatamente isso que quero fazer com o seu livro, Volte para Mim, nesse exato minuto, haha!

    Então, deixa eu correr lá para ler!

    Beijos açucarados.