[Resenha] Uma longa Jornada – Nicolas Sparks

Postado em 28 maio 2015
Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra diversos momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre eles e suas famílias. Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga a um rodeio. Lá, é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição. Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder. Ira e Ruth. Luke e Sophia. Dois casais de gerações diferentes que o destino cuidará de unir, mostrando que, para além do desespero, da dificuldade e da morte, a força do amor sempre nos guia nesta longa jornada que é a vida.
Romance Contemporâneo | 368 Páginas | Cortesia Editora Arqueiro | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 5/5
Mais uma vez fui arrebatada pelo talento do Nicholas Sparks. Além de ser transportada para belas e envolventes histórias de amor, ao decorrer da leitura de Uma longa Jornada me vi cercada de emoções que não sou capaz de descrever (pelo menos não em totalidade). E a grande surpresa é que raramente os livros do Sparks fazem isso comigo. Foi incrível não conseguir parar de ler; o sentimento de mergulhar nos mundos descritos e de me sentir parte da história tomou conta do meu coração, fazendo-me amar o livro desde o primeiro instante. Confesso que a obra é clichê e extremamente previsível, mas isso não diminuiu meu amor por ela, muito pelo contrário, provou que o Nicholas é muito mais do que melodrama barato – imagem que eu, infelizmente, tinha do autor – e que é capaz de criar histórias de amor que são boas mesmo quando não despedaçam nossos corações. Sendo assim, entre descobertas, segredos, recomeços, perdas e amores verdadeiros, acompanhamos dois casais – um construindo e outro relembrando – e suas respectivas histórias de amor.
“Se nós não tivéssemos nos conhecido, acho que eu teria compreendido que minha vida não estava completa. E teria perambulado pelo mundo a sua procura, mesmo se não soubesse o que estava buscando.”

[TAG] 50 Perguntas em 5 minutos

Postado em 27 maio 2015
Olá galera, tudo bem? Hoje vamos ter uma Tag bem divertida no canal! A ideia é responder 50 perguntas em 5 minutos. Será que eu consigo? Vem conferir:




Ou veja direto no Youtube: aqui.

[Inspiração] Sala de Estar

Postado em 26 maio 2015

Faltam três meses para o meu casamento e não estou me aguentando de ansiosidade. Entre os preparativos da festa, como a maioria de vocês já sabe, também estamos reformando nosso apartamento. – E ele está ficando tão lindo! Já quebramos paredes, colocamos os pisos novos, trocamos janelas e reformamos os banheiros. Agora precisamos decidir as cores de cada ambiente e começar a etapa da pintura. Dessa vez quero falar com vocês sobre nossa sala de estar. Vem conferir nossas principais inspirações para a decoração desse ambiente:

[Resenha] A Morte de Sarai - J.A. Redmerski

Postado em 25 maio 2015
A autora do best-seller de "Entre o agora e o nunca" e "Entre o agora e o sempre" traz uma história de paixão e sobrevivência. Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte. Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar. Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo. Em “A morte de Sarai”, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre.
Romance Dark (+ aqui)| 255 Páginas | Cortesia Suma de Letras| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação: 4/5
A narrativa de A Morte de Sarai me surpreendeu completamente; nunca havia lido um livro com um romance tão obscuro quanto esse. Confesso que criei expectativas demasiadas e que esperava algo diferente, contudo não nego que a surpresa foi boa. Foi incrível me deparar com uma história que emociona por ser cruelmente real. Não pensamos nisso com frequência, mas existem milhares de mulheres como a Sarai, protagonista do livro, espalhadas pelo mundo: crianças vendidas pela família, jovens que crescem em meio à escravidão, ao abuso e a violência, e mulheres que há muito perderam a esperança e deixaram-se contaminar pela realidade ao seu redor. Portanto, levando em conta a vida de Sarai, é óbvio que essa história é tudo menos romântica. Existe desejo e paixão, mas os personagens estão corrompidos demais para serem capazes de amar. E sabe o tal do clichê que diz que o amor cura tudo? Quando você passa anos sendo abusada física e mentalmente, vive no meio de drogas e corrupção e, para sobreviver, aprende a abrir mão dos seus valores, nada pode tirar a escuridão de você, mesmo que minimamente, o medo e a dor passam a correr em suas veias. Então não importa o quanto você seja amada, a podridão do passado ainda consumirá seu coração. Triste? Talvez sim, mas essa é a mais pura realidade. 
"Eu tenho medo de tudo. Do que o amanhã vai trazer e de não estar viva para viver. Tenho medo que Javier ou qualquer um entre por essa porta e me mate enquanto eu durmo. Tenho medo de nunca levar uma vida normal. Nem sei mais como é ser normal."

[Resenha] Um mais Um – Jojo Moyes

Postado em 22 maio 2015
Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de veraneio por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio. Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.
Romance | 320 Páginas | Cortesia Editora Intrínseca | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 5/5
A leitura de Um mais um foi uma grata surpresa. Mesmo que a trama não tenha me surpreendido completamente, o alto teor emocional do livro me pegou desprevenida; não esperava que a obra, de aparência leve e superficial, fosse tão emocionante – e não uma emoção melodramática, mas uma chuva de sentimentos especiais e verdadeiros. Assim, o que realmente me encantou foi que através da leitura eu ri, chorei, suspirei e aprendi valiosas lições. Além disso, também me espantei com a capacidade da autora em descrever um cenário comum a milhares de mulheres: mulheres que precisam fazer o papel de mãe e pai, mulheres batalhadoras que lutam diariamente para pagar as contas e colocar comida na mesa, e mulheres que, mesmo constantemente pisoteadas pelas dificuldades do dia a dia, mantêm a esperança de uma vida melhor e de um futuro brilhante para os seus filhos. Mas não me entendam mal, a obra é repleta de bom-humor e romance, contudo seu enfoque está na luta de uma família que carrega o peso das contas acumuladas, do preconceito social, e do bullying em sua forma mais amedrontadora. Portanto, por mais fofa e apaixonante que a narrativa seja, ela possuiu um lado reflexivo que, além de me surpreender, me deixou apaixonada pela história.

[Fuxicando Sobre Chick-Lits] Desafio Fuxicando Sobre Chick-Lits: Conselhos amorosos de Emily Brontë - Anne Donovan

Postado em 21 maio 2015

"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões. 


Oi queridos!

Para cumprir minha quinta meta do Desafio, li Conselhos amorosos de Emily Brontë, de Anne Donovan, que correspondeu ao item nº 8: Ler um chick-lit cujo primeiro nome da autora/do autor comece com a primeira letra do seu nome.

[Resenha] 8 Segundos – Camila Moreira

Postado em 20 maio 2015
O que fazer, quando dois mundos totalmente diferentes se chocam em uma realidade não esperada? Pietra sempre teve tudo o que desejava, mas após ser obrigada a passar trinta dias isolada em uma das fazendas da família, ela vai descobrir que nem tudo está ao alcance de suas mãos. Um peão de olhos azuis está tirando o sono da princesa da cidade. Lucas Ranger é um homem ligado às coisas mais simples da vida. Suas maiores paixões são o rodeio, o campo e os animais. Lucas não se deixa levar pelos lindos olhos verdes de Pietra, ele sabe que ela significa problema. Mas será que o cowboy indomável, irá se deixar laçar por uma menina de cristal? Oito segundos... uma história de amor e paixão superando as diferenças.
Romance Contemporâneo | 280 Páginas | Cortesia Suma de Letras | Skoob | Compare& Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 4/5

A cada livro que leio da Camila Moreira me apaixono mais um pouco por sua escrita. 8 Segundos tem uma narrativa tão envolvente que não consegui parar de lê-lo. – Sério, estava caindo de sono e mesmo assim não fui capaz de interromper a leitura. A obra é divertida, romântica, sensual e muito emocionante; uma mescla perfeita de sentimentos que dão vida a uma história repleta de superação. E o melhor é que a autora nos engana direitinho! A trama começa com uma mocinha fútil, com os protagonistas em pé de guerra, e com um relacionamento puramente carnal. Entretanto, superando as expectativas, a obra logo revela sua real abordagem: um amor forte que ultrapassa as barreiras do preconceito e da vingança. E, mesmo permeada de clichês, é fato que adorei cada faceta dessa história.