[Fuxicando sobre Romance de Época: Desafio de Março] Um Perfeito Cavalheiro – Julia Quinn

Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.
Romance de Época|| 304 Páginas||  Cortesia Editora Arqueiro|| Skoob || Compare & Compre|| Classificação 5/5
A perda prematura do pai, uma madrasta abusiva e rude, duas meio irmãs mandonas e indiferentes, um tratamento digno de uma serviçal, e um ansiado baile de máscaras... Nossa cinderela, ou melhor, nossa jovem e doce Sophie, sempre soube que era uma filha bastarda – o sorriso e os olhos questionadores tão parecidos com os da mãe do falecido conde não deixavam dúvidas – mas, mesmo ciente de sua posição social inferior, quando criança ela nunca deixou de sonhar com o dia em que seria amada pelo pai, com o momento em que passaria a fazer parte de uma família unida e carinhosa. Porém, com o passar dos anos ela viu o conde constituir uma nova família sem ela, e deixada sob os cuidados dos funcionários de seu senhor, ela aprendeu a trabalhar para sobreviver e a se esconder nas sombras de uma vida que nunca poderia ter. Isso até sua fada madrinha aparecer e lhe proporcionar uma noite de pura magia e sonho: Sophie iria ao famoso baile de máscaras da família Bridgerton e seria apenas ela mesma, sem amarras, sem ordens, sem diferenças sociais e, principalmente, sem sofrimento. O único problema é que, ao invés de esquecer seu sapatinho de cristal, nessa noite a jovem perderia completamente seu coração para Benedict Bridgerton, seu charmoso e cobiçado anfitrião. Será então que, em nome de um final feliz, o amor seria capaz de superar tamanha discrepância social?

O início dessa história não deixa segredo: trata-se de uma recontagem do clássico A Cinderela. Entretanto, as semelhanças com o conto de fadas acabam no momento em que a realidade de Sophie atinge o leitor: a fome, o trabalho exaustivo, o preconceito social. Afinal, por mais que a jovem consiga realizar seu desejo e ter uma noite especial, tudo se resume a apenas isso – uma única noite – e dói vê-la ter que voltar para sua triste realidade depois de uma experiência tão magnífica. Sem contar que tal aspecto nos faz refletir a respeito do tamanho da desigualdade social presente na cultura inglesa do século XIX; Sophie é filha de um conde e ainda assim, por ser fruto de uma união extraconjugal, é vista como uma ninguém – sem direito a bens, títulos, ou até a uma oportunidade de levar uma vida digna. E tudo isso pelo capricho de um conde, de um homem que não pensou no reflexo de suas ações imprudentes, que não ousou imaginar a dor que causaria em um possível filho ilegítimo. A grande questão então não é a busca pela fuga, ou seja, Sophie e seu dia de princesa, mas todas as implicações sociais que fazem essa jovem sofrer e não ter ninguém com quem contar.
Do outro lado da moeda temos a presença de Benedict, alguém que – mesmo não sendo esnobe, longe disso – sempre teve tudo o de melhor e não sabe ao certo como levar uma vida sem regalias. Quando o jovem encontra Sophie no baile de máscaras promovido por sua mãe (louca para casar um de seus filhos) sua vida muda completamente, a presença dela descongela algo dentro dele, mas quando ela foge sem ao menos dizer seu nome ele fica desolado e se fecha, mais uma vez, ao amor. É só com o passar do tempo que eles se reencontram, mas dessa vez Sophie não está fantasiada, de forma que o amor precisa provar ser real, ser forte o suficiente para quebrar todas as barreiras sociais. Nesse meio termo eles se confrontam, tornam-se amigos, e se transformam de uma maneira muito especial, mas fatidicamente demoram a enxergar o óbvio: que o amor verdadeiro enfrenta e vence tudo. E o fato é que essas idas e vindas, as incertezas e os medos, tornam o sentimento mais real. Não interessa se com a Cinderela foi tudo facilmente superado, aqui tem muito em jogo – reputações, familiares, marcas do passado – por isso a história se desenvolve no seu próprio ritmo.
Superação, amizade, bom-humor, paixão... o livro é doce e romântico na medida certa para cativar, emocionar e divertir o leitor. Sem contar que, indo além do casal principal, mais uma vez temos a concretização do verdadeiro papel familiar. Como em todos os livros dessa serie a autora deixa claro o suporte fraterno e incondicional existente entre os Bridgertons, nos deixando com aquela vontade louca de fazer parte dessa família barulhenta, encrenqueira, e extremamente amorosa.
Podem dizer por aí que esses livros são água com açúcar e que são apenas entretenimento de mulherzinha, contudo só quem lê sabe o valor das lições e reflexões proporcionadas pela Julia Quinn. Claro que não estamos discutindo a paz mundial, mas ainda assim estamos falando sobre amor verdadeiro, igualdade social, e a constituição dos verdadeiros laços familiares. E para mim, isso não tem preço.

A beleza dela vinha de dentro. Ela brilhava. Cintilava. Era absolutamente radiante, e Benedict de repente se deu conta de que era porque parecia... feliz. Feliz por estar onde estava, feliz por ser quem era.
- Eu quero... – A voz dele virou um sussurro, e seus olhos pareceram vagamente surpresos, como se ele não conseguisse acreditar nas próprias palavras. – Eu quero o seu futuro. Cada pedacinho seu.
Seja minha (...). Seja minha agora. Para sempre. Eu lhe darei tudo o que desejar. Tudo o que quero em troca é você.

• Sobre a Série •
Um Prefeito Cavalheiro é o terceiro volume da série Os Bridgertons, composta no total por oito livros, sendo que três deles já foram publicados no Brasil: O Duque e Eu, O Visconde que me Amava, e Um Perfeito Cavalheiro.  
Tal saga narra às aventuras da grande e barulhenta família Bridgerton. Sendo ela composta por oito irmãos - Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth – a série conta com uma obra para cada um deles, apresentando-nos a família como um todo, porém priorizando as histórias particulares de cada um dos seus membros. Desta forma, mesmo que cada livro apresente início, meio e fim, é importante lê-los em sequência para evitar spoilers, já que é comum os irmãos participarem (leia-se intrometerem) nas histórias uns dos outros.
• O Desafio •
A meta para Março do Desafio de romances de época era ler um romance com a capa bem bonita, então claro que eu optei por um dos livros da Julia Quinn – Eles sempre possuem uma capa linda ! Agora queremos saber da escolha de vocês, conte-nos qual foi a obra lida e, se quiser, deixe sua resenha (ou o nome do livro) no quadro a seguir:









Participe Aqui

22 comentários:

  1. Oi, Paola
    Eu adoro essa série. Ao mesmo tempo ela é romântica e engraçada. É muito engraçada ver a matriarca tentando casar seus filhos.
    Esse livro é muito especial, pois ele me lembra contos de fada (que eu amo).
    Resumindo Julia Quinn é nota dez.

    ResponderExcluir
  2. Oi Pah,
    ainda não li nenhum dos livros da Julia lançados por aqui, mas estou bem curiosa para ler!
    principalmente este ai, por ser meio que um reconto da Cinderela, que eu adoooooro :D
    estou lendo os livros da Bella Andre, que é nesse mesmo estilo de um livro para cada irmão. acho tão divertido isso *-*

    ResponderExcluir
  3. Não gosto muito de romances de época, mas esse por se parecido com Cinderela, mas ao mesmo tempo completamente diferente, eu adoraria ler, sei lá gosto de contos de fadas diferentes. . .

    ResponderExcluir
  4. Oi Pah!
    Adoro Julia Quinn! E estou super feliz por essa séria ser relançada. Não tem como não amar os Bridgertons.
    Fico completamente frustrada quando escuto que todo romance é igual,que tudo não passa de leitura de mulherzinha, mas na verdade como você mesma disse só quem lê percebe o quanto encantador é esse tipo de estória.
    Não vejo a hora do da lançamento do próximo livro da série.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Pah :)
    Tenho vontade de ler alguma obra dessa autora, mas o que me desanima é que esse pertence à uma série...
    Mas pretendo ler assim mesmo, pois sempre vejo críticas positivas e, quem sabe eu até goste e leio os outros.
    Realmente as capas dos livros dela, são lindas!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Eu não sou muito fã de romances de época, tenho uns mil livros assim aqui em casa, porque minha mãe é apaixonada pelo gênero, mas eu passo a leitura rs

    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  7. OI Pah, eu ainda não tive coragem de começar esse desafio! Tô sem tempo... ;) Mas eu quero muuuito fazer. Então nao tenho nenhum livro para relatar que eu li... Mas eu amo a Julia Quinn! Amei essa forma dela de rescrever a historia da Cinderela, ainda não li, mas como todos os livros que li a resenha aqui, e que ainda nao tinha lido, entrou na minha super lista de leitura de 2014 haha Amei <3 Então é isso... bjinho!

    ResponderExcluir
  8. Oi Pah! Amei haha' sou apaixonada por livros deste tipo, romance, conto de fadas mas diferenciado! Estou louca para ter a chance de poder ler!

    ResponderExcluir
  9. Amei esse livro <3
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Pah, confesso que este é um dos livros que mais tenho vontade de ler dessa série, justamente por ser uma releitura de Cinderela, e eu adoro releituras de contos de fadas. Já li outras resenhas e ouvi dizer que ele é um dos livros mais lindos da série. Fico pensando, por serem livros meio que independentes, será que eu não poderia ler este e depois ir para o 2º? Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  11. Adorei e já vou procurar para ler.
    Estava procurando um romance de época e esse é o que eu queria mesmo

    ResponderExcluir
  12. Oi pah ! tudo bem ?
    confesso que não tive uma boa experiencia com romances de época.Mas acho que vou dar uma chance para a Julia Quinn , esse livro que faz a releitura da Cinderela parece ser fantástico e me deixou curiosa. Tem problema ler este primeiro e depois ler os demais livros da série ? beijos :)

    ResponderExcluir
  13. Oii, Pah!
    Surtei quando vi ‘Julia Quinn’. Não precisava nem ler o post pra me interessar, mas li, é claro!
    Puxa, muito cinderela, nunca gostei muito desse conto de fadas, mas achei muito bonitinho.
    Quando você colocou na resenha que não tem nada de sapatinho, e sim fome, trabalho e preconceito social, ou seja, a realidade, tudo ficou mais interessante pra mim. E também tem a parte da provação do amor pra ver se é real mesmo, começando pela amizade e tal.
    Gostei da naturalidade com que as coisas vão sendo apresentadas. Tudo faz sentido, ao contrário dessas histórias de amor a primeira vista que já casam um casalzinho em cinco minutos e acabou e viveram feliz pra sempre.
    Então adivinha o que entrou pra lista de livros desejados! Isso mesmo rs.
    Bom, tem que ser a senhorita Quinn né?

    ResponderExcluir
  14. Ooi pah , esse livro parece ser otimo!! as capas sao muito criativas , nunca li nada da autora , gostaria mt de conhecer o trabalho dela

    ResponderExcluir
  15. Oi querida, tudo bem??
    Ainda não tive a oportunidade de começar a ler esta série, mas tenho muita vontade de curiosidade....Sempre leio ótimas resenhas sobre os livros, mas realmente ainda me faltou oportunidade para adquirir os livros!Mas espero poder começar ainda este ano!

    ResponderExcluir
  16. Oi Pah,

    Eu me apaixonei completamente pela escrita da Julia Quinn e amo essa série *.*
    Na verdade já imaginava que iria gostar dela antes mesmo de ser lançada, quando você recomendava ela nos seus vídeos.
    Esse até agora foi o meu livro preferido e estou ansiosa pelo próximo.

    bjs
    Tais
    http://www.leitorafashion.com.br

    ResponderExcluir
  17. Adoro ler um romance histórico principalmente se for da Julia Quinn amo a sensação que eu sinto de voltar ao passado, imaginar outros costumes, a arquitetura, além do vestuário (amo os vestidos,a história da moda). Essa coleção parece maravilhosa, e agora que sei dos detalhes descritos fiquei mais curiosa para ler os livros!!

    ResponderExcluir
  18. Oi Pah, tudo bem?
    As capas dos livros da série são lindas demais, mas a história em si não chama minha atenção. Já ouv falar muito bem da autora, mas nunca li nenhuma obra dela. Acho que darei uma chance, mesmo não sendo meu gênero preferido, pq já ouvi muita coisa boa sobre a série.

    ResponderExcluir
  19. Oi Pah, que resenha linda e íncrivel. Eu estou com essa série em casa, mas ainda não comecei a ler, eu estava um pouco desanimada. Agora com certeza quero começar a ler logo. A história parece ser muito linda, ainda mais com esse toque de Contos de Fadas que tanto adoro.
    Beijos

    palacioliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi, eu ainda não li nenhum livro da Julia Quinn, mas tenho muita vontade de ler, creio que Um perfeito cavalheiro seja perfeito hehehe não vejo a hora de poder iniciar a leitura, as pessoas sempre elogiam muito esses livros, e realmente eles possuem capas lindas, adorei a resenha.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  21. Já li muitos comentários positivos sobre esse livro. O enredo não me chamou tanto a atenção, mas eu gosto de livros de época. Talvez leia por esse motivo.
    Adorei a resenha.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  22. Pah, não estou participando do desafio mas já li esse livro e amei! Adoro a JQ, quero ler todos os livros dela e já li os outros dois da série dos Bridgerton publicados pela Arqueiro. Gosto muito da forma como ela conduz as histórias, com amor, leveza, superação de desafios impostos pela sociedade até chegar no final feliz. Amo a Violet essa mãezona maravilhosa e sempre tão empenhada na felicidade dos filhos. Achei o duque e eu mai divertido, o visconde q me amava mais sério e esse do Benedict mais apaixonante. Mal posso esperar pelos outros!
    bj

    ResponderExcluir