Resenha: Trilogia do círculo - A Cruz de Morrigan – Nora Roberts

Olá

Nesse fim de semana terminei de ler o livro A Cruz de Morrigan da autora Nora Roberts, demorei um pouquinho mais que o costume para concluir essa leitura, pois, meu tempo anda escasso - A faculdade simplesmente está me deixando super atarefada... Mas, não foi para reclamar que eu vim aqui, na realidade eu vim falar para vocês de como esse livro da Nora Roberts é Maravilhoso.

A Cruz de Morrigan é o primeiro volume da Trilogia do Círculo. O segundo e o terceiro volume são denominados respectivamente de O baile dos Deuses, e O vale do Silêncio. Sendo assim, podemos dizer que o livro A Cruz de Morrigan representa o capítulo inicial da história, é nesse livro que somos apresentados aos personagens e a trama central dos livros.


Sinopse: Extravasando seu sofrimento à tempestade, Hoyt Mac Cionaoith esbraveja contra a força do mal que o separou do irmão gêmeo. Essa força se chama Lilith, uma vampira demoníaca. Nascida há milhares de anos, ela atrai um número incontável de homens, devastando-lhes a alma com seu beijo maligno. Poderá Lilith ser detida antes que finalmente consiga dominar o mundo? Hoyt não é páreo para a ninfa do mal. Mas seus poderes vêm da deusa Morrigan, e através dela terá sua grande chance de vingança. Sob o comando de Morrigan, ele deverá reunir cinco outros para formar um círculo de força poderoso o bastante para derrotar Lilith. Um círculo de seis: ele próprio, a bruxa, a guerreira, a erudita, aquele de múltiplas formas e aquele que ele perdeu. E será com esse círculo, centenas de anos no futuro, que perceberá como seu espírito assim como seu coração se tornaram…




Imagine um perigo eminente, uma força que seja capaz de colocar um fim a todos os mundos e civilizações existentes... No livro A Cruz de Morrigan, somos apresentados a essa força, a Lilith, uma vampira temida por sua crueldade e por seus poderes impressionantes, conhecida como a mais velha e mais poderosa entre os de sua raça. Lilith e sua legião de súditos vampiros planejam destruir a humanidade, derramando sangue de inocentes e transformando-os em espécies de seguidores vampiros.
 Se Lilith vencer essa guerra, todos os mundos e povos existentes chegaram ao fim.

- Diga-me o teu nome.
Ela sorriu, e o branco de seus caninos reluziu em contraste com a noite aterrorizante.
-É Lilith quem te recebe. É Lilith quem te cria. O poder do teu sangue irá se misturar ao meu, e nós dois, juntos, iremos dominar esse mundo, assim como todos os outros.

Com a intenção de impedir Lilith, Morrigan, a Deusa da Guerra seleciona um círculo de seis, um feiticeiro, uma bruxa, uma guerreira, uma erudita, um de múltiplas formas e aquele que havia sido perdido – Seis pessoas de tempos e características distintas, incumbidos da tarefa de deter Lilith e salvar a humanidade. Desta forma, a narrativa do livro se inicia em 1128, apresentando-nos a Hoyt Mac Cionaoith, um poderoso feiticeiro que acabou de perder seu irmão gêmeo, Cian, que foi transformado em um monstro noturno, em um vampiro. Em meio à dor da perda, Hoyt recebe um chamado de Morrigan, ele deve se preparar para uma batalha, reunir mais cinco pessoas e formar um círculo de seis, o círculo que enfrentará uma rainha vampira, Lilith, a responsável pela morte e transformação de seu irmão. Motivado pela vingança e na esperança de que os Deuses olhem por sua família, ele aceita a missão, e junto com ele, nós viajamos em busca dos outros membros do círculo.
 É nesse momento que mergulhamos em um mundo de pura magia, a autora escreve de uma maneira que nos prende a história, simplesmente fiquei encantada, no início o livro trata de uma guerra, uma batalha que envolve o futuro de toda a humanidade, contudo, conforme o círculo começa a se unir, a história abre espaço para relações de amor, amizade e companheirismo, somos apresentados a pessoas fortes, com uma história de vida difícil e que, tiveram que abandonar muito para lutarem a favor do bem de toda a humanidade.
Outro aspecto muito interessante do livro é a questão atemporal, quando Hoyt parte em busca dos outros membros do círculo, ele viaja no tempo, em poucos segundos ele chega a um mundo muito distante do seu, um lugar que está a mais de 1000 anos a frente de seu tempo, ou seja, ele vem para o “nosso” mundo, na Nova York dos tempos atuais. Assim, além dele ter que se adaptar as mudanças ao seu redor – aos carros, a luz, as roupas, ele tem que lidar com uma grande dor, a dor de saber que toda a sua família, aquela que ele abandonou para seguir o pedido de Morrigan, morreu... Ele, que não havia nem se acostumado com a perda do irmão, tem que aprender a lidar com uma perda muito maior do que acredita ser capaz de suportar.

“Fascinado, ele entrou no boxe, começou a brincar com os botões prateados que saltavam do mármore e, assustado, soltou um grito esganiçado quando um jato de água fria jorrou de vários tubinhos com a ponta achatada.
- Por aqui, costumamos tirar a roupa antes de tomar banho”.

Como já citei, o livro trata de muito mais do que uma guerra, o que deu espaço para momentos muito engraçados, confesso que me diverti muito, vocês imaginam em meio de uma guerra as mulheres com dúvida no que vestir? Pois bem, tem espaço até para problemas com moda nesse livro, (risos), mas claro, nossas queridas personagens do livro não são fúteis, muito pelo contrario elas são fortes e determinadas, mas como qualquer mulher do mundo, elas também possuem dúvidas com relação ao figurino.


“Fechou o círculo, guardou os instrumentos e enfiou o esboço dentro de uma gaveta da cômoda. Em seguida, foi se vestir, pensando um pouco sobre o que escolher. O que, exatamente, uma mulher deveria vestir quando fosse ao encontro de seu destino? Algo chique, discreto, estilo executivo? Alguma roupa exótica?”


Outro detalhe que me fez me apaixonar por esse livro foi o amor, um amor tão lindo, verdadeiro, capaz de modificar as pessoas e curar feridas, um amor que preenche e contagia, fiquei muito emocionada.


“Eu te valorizo quase mais do que consigo suportar. Já perdi muito até agora. Vi meu irmão, aquele que dividiu comigo o útero de minha mãe, ser capturado. Fiquei frente a frente com os túmulos de minha família. Não vereis seres morta por essas coisas... tu, meu único raio de luz em tudo isso. Não irei arriscar tua vida de novo. Não irei ficar em frente ao teu túmulo”.

É, pelo que vocês podem ver a história é muito emocionante, repleta de mistérios e de sentimento, a união entre a guerra e o amor! O livro simplesmente me ganhou, não vejo a hora de ler os próximos livros da trilogia.

Com certeza A Cruz de Morrigan vai para a minha lista de BEST do ano.

Super recomendado!



Beijokas

Pah

7 comentários:

  1. ESTOU LOUCA PARA LER ESSE LIVRO AMIGA.
    BEIJOS

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não li Nora, mas morro de vontade!
    Esse me conquistou! Eu qro!

    Obrigada pela visita e comentário em meu blog.
    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e Livros

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha Pah! Estou ansiosa para ler A Cruz de Morrigan. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Quero ler essa série. Adoro Nora Roberts e acho que ela deve ter arrasado escrevendo esse tema.

    Muito boa a resenha.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Eu estou louca pra ler essa série, parece ser boa demaiiiis >< todo mundo falando e eu aqui rs. Mas uma hora eu leio. kkkkkkkk (como a maioria dos livros que eu to vendo nos blogs, kkk!) Adorei sua resenha, ficou ótima e os quotes só deixaram com mais água na boca :xx

    Nanda, beijos.
    www.julguepelacapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei + ou - desse livro.Achei q a Nora enrolou um pouco.
    mas adorei o romance q foi pouco.Pretendo ler a continuação da série.
    Adorei a capa,muito legal.

    ResponderExcluir
  7. Essa série toda é muito boa! e ao contrário da maioria das fãs, o casal Hoyt e Glenna é o meu favorito. Recomendo a leitura tb!

    ResponderExcluir