[Resenha] Hex Hall - Rachel Hawkins

Editora: Galera Record
Páginas: 303 - Skoob
Young Adult
Compre Aqui
Sinopse: Há 3 anos, Sophie descobriu que não é uma menina como as outras. Ela é uma bruxa e, até agora, isso só lhe trouxe alguns... arranhões! Sua mãe fez tudo o que pôde para ajudar: leu o que conseguiu encontrar sobre bruxas, fadas e magia; procurando consultar o pai ausente de Sophie — um poderoso feiticeiro europeu — só quando necessário. Até que a menina atrai atenção além da conta depois de um feitiço de amor poderoso demais... E é seu pai que define a sentença: Sophie deve ir para Hex Hall, um reformatório afastado de tudo e de todos que está sempre de portas abertas para receber qualquer “prodígio” que saia da linha — ou seja, além de bruxas como Sophie, fadas, metamorfos etc. E a tendência de Sophie para encrencas não decepciona. Já no fim do primeiro dia, ela acumula problemas: três poderosas inimigas que mais parecem supermodelos, uma fantasma que cisma em persegui-la, uma paixonite idiota pelo feiticeiro mais charmoso da escola — e ele tem namorada, mas como Sophie poderia saber? Para piorar, sua companheira de quarto é a pessoa mais odiada do campus, e a única vampira entre os alunos... Sim, os sanguessugas não têm boa fama, e uma série de ataques a estudantes acaba fazendo da única amiga de Sophie a suspeita número um na mira do Conselho e da direção da escola. Isso não é tudo, e Sophie precisa se preparar. Uma antiga sociedade secreta determinada a destruir todos os prodígios, inclusive e principalmente ela, parece estar mais próxima do que nunca de Hex Hall. Sophie terá de descobrir, do que sua magia é capaz e, sobretudo, suas origens e quem ela é de verdade. 
____________
Já faz um tempo que li Hex Hall, mas na correria do ano passado (Sim, eu o li na metade de 2011) não consegui resenhá-lo. O tempo passou e acabei deixando de lado tal resenha, até que hoje, procurando por uma possível data de lançamento do segundo livro da série me dei conta de que não poderia deixar de falar dessa história para vocês. A premissa central da narrativa é, até certo ponto, clichê - Reformatório para seres sobrenaturais (bruxas, vampiros, metamorfos, fantasmas e fadas), um bom triângulo amoroso, grandes segredos familiares e muito suspense. Atualmente, com o sucesso desse gênero literário são lançadas centenas de livros assim, então vocês me perguntam: O que Hex Hall tem de diferente? Resposta simples, o livro possui uma narrativa tão envolvente que é capaz de tornar todos os clichês, previamente estabelecidos, secundários a história, que logo de início encanta o leitor e torna-se particularmente exclusiva.
Sophie é uma jovem bruxa muito engraçada (Não tem como não rir do seu bom humor e de suas sacadas irônicas). Criada por sua mãe humana, sem a presença do pai bruxo, ela não teve uma forte formação a respeito de seus poderes e por isso, aparentemente, não aprendeu como executar de forma satisfatória um bom feitiço, mesmo assim, ela não se cansa de usar seus “dotes” mágicos e não se preocupa com os resultados alcançados, contudo, em uma de suas “experiências” ela acaba pisando feio na bola e como penitência, vai parar em Hex Hall, um reformatório para seres sobrenaturais. Daí vocês imaginam - Pronto, ela encontrou seu lugar e agora, finalmente, vai poder aprender a usar seus poderes! Digamos que as coisas não funcionam bem assim. Ela se apaixona pelo cara errado, faz inimizade com as meninas “mais poderosas” da escola e ainda por cima, cria várias confusões. Entretanto, nesse meio tempo, ela descobre muito mais do que poderia imaginar sobre a influência do passado de seus pais em sua vida e como resultado, aceita o que é e escolher o que quer ser.
O livro é eletrizante. A história nos envolve com seu lado divertido, leve e romântico e por isso, a leitura flui com facilidade. Os personagens são fortes e marcantes, com os quais espontaneamente nos identificamos e Sophie é uma grande heroína - Sua narrativa não é entediante e suas escolhas, mesmo as erradas, fazem com que o leitor aprecie ainda mais sua personalidade a cada página lida. Contudo, o que realmente marca a história é o mistério que aos poucos a autora acrescenta na trama. Me surpreendi com o rumo tomado, com a ação presente na narrativa e com a grandiosidade da autora. As sensações que tive ao ler o livro eram as mais diversas, ri, me emocionei, torci pelo casal principal - que se permitem dizer é muito fofo - e principalmente, me espantei com os segredos revelados. No final, pensei - Não acredito, isso é sério? Como não percebi isso antes?!. E foi assim que Hex Hall entrou para minha lista de preferidos, ao me surpreender com sua imprevisibilidade.
Vale ressaltar que o final é de arrancar os cabelos e que hoje, mesmo após muito tempo, me lembro de todas as emoções conflitantes que senti com desfecho do livro.  Digo também que a trama, em alguns aspectos, me fez recordar porque eu gostei tanto do livro Noite Eterna da autora Claudia Gray e que principalmente, me fez relembrar o quanto gosto de bons romances sobrenaturais. Sendo assim, recomendo muito o livro. Todos aqueles que gostam de um bom romance sobrenatural podem ler Hex Hall sem medo, tenho certeza que vocês, assim como eu, irão se surpreender.
(Entrou para os favoritos)
 Quotes que mais gostei:
“Eu nunca conseguiria namorar um vampiro, só de pensar no bafo de sangue... eca”.
“Eu já tinha sido beijada algumas vezes antes, mas nada como isso. Eu me senti eletrizada do topo da cabeça até os dedões do pé, e, em algum lugar da minha mente, ouvi Alice dizendo que o amor tinha um poder próprio. Ela tinha razão: isso era magia”.
“- Archer não é fofo – corrigiu ela. – Cachorrinhos são fofos, bebês são fofos, eu sou fofa. Archer Cross é totalmente gato. E eu nem gosto de meninos.”
Capas pelo mundo:

 

 


10 comentários:

  1. O que posso dizer? A resenha me deixou louca para ler o livro! Realmente preciso conhecer essa estória!

    Bjs

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  2. Agora eu quero ver ler o livro...

    bjux

    ResponderExcluir
  3. Oi gêmea!
    Ahh eu sou doida pra ler esse livro!
    Eu também acho que uma boa narrativa compensa todo e qualquer clichê, e se também tem um fator imprevisível, então só pode ser ótimo!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Eu também adorei Hex Hall e olha que nem gosto muito de livros sobrenaturais heheeh e também me surpreendi com o desfecho e estou super curiosa para ler a continuação!
    Acho tão linda essa 2ª capa! *_*

    ResponderExcluir
  5. oie.
    Eu li esse livro e adoreiiiiii.
    Quero muito que a Galera Record lance a continuação logo. ^^
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. Então pra falar a verdade eu gostaria muito de ler, mas essa capa brasileira não me agrada. Eu gosto mais da segunda mostrada no final do post é mais bonita... Mas quem liga né? O que importa mesmo é que essa história me atrai ;D

    Beijos
    http://osbastidoresdoamor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Faz tempo que quero ler esse livro,acho que des que foi lançado adoro essa mistura de coisas sobrenaturais.

    ResponderExcluir
  8. Nosssa!

    As capas sao lindas " condena" é perfeita.
    Bom, nao sou chegada em coisas asssim .
    Mais compraria para por na estante,pela resenha
    beijos
    Blanc
    Modaeeu.blogspot.com, espero tu lá... estamos com muitas promoções.

    ResponderExcluir
  9. Gente faz tempos que eu to louca pra ler esse livro, uma ótima e bem construída historia, e sem falar que as capas são muito lindas,principalmente a brasileira, amei demais, agora fiquei ainda mais ansiosa pra ler, vo ja comprar ele e começar! kk

    ResponderExcluir
  10. uau depois dessa resenha fiquei super mega hiper curiosa para ler mal posso esperar...

    ResponderExcluir