janeiro 21, 2013

[Resenha] Losing It – Cora Carmack

Virgindade. Bliss Edwards está prestes a se formar na
faculdade e ainda tem a dela. Doente de ser a única virgem entre os seus
amigos, ela decide que a melhor maneira de lidar com o problema é perdê-la o
mais rápido e simples possível – um caso de uma noite. Mas seu plano acaba por
ser nada simples quando ela enlouquece e deixa um cara lindo sozinho e nu em
sua cama com uma desculpa de que ninguém com metade de um cérebro acreditaria.
E, como se isso não fosse bastante embaraçoso, quando ela chega para sua
primeira aula do último semestre de sua faculdade, ela reconhece seu professor
de teatro novo. Aquele que ela deixou nu em sua cama cerca de 8 horas antes. (Tradução
livre).
New Adult || 204 Páginas
||
Publicação Independente || Skoob ||  Amazon
||
Classificação: 4,5/5
“Cada toque e cada beijo.
Porque nós dois insistimos. Resistimos. Sem importar o quanto perto, você está
sempre muito longe…”  
De fato, não é
novidade que o gênero literário ‘New
Adult’
está dando o que falar. Nos Estados Unidos esses romances se
tornaram prioridade para um grande número de leitores, garantindo o sucesso e a
disseminação da classe, alcançando até mesmo as editoras brasileiras, que
prometem o lançamento de várias obras desse gênero para o ano de 2013. Entre os
destaques da classe está “
Losing It”, o romance de estreia da autora Cora Carmack,
que teve seus direitos adquiridos pela editora americana
Harper Collins
(que aproveitou também para adquirir os direitos sobre as continuações que
poderão vir do badalado livro da autora, e pelas informações que ela anda
divulgando em suas redes sociais, uma possível continuação não tardará a ser
lançada). Aqui no Brasil os direitos do romance
ainda não foram vendidos, contudo, não tenho dúvida
de que isso é só uma questão de tempo.
Lendo a sinopse e assimilando-a com a capa da
obra, concluímos que o romance em questão é essencialmente carnal, contudo me
surpreendi a me deparar com uma história de paixão proibida, inegavelmente doce,
consolidada nos desafios da vida e baseada nos sentimentos e conflitos dos
personagens principais. O tema central da narrativa pode parecer clichê, pois trata
sobre a virgindade de nossa protagonista que, em seu último ano de faculdade
está decidida a dar esse ‘grande’ passo em sua vida adulta. Contudo,
diferentemente do que esperamos, o conflito não está apenas na virgindade de
Bliss, mas nos motivos que a levam a manter-se distante de um relacionamento
sério. Aos poucos somos envolvidos nos medos e nas dúvidas dessa jovem, e não somente
com relação ao seu corpo ou seus enlaces amorosos, mas também com relação ao
seu futuro profissional, e isso sim, me cativou por inteiro. Na situação em que
Bliss se encontra, prestes a enfrentar o mercado de trabalho, é involuntário
ter medo do futuro, do ‘pós’ faculdade, medos que a autora descreve muito bem e
que abarcam completamente o leitor que já passou por uma experiência similar.

O ápice da trama, como a própria sinopse
revela, é o homem escolhido por Bliss para uma noite de amor casual, que inesperadamente é um dos seus novos professores no
curso de teatro. A tensão sexual entre eles é palpável, e claro, proibida.
Entretanto, a proximidade não só aumenta o desejo compartilhado pelo casal,
como também proporciona o início de um enlace sentimental, uma amizade, uma
relação de companheirismo e compreensão. Garrick, munido com seus olhos claros
e seu sotaque inglês, é irresistível, mas é o seu bom-humor e a sua verdadeira
preocupação com Bliss que encanta completamente
o leitor. Imaginem um mocinho que logo de cara esbanja seu charme e que exatamente
por isso, tem tudo para ser um grande galã, mas que não demora a deixar
transparecer sue jeito sincero e carinhoso de ser, colocando-se sempre a
disposição para ajudar e cuidar da mocinha da trama. É assim que Garrick é. Ele
chama a atenção por não fazer parte de um extremo, ou bad boy, ou melhor amigo, mas sim uma mescla dos dois, fato que deixa
Bliss maluca com a confusão de sentimentos que ele provoca nela.
O romance segue uma linha fluída, fator que quando
acrescentado a narrativa da autora, que é simples e direta, colabora para que
não consigamos interromper a leitura. Foram mais de duzentas páginas lidas sem pausas,
e não apenas porque estava curiosa quanto ao rumo da trama, mas principalmente,
pelo motivo de que a escrita da autora me capturou, trouxe os personagens para
o meu mundo, e me levou a compartilhar de seus medos. Gostei também da
protagonista e de seus amigos, todos eles são personagens que me fizeram
relembrar dos bons momentos de minha faculdade. Além disso, duas coisas precisam
ser comentadas: o panorama de teatro acrescentado a narrativa é, no mínimo,
contagiante, as minúcias descritas com relação ao curso me impressionaram muito;
e o último capítulo, com suas referências a ‘Orgulho e Preconceito’, é perfeitamente lindo. Tocante, romântico, envolvente, nenhuma dessas palavras serviriam
para descrever a magnitude presente no desfecho dessa história.
No todo, o livro é leve, rápido de se ler, e
próprio para os leitores que gostam de romances belos e ‘normais’ (às vezes sentimos falta de leituras desse tipo, não é
mesmo?). O único motivo que me fez “não acrescentá-lo” na minha lista de
favoritos foi a linha previsível da história, não que isso diminua o encanto da
mesma, mas eu senti falta de algo que marcasse o leitor, permitindo que além de
se envolver com a trama, também guardássemos algo dela. Entretanto, ainda quero
ler os próximos livros da autora, e torço muito para que o casal ganhe um novo
livro.
Quotes: (Tradução livre)
“Sexo. Eu ai fazer sexo. Com um
cara. Um cara ardente. Um ardente cara BRITÂNICO. Ou talvez eu fosse vomitar. E
se eu vomitasse no ardente cara Britânico? E se eu vomitasse no ardente cara
Britânico DURANTE O SEXO?”
“Eu respirei, me relembrando
que eu era incrível. Eu não era insegura ou tímida. Eu só era uma virgem. Não
uma grande coisa. E se eu alguma vez quisesse não ser uma virgem, eu ia ter que
fazer sexo. Hora de ser durão, hum… durona. — Você está esperando por um
convite? — eu perguntei, olhando-o em pé cuidadosamente do lado de fora da
minha porta. — Essa é a parte onde você me diz que você é um vampiro? Ele riu.
— Não, eu prometo que a palidez é apenas porque eu sou Britânico. — Então pelo
que você está esperando?”
“— Eu só… eu entendo como é
querer algo, mas tentar e forçar a si mesmo a realmente acreditar que você não
quer. Isso não tem sequer que ser sobre amor. — Eu vou fingir que eu não acabei
de escutar você se referir a mim como uma propriedade que tem um dono. — Nós
não podemos ser donos um do outro?”
“Algumas vezes, dizer a
primeira coisa que vinha a mente era bom. Algumas vezes simples e honesto
funcionava melhor. Eu esperava que esse fosse um desses momentos”.

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

12 Comentários

  • Pedro Vinícius
    06 abril, 2013

    Parece que vai ser publicado no Brasil pela Novo Conceito *-* http://o-livreiro.com/?p=3945

  • Karina B.
    25 janeiro, 2013

    Oii Pah!
    O livro é mesmo bem rápido, leve de se ler.
    Mas eu também senti falta de alguma coisa.
    Quando lemos a sinopse, da a impressão que é no estilo amor proibido (que na minha opinião seria o melhor do livro). Mas eu senti um pouco de falta disso no livro. Essa parte poderia ter sido mais aprofundada.
    Mas o livro não deixa de ser bom. Também quero ler os próximos livros da autora 😀

    Adorei a resenha!
    Beijos

  • VANESSAANGELQ
    23 janeiro, 2013

    Oi Pah,tudo bem?
    Resenha interessante,e o que é essa capa?
    Realmente esse gênero ‘New Adult’ está começando a fazer sucesso por aqui,e este em particular com certeza promete
    Mas será que Bliss vai se envolver com o professor dela?

  • Alessandra Vilhagra
    22 janeiro, 2013

    Oie Pah…

    Adorei a resenha!!! Fiquei super curiosa em ler o livro, já adicionei na minha lita de desejados!!!

    Bjokas…

  • Ana Ferreira
    22 janeiro, 2013

    Pah, achei a temática abordada pelo livro bem interessante, não exatamente erótica, como é o gênero no qual se tem investido muito atualmente e de que eu não gosto muito, particularmente falando. Essa nova divisão New Adult vem com uma proposta bacana, no meu ponto de vista, e apesar de ter achado a capa do livro muito sugestiva (HAHHAHA), sua ótima resenha me deixou com vontade de saber como prossegue essa história.
    Quanto tempo eu não apareço por aqui, heim? Saudade disso tudo! <3
    Beijão!

  • Kelly Barros
    22 janeiro, 2013

    Concordo com a colega de cima. Editoras, lancem logo esse livro! Você comprou esse livro, ebook, baixou na internet? Fiquei curiosa em ler, mas como não vão lançar ele ainda, não sei como fazer.

  • jayane
    22 janeiro, 2013

    Queridas Editoras compre logo o direito desse livro,porque não sei ler em inglês e a Pah fez uma resenha ótima que me deixou com vontade de ler tudo hj.

  • Mirelle Candeloro
    21 janeiro, 2013

    Adorei a resenha Pah, fiquei super curiosa sobre o livro. Já pus ele na minha lista de vou ler.
    Bjs,

    Mi
    http://www.recantodami.com

  • Grazielli Martinelli
    21 janeiro, 2013

    Gostei muito do livro estou praticamente a 24 horas acordada pois comecei ontem a noite e só consegui parar quando terminei, é realmente como vc disse o texto fez com que eu não conseguisse parar de ler, gostei muito. Valeu a sua resenha, é legal ver as opiniões de outras pessoas quando a gente lê um livro e gosta e fica na expectativa de saber se outras pessoas também gostaram e não somente vc kkkkkk. Gostei do seu blog o achei pela resenha na net muito legal. Bjos até a próxima resenha

  • Aione Simoes
    Aione Simoes
    21 janeiro, 2013

    Gêmea, mais um pra minha wishlist!
    Adorei todo a história envolvida no livro, parece ir além do simples erotismo.
    E, abrindo um parênteses aqui, acho que você vai adorar O Inferno de Gabriel, estou adorando! Lembrei disso por causa da questão Aluna/Professor!
    Resenha ótima como sempre 🙂
    Beijão!

  • Thiana Santana
    21 janeiro, 2013

    Me interessei. Espero logo que algum editora lance ele por aqui.
    New Adult já é um dos meus gêneros favoritos, mas ainda vejo poucos lançamentos por aqui.
    Quero conhecer esse ardente cara britânico, já!

    Bjs,
    Garotas de Papel

  • Lili
    21 janeiro, 2013

    É, embora os romances hot não sejam um estilo que eu adoro, porque oscila, eu acho que a história desse é muito boa.

    Nossa, um professor com sotaque britânico deve deixar louca qualquer um hahahha

    Beijos,
    liliescreve.blogspot.com