[Resenha] Passarinha - Kathryn Erskine

No mundo de Caitlin tudo é preto ou branco. As coisas são boas ou más. Qualquer coisa no meio do caminho é confuso. Essa é a máxima que o irmão mais velho de Caitlin sempre repetiu. Mas agora Devon está morto e o pai não está ajudando em nada. Caitlin quer acabar com isso, mas como uma menina de onze anos de idade, com síndrome de Asperger ela não sabe como. Quando ela lê a definição de encerramento ela percebe que é o que ela precisa. Em sua busca por ele, Caitlin descobre que nem tudo é preto ou branco, o mundo está cheio de cores, confuso e bonito.
224 Páginas || Cortesia Editora Valentina || Skoob || Compare & Compre || Classificação: 5/5
Você sabe o que é Síndrome de Asperger? Segundo uma definição simplificada (afinal não pesquisei a fundo e muito menos sou especialista no assunto) tal transtorno é enquadrado como uma parte do autismo leve, ou seja, os portadores dessa síndrome não podem ser diagnosticados com base na definição geral do autismo, até porque eles possuem características diferenciadas como1: dificuldade de interação social; dificuldades em processar e expressar emoções (este problema leva a que as outras pessoas se afastem por pensarem que o indivíduo não sente empatia); interpretação muito literal da linguagem; dificuldade com mudanças em sua rotina, com pessoas desconhecidas e/ou que não veem há muito tempo; e comportamentos estereotipados. Agora, com base em tal introdução, imagine uma jovem de dez anos – uma menininha inteligente, talentosa e com síndrome de Asperger, alguém que requer atenção e cuidado especial, mas que além de estudar em uma escola pública despreparada no tato de suas características especiais, vive em uma família emocionalmente abalada pela morte do seu irmão mais velho. Pois bem, essa é Caitlin, a protagonista de Passarinha, e essa é a sua história, uma história contada sob a sua visão única e peculiar do mundo.
Acho que eu não vou gostar nada disso. Acho que vai doer. Mas talvez depois da dor eu consiga fazer uma coisa boa e forte e bonita de tudo isso.

Em um atentado bruto e doloroso um atirador mata várias pessoas (alunos e professores) da escola de Devon, irmão mais velho de Caitlin. Entre as vítimas a jovem perde seu companheiro, seu amigo, sua família, seu Devon – morte que abala a jovem, seu pai, os alunos da escola, e toda a comunidade de sua cidade. O livro trata então da dor dessa família, de um pai e de uma filha que precisam aprender a lutar diariamente com a crueldade da perda de uma pessoa amada. Porém, ao narrar tais acontecimentos sob a visão peculiar de Caitlin a autora acrescenta novos pontos de reflexão à sua obra, como por exemplo, o que de fato é a síndrome de Asperger, as dificuldades que as crianças assim encontram no trato de suas peculiaridades, o bullying, a exclusão, o medo, a insegurança e, principalmente, a necessidade que possuem de se conhecer e aceitar. Indo além, é válido dizer que a obra é muito mais do quê uma história triste que fala sobre a morte, ou ainda que relata e esclarece sobre a síndrome de Asperger, esses são sim temas abordados pela autora, mas sinto que foi por meio deles que alcançou seu objetivo: escrever sobre a vida, sobre suas dificuldades, suas particularidades e seus infinitos recomeços. Por isso esse livro é tão tocante e especial, pois ele engloba vários assuntos polêmicos em uma única história, sem deixar o livro pesado ou demasiadamente triste.
O grande ponto da narrativa é que Caitlin tem apenas dez anos e mesmo assim é muito mais sagaz que inúmeros adultos. Mesmo diante das imensas barreiras que encontra pelo caminho a jovem segue firme em seu caminho de compreensão e aprendizagem; ela é como um exemplo para o leitor, uma personagem pura e forte, alguém que sofre de uma maneira diferente e, se não fosse o suficiente, ainda sofre por ser diferente, mas que mesmo assim continua aprendendo, recomeçando, lutando. Ela perdeu o irmão, sofre na escola por ser especial, não tem amigos, tem pânico de muitas coisas que estão ao seu redor, mas ainda assim tenta ajudar o seu pai a não parecer mais tão triste, tenta dar-se uma chance escutando os conselhos da orientadora de sua escola e, o mais surpreendente, busca o impensável e tão sonhado desfecho para a dor e sensação de recreio2 que carrega em seu peito.
Ele vira a cabeça para mim e sussurra, Perdedora. Eu sei, digo para ele, mas vou continuar tentando.
Outro ponto positivo do livro é que a autora escreve como uma jovem de dez anos, fato que nos faz rir da pureza da protagonista, vibrar com suas conquistas, e chorar descontroladamente com sua dor; de fato é impossível não se emocionar, não mergulhar nos sentimentos e emoções que são narradas de forma tão bruta, como uma criança realmente o faria. Fora que as lições contidas nessa história tocam muito mais por serem “ditadas” por uma garotinha, é como se a autora nos pedisse para ver o mundo sob a ótica de uma criança, como se ela quisesse nos mostrar a verdadeira maneira de lidarmos com os altos e baixos da vida. Afinal, veja bem, se uma garotinha de dez anos consegue, porque eu não conseguiria?
Para simplificar os fatos digo que eu gostei tanto desse livro que é impossível descrevê-lo em palavras; eu poderia escrever mil resenhas e todas elas ainda estariam incompletas. Então se você quer saber se vale a pena ler a resposta é sim, vale e muito; se quer saber se agrada todos os leitores, sim com certeza; ou se está em dúvida sobre o nível da escrita da autora digo que temos em jogo muito talento, muitas emoções e palavras fáceis e de rápida compreensão. Ou seja, a obra é feita na medida certa para abocanhar nossos corações.
Alegre, emocionante, reflexivo, humano... Passarinha é uma obra que marca o leitor com a leveza das palavras utilizadas para descrever a dureza da vida.
1 Fonte 2 Alusão ao Livro
De olho na diagramação
Existem livros que são ricos tanto em conteúdo quanto em aparência, e esse é o caso de Passarinha: Capa, contracapa, diagramação interior... tudo feito com tanto carinho e cuidado que é impossível não notar. Quer conferir? Então dá só uma olhadinha:


 
Ps. Sim, eu usei marcadores de passarinho para combinar com o livro, risos.
Trechos Marcantes
Mas não consigo parar de chorar. Por Devon. Pelo que aconteceu com Devon. Porque a vida dele foi tirada e ele não pode fazer nada nem se sentir feliz nem orgulhoso nem viver nem amar...
O tempo é o melhor remédio. (...). Como poderia ser? Um relógio não é como um comprimido ou um xarope. E eu não preciso de remédio. Preciso de um Desfecho.
Você pode abrir e fechar os livros um milhão de vezes que eles continuam os mesmos. Têm a mesma aparência. Dizem as mesmas palavras. (...). Livros não são como pessoas. Livros são seguros.
Outras Capas + aqui
  








Top Comentarista, participe Aqui

33 comentários:

  1. Esse livro parece ser muito bom, gostei bastante da resenha.

    Bjus
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O livro parece lindo e sensível. Se for no estilo de Fale eu vou amar... Já está na lista para ler... Amei a resenha!

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  3. Eu vi MUIIIIIIIIITA gente falando muito bem do livro (mesmo quando ainda não tinha sido lançado aqui no Brasil), e estou super na expectativa para ler :D
    Adorei a resenha

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha Pah. O livro parece ter uma história bonita e tocante e se é contado pelo ponto de vista de uma criança deve ser muito interessante.
    Beijos
    http://allmylifeinbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já li resenhas falando muito bem sobre esse livro. Adoro temas assim, tocantes e que nos fazem refletir. E pela sinopse e sua resenha a capa tem tudo a ver com a estória, achei a capa brasileira bem legal.
    Boa resenha! Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro para ser muito emocionante e envolvente. Adoraria ler a história sob o ponto de vista da Caitlin, com seus 10 anos e com síndrome de Asperger.
    Achei a capa brasileira bem bonita e a diagramação esta linda mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Nossa Pah, que livro marcante viu. Adoro livros densos que tratam de assuntos delicados cada vez mais presentes no nosso cotidiano, como o bullying, o preconceito e a necessidade de superação. Faz tempo que estou querendo ler esse livro, e achei interessante a autora escrevê-lo pela ótica da menina. Talvez assim deixe a leitura um pouco mais leve, como foi com Extraordinário. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  8. acho a nossa capa bem mais a ver com a história... hahaha
    bom, ainda não li o livro, mas desde que vi as primeiras divulgações, fiquei curiosa, pois tenho muito interesse em livros neste estilo, que tratem de doenças e tal. este me interessou de uma forma diferente, pois, além de tratar sobre uma síndrome, ele aborda também o tema familiar e todos os problemas ai inclusos.
    parece ser um livro fascinante *-*

    ResponderExcluir
  9. Uau, esse livro parece ser incrível. Desconhecia a Síndrome de Asperger e esse fato instigou-me ainda mais para ler o livro.

    Beijinhos, Pah.
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  10. Oi Pah!

    Como sempre suas resenhas são perfeitas! Essa é a primeira que vejo sobre Passarinha, mas já coloquei na minha lista de desejados hehe' Beijos

    Irradiando

    ResponderExcluir
  11. A capa brasileira esta mais bonita de todas, e a sua resenha. Nossa|!! você é muito detalhista parabéns, me deixou ansiosa para ler.

    ResponderExcluir
  12. Nunca li um livro que a autora escreve no ponto de vista de uma garotinha de dez anos. Isso me deixou intrigada porque parece que só vamos ver momentos bons na historia pelo fato de ser uma criança. Mas vc disse que tem fatos marcantes e que podemos rir e chorar. Eu não gostei muito da capa brasileira pela primeira vez. Gostei mais das outras. Amei a resenha.
    Bjss

    ResponderExcluir
  13. Essa história parece ser linda. Principalmente por ser sobre um tema que nós sabemos muito pouco, ou nada, ele deve trazer muitas reflexões. Deve ser ao mesmo tempo, esclarecedor e angustiante entrar na "vida" de uma menina que sofre esse tipo de tratamento dos outros. Fará todo mundo se emocionar com todas as dificuldades e lutas que ela deve ter tido, e que a maioria de nós sofre também, embora não em tão larga escala, por não termos a mesma condição especial dela.
    Parece o tipo de livro que com certeza me me emocionará quando ler. E com certeza, deve ser fascinante. ((:

    ResponderExcluir
  14. Achei a capa brasileira mais bonita do que as outras. Esse é um livro que me interessa muito a leitura, por ser narrado como se fosse Caitlin, tendo apenas 10 aninhos. Tenho certeza que vou me apaixonar e me emocionar com essa história.

    ResponderExcluir
  15. Esse livro me ganhou logo na capa e a sinopse então nem se fala simplesmente amei, ainda não pude lê-lo mas com certeza está na minha lista de desejados. Amei os trechos marcantes, e esse do garotinho ofendendo ela nem se fala. Com certeza o livro deve ser muito emocionante só os trechos me emocionaram.
    A nossa capa é a melhor !!!

    ResponderExcluir
  16. Hey!

    Eu adoro livros que abordem essa temática de síndromes ou problemas de saúde sérios... A história parece ótima, emocionante! Vou dar uma pesquisada ainda, mas quero ler!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. O livro parece ser muito bom, eu nunca havia sentido muito interesse em ler ele, mas estou repensando isso, creio que deva valer muito a pena a leitura, pois é uma coisa série e que nós temos muito o que aprender, e o livro parece nos fazer refletir sobre o assunto gostei da resenha, e quero ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Quero muito esse livro, estou ansiosa para tê-lo em mãos, e que capa mais lindinha né!!!!!!!

    ResponderExcluir
  19. Desde da primeira vez em que vi o livro achei essa capa magnifica!! *-*
    Mas não tinha me interessado tanto por ele, assim sendo essa a primeira resenha que leio sobre eu fiquei bem mas animada, gosto de livros fortes que abordam temas importantes como esse...
    Antes de sua resenha por exemplo eu nem conhecia essa síndrome =S
    Acho que vou me emocionar e me envolver bastante com o drama dessa família!!
    Bjinhus

    ResponderExcluir
  20. Eu tenho receio de ler esse livro pelo simples fato de que a protagonista é muito jovem, mas lendo sua resenha percebo que esse é exatamente o ápice do livro! Não tinha me interessado por esse livro a princípio, mas ele parece ser realmente puro e lindo, sem contar que traz uma lição muito bacana!
    A Editora Valentina tem trazido ótimos títulos para cá pro Brasil, livros com um ótimo conteúdo e muito bem comentados.

    ResponderExcluir
  21. Eu to querendo ler esse livro a bastaaaante tempo, ele parece fazer do tipo que faz você refletir por bastante tempo, achei a diagramação dele perfeita!
    Eu estou gostando bastante dos livros que a Editora Valentina está trazendo para o Brasil, e sempre eles capricham na diagramação!
    Beijos, Nati

    pomardoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Eu não pude deixar de reparar nos postit no seu livro *0* #táparei kkk
    Eu fico imaginando o quanto esta história deve ser reflexiva... Não é a primeira vez que leio resenha sobre esse livro, mas cada vez que leio eu fico querendo ler o livro, entender tudo o que se passa com a protagonista.

    ResponderExcluir
  23. Oi Pah
    Nossa!!! Fiquei emocionada só de ler a sua resenha, imagine então quando eu ler o livro. Passarinha pelo jeito é um livro com uma estória linda e emocionante, e com certeza com uma bela lição de vida para todos. Quero agora Passarinha em minhas mãos!!

    ResponderExcluir
  24. Ai que livro lindo, gente! Como pode isso? Amei a sinopse e ainda mais a sua resenha, tão
    cheia de delicadeza. Acho que "passarinha" é um livro sensível que deveria ser indicado a todos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Olá, Pah!

    Eu nunca tinha visto esse livro em português, lembro de ter visto alguns vídeos- resenha sobre ele, mas todos tinham lido em inglês. Achei essa edição brasileira bonitinha.
    É... continuo curiosa para lê-lo. -rs

    Beijos.
    http://www.wordinmybag.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Como sempre ao ler a resenha da Pah , estou com vontade de comprar o livro . Acho que vou aprender bastante com a leitura .

    ResponderExcluir
  27. Não é meu estilo, mas gostei muito da resenha da Pah, como sempre :)

    ResponderExcluir
  28. Pah,
    esse é o tipo de livro que parece lindo e emocionante e justamente por isso eu não tenho vontade de ler. Peguei o livro na Bienal, dei uma folheada, mas sei lá... Na verdade, meio que tenho um bloqueio pra ler algumas coisas, dependendo do assunto. E como achei que ele seria bem denso, achei melhor não!
    Sua resenha me fez conhecer um pouco mais do livro e ate mudar alguns pensamentos! E vc diz que agrada a todos, então, talvez um dia eu dê uma chance! Mas por enquanto estou evitando histórias assim tão comoventes...

    bjsss

    ResponderExcluir
  29. A nossa capa é a mais linda, minha opinião. Já tinha lido a resenha deste livro no Blog da Ceile do Este ja li. E confesso que to doida para ler este livro, ainda mais depois da sua resenha. O livro aparenta trazer várias reflexões para o leitor, o que eu acho ótimo, pois faz a gente pensar. Nesse trecho que você colocou na resenha: "Ele vira a cabeça para mim e sussurra, Perdedora. Eu sei, digo para ele, mas vou continuar tentando." dá para que a personagem tem coragem, personalidade e luta para melhorar para si mesmo. Gostei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  30. É um livro que realmente parece ser tocante, ainda mais quando trata de uma doença tão delicada como é o autismo... Caitilin parece ser uma menina muito sofrida, tanto pelo jeito que é tratada pelos outros por ser especial tanto pelo trauma de ter perdido seu irmão... Segundo sua resenha, acho que é aquele tipo de livro que te passa uma mensagem de vida, que te faz acreditar que barreiras podem ser quebradas se você se esforçar e trabalhar para isso.

    ResponderExcluir
  31. Oii Pah!
    Já tinha ouvido falar desse livro, mas é a primeira resenha que leio dele.
    Logo no inicio, quando você lê a sinopse, já se percebe que não é um livro fácil. Parece ser uma dessas histórias marcantes. Fiquei curiosa!
    E a capa é muito linda!

    Adorei a resenha!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  32. Adorei. Vou procurar esse livro. Mesmo não gostando de histórias triste e de chorar, vou tentar dar uma chance, vai que não é como eu estou pensando.

    ResponderExcluir
  33. Não curti muito. Nunca digo que não leria tal livro na vida vida, seja qual for, mas acho que pra eu ler esse, precisaria de um estado de espírito bem diferente do atual.

    ResponderExcluir