[Resenha] Dias Melhores Virão – Jennifer Weiner

Quando Ruth Saunders recebeu o telefonema de uma rede de televisão dizendo que sua série original seria levada ao ar, ela quase não acreditou. Embora tivesse passado a vida escrevendo, não pensava seriamente que seu roteiro (autobiográfico!) sobre uma mulher jovem, com excesso de peso, que vivia com a avó, e que decidira se mudar para Miami para fazer fortuna, pudesse ser realmente interessante para alguém. Tudo o que ela queria era ver sua série entre os comentários do público e das revistas especializadas, mas Ruth foi acordada bem depressa de seu sonho... Atores de cabeça vazia e ego inflado, e burocratas da emissora transformaram seu roteiro para atender a múltiplos interesses... Todo o esquema criado para se colocar uma série no ar é, ironicamente, narrado por Jennifer Weiner, ela mesma uma veterana da TV. As esperanças de Ruth são sistematicamente frustradas: os acionistas da rede insistem em uma revisão sem sentido, sua personagem principal, uma mulher cheia de curvas, passa a ser quase anoréxica, e a avó, Nana, de mulher madura e sofisticada passa a uma ninfomaníaca da terceira idade. Divirta-se com a escrita espirituosa e cativante de Jennifer Weiner e sua deliciosa capacidade de fazer valer, em cada um de seus livros, os sentimentos de todas as mulheres.
Romance || 400 Páginas || Cortesia Novo Conceito || Skoob || Compare & Compre|| Resenha da Kamila Mendes || Classificação: 5/5
Preciso dizer que me senti presenteada com esse livro. Amei cada capítulo dessa história e me emocionei junto com Ruth. Vale lembrar que não sou muito fã de romances – esse com certeza não é o gênero que me faz entrar em uma livraria – mas quando a chefinha, mais conhecida por vocês como Pah, pediu para que eu escolhesse um livro, escolhi, então, Dias Melhores Virão, dando uma chance para o gênero romance; e confesso, estou feliz pela decisão. Obrigada Chefinha!
“Havia sofrimento e havia alegria, e talvez, simplesmente talvez, no meio dos escombros do que eu pensei que mais queria, ainda houvesse uma oportunidade para que eu agarrasse um pouco de felicidade, arrancasse a vitória das mandíbulas da derrota.” pag. 340
Antes de tudo vale ressaltar que alguns leitores acharam a leitura meio parada no início, coisa que pra mim não fez sentido. A meu ver o livro segue um ritmo bom, nem lento, nem rápido demais, permitindo ao leitor degustar cada página e no meu caso, em particular, torcer infinitamente pela protagonista.

Após seis anos de luta, finalmente Ruth Saunders recebe o tão sonhado telefonema que mudará sua vida: seu roteiro foi aprovado e será levado ao ar. A história do livro gira em torno do telefonema de aprovação, da gravação do episódio piloto e se a série escrita por Ruth será aprovada pela emissora ABS. O roteiro escrito por Ruth é um comédia autobiográfica que conta a história de uma mulher e sua avó, e que objetiva ajudar as pessoas que se sentem incapazes, ou rejeitadas, a descobrir que podem conquistar seu próprio espaço, se identificando com sua protagonista.
Aos três anos de idade, Ruth sobreviveu ao acidente de carro que matou seus pais e sofreu graves ferimentos que desfiguraram seu corpo e rosto. Durante toda sua infância, Ruth passou internada, indo de médico em médico, esperando a hora do próximo analgésico, passando por cirurgias de enxerto de pele e sendo rejeitada por adultos, adolescentes e crianças, exceto por sua avó e as séries de TV que deram força para aguentar o doloroso processo de recuperação.
“Naquela terra feliz, nem todos eram belos, jovens ou perfeitos. Nem todos tinham amores românticos. Mas todos tinham amigos, uma família que haviam escolhido. Era o amor que as sustentava, e esse amor, eu imaginava, podia também me sustentar. Isso era televisão para mim, o sonho de um mundo perfeito, no qual eu cabia, ao qual eu pertencia.” pag. 34
O acidente também deixou marcas no emocional de Ruth, que nunca teve muitos amigos e por isso se dedicou a escrita. Agora Ruth quer tocar vidas machucadas como a dela através de seu programa de TV e mostrar que ser comum não é o fim do mundo. O problema é que o sonho pode morrer no meio do caminho. Após festejar a aprovação do roteiro, Ruth descobre que terá que fazer modificações na história para adequá-la aos desejos da emissora, o que pode fazer com que a trama fique diferente da sua.
Além de ter que lidar com os caprichos de executivos, roteiristas, atrizes com baixa autoestima, Ruth ainda tem que enfrentar sua vida emocional que não é tão emocionante assim. A falta de amigos e os poucos namorados fazem com que ela se veja como um monstro. As cirurgias não ajudaram em muita coisa. Ruth tem parte do rosto deformado, o que causa reações desagradáveis nas pessoas. Na verdade, ela passa parte do tempo tentando esconder o rosto com chapéus, echarpes e evitando espelhos. E quando é rejeitada por um roteirista, seu novo namorado termina o namoro e vê sua avó começando um novo relacionamento e planejando seu próximo casamento, Ruth se vê ainda mais perdida com seu mundo de pernas para o ar.
Quem desejaria olhar para mim todos os dias quando podia contratar uma assistente que fosse brilhante e diligente, qualificada e, além disso, agradável ao olhar?” pag. 49
“Na minha imaginação, a garota que ganhasse o papel seria como eu, quebrada de algum modo importante, movimentando-se em um mundo que não a desejava.” pag. 147
Dias Melhores Virão é uma bela crítica a indústria de Hollywood, ao falso glamour das grandes estrelas. O leitor fica por dentro do mundo das séries, vê como um elenco é escalado e percebe que não depende do que o público está interessado em ver, mas sim daquilo que a indústria quer vender. Como romance, gostei porque não caiu no velho clichê de garota-que-é-bonita-e-não-sabe-que-é-bonita-se-apaixona-pelo-cara popular-e-blá-blá-blá, já que a trama mostra que mesmo você sendo diferente, o mundo pode sim sorrir pra você.
É um bom romance, uma boa história. Recomendo como uma leitura descontraída, sem pretensão de ser uma história que vá mudar sua vida, mas aquela que você vira a última página com um sorriso nos lábios.
“Não era perfeito, é claro – o programa não era o que eu queria, e podia ser cancelado, amanhã Dave podia me dispensar em troca de uma modelo mais quente e mais jovem -, mas, como dizia Dave, você não consegue ‘perfeição’ na vida. E, salvo a perfeição, o que eu sei, para usar o ditado, é que dias melhores virão.”pag. 365








Participe Aqui
  

28 comentários:

  1. Oi, Kamila
    Adorei a sua resenha. Gosto muito de ler romances e fiquei encantada com a premissa desse livro. A personagem principal parece ser uma lutadora. Também achei interessante o livro mostrar o lado negativo de Hollywood. Com certeza, quero ler.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha, nunca tinha lido algo sobre esse livro. Parece que é bom. hehe

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha e se eu tivesse visto ela antes de pegar para ler pensaria que era um livro perfeito. Mas gente, como odiei esse livro! A leitura é rápida mas não consegui passar do segundo capítulo, não achei que tem uma história interessante. Respeito sua opinião ^^
    Amo teu blog e tuas resenhas <3

    Blog: Café Com Babis (:

    ResponderExcluir
  4. Oi Kamila! Eu nao sou muito acostumada a ler livros desse estilo ~sem um carinha qu ajude ela, ou outra pessoa(sem levar em consideração a vó)~ haha Mas é interessante ver como a pessoa pode conquistar os seus objetivos independente do que a pessoa passou de ruim. E me fez ver um lado do livro legal! Por esse lado e leria e tambem para ver a critica a hollywood que ele fala, nao que a gente nao saiba neh, pois eles só querem ganhar dinheiro, nao me impressionaria se eles mudassem o final de ACEDE para ganhar dinheiro haha Mas gostei da resenha! e sinceramente você devia ler mais romance! hahaha se quiser eu indico alguns haha bjinhooo

    ResponderExcluir
  5. Nossa, parece marcante. A personagem sofrida, mas com jeito de batalhadora. A parte do acidente, das cirurgias, rosto deformado deve ser bem tocante né.. e acima de tudo deve passar uma mensagem bem bacana!
    Abs

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Já tinha lido a sinopse e achei que seria uma leitura interessante mas com o tempo perdi o interesse. Gostei da sua resenha - mas realmente perdi o interesse pelo livro apesar de parecer ser muito bom.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Kamila!
    Gostei bastante da resenha, confesso que nunca tinha escutado sobre o livro mas ele parece ser muito bom. Gostei que ele foge do cliche que você citou, o que o torna mais interessante. Com certeza esta na minha listinha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ka, lembro que logo que o livro foi lançado me apaixonei pela capa. Adoro histórias que abordam o mundo maluco de Hollywood e achei a premissa interessante. Melhor ainda saber que você gostou. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  9. a trama dele parece ser bem interessante, mas já vi tantas resenhas negativas que fico com um pé atrás :(
    não pretendo ler ele logo, mas quem sabe né... :P

    ResponderExcluir
  10. Confesso que não havia me interessado pelo livro. Bem, você acabou de mudar isso.
    Além de uma história fora dos padrões, deve ser bem legal saber um pouco mais sobre como funcionam os bastidores de nossas queridas séries. Dica anotada =)

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  11. Eu tbm nao sou muito chegado a esses romances, mas gostei do que vc disse no final da resenha de que o livro nao tem nada do famoso clichê garota-que-é-bonita-e-não-sabe-que-é-bonita-se-apaixona-pelo-cara popular-e-blá-blá-blá, eu nao aguento aguento mais livros assim, a menina se apaixona pelo cara e fica pensando " eu sou feia, desengonçada, como ele pode ter gostado de mim" gostei que o livro não é assim.

    ResponderExcluir
  12. Bem não é o meu estilo de livro preferido, mas estou disposta a tentar a leitura, a resenha e a sinopse me conquistou ainda mais por se tratar de um tema do qual eu nunca havia lido, uma livro que falasse sobre o lado dos roteiristas e escritores de séries, por isso achei super bacana a ideia....

    ResponderExcluir
  13. Ainda não conhecia esse livro, mas gostei bastante da premissa dele. Foge dos romances tradicionais, mostrando uma protagonista não tão bela que tem que lutar pelo que quer. Também achei interessante o livro mostrar um lado negativo de Hollywood.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  14. nao me chama muito atencao esse estilo de livro , historia é legal mas eu nao gostei muito :/

    ResponderExcluir
  15. nao me chama muito atencao esse estilo de livro , historia é legal mas eu nao gostei muito :/

    ResponderExcluir
  16. Assim como você, romances não estão no topo da minha lista de gêneros favoritos. Bem longe disso.
    Mas eu gostei bastante do enredo desse livro e posso repensar a minha decisão de deixar esse gênero em último plano. A estória de superação da Ruth, a realização de sonhos e a forma como arte e cultura (nesse caso através de séries de TV) podem atenuar o sofrimento. O livro deve trazer uma mensagem linda e por isso valer a pena ser lido.

    ResponderExcluir
  17. A capa ficou estranha (mais para diferente do que feia) e o titulo parecendo livro de autoajuda que não é muito a minha, então tava ficando para depois. Mas depois de ler a resenha, amei a história de Ruth! É inevitável que de vez em quando juguemos o livro pela capa!
    Beijos, ótima resenha!

    ResponderExcluir
  18. Estou querendo ler bons romances, bons mesmo, sabes? ultimamente só tenho lido coisas fraquinhas do gênero. Mas agora que li sua resenha, este livro me despertou bastante o interesse. Então já estou colocando ele na frente de alguns.

    ResponderExcluir
  19. Kamila obrigada pela resenha desse livro. Eu me vi nesse livro. Por conta da minha deficiência a vida não andou como eu gostaria e nos últimos anos acho mais facil lidar com leitura ou bichos do que com pessoas.

    ResponderExcluir
  20. O mais legal é que apesar de ser um romance, esse livro parece ter uma história completamente diferente. Achei bem legal também envolver o mundo das séries na história.
    Estou bem curiosa pra ler esse livro.

    Bjok

    ResponderExcluir
  21. Sempre gostei de romances, mas ultimamente minha paciência para esse tipo de história meio que chegou ao fim. Ainda assim, posso dizer que me interessei por esse livro pelos mesmos motivos que você. Já estou um pouco de saco cheio da história da garota perfeita que encontra o garoto perfeito. Dias Melhores parece ser mais real. Com toda certeza é uma excelente leitura!

    ResponderExcluir
  22. Primeiramente, amei a resenha.
    Gente, a história é sensacional! Preciso ler esse livro. Tenho certeza que vou aprovar essa espécie de crítica à sociedade de que a indústria só escolhe o que quer vender pra ganhar mais.
    E é muito bom que não tenha caído no clichê!

    ResponderExcluir
  23. Não curto ler romances mas até fiquei interessada nesse pelo fato de ser um pouco diferente quem sabe acaba entrando na minha lista
    da uma olhadinha no meu blog tem resenha nova
    Livros com café

    ResponderExcluir
  24. Eu já sou apaixonada por romances.. mas esse tem uma temática diferente pelo que você escreveu e isso já é mais um ponto pra me convencer a lê-lo!! Parabéns pela resenha Kamila.

    ResponderExcluir
  25. Não conhecia o livro mas fiquei mega curiosa ^^

    só por apresentar algo original!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  26. Olá!
    Não conhecia esse livro, não me deixou super curiosa para lê-lo, mas não descarto a possibilidade. Parece ter uma história bem legal, com um tema interessante.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  27. O livro parece ser muito autêntico e fiquei encantada só com a resenha. Confesso que adoro romances adolescentes, que normalmente são totalmente previsíveis, mas é incrível encontrar uma história mais ~vida real~

    ResponderExcluir
  28. Amei a resenha, o livro parece ser muito interessante. O enredo do livro é diferente de qualquer outro que já vi, não parece ser a mesma coisa clichê de sempre, e isso que eu achei interessante. E também e claro o fato de entrar no mundo das séries, e criticar a indústria de Hollywood.

    ResponderExcluir