julho 30, 2014

[Resenha] Caninos Brancos – Jack London

Caninos Brancos é um lobo nascido no território de Yukon, no norte congelado do Canadá, durante a corrida do ouro que atraiu milhares de garimpeiros para a região. Capturado antes de completar um ano de idade, é usado como puxador de trenó e obrigado a lutar pela sobrevivência em uma matilha hostil. Mais tarde repassado a um dono inescrupuloso, é transformado em cão de rinha e, mesmo depois de resgatado desse universo de violência, ainda precisa de um último ato de heroísmo para conseguir sua redenção e finalmente encontrar seu lugar no mundo. Percorrendo o caminho inverso ao do traçado em O chamado selvagem (1903), em que um cão domesticado é obrigado a se adaptar à vida na natureza, em Caninos Brancos (1906) Jack London narra a história de um animal que precisa suprimir seus instintos para sobreviver na civilização. Grande sucesso de público desde o lançamento, já foi traduzido para mais de oitenta idiomas e adaptado diversas vezes para o cinema, os quadrinhos e a TV.

296 Páginas
|| Cortesia
Cia de Letras
|| Skoob || Compare & Compre|| Resenha da Kamila Mendes || Classificação:
5/5
Simplesmente
não sei por onde começar essa resenha. Alguns dirão: comece pelo começo, ora!
Mas então, eu teria que voltar para minha infância e relembrar minhas reações
ao assistir um filme apaixonante, mas assustador para meu coração e olhos
infantis: a história de um filhote de lobo retirado da floresta para ser criado
entre os homens até perder a noção do que é ser lobo e não conseguir confiar
nem em homens, nem em cães. Sim, Caninos
Brancos
, o livro, inspirou um filme (White
Fang
) que sempre passou na Sessão da Tarde e que fez parte da minha
infância. Basta dizer que lendo o livro, lembrei do filme e descobri porque me
apaixonei por animais e decidi defendê-los.



Caninos
Brancos é um drama que conta a história de um filhote de lobo, nascido no norte
selvagem do Canadá, que é capturado junto com sua mãe pelo homem e forçado a
deixar suas raízes selvagens e se deixar domesticar. De início, pela
perspectiva de Kichie – a mãe de Caninos Brancos – somos apresentados a vida
selvagem que os lobos levam no inverno. Meio loba meio cão, Kichie introduz o
leitor nos costumes dos lobos até a chegada de sua primeira ninhada, momento em
que conhecemos nosso protagonista, um dos seus filhotinhos, e entramos na mente
de um lobo selvagem que passa a vivenciar as primeiras expriências de um lobo
recé-nascido.

“Contando apenas com seu corpo pequenino e
seu medo gigantesco, ele desafiou e ameaçou todo o vasto mundo” pag. 89

Confesso
que me senti dentro de um documentário do Animal Plantet. Porém, minha
felicidade e a de Lobinho duraram pouco. Quando os índios reencontram Kichie,
automaticamente levaram Lobinho consigo. Na tribo, o pequeno recebe o nome de
Caninos Brancos e ali percebe que existem forças maiores do que a da natureza. Com
o contato com o homem, o animal se deparou com algo que sua mente simples
descreveu como deuses:

“Ele ficou imobilizado, subjugado por um
senso avassalador de sua própria pequenez. Ali estava um exemplo de soberania e
poder, algo muito superior a ele. (…) O lobinho olhava naquele momento para
os cinco homens não só com seus olhos, mas com os olhos de todos seus
antepassados (…) olhos que haviam espiado de uma distância segura aquele
estranho animal de duas pernas que era o senhor de outras coisas vivas”. Pags.
109 e 110

Caninos
Brancos viveu entre os homens um misto de admiração e humilhação. Dia após dia
foi forçado a se submeter ao seu deus homem, o índio Castor Cinzento. Assim, passou
a temer principalmente as mãos do bicho homem, pois elas sempre lhe provocavam
dor. Por ser filhote de lobo, Caninos Brancos representou para a matilha de
cães dos índios o desconhecido mundo selvagem e por isso foi maltratado,
perseguido, muitas vezes atacado por filhotes e cães adultos.

“A argila de Caninos Brancos fora moldada
até ele tornar-se o que era, soturno e solitário, sem afetos e feroz, o inimigo
de toda espécie.” pag.142

O
filhote cresceu e se tornou o animal mais temido da tribo. Nem animais, nem
humanos mexiam com ele por medo de seus dentes ou da vingança de seu deus que
via em Caninos Brancos o melhor animal que um homem poderia ter. E, se não
fosse suficiente, quando Castor Cinzento se mudou para um garimpo, ficou rico e
perdeu todo o dinheiro com bebida, vendeu Caninos Brancos para um homem ainda
pior, alguém que colocou Caninos Branco para lutar em rinhas; lutas que quase
custaram a vida desse pobre animal, de um ser que demorou para conhecer a
bondade humana.
O livro
é um clássico e faz jus a todas as minhas memórias de infância. Impactou-me no
ponto certo. Mostra como o ser humano pode destruir um animal e este ser considerado perigoso sem que seu
dono sofra represália alguma.
Indico para quem não tem medo de clássicos e
gosta de um bom desafio. Pois tem partes do livro que eu me forcei a ler,
tamanha crueldade e veracidade dos fatos. Dou cinco estrelas, sem dúvida.











Participe Aqui




confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

33 Comentários

  • Franciele Ferreira Silva
    05 agosto, 2014

    Oi Kamila, gostei de sua resenha, adorooo animais principalmente cachorros, mas confesso que não conseguiria ler este livro já que você descreve possíveis maldades com o lobo, isso me deixaria muito triste então prefiro evitar, já passo mal ouvindo alguém falar algo do tipo de longe, então…… nem preciso completar essa frase.
    A capa é linda.

    Bjssss

  • Diogo Fernandes
    04 agosto, 2014

    Parece ser uma historia bem emocionante, acho que sempre que envolve algum animal a historia tende a ser assim, gostei da resenha me interessei pelo livro, eu nao o conhecia.

  • Anônimo
    03 agosto, 2014

    Esse livro é incrível! Foi um dos primeiros livros que li e adorei… Faz um bom tempo, então não lembro muito bem e sua resenha fez me dar uma grande vontade de relê-lo!
    Outro livro que é bem parecido e que eu adoro é Chamado Selvagem!

  • Marina Chagas Ricci
    03 agosto, 2014

    Oi Kamila,

    Sei que já vi o filme mas era muito nova e pouco me recordo. Ao ler sua resenha já fiquei com um aperto no coração, mas como sei que Jack London não é uma leitura fácil, quando estiver mais preparada com certeza lerei este livro.

    Beijos

  • Larissa Alves
    01 agosto, 2014

    Oi Kamila, apesar de não curtir livros do gênero, amo filmes sobre animais porém tenho receio por nem todos os pequenos animais terem final feliz rs. O livro em si não me chamou atenção e nem o conhecia, porém a história parece ser muito emocionante.
    Beijos.

  • janaina silva
    01 agosto, 2014

    Eu também não conhecia o livro.E lendo sua resenha,sei que eu não curtiria essa história.Mas para quem gosta desse tipo de enredo com certeza curtirá muito 🙂

  • Mallú Ferreira
    01 agosto, 2014

    Oi Pah!
    Sessão da Tarde só me lembra você agora! kk
    Mas confesso que não sou muito fã de livros com protagonistas animais. Não me apego tanto quanto outras pessoas. Apesar disso, parece ser uma narrativa emocionante.

    Abraços.

  • DeebAmorim
    01 agosto, 2014

    Nunca vi esse filme, vou procurar saber! Uma pena essa história, deve ser triste, tipo o documentário Blackfish

  • Desbravadores de Livros
    01 agosto, 2014

    Apesar de ser um livro que já não é novo, confesso que não o conhecia. Porém, fiquei com muita vontade de lê-lo. Adoro livros que falam sobre animais e só na sua resenha já fiquei com pena do lobo. Preciso desse livro pra ontem.

    M&N | Desbrava(dores) de livros – Participe do nosso top comentarista de julho

  • Anônimo
    31 julho, 2014

    Eu lembro de ja ter assistido ao filme , e tenho certeza que eu vou ficar muito triste nesse livro , ja que os detalhes são muito melhores , tenho certeza que vou chorar bastante e estou evitando muito ultimamente livro que me façam chorar , então acho que ele vai ficar no fim da minha listinha , pra eu ler depois , beijos 🙂

  • Livros com café
    31 julho, 2014

    Fiquei curiosa em ler apesar da maldade de tirar um filhote de deu habitat natural, deve ser emocionante sinto que ao ler vou chorar
    Um beijo, te espero no blog
    SORTEIO Películas
    Post novo

  • Lorraine Lira
    31 julho, 2014

    Oi Kamila!
    Nunca tinha ouvido ou lido nada a respeito de Caninos Brancos. Apesar de ser um livro bem diferente do que costumo ler, acho que sofreria demais lendo esse livro, já que tenho uma sensibilidade anormal. Mesmo assim vou colocá-lo na minha lista de próximas leituras e quem sabe um dia eu tenha coragem o suficiente para lê-lo.
    Beijo!

  • Anne Viana
    31 julho, 2014

    Nunca li o livro nem vi o filme =O mas parece ser muito bom..quando tiver oportunidade irei ler 🙂

  • Neny
    31 julho, 2014

    Eu acho que ja vi um filme assim..rs, mas não sei se é o mesmo pois foi la na minha dolescencia rsrs. O tema do lviro é lindo e ler livros que tratam da visão de animais é muito interessante, dou meus parabéns para o autor, não é meu estilo de leitura, mas parece ser uma leitura agradavel, beijos.

  • Raissa Lohayne
    31 julho, 2014

    não conhecia o livro mas acho que não gostaria. A história parece interessante mas não sei, pela resenha não me pareceu um livro q eu iria gostar. Mas enfim, quero ver o filme q o livro inspirou e aí quem sabe

  • Greice Blogando Livros
    31 julho, 2014

    Eu lembro do filme, famosissimo! Mas eu sentia tristeza por ver ele e acredito que ler o livro me traria a mesma lembrança. Não leio mais livros assim com animais e coisas do gênero porque só choro!

    Beijos

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    http://www.amigasemulheres.com

  • Anônimo
    31 julho, 2014

    Esse livro definitivamente não é para mim, não suporto ler nada que seja com crueldade com os animais!
    Não leria de jeito nenhum!!

  • Rayme
    31 julho, 2014

    Oi Kamila,
    não sabia que tinha filme dele também. na verdade acho que nunca vi este, mas sim um mais atual, com a trama bem parecida…
    parece ser ótimo mesmo. não conhecia, mas vou buscar sobre ele agora mesmo! *-*

  • Nessa
    31 julho, 2014

    Oie

    Eu não conhecia este livro, achei legal a premissa dele, mas não sei se leria.

    Beijos

  • Monica Navarro
    31 julho, 2014

    Não conhecia esse livro, mas adorei a história. Sou louca por animais e fico muito triste quando vejo animais sendo maltratados.

  • jennifer luna
    31 julho, 2014

    Gostei da historia , vou tentar assistir o filme e se eu gostar compro o livro , que triste o lobinho se separar da mae :'( :'( gosto de livros que é de animais ,mas esse pareçe ser triste fazer um animal lutar -____- acho q vou chorar c esse livro !

  • Kel Araujo
    31 julho, 2014

    Oi Camila e Pam, tudo bem?

    Gosto de ler livros clássicos, mas nunca li Caninos Brancos. Meu problema com o livro seria o fato dele falar de animais. E eles nunca se dão bem no final =P

    beijos
    Kel
    http://www.porumaboaleitura.com.br

  • Mariana Bortolotti
    31 julho, 2014

    Ei Kamila =)
    Já fui fisgada pela sinopse e assim que terminei de ler sua resenha, tive a certeza de que também vou encarar esse do Jack London, mesmo sendo um clássico um pouco difícil. Já tinha me interessado por O Lobo do Mar e agora fiquei mais interessada ainda pelos dois 😀
    Parabéns pela resenha,
    Beijo :*

  • Bárbara Carollo
    31 julho, 2014

    Olá Kamila!
    Por incrível que pareça eu nunca vi este filme, mas gostei da história. Adoro assistir Animal Plantet e ler sobre a relação entre o homem e os animais… Obrigada pela dica 🙂
    Beijos

    versosenotas.blogspot.com.br

  • Rayane S
    31 julho, 2014

    É a primeira vez que ouvi falar desse livro, e fiquei curiosa pra conhecer a história, com essa sua resenha, não tem nem como não ter vontade de ler. Parece ser um livro lindo, amo animais então tenho certeza que vou amar esse livro. Nunca vi o filme, mas vou procura-lo depois de ler o livro.

  • Estante Diagonal
    30 julho, 2014

    Oi vou dar uma olhada no filme, se eu gostar procuro o filme hahaha (preguiçosa eu né?) mas o livro ainda não me encantou, mas quem sabe vendo o filme aconteça né?!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  • Virgínia Doratiotto
    30 julho, 2014

    Ai que dóoo!!!!
    Não sei se conseguiria ler, principalmente nas partes de crueldades que vc citou =/
    Nunca li um livro cláaaassico, então não sei como seria. Mas bela resenha, gostei =)

  • Dryh Meira
    30 julho, 2014

    Oiee ^^
    Não sei se já vi o filme, mas esse nome não me é estranho. Essa foi a primeira resenha que eu li dele, e já me apaixonei…haha'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  • Anônimo
    30 julho, 2014

    Oi!
    Gostei muito da história e ela me interessou bastante. Saber mais nunca é demais, não é verdade?
    Abraços! LivreMente

  • Aline Machado
    30 julho, 2014

    Oieee!! Já assisti ao filme e sinceramente, não gosto, e isso não me faz ter vontade de ler o livro.
    Sua resenha ficou legal!!
    Beijos! 🙂

  • Ana Carolina
    30 julho, 2014

    Oi Kamila
    Nossa a nostalgia bateu em cheio agora, quantas e quantas vezes eu assisti esse filme quando ele passava e em todas me emocionava. Juro que não sabia que tinha o livro e fiquei com muita vontade de lê-lo.
    Beijos.

  • Letícia Souza
    30 julho, 2014

    Oiee
    Gostei do livro e não fazia a minima ideia de que existia um filme baseado nele
    mas sou bem fraca para ler atrocidades cometidas à animais,então pularia algumas partes.E esse lobo da capa me lembra o fantasma,lobo do Jon em Game of Thrones^-^
    beijos

  • raquel rodrigues
    30 julho, 2014

    Oi , nao curto livros assim , classicos sinceramente nao sao o meu forte !