[Resenha] A Vida Secreta das Abelhas – Sue Monk Kidd

A adolescência de Lily Owens tem sido complicada. Ela não se lembra da morte da mãe, há mais de dez anos, e sua relação com o pai é mais que difícil. Em 1964, quando completa catorze anos, ela decide fugir junto com sua babá Rosaleen. Lily sai a caminho de Tiburon, a cidade que parece esconder alguma resposta sobre a vida de sua mãe. Chegando lá, ela e Rosaleen são acolhidas por três irmãs. Aos poucos, Lily descobre um mundo mágico de abelhas, mel e da Madona Negra. Com a ajuda das irmãs Boatwright - August, May e June -, Lily tenta desvendar sua história. Será que ela conseguirá enfrentar os demônios de seu passado e se tornar uma jovem independente?

256 Páginas | Cortesia Cia de Letras | Skoob | Compare & Compre| Resenha da Kamila Mendes || Classificação: 5/5
Comecei a ler esse livro sem muitas expectativas (ultimamente ando assim: já são dois ou três livros que leio sem altas expectativas) e comecei gostando, cheguei à metade odiando e no final, fiquei meio a deriva. Isso não quer dizer que o livro seja ruim, pelo contrário. Bons livros fazem o leitor experimentar uma constelação de sensações.

A proposta da autora é contar a história de Lily Owens, uma garota de 14 anos que ao mesmo tempo é mocinha e vilã do livro. A garota chegou à adolescência em uma casa cercada pelo rancor e raiva que emergem do relacionamento entre pai e filha. Seu pai, T. Ray, nunca esqueceu a morte da esposa, Deborah Fontanel Owens, e descarrega toda amargura em Lily. Por sua vez, a menina vive um conflito interno cada vez mais intenso sobre seus sentimentos a respeito de seu pai (que não considera pai) e a ausência de sua mãe.
O maior conflito da personagem está na lembrança mais dolorosa de sua infância: Lily lembra que no meio de uma discussão entre os pais ela pegou uma arma caída no chão e acidentalmente disparou contra sua mãe. Mas quanto disso é verdade? Quem de fato matou Deborah Owens? E porque T. Ray e Deborah estavam brigando no fatídico dia? Essas são as questões que atormentam Lily durante seus 14 anos e as quais ela nunca conseguiu responder.
“Às vezes parecia que não ouvia barulho algum ao pegar a arma, que o barulho veio depois, mas outras vezes, sentada sozinha no degrau da varanda, aborrecida e desejando fazer alguma coisa, ou fechada no meu quarto em um dia de chuva, sentia que eu é que tinha causado aquilo, que quando peguei a arma do chão o barulho atravessou o quarto e trespassou nossos corações.” pg. 19

A história se passa entre os anos de 1964 e 1965 e tem como plano de fundo a luta dos negros americanos contra o racismo e pela conquista dos direitos civis. Lily cresceu num ambiente hostil a negros, mas foi criada por uma babá negra chamada Rosaleen. Uma mulher de personalidade forte e a única pessoa capaz de confrontar T. Ray quando este perdia a razão e descontava toda sua fúria em Lily. Num ímpeto de descobrir mais sobre sua mãe, Lily e Rosaleen fogem para uma cidade rural próxima e se depara com uma família composta por três irmãs negras que se dedicam a criação de abelhas. Convivendo com as irmãs August, June e May, a menina passa a entender o significado de família e ao invés de dar um fim a todo seu conflito, parece que a sensação de ser amada aumenta ainda mais sua confusão.
O ponto alto do livro está em retratar uma sociedade dividida pelo racismo, em que mesmo pessoas que aparentam não ser racistas, como a Lily, acabam descobrindo dentro de si um pouco de preconceito escondido. Isso dá as emoções descritas uma pressão maior e deixa tudo mais cruel. A sensação que tive foi que a personagem flutuava entre dois mundos: não pertencer aos brancos, pois aceitava e amava os negros, e não pertencer aos negros por causa da cor da sua pele. Mas essa era a sensação dela. Dentro da própria família, June não aceitava Lily por ela ser branca. Foi quando a menina descobriu que havia o preconceito com brancos também.

Porém, o ápice da história é quando finalmente May, a irmã frágil e mentalmente desequilibrada mas capaz de amar o mundo inteiro, acaba revelando que sim, Deborah Fontanel viveu com elas, momento em que a jovem Lily vê seu mundo virar de pernas para o ar: O que sua mãe fez na fazenda de abelhas? Por que esteve ali e não cuidando dela enquanto era apenas um bebê? Ao descobrir a verdade, a missão da menina agora é aprender a liberar toda raiva e ódio contido, perdoar todas as pessoas a seu redor, e descobrir enfim como se deixar ser amada e amar novamente.
“Saber algo pode ser uma maldição na vida de uma pessoa. Eu tinha trocado um pacote de mentiras por um pacote de verdades, e não sabia qual era mais pesado. Qual deles exige mais força para ser carregado? Mas era uma pergunta ridícula: depois que se conhece a verdade, não se pode voltar e pegar a mala de mentiras. Mais pesada ou não, a verdade passa a nos pertencer.” pg. 194
Porque fiquei flutuando. Bom, no final, não consegui entrar na história, meio que me perdi no enredo. O livro é muito bom. Apresenta fatos históricos sem que o leitor perceba. A faceta do racismo está ali com suas duas caras más. A representação da religiosidade e da busca por si mesmo também existe. Mas algo não me cativou. Não está entre meus preferidos. Talvez num futuro eu volte a ler e ache o contrário. Mas dou cinco estrelas, porque sim, é um livro espetacular.



Participe Aqui

27 comentários:

  1. Eu já tinha escutado falar no nome do livro mas nunca tinha visto nenhuma resenha sobre ela. mt boa sua resenha, não fiquei com muita vontade de ler.

    Dá uma olhada na resenha que fiz do livro A Bandeja
    http://www.byanak.com.br/2014/08/despertar-bandeja-lycia-barros.html#comment-form

    ResponderExcluir
  2. Realmente tem alguns livros que nós odiamos do começo ao meio '-' e ficamos sem expectativas para o final, não gosto muito de livros com personagens meias infantis, eles meio que me irritam, mas na maioria das vezes eles tem os seus motivos para serem assim, mas parece ser bem dramático o fato de ela ter atirado na mãe, não gostei muito de onde a história se passa e mas parece algo estar dividindo as pessoas, o título parece que entrega algumas coisas conforme vemos a resenhas, parece ter algumas ligações "óbvio", mas eu particularmente não gostei muito do que li sobre o livro. Talvez eu nem me interesse para ler, mas um pouco do que ele conseguiu mexer com a minha atenção foi o fato da garota ter atirado,só.
    Beijos Kamila, Obrigada pela resenha, e algum dia talvez eu mude de ideia e queira saber mais sobre a obra, mas por enquanto, não.
    ThaynáQ.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que essa história amargurada da protagonista e ela não saber se o pai matou ou não a mãe não me agradou tanto. Porém, fiquei com vontade de ler a obra por causa do retrato histórico e da segregação racial apresentada no livro. Adoro livros com esse fundo histórico verídico.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro

    ResponderExcluir
  4. Oi Kamila,
    Ainda não li esse livro, mas recentemente vi o filme estrelado pela Dakota Fanning e gostei bastante do enredo. Logo, imagino que o livro seja tão bom quanto.
    Adorei a sua resenha e a forma sincera com que você descreve o que sentiu lendo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Que gato fofo
    tenho um siamês também, Boris!
    Morro de vontade de ler esse livro, mas ainda não tive oportunidade.
    Gostei da sinceridade na resenha
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oi Kamila,
    está é a primeira resenha que leio do livro, mas vi muitos comentários ótimos dele no twitter. já tinha ficado curiosa para ler ele antes, mas depois dessa sua resenha, fiquei mais ainda!
    que pena que a trama dele não te prendeu no geral, mas mesmo assim, a história parece ser boa mesmo...
    estou curiosa para ler ele, e espero conseguir ler logo! :D

    ResponderExcluir
  7. Oi Kamila!!
    Um dos meus livros favoritos, já li ele duas vezes e nas duas vezes eu consegui entrar na história e amar cada palavra! A história é simples, mas linda, e no final eu acabo suspirando..Ao contrário de você, a trama me prende em todos os momentos, uma história que fala de amizade, amor, fé e coragem é impossível pra mim não prender. Um livro como esse não precisa de muitos acontecimentos, a emoção está em todas as mensagens que esse livro traz.
    Beijos!!:)

    ResponderExcluir
  8. Eu entendo quando vemos um livro que tem muito para nos agradar, mas ficamos com a sensação de desencontro. Eu detesto isso.

    Mas acho uma pena que não tenhas curtido tanto, eu adoro tanto livro quanto filme.
    Eu me senti envolvida com a Lily todo o tempo.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Quando comecei a ler esse livro pensei que não me surpreenderia tanto com a história, mas aos poucos consegui me encantar com a narrativa sutil e emotiva. Não gostei tanto do filme quanto do livro, pois acho que não conseguiu repassar todos os sentimentos. De qualquer modo, entendo seu ponto de vista. Adorei sua resenha, com ótimos argumentos. Beijos, Fê

    ResponderExcluir
  10. Oi Kamila..
    Queria muito ler este livro, pois ele parece ser realmente perfeito como todo mundo fala.
    Gostei de saber um pouco mais sobre o livro com sua resenha, e levanta um tema como o racismo.
    Não vejo a hora de poder ler este livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Kamila!
    Achei muito interessante a sinopse do livro e como teve o filme fiquei muito curiosa sobre o livro. Com certeza esta na minha listinha.

    Ps. seu gatinho (a) é muito fofo (a)!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi Kamila!
    Achei bem interessante a ideia desse livro. Não costumo ler muito livros que abordam temas sociais, mas não sei por que este chamou minha atenção. Não conheço o filme, mas vou tentar não ver até ler o livro rs.
    Que pena que o livro não te cativou, mas sabe que as vezes isso acontece comigo? Nem sempre é o livro, mas sim o momento em que lemos que não ajuda...
    Obrigada pela dica!!
    Beijos

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Acho que já tinha ouvido falar desse livro haha. Ele não te cativou? Pela sinopse parece ser muito bom!!
    www.s2nopiquedamoda.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Caracaaaaaaaaaaaaa... Encantada e surpreendida. Confesso que pelo título e capa eu não o compraria, não me atrai (Aquela velha história de julgar antes de conhecer). Mas agora estou super curiosa, já vai para a lista. A história parece ser totalmente envolvente e muito emocionante, do tipo que nos proporciona muitos momentos de reflexão.

    ResponderExcluir
  15. De começo já fui pensando seriamente em que desejava pra já o livro,eu tbm acho que os melhores livros são aqueles que nos deixam sem saber o que sentir no final da leitura.Mas não sei se gostei mto da trama.
    vou pensar um pouco mais sobre ele.
    Bjus

    ResponderExcluir
  16. Já tinha ouvido falar desse livro, mas nunca me atentei muito a ele. Agora lendo sua resenha, com certeza vou querer lê-lo.

    ResponderExcluir
  17. O livro não chama minha atenção, e acho que ele trata de assuntos bem importantes e tem um misterio ali que é legal,
    mas no todo não me da aquela vontade de ler,
    e a capa deste livro achei uma fofura, mas não pretendo comprar,
    beijos.

    ResponderExcluir
  18. Ao mesmo tempo tenho vontade de ler esse livro e não tenho. O contexto histórico do livro é interessante, todo o conflito da menina tambem parece ser muito bom, mas sabe quando você olha pro livro e pensa "não to com a mínima vontade de pegar pra ler"? Eu sinto isso com esse livro, mesmo achando que ele deve ser muito bem escrito.

    ResponderExcluir
  19. Olá!!
    Sempre quis ler esse livro e acho que eu iria gostar muito dele, essas histórias densas tem me atraído mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Kamila!
    Já li o livro e tive uma sensação diferente, me encontrei nele.Achei pertinente todo o enredo baseado na discriminação americana dos anos 60 e amei ver os fatos históricos inseridos no livro, além é claro, do perdão ao final.
    Assisti o filme e é bem parecido com o livro, também me emocionei com ele, principalmente por Lily ter encontrado a verdade. Assista o filme e depois releia o livro, tenho certeza que se sentirá mais envolvida.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  21. O livro parece ser emocionante, vi algumas resenhas positivas a um tempo e tenho bastante vontade de lê-lo, soube do filme mas também não assisti. To achando que vou acabar lendo primeiro e depois assistindo, espero que eu consiga tempo e dinheiro pra poder lê-lo em breve, rs

    ResponderExcluir
  22. Não fique interessada pra ler o livro e não achei a capa bonita :/ Mas ideia de temas sociais parece bem legal :)

    ResponderExcluir
  23. Kamila, esta capa não me é estranha, acho que já vi algo semelhante por ai! Bom mas vamos a sua resenha! Já vi ótimas resenhas e elogios quanto ao livro, mesmo assim não sei se tenho vontade de ler o livro, pelo menos não agora :)

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  24. Nossa, que interessante, tem filme né? Acho isso mesmo, tem livro que não nos cativa mas não quer dizer que seja ruim :)

    ResponderExcluir
  25. Oi kamila, Essa capa também é muito familia para mim como Joi Cardoso comentou acima rsrs.

    ResponderExcluir
  26. Não li o livro..mas vi o filme e adoreeeei..se o filme foi tão bom assim..o livro desse ser maravilhoso..pretendo ler um dia..espero que num futuro não muito distante ;)

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. O filme é legalzinho, não sabia que era uma adaptação. Bem legal.

    ResponderExcluir