[Resenha] Objetos Cortantes – Gillian Flynn


Objetos Cortantes - Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Thriller Psicológico | 256 Páginas | Cortesia Editora Intrínseca | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 5/5
Mais uma vez a Gillian Flynn me deixou sem palavras. Fui completamente arrebatada pela narrativa de Objetos Cortantes, portanto é difícil descrever o quão conflitante e instigante foi o desenrolar dessa leitura. Desde o início eu sabia que ia me apaixonar pelo livro, contudo não fazia ideia de como ele me afetaria – até porque essa é a obra de estreia da autora, ou seja, não era para ela ser tão boa assim. A história, como era de se esperar (pelo menos por quem já teve contato com a escrita da autora), é um tributo à complexidade da mente humana. Nós somos falhos, fracos, e estamos suscetíveis a distúrbios psicológicos que afetam completamente a nossa vida e a dos que estão ao nosso redor, e de certa maneira são essas características que dão sentido para a narrativa. Ao falar sobre traumas familiares, automutilação, assassinado, solidão, e os estigmas de beleza e perfeição impostos pela sociedade, Gillian cria uma história que penetra a pele do leitor, fazendo-o experimentar uma dolorosa mescla de emoções. Fazendo-nos ansiar por uma libertação que sou incapaz de nominar.

A obra gira em torno de Camille Preaker, repórter de um jornal não muito famoso de Chicago. Após oito anos longe dos dramas de sua antiga cidade, a jovem precisa voltar para a pequena Wind Gap, no Missouri, e cobrir um misterioso caso de assassinato e desaparecimento de garotinhas. Ela vê nesse episódio uma oportunidade de reconhecimento profissional, contudo não imagina que ao escrever essa matéria estará colocando em risco sua sanidade mental – ela até faz ideia do que está em jogo, mas ainda assim segue a diante, certa de que estará preparada. Reviver o passado, regressar para a casa de sua mãe, encontrar a meia-irmã que é praticamente uma desconhecida e, principalmente, voltar a se sentir tão inadequada, representam apenas uma parcela das dificuldades que ela precisará enfrentar. E o pior é que enquanto Camille segue sua busca pessoal por perdão e libertação, também precisará trabalhar com a polícia e os moradores locais em busca de pistas sobre o caso das garotas desaparecidas, desvendando tanto os dolorosos mistérios de sua família quanto os de sua antiga cidade.
Este lugar faz coisas ruins comigo. Eu me sinto errada.

O diferencial da narrativa é, sem dúvida, a união dos aspectos profissionais e pessoais que mais assombram a protagonista. Ao voltar para casa, ou ao menos para o que deveria ser um lar, a jovem relembra os anos que passou na cidade, se sentindo cobrada, imprópria e lamentando a falta de amor da mãe. Camille teve uma vida de dor e solidão que poucos de nós são capazes de entender, contudo no decorrer da narrativa somos impulsionados para sentir na pele todos os seus medos, para reviver as lembranças que fizeram com que ela flagelasse e marcasse permanentemente seu corpo. Ao lado dela, experimentamos cada corte e cada palavrara escrita em sua pele como forma de alívio para a dor. E isso é, sem dúvida, perturbador. Não imaginei que mergulharia na vida da protagonista e que seria capaz de sentir o peso que ela carrega nos ombros. Em alguns momentos, me vi em conflito interno, assumindo como minhas as dúvidas de Camille. Rejeição, mentira, desprezo... eu senti e vivi isso, o que tornou a leitura ainda mais dolorosa e prazerosa. – Ambíguo não? O fato é que a personagem, seus distúrbios, e suas falhas, são tão reais que é impossível não se deixar levar por sua história de vida. Aqui, não temos perfeição ou felizes para sempre, apenas o retrato de alguém modificado pelas ações de sua família.
Além do aspecto familiar e emocional, que já são incríveis quando analisados separadamente, a autora também encanta ao explorar o lado profissional de Camille. Mergulhamos em um caso policial repleto de pontas soltas, que comove e instiga por envolver garotinhas aparentemente perfeitas – trata-se de crianças mortas ou raptadas sem um motivo aparente, e isso leva a população local, e o próprio leitor, a ansiar desesperadamente por uma solução. Essa faceta do livro deixa a trama fluída, afinal devoramos a história em busca de uma solução. Fora que o caso de assassinado permite que a autora explore o lado negativo dos repórteres policiais, que parecem querer ganhar com o sofrimento alheio. Camille sofre rejeição ao se envolver com esse caso, além de precisar utilizar várias artimanhas – nem sempre politicamente corretas – em nome do seu trabalho. Eu adorei como a autora é verdadeira no relato da profissão, gostei de como Camille conduz o caso, mas amei mesmo como tudo terminou. Parecia tão previsível, mas uma reviravolta tornou a solução do caso digna de qualquer noticiário. Simplesmente perfeito, que mente essa autora tem!

Confesso que achei o final um pouco corrido, contudo um dos pontos positivos do livro é a narrativa ser mais direta e objetiva. Portanto, só tenho elogios para a obra. Amei as reflexões emocionais a respeito das dores da protagonista, amei poder viver na pele um distúrbio tão complexo como o da automutilação, e amei desvendar os detalhes desse caso policial.  Mais uma vez (assim como em Garota Exemplar) a autora deu vida a uma história que mostra a complexidade e obscuridade da mente humana. E, é claro, eu amei cada detalhe disso. – Gillian Flynn, você acabou de ganhar mais uma fã de carteirinha. 

Beijos,

Participe Aqui

33 comentários:

  1. Oi.
    Bom esses livros assim que puxa aquele lado pessoal, bem do fundo, me chamam muito atenção, porque tipo é legal livros assim, eu costumo ler muito, estou querendo ler esse livro já faz Uns 2 meses, vou ler ele agora, e sem dúvidas a historia é hipnotizante e ao mesmo tempo envolvente .

    http://garotinhaadolescentea.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ai Pah, nem li o outro livro da autora ainda =/
    realmente, este aqui, por ter sido lançado antes que o outro, nos faz ter menos expectativas né... pensar que o livro não é tão bom como o outro...
    parece ser ótimo. a autora parece ser incrível, preciso ler logo *-*

    ResponderExcluir
  3. Oi bom dia ^^
    Os dois livro são muito lindo e esse muito mais lindo porque tem a minha cor preferida o azul, rsrsrsr bem o livro realmente parecer ser muito bom kkk beijinhos
    http://livro-azul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gostei da historia, além de ter todo o misterio envolvendo o assassinato,também tem o drama da relção da personagem com a família, sua relção com os visinhos da cidade.

    ResponderExcluir
  5. Nossa adoro esse tipo de estória, só pela sua resenha já me deu uma grande vontade de descobrir o que acontece com a Camille e as garotinhas.. To bem curiosa pra saber como essa estória vai se desenrolar.

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nenhum livro da Flynn, gosto bastante do Gênero Thriller Psicológico e livros que falam sobre assuntos "polêmicos".Ótima resenha Paola
    Poderia me dar uma indicação qual livro eu devo começar da autora?
    Beijos
    Blog: Eu e meu vício chamado leitura

    ResponderExcluir
  7. Nossa , já tinha lido uma resenha sobre esse livro.. Mas confesso que me surpreendi mais uma vez ao ler essa, tô muito curiosa pra ler esse livro e entender um pouco so que se passa com a protagonista .. A frase "..Este lugar faz coisas ruins comigo." está sendo um pouco do que eu tô vivendo e além disso fiquei bastante intrigada quando vc cita na resenha :"..não temos perfeição ou felizes para sempre, apenas o retrato de alguém modificado pelas ações de sua família.".. Eu PRECISO ler esse livro..

    ResponderExcluir
  8. Ahh adoro thriller psicológico e tenho muita vontade de ler este. Uma pena que estou resistindo para comprar livros, até ler pelo menos metade dos que estão acumulados..
    Nossa, o livro deve ser demais, e autora de fato de conquistou mesmo. Essa é o tipo de resenha que faz a gente cair em tentação hahha
    Adoro quando as coisas são previsíveis e nos surpreendemos no final, e também todo esse mundo policial.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Pah!
    Nossa! Estou com o livro aqui para leitura, mas nem sei quando a farei, embora depois da sua resenha mais que perfeita, acho que irei passar na frente.
    Crimes acontecendo assim e uma protagonista tão eficaz, tenho de ler e é logo.
    Obrigada!
    “Que o coelhinho traga muito mais que ovos de chocolate! Que ele lhe traga muita paz, amor, saúde, felicidade, compreensão e carinho. Feliz Páscoa!”.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Se esse livro fizer o mesmo estrago psicológico e emocional que garota exemplar, não sei se irei sobreviver.Louca pra ler.

    ResponderExcluir
  11. Ooi,
    Nossa Pah adorei a resenha, me interessei bastante pelo livro.
    Ainda não li nenhum livro da autora, sinto vontade de ler Garota Exemplar, mas ainda não li.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não estou acostumada com esse gênero e muitas vezes ele não me atrai, mas Objetos Cortantes pareceu ser muito bom! A história pareceu ser complexa e bem construída. A resenha ficou ótima!

    ResponderExcluir
  13. Desde que li Garota Exemplar me apaixonei pela escrita da Gillian Flynn. Pelo jeito Objetos Cortantes segue a mesma linha psicológica do primeiro.
    Quero muito ler.

    ResponderExcluir
  14. Olá Pah, confesso que não me interessei muito no livro ou no filme garota exemplar, cheguei a baixar o filme mas não vi, pois não me chama tanta atenção!
    Já objetos cortantes eu já estou curiosa desde o lançamento e agora lendo a sua resenha me deixou mais ainda, eu gosto de livros assim, que exploram a inteligencia da mente humana, suas capacidades e incapacidades!! Sou estudante de psicologia, talvez por isso seja tão fascinada!!
    Abraços
    www.estantedepapel.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Pah,

    Já li várias resenhas desse livros, e é só elogios! Ainda não tive a oportunidade de conhecer o trabalho da Gillian Flynn, apesar de ter tido uma experiência assistindo ao filme do Garota Exemplar (que já achei fantástico! Imagina só o que vou achar do livro?). Fora isso, gostei da resenha e ela só me deixou com mais vontade de ler Objetos Cortantes!

    Beijos,
    Lucas
    ondeviveafantasia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. oI
    Eu tenho vontade de conhecer a escrita dessa autora, muitos falam bem e pela sua resenha parece que o livro é bem interessante e estou curiosa para ler, pena que o final é meio corrido, odeio quando isso acontece.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. A maioria das resenhas que leio sempre dizem que Gillian Flynn é uma ótima autora que sua escrita é envolvente e tudo. Mas eu não sei porque nunca senti vontade de ler nenhum livro dela e nem assistir o filme que fez baseado no livro Garota Exemplar. Contudo não é porque não sinta vontade por seus livros que penso que sejam ruim. Não é bem assim, sei da grandiosidade de suas historias e da complexidade de sua escrita e enredo. Espero encontrar a vontade para ler Objetos Cortantes. A capa é linda. Beijos <3

    ResponderExcluir
  18. Oi, Paola!
    Eu quero tanto ler esse livro! Até fiquei tensa lendo a resenha, rs. Eu adoro thriller psicológico por causa disso, por tratar desses conflitos internos que todos nós temos -alguns mais, outros menos. A mulher acabou de sair de um hospital psiquiátrico e vai cobrir um caso de assassinato e outro de desaparecimento?! Isso não poderia dar certo, kkk. Mas torço para que ela consiga o reconhecimento profissional que quer.
    Nunca li nenhum livro da Gillian, mas adoro os enredos que ela cria. Depois de ver o filme Garota Exemplar, o livro foi para a minha lista na hora. Objetos Cortantes também já está nela e pretendo comprá-lo em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Nossa, fiquei sem fôlego só em ler a resenha! Já imaginava que o livro fosse bom e também amo livros do gênero, mas não imaginava que fosse tão bom! Espero continuar com essa opinião depois que eu puder lê-lo! ^^

    ResponderExcluir
  20. Desde que li a primeira resenha desse livro, ele entrou pra lista dos desejados
    Além desse, também quero MUITO ler Garota Exemplar
    Essa autora parece excelente no que faz, então imagino que não vou me decepcionar com nenhum dos livros dela <3

    ResponderExcluir
  21. Oi Pah!
    Eu não me interessei muito por este livro não. Eu gosto mais de livros de romances, daqueles bem clichês e tal.
    Mas, apenas porque não é meu gênero mesmo. Mas, acho que é uma boa leitura pra quem curte este tipo de livro.
    Já tentei ler Garota Exemplar, mas não deu certo minha experiência com esta leitura.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  22. simplesmente perfeita esta historia ela tenta retrator a vida de nos pessoas fazendo nós colocar no lugar da personagem adoro historias que retratam conflitos confusões e tentam nos mostrar como podemos ser melhores...

    ResponderExcluir
  23. Pah, que foto linda a primeira!
    Ainda não consegui ler o outro livro da autora, apesar de estar com muita vontade. E agora você me deixou cheia de vontade de ler esse também hahaa.
    Acho que terei de fazer umas comprinhas rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Falaram sobre esse livro na Turnê Intrínseca, e fiquei muito interessada mesmo. Eu adoro thriller psicológico :) Tenho certeza que irei gostar do livro, ainda mais depois de tua resenha! Está na minha lista!
    O mesmo digo de Garota Exemplar. Depois que saí do evento da Intrínseca, eu quase comprei esse livro, pois eu não fazia ideia do que a história falava e quando soube que tinha uma pegada policial, fiquei louca!!! Também está na minha lista, haha
    Kissus


    Já está na lista! Eu quase comprei Garota Exemplar esse mês, por conta das inúmeras resenhas positivas sobre a obra.

    ResponderExcluir
  25. Oi Pah,
    Não me aguentei e assisti o filme Garota Exemplar antes de ler o livro. Não sei se o lerei, mas este será uma das minhas próximas leituras! A escrita da autora parece ser muito boa e estou ansiosa para ler algo desse gênero.
    Parabéns pela resenha!!
    Beijos,

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Ooi, tudo bem?
    Não me interessei muito por esse livro, prefiro muito mais romances. Mas sinceramente penso em dar um chance para esse gênero. Vai que eu estou julgando sem saber se é bom ou não?
    Beijos

    ResponderExcluir
  27. Nossa, o livro parece ser muito bom. Já li Garota Exemplar e simplesmente adorei a leitura. com essa resenha, estou morrendo de vontade de ler esse tb kkkkk

    ResponderExcluir
  28. Quando eu vi esse livro no Skoob, achei que era uma continuação de Garota Exemplar, e como não li o primeiro, nem me interessei em saber mais sobre esse. Os temas que o livro abordam são pesados e deve ser um livro que faz você se sentir angustiada do início ao fim. Quando eu li Garotas de Vidro que tem o mesmo propósito que esse parece ter , eu me senti tão angustiada que ao terminar o livro foi um sentimento de alívio por finalmente poder parar de ler o livro. E aí eu entendi que esse tipo de livro não é pra mim. Eu gosto de ler livros que tem uma vibe mais pra cima. Acho bom que cada vez mais os autores estão falando sobre temas tão polêmicos que antes era um tabu. Acredito que isso vá ajudar várias pessoas, principalmente adolescentes, que passam por situações parecidas.

    Beijinhos, Kamila

    ResponderExcluir
  29. Ai Pah, não preciso nem dizer que estou apaixonada e curiosa demaisssss por essa leitura depois de ver vc falando dela, rsrs já comprei meu exemplar, mas antes de começar preciso de tirar algumas leituras da frente rsrsrs
    Acho q a historia por ser tao cheia de mistério nos prende do começo ao fim!!!
    Bjosss

    ResponderExcluir
  30. Amo a Gillian com todas as minhas forças!!
    Devorei garota exemplar em um dia e tenho certeza que com esse livro vai ser a mesma coisa.
    Louca para ler!!

    ResponderExcluir
  31. Quero muito ler esse livro!!Adoro a escrita da Gillian Flynn, ela tem o poder de nos prender o leitor do início até o fim e todos os comentários que li sobre Objetos Cortantes foram positivos. Com certeza esse livro entrou para minha lista de desejados, não vejo a hora de compra-los. Beijos!

    ResponderExcluir
  32. Eu to muito curiosa pra ler algo da Gillian, todo mundo fala tão bem, né. E so de voce ter falado que ela é direta e objetiva me interessou mais ainda, ta na minha wishlist do goodreads já!

    ResponderExcluir
  33. Esse livro deve ser muito bom mesmo, já que o livro Garota exemplar foi um sucesso, vou ler sim, não pelo livro, mas pela escritora que escreve muito bem.

    ResponderExcluir