[Resenha] Ligeiramente Maliciosos – Mary Balogh

Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima. Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor. Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith. Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora? Neste segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.
Romance de Época| 288 Páginas|  Cortesia Editora Arqueiro| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação 5/5
Em Ligeiramente Casados, primeiro volume da série Os Bedwyns e meu primeiro contato com a escrita da Mary Balogh, a autora me encantou com sua narrativa fluída e apaixonante. Contudo, nada se compara ao frenesi causado pela leitura de Ligeiramente Maliciosos. A obra é sensual, divertida, emocionante e, por incrível que pareça, reflexiva. Desde as primeiras páginas fui sugada por essa bela e tocante história de amor, mas o que me surpreendeu mesmo foi a capacidade da autora em mesclar temas leves com assuntos mais profundos. Em meio ao desenrolar de uma paixão avassaladora, Mary Balogh inova ao criar uma mocinha voluptuosa que não compreende a beleza que tem, uma jovem que foi criada para ser uma dama e a não se destacar, que sofre as consequências da irresponsabilidade do único irmão (que por ser homem justifica suas ações e gastos levianos), e que ainda assim sonha em ser atriz. Como a digna filha do pastor, ela sabe que nunca poderá realizar seu sonho, por isso quando é mandada para a casa de parentes esnobes que a tratarão como uma serva – e não como uma sobrinha – ela usa a viagem até lá como escape e finge, uma última vez, ser quem gostaria de ser: uma mulher bela e independente. Mas o que ela não sabe é que essa viagem mudará completamente o rumo da sua vida, e que ao escolher ser alguém diferente ela finalmente descobrirá quem realmente é.

A família de Judith Law nunca foi rica, contudo eles possuem título e uma pequena fortuna, ou melhor, possuíam dinheiro suficiente para viver uma vida confortável até o único filho homem gastar tudo com roupas caras, jogos e noitadas. Na época era aceitável, e até bonito, um homem se comportar de maneira frívola, mas no caso de Judith as ações do irmão acabaram com os sonhos dela e de suas irmãs: sem dinheiro elas não têm dote nem esperança de encontrarem bons maridos. Levando em conta as dificuldades financeiras da família, parentes distantes – e pouco amorosos – resolvem ajudá-los e acolher uma das filhas da família Law, a proposta é que em troca de moradia e alimento a jovem esteja disposta a ser tratada praticamente como uma empregada. Judith, mesmo não sendo a mais velha, é a mais forte das irmãs, por isso, ela aceita fazer o sacrifício de sair de casa e ir morar em um lugar onde não é bem aceita. Ao viajar rumo a uma nova vida ela se permite sonhar em ser uma mulher diferente, uma atriz conhecida, talentosa e dona do próprio nariz. E, surpreendentemente, em meio aos seus devaneios sua diligencia sofre um acidente, colocando ela frente a frente com o sedutor e envolvente Ralf Bedard. Ela sabe que quando chegar na casa dos tios levará uma vida sem cor e alegria, então aproveita o tempo ao lado de Ralf para realizar todos os seus sonhos, para ser a mulher sedutora e bela que sempre quis ser. Em um curto período eles vivem um conto de fadas apaixonante, sensual e mágico. Contudo, quando a vida real bate a sua porta, Judith deixa Ralf e segue seu rumo, imaginando que nunca mais o encontrará. Ledo engano. Como é que ela iria imaginar que ele estava quase noivo da sua prima, a mesma que ela terá que aturar durante todos os dias que ficar hospedada na casa dos tios?

Logo de início a leitura é cativante porque Judith se entrega sem medo à aventura de passar um dia ao lado de Ralf – que na realidade é lorde Rannulf. Ela está cansada de se esconder, então quando ele diz que ela é linda e acredita no talento dela, a jovem escolhe viver seu próprio conto de fadas. O tempo que eles passam juntos é repleto de sensualidade e paixão, mas não é só isso. Trata-se de descoberta, livre de pudores sociais eles, mesmo assumindo papéis, deixam transparecer quem realmente gostariam de ser. Assim, enquanto ela finge ser uma atriz e ele um cavalheiro qualquer (e não o irmão do duque), eles se envolvem em uma relação de desejo e amizade. E eu amei isso! Adorei como a mocinha revela sua personalidade e como, longe da reprovação do pai e da cobrança da sociedade, sente-se livre para ser quem quiser. Outro detalhe que adorei é como eles se reencontram depois: a surpresa no rosto deles é impagável! E não é só isso, Rannulf é um perfeito cavalheiro. Ele, mesmo a contra gosto, faz de tudo por Judith, ajudando-a a enfrentar as dificuldades de estar em um ambiente rodeado de inimizade e reprovação. Ele não aceita que as pessoas juguem a jovem por sua beleza, e incita-a a ter orgulho de suas curvas, de sua inteligência e de seus lindos cabelos vermelhos. Assim, a trama encanta por ir muito além do desejo. Talvez Rannulf não entenda a complexidade do que sente por Judith, mas isso não significa que ele não se importe com ela. Ou seja, ele é carinhoso, dedicado, sincero... Amei o personagem e sua dedicação, e amei ainda mais como ele transforma a protagonista.
Além de um romance incrível, que começa com o desejo e cresce no convívio diário, a obra traz um aspecto de reflexão social que me envolveu completamente. A autora usa Judith para falar sobre a subjugação do papel feminino. Por ser bonita ela é punida, é criada para se esconder por causa dos olhares lascivos que os homens dirigem a ela, e é chamada de nomes que remetem o mal por seus cabelos cor de fogo que tentam os homens. E se isso não fosse o cúmulo, por estar em uma posição financeira delicada, Judith é tratada como um objeto, como um corpo que está ao dispor dos homens de posição social elevada. Eu sou apaixonada pela sociedade inglesa do século XIX, mas isso me irritou tanto. Para ser sincera, não havia imaginado o quanto as mulheres sofreram nesse período; é como a velha discussão que perdura nos tempos atuais dizendo que as mulheres abusadas sexualmente são culpadas, que dependendo da roupa, estilo ou local em que estamos, nós somos as responsáveis pelo abuso. Absurdo, ridículo, machista! Todo esse sentimento está presente na história, que traz uma protagonista sofredora que expõe o pior da natureza humana. A autora não mergulha completamente nesse aspecto deixando a obra densa e carregada, mas aponta fatos suficientes para nos fazer refletir e torcer enlouquecidamente pela felicidade de Judith. Adorei tanto isso.

Entre o surgimento de um amor sincero e verdadeiro e da descoberta pessoal de uma mulher forte e decidida, a obra traz uma mescla de emoções que garantem uma leitura gratificante. Para quem gosta de romances históricos essa é, sem dúvida, uma leitura obrigatória. Amei o livro e o indico sem medo.
• Sobre a Série •

Ligeiramente Maliciosos é o segundo volume da série Os Bedwyns. Composta por seis livros, a saga narra a história de amor de cada um dos membros da família Bedwyn.

Beijos,


Participe Aqui

37 comentários:

  1. Socorro, preciso desse livro. Já tinha visto ele e tenho até mesmo o marcador de páginas do mesmo, mas nunca tinha ido atrás da resenha, e meu deus, a sua resenha me ganhou completamente. Amei a história que você descreveu, e já quero comprar os dois livros lançados da série.

    ResponderExcluir
  2. Oi Pah!
    Eu tenho muita vontade de ler a série Os Bedwyns. Gosto bastante de séries que em cada livro conta uma história diferente. Fora que romances de época são muito boons!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nenhum romance de época já que não me interessei por nenhum. Mas até que achei esse interessante, principalmente por causa de a personagem mostrar seu verdadeiro eu sem medo algum e também fiquei meio curiosa. Bjus.

    ResponderExcluir
  4. Quando conheci Ligeiramente Casados fiquei apaixonada pela historia, e agora chegou a vez de Ligeiramente Maliciosos parece o romance histórico apaixonante e goste da atitude de mudar e descobrir quem realmente é da Judith. Ralf parece ser um incrível cavalheiro, pelo simples fato dele apoiar Judith. Acho que todo mundo se encanta com esse livro.

    ResponderExcluir
  5. Oii
    Realmente históricos não é minha leitura preferida, pelo menos não atualmente. Mas confesso que tenho uma pequena curiosidade em ler um depois que leio suas resenhas kkkk.
    Gosto de saber que antes de caírem de amores surge uma amizade.

    Bjos
    Sá França
    http://nosleitoras.com

    ResponderExcluir
  6. demorou para ler o livro dela né? sempre que via eles logo pensava em você porque é muito a sua cara! hahaha
    parece ser uma trama ótima, mas não sei, o personagem parece ser machista demais, e só de ler sobre ele já me irrito. porque como assim gastar todo o dinheiro com esse tipo de coisa? se fosse meu irmão eu matava! kkkkkkkk
    espero conseguir ler os livros logo ;~~

    ResponderExcluir
  7. Olá Pah
    Não conhecia a serie, gostei da historia, não é só um romance e sim uma historia para refletir.
    Não gostei do fato da beleza de Judith definir quem ela é ou como deve ser tratada pela sociedade.
    Ralf é um personagem maravilhoso, gostei por mostrar à Judith como ela é linda, e ficar a lado dela.
    Fiquei curiosa pra ler a serie.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. já ouvi falar dessa serie e embora eu ame de todo o meu coraçao livros de época, ainda nao li nenhum livro da serie os bedwyns, adorei a resenha o livro pra mim ja é incrivel e com certeza assim que der vou ler todos eles.

    ResponderExcluir
  9. Eu não gosto de romance de época, por conta de estilo mesmo. Sei que a Arqueiro está arrasando nesse quesito, e isso está fazendo com que eu crie vontade para ler romances de época! Vi muitos comentários a respeito de Ligeiramente Casados e Ligeiramente Maliciosos, todos eles de forma positiva. Adoraria ler esse livro, pois, como você disso, ele envolve muitos temas, principalmente reflexivos!

    ResponderExcluir
  10. Hello!!
    Eu ja desejava esse livro, só por saber que se tratava de um romance de época, ando viciada nisso, hehehe!
    E a capa é tao chamativa, combina com o título, que tb chama a atenção demais!
    Não tinha lido nenhuma resenha e não conhecia a sinopse, li tudo aqui e adorei viu?! Mocinha ousada essa, hehehe... vou ler com certeza e ja quero conhecer essa série Os Bedwyns.
    Bjus

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Com certeza vou ler! Gosto muito de romances históricos e esse parece ser muito bom!
    Já tinha lido outras resenhas do livro e todas foram positivas, assim como o primeiro livro foi bem elogiado.
    Bem legal quando o amor surge do convívio diário dos personagens, estes também parecem ótimos.

    ResponderExcluir
  12. pode surtar agora ou daqui a pouco?
    sou apaixonada por estes romances de época e ja faz um tempo que acompanho o trabalho da Mary no face, com as multiplas divulgações! Estou conhecendo uma nova forma de escrever romance de época que esta me encantando! Mary tem um jeito especial de escrever
    ja apaixonada
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Acompanho faz um tempão o seu blog e principalmente o canal do youtube, mas acredita que só agora estou comentando? Haha. Bem, não sou muito fã de romances históricos, mas pela a quantidade de elogios, acho que vou ler. O melhor de tudo é que sempre me surpreendo com um romance histórico, mesmo não sendo o meu gênero favorito.
    http://agarotacomolivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Com sua resenha fiquei com muita vontade de ler esse livro agora, Pah! Tenho certeza que ia amar a história por mostrar a Judith querendo ser uma mulher livre e também por mostrar os preconceitos daquela época.
    Amei a resenha! Bjos <333

    ResponderExcluir
  15. Oi Pah, eu acabei de ler este livro tbm e só um comentário a fazer... Não vejo a hora da publicação dos próximos volumes... mto mto lindo!!!
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem?! Olha eu sei que isso é chato é talz,, mas eu queria te pedir um pequeno favorzinho. Recentemente eu criei um blog que se trata de livros: resenhas, lançamentos, favoritos e essas coisas. Queria saber se você poderia me dar uma ajudinha e visita-lo, o que acha??! Enfim esse aqui é o endereço: http://ameninaqueliaa.blogspot.com.br/
      Beijos <3

      Excluir
  16. Ooi Pah,
    Comecei a ler a amostra de Ligeiramente Casados, mesmo querendo ler, não o adquiri.
    Ligeiramente Maliciosos parece ser uma historia bem legal.
    Não sabia que era uma Série com tantos livros.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Oiiii
    Eu li Ligeiramente Casados e fiquei apaixonada pela Mary Balog! adorei o modo como ela escreveu uma historia tão envolvente e perfeita. Ligeiramente Escandalosos está na minha listinha e essa resenha me deixou ainda mais ansiosa pra ler.
    E concordo com vc as mulheres do sec XX sofreram com todo esse machismo! odeio como elas eram tratadas e apesar de este romance de época retratar um pouco disso, acho muito interessante e maravilhoso ler como era a sociedade inglesa desse seculo. Tenho um verdadeiro caso de amor com romances de época! ♥
    Muito empolgada! mil beijos! *-*

    ResponderExcluir
  18. Adorei a sua resenha. Gosto bastante de romances de época, embora esteja em falta com eles.

    ResponderExcluir
  19. Não aguento mais ver resenha desse livro que ficar na vontadee!!! Mds tô muito louca por ele, já tenho mas tem tantos na minha lista que ele está pra trás D:
    Ótima resenha :)

    ResponderExcluir
  20. Oi, Pah!
    Esse não é meu gênero favorito, mas os livros da Mary me chamaram muito a atenção!
    Pretendo dar novas chances aos gêneros que não leio muito, e esses dois primeiros estão na lista.

    OBS: gente, que capas horríveis essas (as originais). Mil vezes as brasileiras!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Gostei muito da sua resenha e da história, principalmente essa parte dos dois fingirem ser algo e acabarem descobrindo que os dois não estavam falando a verdade. Sem contar que tenho uma queda por livros de época, vou procurar mais sobre a série :D
    Tem um sorteio rolando no meu blog, você poderia participar? Beijos. https://kamilacavalcante.wordpress.com/2015/06/05/resenha-extraordinario-sorteio/

    ResponderExcluir
  22. Você sempre traz livros ótimos, que me deixam com muita vontade de ler. Esse, me deixou com muita vontade de compra-lo.

    ResponderExcluir
  23. Eu adoro essa capa e não vejo a hora de te-la na minha estante, ainda não li mas são tantas resenhas que falam tão bem sobre ele que com certeza ele vai para a minha lista

    ResponderExcluir
  24. Estou com este livro na estante pra ler e depois de ler sua resenha não resta duvida que passarei ele na frente de alguns dos que chegaram primeiro. Eu tb não suporto o machismo que classifica as mulheres e antigamente isso pesava muito né? Existem culturas que diminuem muito as mulheres e isso acaba comigo, principalmente quando elas pagam por algo que não tem controle ou fizeram.

    Bjus

    ResponderExcluir
  25. Eu li Ligeiramente Casados por um sugestão sua, Pah, em uma das suas respostas aos meus comentários. Eu queria um romance de época tão bom quanto os de Julia Quinn e você me indicou Mary Balogh. Apaixonei e, logo em seguida, lançou Ligeiramente Maliciosos. Comprei de cara e amei ainda mais que o primeiro. Lindo, reflexivo, emocionante. Quero logos os outros! Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  26. Oi Pahh! Que saudade!! Eu estou apaixonada por esta série! e o segundo livro consegue ser melhor que o primeiro. Gosto do jeito que toda a família se envolve nos problemas de todos ♥ mesmo da maneira fria deles eles são mega unidos!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  27. Livro muito interessante, não conhecia a autora, mas gostei muito da resenha. Parece ser uma ótima série que em breve vou ler.

    ResponderExcluir
  28. Oi Pah..
    Sem dúvidas esse livro parece ter um diferencial quanto a Ligeiramente casados. Eu li o primeiro e adorei e estou louca para ler este também. Já ouvi falar muito que ele é um pouco divertido mesmo, além de sensual.
    Ahh mais louca para ler, depois de sua resenha.


    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  29. Caraca, fiquei WHAT? quando tu disse que o Ralf era noivo da prima dela. É meio clichê e tal, mas ainda sim me surpreendeu, hahaha.
    Eu até curto romances de época, e esse, com certeza, eu leria!

    ResponderExcluir
  30. Ainda não conhecia esse livro, nem sabia da série. Mas lá no início, quando vc falou em "frenesi" já despertou em mim uma certa curiosidade hahaha

    ResponderExcluir
  31. Ai eu já disse que amo livro assim? pois bem eu AMO livros assim, agora quero ler esse livro desesperadamente, esses romances de época estão me prendendo cada vez mais e mais, e minha listinha de livros está ficando cada vez maior.

    ResponderExcluir
  32. Primeira vez por aqui e to adorando!
    Louca pra ler esse livro! :D

    ocasalgeek.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Esse livro parece ser bom! Mas admito que certas coisas abordadas nele provavelmente me deixariam mais revoltada do que qualquer outra coisa. Iria querer entrar no livro e dar um belo castigo em alguns "homens idiotas", idiota é pouco né, mas vamos manter a classe! rs

    ResponderExcluir
  34. Cara essas capas originais, meu Deus. Credo. Mas sim, se eu ja estava morrendo de vontade de ler este livro, agora ainda mais. Afinal, não resisto a um bom romance escrito. E já ouvi falar horrores dessa escritora. E com mais os seus elogios mulher. Chegar no terceiro você o ama mais ainda ha, ha. Esperemos né?! Beijos.

    ResponderExcluir
  35. Romances históricos sempre deixam claro o quanto era difícil ser mulher antigamente, já li resenhas do primeiro livro da série e não me interessei muito, este já me chamou mais a atenção, quem sabe um dia crio coragem e começo a ler a série >.<

    ResponderExcluir
  36. Acredito que a leitura seja mesmo cativante desde o início, eu já fiquei viciada só de ler a resenha, doida para ler.
    A mulher subjugada é algo que fica muito aparente e livros de época, é um ponto bem reflexivo, nos faz pensar o quanto conquistamos e o que ainda temos que conquistar em termos de liberdade e igualdade.

    Achei muito legal a ideia da serie de narrar em cada livro o amor de um membro da família, muito criativo.

    ResponderExcluir