outubro 09, 2015

[Resenha] Eu odeio te Amar – Liliane Prata

Débora estava prestes a viver o dia mais feliz de sua vida. Tudo estava pronto para o casamento perfeito com Felipe, o noivo mais lindo e fofo que alguém poderia ter. O apartamento estava arrumado, e todos os detalhes da lua de mel na Grécia, acertados. Até um novo emprego na redação de uma revista feminina a esperava na volta da viagem. Seria o começo de uma nova etapa de uma vida com a qual ela sempre sonhou. Na véspera da cerimônia, o noivo precisou ficar até mais tarde no escritório para resolver as últimas pendências, e ela resolveu fazer uma surpresa e aparecer sem avisar. Mas quem foi surpreendida foi ela: pegou Felipe em flagrante com a irmã do sócio, na situação mais comprometedora possível. O que fazer? Armar um escândalo e terminar tudo? Esquecer o que viu, casar e ser feliz para sempre? O que fazer quando se sente, ao mesmo tempo, um amor profundo e um ódio avassalador? Para Débora, a resposta é: criar um plano maluco para sair dessa situação e dar a volta por cima!

Chick-Lit| 240 Páginas|  Cortesia
Editora Gutenberg| Skoob |
Compare & Compre: BuscapéSaraivaAmazon
Eu
odeio te Amar
é um romance repleto de reviravoltas. Com uma
escrita leve e divertida, Liliane Prata ressalta o fato de que, por mais
difícil que nossa situação seja, sempre podemos dar a volta por cima. Assim
como acontece com Débora, nossa protagonista, que está prestes a se casar. Ela
conhece o noivo desde a adolescência e confia nele plenamente. Sabe aquele
namorado fofo e atencioso? Pois bem, esse é o Felipe. Além de invejar o
relacionamento dos dois, todo mundo sabe o quanto eles se amam… Contudo, tal
certeza vai para os ralos quando Débora faz uma visita ao escritório do noivo
nas vésperas do casamento. Sem querer ela descobre que vive uma mentira, que o
amor que Felipe alega sentir não é verdadeiro – afinal, ela praticamente o pega
com a boca na botija (não vou contar o que ela viu, então criem suas próprias
teorias, risos). Magoada, desolada,
confusa e com muita raiva, Débora decide que não vai cancelar o casamento e que
fará Felipe pagar, na mesma moeda, pelo que fez com ela. Agora ela quer
vingança e seu plano é fazer Felipe sofrer. O único problema é que Débora o ama…
mas não dizem que o amor e o ódio caminham juntos?

O livro gira em torno do que Débora viu na
noite anterior ao casamento e do plano mirabolante que ela cria. – Imagine você
descobrir algo de ruim do seu noivo e, em nome da vingança, dar continuidade
aos preparativos? Impossível! Então é claro que a Débora é doidinha e cria um
plano mais doido ainda, mas no fundo seu coração está sangrando: ela ama o
noivo, quer aproveitar a festa de casamento, quer ter a vida que os dois tinham
planejado, e ainda quer realizar seus sonhos ao lado dele.
Foi triste ver o quanto Débora
está sofrendo, ainda mais para uma recém-casada como eu – não consegui deixar
de pensar no quanto ela estava perdendo ao se casar com tanta mágoa no coração.
E é aí que entra um dos pontos que fizeram com que eu não gostasse do livro: ninguém
deve casar por vingança, e mais, quando a gente ama de verdade não cria planos
ou joguinhos, afinal o diálogo e a sinceridade é que sustentam um bom
casamento. Claro que, diante do que viu, Débora ficaria apavorada no grande dia
e não saberia qual caminho seguir, mas não vale a pena manchar essa experiência
por causa de um erro, até porque casamento é algo para lembrarmos a vida toda.
Além disso, desde o começo fica óbvio para o leitor que que uma boa conversa resolveria
os problemas da protagonista. Débora seria muito mais feliz e teria economizado
muita dor – tanto pra ela quanto pro Felipe – se tivesse sido sincera com ele,
se tivesse dito: “então, camarada, eu te vi em um momento muito comprometedor”.
É
difícil? Com certeza, mas muito mais racional e sincero do que casar com a
intenção de se vingar. Quem em plena consciência casaria magoada, esconderia do
marido um segredo desses, viveria fingindo
estar tudo bem, e pelas costas dele armaria os planos mais estranhos? Não consegui
aceitar essa atitude dela, pareceu infantil demais para quem ama tanto e se diz
pronta para o casamento.
Também não gostei de como a autora passa
boa parte do livro focando na vingança da protagonista.
É cansativo
vê-la enganando o marido e, principalmente, se enganando: ela o ama e não há
vingança no mundo que vai curar a dor que está sentindo, simples assim.  Fora que é chato e constrangedor – e engraçado
algumas vezes, confesso – acompanhar o constante ciclo de erros e acertos de
Débora (no qual ela sempre faz as piores escolhas e acaba cada vez mais triste).
Mas o pior de tudo, sem dúvida, foi o desfecho da história. Quando o esperado confronto
entre Débora e Felipe aconteceu fiquei completamente sem reação. São mais de
duzentas páginas de dor, erro e mágoa, para que milagrosamente tudo seja resolvido em pouco mais de uma página e
meia. Só conseguia pensar: “É sério isso? Quando na vida real que as coisas
seriam assim?” A sensação que fica é que faltou lógica e maturidade, mas não
tenho dúvidas de que isso tem a ver comigo: eu
não me conectei com a protagonista e muito menos aceitei suas atitudes, seus
valores e suas prioridades. Para mim,
ela é fútil, superficial e infantil e, por mais que eu tentasse, não consegui
gostar dela. Claro que me emocionei com sua dor, principalmente no final,
quando ela já estava cansada do seu plano louco, contudo não foi suficiente.
Existem pontos positivos como a escrita
divertida e fluída da autora, as amigas doidinhas da mocinha, e a personalidade
indefinida do protagonista masculino. Ele é um dos grandes mistérios da
história e, assim como Débora, passamos metade do livro amando-o e metade
odiando-o. Portanto, a história é leve, engraçada, e traz uma bela mensagem de
superação, perdão e recomeços. A mistura não funcionou para mim, mas vale a
pena dar uma chance e descobrir se para vocês a obra será encantadora, afinal
ninguém lê um mesmo livro, não é mesmo?
Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

25 Comentários

  • paam
    31 dezembro, 2015

    A Debora sempre foi infantil – acredito que esse seja o ultimo livro ne, pois tem o Diário de Debora volumes 1 e 2, nos quais ela conhece o Felipe e o relacionamento deles sempre eh uma montanha russa.
    Confesso que fico chateada quando as autoras não evoluem as personagens, lemos um livro de uma adulta com mentalidade de 12 anos, ao ler livros assim infelizmente parece que a autora não pensou na hora de criar a personagem. Eh uma pena 🙁

  • Naty Araújo
    01 novembro, 2015

    Oi, Pah. Bom saber que existem pontos positivos, mas confesso que esses negativos que você citou acabou falando mais alto e não tenho vontade de ler.

  • Érica
    29 outubro, 2015

    Oi Paola,
    Parabéns pelo blog.
    Excelente resenha, não conhecia nem a autora e nem o livro. Fiquei com muita vontade de ler, mais um para minha lista dos desejos literários.
    Bj
    http://www.dnabookz.com

  • Lisse Cunha
    22 outubro, 2015

    Fiquei triste com o seu ponto de vista negativo. Quando vi esse livro torci tanto para ser bom, do tipo EXCELENTE, ainda mais que o livro é caro. Porque eu gostava tanto quando a Liliane Prata era colunista da Capricho, com o Desneurando, ela sempre falava de coisas atuais e reais. Era muito interessante, mesmo que fosse voltado para os jovens.

    Também não gosto quando no livro há falta de comunicação, porque veda um pouco de tudo que poderia acontecer (seja solucionando ou os personagens tendo que lidar com uma situação diferenciada).

    Bjs flor

  • Paloma Monteiro
    20 outubro, 2015

    Sua resenha realmente me deixou em dúvida, já tinha lido a sinopse desse livro e cheguei a me interessar sim , mais agora não sei se aguentaria uma protagonista com tanta falta de maturidade assim kkkkk acho q me irritaria em alguns momentos, mais como vc mesma disse cada um tem uma experiencia lendo um livro.

  • Micheli Pegoraro
    16 outubro, 2015

    Oi Pah,
    Quando vi o lançamento do livro até fiquei a fim de ler, mas depois de ver sua resenha me desanimei um pouco, principalmente por se tratar de uma personagem fútil, superficial, com atitudes infantis, que elabora um plano de vingança, onde uma conversa poderia resolver. Outro ponto negativo é saber que o drama será resolvido em uma página e meia, de uma maneira simples. Porém, fiquei curiosa para saber o desfecho dessa história, vale a pena dar uma chance, por ser uma leitura leve, fluída e engraçada. Então vai ficar na lista de leituras, mas sem aquela vontade louca de ler.
    Beijos

  • Crika Regina
    15 outubro, 2015

    Que loucura isso!! Só falta o que ela viu não ter sido o que ela acha que viu hahahaha era só o q faltava.. Como ainda não li, não faço ideia. Mas concordo com todas as suas justificativas na resenha. A primeira coisa que pensei foi: "mas vai casar só pra se vingar? Que isso!!!! Ta tudo errado" rsrs. Bom, foi esse livro que me animou a participar do Top, vamos ver!!! rsrs

  • Evellyn Mendonça
    15 outubro, 2015

    Ooi Pah, quando vi a capa do livro e li a sinopse, fiquei louca para ler.
    Mas depois de ler sua resenha e ficar sabendo desses pontos negativos, fiquei um pouco desanimada.
    Isso de tudo se resolver milagrosamente em pouco mais de uma página e meia, pareceu um pouco superficial para mim.
    Vou deixar na minha listinha, quem sabe eu leia.
    Bjs.

  • Ycaro Brito
    15 outubro, 2015

    Pah, Eu odeio te Amar é o meu atual livro desejado para o Top Comentarista. Não conhecia nada sobre a história, mas o fato de ser um livro bem humorado e a capa me remetia a série Tapas & Beijos, o livro me despertou um interesse. É tão engraçado quando encontramos personagens como a Débora, iludidas com o amor e em busca de uma vingança, mas não consegue, ou, às vezes, conseguem, rs, com que seu maligno plano seja realizado. Fiquei bem curioso para embarcar nesta "aventura" entre Débora e Felipe. E o que será que ela viu?! 😮

  • Bárbara Carollo
    13 outubro, 2015

    Oi Pah!
    Eu imaginava uma história completamente diferente para esse livro e agora que soube desses pontos negativos me desanimei um pouco. Não acho que vou gostar de uma protagonista de insiste tanto no erro e o final ser corrido não agrada em nada.
    No entanto, vou deixá-lo na minha lista.
    Beijos!

    versosenotas.blogspot.com.br

  • Douglas Silva
    13 outubro, 2015

    Aparenta não é um livro muito interessante, igualmente o título eu odeio amar meus amigos

  • Mari
    13 outubro, 2015

    Lendo a sua resenha, fiquei me perguntando: "Por que?". Como você disse, é um momento muito especial na vida da pessoa, não vale a pena transformar esse momento em vingança, só vai machucar (ainda mais) os sentimentos de todo mundo.
    Com tantos livros para ler, confesso que esse não vou fazer questão.

    Mari
    http://pequenosretalhos.wordpress.com

  • Contando Um Pouco Blog
    13 outubro, 2015

    Achei interessante a temática, considerei ler mas fiquei com um pé atrás, me irrito bastante com personagens que complicam demais as coisas e fazem tudo errado hahaha
    Beijos, http://www.contandoumpouco.com.br/

  • Mirelle Candeloro
    12 outubro, 2015

    Oi Pah, quando soube do lançamento, até fiquei a fim de ler, mas depois de ver a resenha da Aione, dizendo que o final não é tão legal e que o livro não é essas coisas, perdi a vontade. E agora o desanimo aumentou depois das suas considerações.. kkk então, certamente, vou passar reto. Beijos, Mi

    Blog Recanto da Mi

  • Anônimo
    11 outubro, 2015

    Nunca ouvi falar no livro, mas me pareceu bastante interessante. Tá que eu acharia insuportável o fato da protagonista enrolar e enrolar ao invés de resolver tudo logo, mas fiquei bastante curiosa.
    Parabéns pela resenha. xoxo
    Thaís
    http://lonelyheartscllub.blogspot.com.br/

  • Leticia Golz
    11 outubro, 2015

    Nossa, Pah! Confesso que me senti pesada só lendo a resenha. Não sei quais foram esses planos dela, mas na certa eu pensaria igual você. Gente, sem chance uma coisa dessas, casar desse jeito! Que baixo astral que ia me dar. Estava querendo ler este livro, mas vou pensar bem! Embora tenha os pontos positivos como toda a história de superação, ela me pareceu ser bem infantil mesmo. Quem toma uma decisão dessas?
    Valeu muito a sua opinião, vou pensar antes de ler.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

  • Mayara Coradini
    10 outubro, 2015

    Olá!!
    Somos vulneráveis, tudo pode acontecer e nunca sabemos o que fazer quando essas situações inesperadas acontecem. Concordo com você, quando se ama alguém se espera que estejam felizes juntos e que não enganem um ao outro. Apesar desses detalhes ainda pretendo ler o livro.
    Grande beijo e sucesso!

  • Aciclea vieira
    10 outubro, 2015

    Paola,ao ler a sinopse fiquei imaginando que plano seria esse que a Débora criou para aplicar sobre o Felipe.Amo escritas leves e divertidas ,amor e ódio ,será que caminham juntos?Certamente não me casaria e partiria para uma conversa .Realmente a atitude dela foi muito infantil.Uma página e meia para o final,também acho pouco .Ainda bem que a história é leve e engraçada e traz mensagem de superação.Beijos!!!

  • kaka Valentim da Silva
    10 outubro, 2015

    oiii,
    Pah!!,
    Ate o noivo mais lindo e fofo faz coisa errada ,ninguém deve se casar por vingança concordo, devemos nos casar por causar do respeito e principalmente pelo amor ,adorei a resenha to querendo tirar muito minha curiosidade nesse livroo
    bjs!!Que Deus te abençoe tchauuuu!!

  • Larissa Belmok
    10 outubro, 2015

    Já li algumas resenhas sobre esse livro e todas as pessoas parecem estar gostando bastante da história, confesso que ando bastante curiosa.
    Beijinhos!!!

  • Curtindo os Livros Adoidada
    10 outubro, 2015

    Acho este livro com uma arte perfeita na capa, chama super atenção logo de cara. Ainda não li, porque estou esperando ganhar esse TOP e levar ele pra casa, rsrs.

  • *** Nana ***
    09 outubro, 2015

    Parece ser uma história bacana.

    Beijos

    Nana

    http://leituraeconversas.blogspot.com.br/

  • Luciana Lole
    09 outubro, 2015

    Oii Pah! Adorei a resenha, apesar de você não ter gostado muito do livro, fosse bem realista em como o ele é escrito, o que nos dá a oportunidade de talvez ler também. Mas como eu sou noiva e prestes a casar, também não concordaria com a protagonista em tomar uma atitude dessa por vingança..então vai ficar na lista de leituras..mas mais lá pro final.. se é que o final existe hehehe
    Beijos!!

  • Vania Correa
    09 outubro, 2015

    Já li outras resenhas sobre Eu odeio te amar, pena a pessoa se casar por vingança né, será que vale realmente pena, bom vou ter que ler para saber o final né, rsrsr, os personagens parecem ótimos e a história divertida, apesar da traição, estou muito curiosa pra ler, beijos…

  • Luiza Helena Vieira
    09 outubro, 2015

    Oi, Paola!
    Pela capa parece ser um livro engraçado. Pelo título, um livro de drama/romance. Agora, pela sua resenha, parece ser um livro cansativo. Que livro tripolar!
    Beijos
    Balaio de Babados