[Resenha] November 9 – Colleen Hoover

A autora e Best-Seller do New York Times, Colleen Hoover, retorna com uma inesquecível história de amor entre um escritor e sua inesperada musa. Fallon conhece Ben, um autor aspirante, no dia em que sua mudança para o outro lado do país estava marcada. A intensa atração entre eles os leva a passar o último dia de Fallon em Los Angeles juntos, sua vida movimentada se torna a inspiração criativa que Ben sempre buscou para os seus livros. Ao longo do tempo e em meio a várias atribulações das suas vidas separadas, eles continuam a se encontrar na mesma data, todos os anos. Até que um dia Fallon começa a desconfiar se Ben tem lhe contado a verdade ou se tem fabricado uma realidade perfeita visando uma reviravolta final.
New Adult | 296 Páginas | Skoob | Compare & Compre: Amazon | Classificação: 4/5
É fato que a Colleen Hoover nunca me decepciona. Seus livros são na medida certa para os românticos de plantão: apaixonantes, surpreendentes, dramáticos e emocionantes. Não adianta negar, amo livros que descrevem a capacidade única que o amor tem de nos curar – talvez porque eu acredite nisso, mas o ponto é que sempre que me deparo com uma história de amor caótica, impensável e repleta de recomeços, me derreto toda. Então é óbvio que amo os livros da Colleen, afinal ela é mestra em tocar nossos corações e criar romances repletos de dor e magia, ou seja, em criar histórias de fantasia que falam sobre a vida real. Adianto que November 9 não é o melhor livro da autora, ele não pode ser comparado com Um caso Perdido ou Ugly Love, entretanto a história é fofa, emocionante, encantadora e incrivelmente tocante.

Em um nove de novembro que parecia nebuloso e triste, Fallon encontra seu pai para um café da manhã. Como sempre, ele age como se os últimos anos não tivessem sido um inferno para a filha, esquecendo que por culpa dele, Fallon teve que abrir mão dos seus sonhos e do seu futuro: depois de um acidente ela perdeu tudo o que tinha. Do outro lado da cabine Ben escuta a conversa entre pai e filha e, inconformado com a atitude dele, resolve interferir. E é nesse momento que a vida deles muda completamente. Fazia tempo que Fallon não era defendida por alguém ou que um rapaz parecia não ligar para sua aparência (que ela creditar estar “danificada” desde o incêndio). Então completamente encantada, Fallon resolve passar o dia ao lado desse charmoso estranho, aproveitando a companhia dele para esquecer tudo o que a data atual representa. E o fato é que o encontro significa tanto para ela e para Ben, as horas que passam juntos marcam tão significativamente suas vidas, que eles assumem o compromisso de se encontrarem anualmente, durante cinco anos, em todo nove de novembro a partir do primeiro encontro. Inicialmente a ideia é ajudar Ben a escrever um livro de romance baseado nesses encontros, contudo a intenção muda com o passar dos anos. Portanto, a história descreve cada nove de novembro de Ben e Fallon, mostrando-nos como eles mudam ao longo dos anos, como se envolvem mais e mais a cada encontro, e como carregam nos ombros fardos e segredos pesadíssimos.
Okay, vamos começar pelo óbvio: você já viu essa ideia de encontros anuais antes (lembra de Um dia e de como choramos com ele? Risos.). Sendo assim, o contexto central de November 9 não é muito inovador, contudo a escrita da Colleen é mágica ao ponto de transformar um clichê em algo único. E o motivo por trás disso é o que mais gostei na obra: os encontros são mais do que uma forma deles obrigatoriamente se verem ou do Ben escrever seu primeiro romance, eles representam – tanto para Ben quanto para Fallon – uma chance de recomeçar. A cada novo encontro o leitor vai percebendo o quanto os protagonistas estão quebrados e o quanto a amizade entre eles os ajuda a superar seus maiores medos. Para Fallon é doloroso, afinal ela passou anos fechada em uma bolha de culpa, raiva e autodepreciação. Mas graças ao Ben, com suas palavras carinhosas e incentivadoras, ela aprende a se amar exatamente como é. – E daí que a maioria das pessoas a acha feia ou repugnante? E daí que seu próprio pai não olha em seus olhos? E daí que poucos veem a beleza além de suas cicatrizes? Ela sabe que é linda, forte e decidida, ou pelo menos aprende a se ver assim graças ao carinho do Ben. Já Ben é o tipo de personagem que irradia luz. Ele quer fazer o bem e ajudar as pessoas que ama, e toma para si a meta de mostrar para Fallon o quanto ela é especial. Mas no fundo, percebemos que ele também está quebrado e que ajudá-la, de certa forma, é um caminho para que ele próprio se ajude. E eu amei tanto isso! Amei como a dor dos personagens é presente na narrativa, amei como seus medos e inseguranças vão mudando ao longo dos anos por causa da influência positiva que cada encontro gera sobre eles, e amei o fato de que juntos eles aprendem o que é amar e o quanto esse sentimento pode ser doloroso. Fora isso, também amei que o relacionamento deles é todo focado no perdão e nas segundas chances da vida.
Outro ponto positivo da história é o fato da narrativa durar vários anos. De início achei que a trama poderia ficar superficial ao focar apenas nos encontros e não na vida dos protagonistas durante os anos passados, entretanto a autora fez um dia valer por milhares, afinal era nítido nos personagens o quanto eles amadureceram ao passar dos meses – a cada encontro Ben e Fallon são novas pessoas, e eu adorei isso. Além disso, temos um enfoque nos dramas familiares de cada personagem, em seus medos e inseguranças profissionais, e em um segredo que ameaça ruir o relacionamento que eles construíram ao logo do tempo. Não vou negar, em determinado momento achei o segredo do livro previsível, porém isso não o torna menos doloroso, muito pelo contrário, ele nos faz refletir no quanto a vida é inconstante.
Sendo assim, no geral o livro é envolvente, cativante e emocionante. Ao focar no perdão e no amadurecimento dos personagens, a autora nos faz pensar na mágica do amor que cura e renova vidas. Simplesmente adorei!

Beijos,




Participe Aqui

24 comentários:

  1. Eu amoooo demais os livros da Colleen e ainda vou ter todos dela.
    November 9 eu to louca pra conhecer e aqui está sendo o primeiro blog que li a resenha.
    Realmente a escrita dela é incrivelmente rápida, limpa e cativante, nao tem como parar qdo a gente começa.
    Bom saber que Ben vai ser "estragado", pra eu nao colocar ele na lista dos namorados literarios, hehehe.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oie Pah! Que surpresa linda ao entrar aqui e perceber que você realmente leu N9. Fico feliz de você ter gostado do livro e ter tirado lições positivas dele (como vc sempre gosta!).

    Sabia que agora que pensei em Um Dia quando citou isso? Em nenhum momento passou isso na minha cabeça, de ser uma premissa já usada em outro livro. E falando disso, é similar o uso da passagem de vários anos ao longo do livro.

    Mais independente disso, gostei muito da história da Fallon, e senti apenas um pequeno mimimi no final do livro, o que me desagradou muito. Na totalidade, foi uma leitura agradável. E o plot twist do Ben foi que me deixou um pouco decepcionada, no entanto, foi muito real.

    Beijokas e bom feriado para vc e seu esposo.

    ResponderExcluir
  3. Oiee Pah,
    acho que sou a única pessoa que ainda não leu nada da Collen Hoover, sempre vejo as pessoas elogiando muito as obras dela e até tenho muita vontade de ler, mas não tive a oportunidade ainda.
    Adorei sua resenha e a história parece ser excelente.
    Beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  4. Pah!
    Os livros da autora, mesmo que por vezes com um enredo até previsível, são bem escritos e acabam envolvendo o leitor.
    Gostei da ideia de relatar os encontros por anos e claro, tem o tal segredo. Bom!

    Passando para desejar um FELIZ NATAL!

    “Não esqueça que Natal não é do Papai Noel tão pouco para ganhar presentes materiais, mas é a data que recebemos o melhor presente para nossa existência, Jesus!” (Rogério Stankewski)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Oi
    eu só li dois livros da autora e goste muito, ela realmente têm uma escrita muito boa, legal que é tipo Um dia que se passa em um dia de vários anos, já estou curiosa e que bom que a leitura dele te conquistou.

    ResponderExcluir
  6. Oi Paola eu li a resenha desse livro em outro blog confesso que quando vi a capa pensei que o livro era bem chato mas eu gostei muito da sinopse e da sua resenha já adicionei ele a minha lista de leitura

    ResponderExcluir
  7. Nunca lí nunca lí nenhum livro dessa autora, mas fiquei tão curiosa para ler agora. Esse livro é do estio que eu gosto, apaixonante! Imagino que seja aquele tipo de livro que deixam a gente suspirando mesmo quando acabamos de ler!Eu também acredito muito nesse tipo de amor. Já quero.

    ResponderExcluir
  8. Meu coração para a CoHo: <3 <3 <3
    Amo o trabalho dela. O livro é bem escrito e flui. Mas o November 9 não me agradou como os outros.
    Ainda mais depois de ler Um dia, de David Nichols, fica difícil de ler um livro do mesmo estilo e gostar. Pq um Dia é perfeito.
    Durante a leitura de November 9, Coho tenta afastar a comparação de Um dia, dando falas para os personagens...explicando a diferença. Para mim não convenceu... na verdade reforçou. kkkkkkk
    Pah, vim aqui também para desejar um feliz 2016. Feliz ano novo!!
    Beijos, Fernanda D.
    NovoRomance.com.br

    ResponderExcluir
  9. quando comecei a ler a tua resenha já pense em um dia. e como não gostei deste livro creio que nao irei ler esse. apesar de me parecer melhor que o outro... não conhecia o autor e vou ver se encontro outros livros que me agradem....

    ResponderExcluir
  10. Oi Pah!
    A escrita da Colleen é realmente encantadora! As histórias, a narrativa em si, a forma como há sempre tanto sentimento..Ela destrói meu coração só pra depois poder encher ele de amor novamente rs
    Sua resenha está, como sempre, muito bem escrita...Me fez querer ler agora mesmo esse livro! :DD

    Aproveito pra desejar uma ótima passagem de ano pra vc e um 2016 repleto de lindas histórias!

    Obrigada por ser sempre tão solícita, humilde e simpática com todos os seus seguidores, como eu já disse o seu blog me impulsionou mt a criar o meu esse ano... :)

    Fiz um post indicando os blogs que sigo e gosto e inclui o seu por lá...espero que não tenha problema Pah... Vou deixar o link aqui caso vc queira conferir...

    http://estantepredileta.com.br/2015/12/28/noticias-primeira-premiacao-do-blog-premio-dardos/

    Beijinhos Bruna

    ResponderExcluir
  11. Paola, vc já leu "Talvez um dia" também da Colleen, achei maravilhoso e ainda podemos entrar no universo deles porque tem as musicas que eles componhem!! Adoro suas resenhas.. Bjus!

    ResponderExcluir
  12. Esse livro é interessante, já li algumas resenhas sobre ele me interessei muito. Mais um livro para a lista de compras.

    ResponderExcluir
  13. Oi Pah!!
    Amei a resenha, nunca li nenhum livro da Colleen, mas vejo muitos comentários positivos de todos os livros dela, pretendo ler eles em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Pah!
    Nunca li nada da autora, e sei que isso é bem vergonhoso porque todo mundo gosta dos livros dessa mulher, a minha wishlist tem todos os livros dela e pelo que vejo em resenhas e videos, nao vou me decepcionar com nenhum deles. Como voce disse a historia me lembrou um pouco de Um Dia, mas amo a história entao sei que essa nao vai ser diferente, gosto do amadurecimento dos personagens, e dos recomeços que esse tipo de romance sempre proporciona ao leitor.

    ResponderExcluir
  15. Uma palavra para definir a Collen: "Extraordinaria". Apesar de dever a leitura do único livro que tenho, não consigo esconder a admiração que sinto por ela e seus livros. Nos meus planos literários, também estão incluso, completar a coleção e começar sua leitura definitiva, cansei de adiar a leitura. Com certeza irei gostar desse protagonistas tao intensos sinceros (algo raro de se ver).

    BJss

    ResponderExcluir
  16. Olá Pah,
    Ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita da Colleen Hoover, estou adiando a leitura a tempo, pois ainda não tenho nenhum livro físico dela, mas para 2016 é promessa!! Hahah Estou louca pra ler Um Caso Perdido, pois me apaixonei pelo livro lendo sua resenha. Quanto ao November 9, garanto que vou ser completamente cativada e envolvida pelo livro, pois sou uma romântica de plantão assumida, adoro livros que são dramáticos, emocionantes e apaixonantes na medida certa, sem falar numa história repleta de recomeços.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Ainda não li nenhum livro da Colleen Hoover mais vejo as pessoas falarem tanto da sua escrita que fiquei muito curiosa, mesmo da historia de November 9 não sendo inovadora a historia me conquistou principalmente pelo personagens Fallon e o Ben é se tiver oportunidade quero muito ler!!!

    ResponderExcluir
  18. Mais um da Coleen pra lista!Gostei dessa ideia de repetir o encontro anualmente, só espero que o final não seja aquele de Um dia hahaha

    ResponderExcluir
  19. Gostei muito dos livros dela.
    Espero que esse saia logo em português.

    ResponderExcluir
  20. Gostei muito dos livros dela.
    Espero que esse saia logo em português.

    ResponderExcluir
  21. Collen Hoveer é Vida...

    Ela é a melhor de todas, eu amei o livro, é lindo emocionante... simplesmente amei...

    ResponderExcluir
  22. AMo suas resenhas, simplesmente, muito boaaas!

    ResponderExcluir
  23. Adoro seu Blog, estou sempre acompanhando ele e amei a resenha desse livro. O livro talvez um dia da colleen é o meu favorito. November 9 já está na minha lista de leitura para esse ano!!!

    http://alemdissoedaquilo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oi, Pah! Passando aqui para comentar, afinal sua resenha foi a única que li de November 9, e corri para procurar o livro online e ler. Não li Um Dia, até tentei, mas não consegui, então para mim foi uma surpresa o fato de um livro que conta os encontros dos personagens na mesma data a cada ano ser tão envolvente como o da Colleen foi. afinal, estamos falando da Colleen Hoover, não podia ser diferente. Lendo-o desde de madrugada e terminando a leitura agora, não imaginei de jeito nenhum qual era o segredo de Ben. A história deles é única. estou ansiosa para ver a edição brasileira e tê-la na estante.
    Beijos!

    Letícia Valle
    Litteratura Mundi
    litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir