maio 08, 2016

[Resenha] O Primeiro Último Beijo – Ali Harris

“O primeiro último beijo” conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever…Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime. Na mesma tradição de P.S. Eu Te amo e Um Dia, O Primeiro Último Beijo vai fazer você suspirar e derramar lágrimas com a mesma intensidade.

Romance | 448 Páginas |
Cortesia Editora
Verus |
Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 4/5
É
difícil explicar o quão poética e reflexiva é a escrita da Ali Harris. Mesmo
falando de um tema clichê – os aprendizados e recomeços que só o amor é capaz
de proporcionar – a trama conta com uma carga de emoção intensa demais para
definir em palavras. Desde o começo fica perceptível que a leitura de O Primeiro último Beijo não será fácil ou
leve, porém talvez seja exatamente por isso que o livro nos conquista logo em
sua primeira página. O fato é que a narrativa da autora é do tipo que, instantaneamente,
promete algo que não vemos por aí: veracidade ao narrar às dificuldades que
enfrentamos em nossos relacionamentos (e não apenas os amorosos). E o ponto é
que sua promessa vira realidade a cada capítulo e a cada emoção, crua e
dolorosamente real, que Ali Harris descreve com maestria nessa linda história
de amor.

A obra
gira em torno de Molly e Ryan. Eles – o galã da cidade e a jovem rebelde e
perdida – se conhecem desde jovens, compartilharam um primeiro beijo desastroso,
possuem vários amigos em comum, vivem se encontrando e desencontrando ao longo
dos anos, e possuem uma história que foi construída com amizade, cumplicidade,
perdão, recomeços e muito amor. O
relacionamento deles serviu como fonte de crescimento e amadurecimento pessoal,
portanto ao mergulharmos em sua vida como casal temos a possibilidade de conhecê-los
através do tempo: os primeiros encontros, as brigas, as separações, as viagens
feitas e as que não saíram do papel, os novos empregos, os amigos para sempre e
os passageiros, e as descobertas que eles fazem sobre quem são e o quanto se
amam. Sendo assim, O Primeiro último
Beijo
narra os altos e baixos do relacionamento de Molly e Ryan, descrevendo
como o destino os uniu ao mesmo tempo em que os separou.
O que
diferencia a narrativa da Ali Harris é que ela não é nenhum um pouco linear. A
obra começa com uma Molly do presente triste, solitária, empacotando suas
coisas, recordando o passado, e partindo para um futuro completamente
desconhecido para o leitor. Desta forma, a leitura varia entre presente,
passado distante, passado próximo, recordações aleatórias, e desabafos da
protagonista sobre os beijos que ela viveu. De começo, confesso, é muito
confuso entender aonde a autora quer chegar com tantas idas e vindas. Fica
claro que algo aconteceu com Molly e Ryan, mas nossas suposições só fazem
sentindo no final, quando não só o grande mistério é revelado – o que realmente
sucedeu a esse casal tão lindo que conhecemos através das memórias da Molly e que
parece não existir mais em suas divagações no presente – como também a forma escolhida
pela autora para narrar sua história passa a ser óbvia e ainda mais envolvente.
E por mais que o desfecho não seja completamente surpreendente, senti que a
autora cumpriu seu dever ao nos manter vidrados e ansiosos para desvendar todos
os segredos desses cativantes personagens.
O que
mais amei na trama, sem dúvida, foi seu alto teor reflexivo. Existe uma
realidade inegável na forma da autora abordar a vida, o destino, a dor, e todos
os conflitos que enfrentamos ao decidirmos abrir nossos corações para aceitar a
grandeza do amor. O mais incrível é que cada capítulo dessa leitura traz uma
reflexão linda, tocante, emocionante, e extremamente motivadora. Ao
acompanharmos a história de Molly e Ryan temos a possibilidade de refletirmos
sobre nossas próprias relações (sejam elas amorosas, familiares, trabalhistas
ou fraternais). Assim, o livro nos inspira uma vontade de amar mais, aceitar
mais, lutar mais, e querer mais. Portanto, foi impossível para mim não me
conectar com a trama e entender exatamente o que a autora quis mostrar com ela:
que o amor vale – e sempre vai valer – muito a pena. E que, antes de qualquer
coisa, precisamos ser mais, viver mais, aproveitar mais, beijar
mais.

“Você pode me fazer um favor? Quebre uma
regra hoje, enlouqueça, viva o momento. Abra seu coração. Depois, abra mais um
pouco. Ame muito, ame mais ainda. Não tenha medo de se expressar, de gritar, de
ser ouvido. Diga EU TE AMO. Aposte todas as fichas. Aposte todas as fichas no
amor. Por mim. Porque eu não fiz isso. E agora não posso mais.”

Minha
única ressalva é que: talvez seja pela narrativa atemporal, ou talvez pela escrita
tão carregada emocionalmente, mas o ponto é que achei a leitura extremamente
densa. Não foi fácil terminar esse livro, não foi fácil pensar sobre ele, e não
foi fácil lê-lo de forma fluída – tive que fazer várias pausas durante a
leitura. Senti que a escrita da autora e seus saltos no tempo deixaram a narrativa
muito cansativa e repetitiva, mas ainda assim amei cada detalhe apresentado e a
forma como eles se conectam majestosamente no final. Portanto, por mais que o
livro seja carregado em memórias e descrições, valeu a pena ter chego ao final
e ter me conectado e emocionado com a linda história de Molly e Ryan.
Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

33 Comentários

  • Gisele Regina
    21 maio, 2017

    Bem, diferente de algumas pessoas, eu não achei a leitura cansativa. Eu pude entender que, a narrativa que a autora usou, contribuiu muito para essa linda história. Os fragmentos apresentados ao longo da trama, de uma forma não linear, contribuiu, e muito, para que a história e todo o teor sentimental fossem realmente sentidos. Mas, no fim, cheguei a algumas conclusões.
    1- logo no início do livro não gostei de suas amigas. Molly deveria se cercar de amigos de verdade. Ainda não me convenci de que uma pessoa que diz ser sua amiga, faz você questionar a cada segundo de suas escolhas. Veja bem, não estou dizendo que amigos não podem dar conselhos ou opiniões, mas o que aconteceu ao longo do livro não foi isso. As amigas a lembravam constantemente como sua vida de solteira era boa, a lembravam de seus planos, e de como ela ficou chata depois do relacionamento, isso, apenas porque ela se recusava a ter a vida que as próprias amigas tinham, baseadas em relacionamentos de apenas uma noite e muita bebedeira.
    2- as idéias feministas nunca dão certo. Molly cresceu achando que uma carreira profissional era o bastante para ela. Homens não estavam em sua lista. Até conhecer Ryan. Quando o conheceu, tenho que admitir, tanto pela sua pouca experiência, quanto pela suas idéias, acabaram o afastando. Ela achava que merecia uma vida melhor, que merecia sair e beber com amigos e não ficar presa a um homem, a apenas uma experiência, que o relacionamento a mantinha sempre no mesmo lugar, qdo o que ela merecia era conhecer o mundo e tudo o que ele tinha a oferecer, mas acabou se esquecendo que, tudo o que ela sempre sonhou foi Ryan. E isso, ela só percebeu qdo o perdeu.
    3- que, apesar de tudo o que ela havia pensado anteriormente e que achava certo, precisou, através do meio mais sofrido, aprender que o amor vale a pena. O amor sempre vale. No fim, ela aprendeu que ela não precisava fazer algo, ela só precisava ser. E isso mudou a sua vida.
    A leitura foi difícil, pois há uma carga emocional muito grande na história. Mas com toda a certeza a recomendo.

  • Rafaella Abreu
    31 maio, 2016

    Esse livro me ganhou pela capa, não vejo a hora de ler!

  • Jessie Barbosa
    29 maio, 2016

    Já tinha ouvido falar deste livro, como tb já vi varias nas livrarias mais nunca tinha parado para sobre a historia. Me cativou sua resenha.

    Jesse Lira – http://www.jesselira.com.br

  • Maria Fernanda Medeiros
    25 maio, 2016

    Que história envolvente, adorei!
    Você notou que muitas capas estão saindo recentemente com essa "pegada" Como eu Era Antes de Você? Acho o estilo muito semelhante.

  • Érica
    20 maio, 2016

    Oi Paola, tudo bem?
    E esse livro que não chega nas livrarias da minha cidade.
    Bj.
    http://www.dnabookz.com

  • Pamela Alves
    19 maio, 2016

    Esse livro parece ser do tipo que te faz chorar rios e que também te faz repensar sobre a vida, sobre o modo como você anda vivendo. Fiquei bem curiosa para saber o que aconteceu com o casal, mas não sei se irei ler o livro no momento. Talvez, eu o leia futuramente.

  • Lavínia Macedo
    19 maio, 2016

    oi Pah.
    O livro e muito legal eu já estava pretendendo ler ele e a capa e muito lindaa.

  • Thais Lima Reis
    17 maio, 2016

    Oi Pah,
    O livro parece ser interessante e a capa é linda. Você disse que a autora fica intercalando o presente e passado, confesso que isso não me agrada muito nos livros. Mas como eu li P.S Eu te amo e amei a historia de superação da mocinha vou tentar da uma chance ao livro.
    Pah já leu P.S Eu te amo? Se sim, qual sua opinião?
    Beijos!

  • Lara Cardoso
    14 maio, 2016

    Oi
    Eu andei vendo a divulgação desse livro, realmente a história parece ser triste e imagino que o final também, eu fiquei interessada na leitura do livro e romance sempre cai bem, que bom que gostou de ler ele.

  • janaina silva
    12 maio, 2016

    Histórias realistas como essa sempre nos passam algum Tipo de mensagem.E pelo que nos contou,essa é exatamente assim.Pelo que li de sua resenha acho que vou me interessar pela história como você.Mas acho que esse tipo de livro é um daqueles que temos que esquecer de tudo e lê-lo com muita tranquilidade.
    Gostei da dica!!!!

  • Crislane Barbosa
    12 maio, 2016

    Oi, Pah!
    Essa capa é linda demais!! Não tem como não se apaixonar pela capa desse livro.
    Não sabia que o livro tinha uma carga emocional tão pesada. A capa passa a impressão de um romance bem leve. Com certeza deve ser um livro que vale a pena ler. 😀
    Beijão!

  • Karen Madri
    12 maio, 2016

    Já está na minha lista <3

  • Jesica Duarte
    11 maio, 2016

    Paola meu coraçãozinho ficou apertando só de ler a resenha, me emocionei bastante só com o trecho do livro, e mesmo que não seja um livro fácil de ler pela carga emocional que tras, aprendemos várias coisas e como dar mais valor mais a vida.

  • Karolaine Thomé
    11 maio, 2016

    Oi, Pah!! Lendo sua resenha, lembrei do livro "se eu ficar"(não sei se já leu, mas recomendo rs) que relata uma história que me encantou, me emocionou, mas que também era bem densa, talvez por envolver uma trama em meio a família e mais um romance.. Porém, fiquei muito curiosa para ler o livro, parece ser uma história muito envolvente <3 E simplesmente me apaixonei pela citação que você fez: “Você pode me fazer um favor? Quebre uma regra hoje, enlouqueça, viva o momento. Abra seu coração. Depois, abra mais um pouco. Ame muito, ame mais ainda. Não tenha medo de se expressar, de gritar, de ser ouvido. Diga EU TE AMO. Aposte todas as fichas. Aposte todas as fichas no amor. Por mim. Porque eu não fiz isso. E agora não posso mais.”

    Abraços <3 🙂

  • Karolaine Thomé
    11 maio, 2016

    Oi, Pah!! Lendo sua resenha, lembrei do livro "se eu ficar"(não sei se já leu, mas recomendo rs) que relata uma história que me encantou, me emocionou, mas que também era bem densa, talvez por envolver uma trama em meio a família e mais um romance.. Porém, fiquei muito curiosa para ler o livro, parece ser uma história muito envolvente <3 E simplesmente me apaixonei pela citação que você fez: “Você pode me fazer um favor? Quebre uma regra hoje, enlouqueça, viva o momento. Abra seu coração. Depois, abra mais um pouco. Ame muito, ame mais ainda. Não tenha medo de se expressar, de gritar, de ser ouvido. Diga EU TE AMO. Aposte todas as fichas. Aposte todas as fichas no amor. Por mim. Porque eu não fiz isso. E agora não posso mais.”

    Abraços <3 🙂

  • Elizabethe Souza
    11 maio, 2016

    Esse parece ser um livro pra se emocionar bastante! Li alguns no estilo e sempre acabo me derretendo e ficando um pouco traumatizada hahaha
    Mas vale a pena encarar pelo teor reflexivo e inspirador na vida <3

    Beijão

  • Theresa Cavalcanti
    10 maio, 2016

    Achei a capa desse livrinho tão lidinho! Já tinha visto algo sobre o livro, e já adicionei ele na minha lista.

  • suzana cariri
    10 maio, 2016

    Oi!
    Ainda não li nada da Ali Harris, mas com certeza depois dessa resenha fiquei bem curiosa para ler, achei bem interessante essa proposta do livro de nos apresentar sentimentos reais e parece que a autora consegue, uma das coisas que achei interessante e que nos é apresentado esse começo do relacionamento dos personagens e suas varias faces e com certeza irei ler esse livro !!

  • N4tyDark
    10 maio, 2016

    Quero conhecer a Obra,Já vi falar dele .. mas nunca tive a oportunidade de ler. ☺ ♥

  • Beatriz dos Santos
    10 maio, 2016

    Eu já tinha ouvido falar deste livro, mas nunca realmente parei para ler alguma resenha ou do que se tratava. Amo livros com a narrativa carregada de emoção, mas confesso que não sou muito fã dessas estórias atemporal.

  • Bruna Lago
    10 maio, 2016

    Vou te confessar que odiei Um Dia. Nossa, achei a leitura maçante e cansativa.
    Esse livro traz uma historia bem bonita, um casal que vive se encontrando e provam que o amor vence o tempo. Se eu ler espero não me decepcionar como foi com o outro livro.

  • Micheli Pegoraro
    09 maio, 2016

    Oi Pah,
    Estou louca de desejos por esse livro desde quando vi o lançamento, pois tanta a capa como o título chamaram minha atenção, ai quando leio uma resenha dessas a sensação de necessidade de ler logo esse livro aumenta! Quando vi que o livro segue a tradição dos livros P.S. Eu te amo e Um Dia, eu pirei de vez. Esse livro promete ter uma história muito linda e tocante, no geral gosto quando a trama tem uma carga de emoção bem intensa, isso traz muitas coisas para refletir; então garanto que vou suspirar e derramar muitas lágrimas durante a leitura, sem falar que amo ser surpreendida e, pelo que vi, é o sentimento que terei ao terminar a leitura. Preciso urgentemente desse livro na minha estante!
    Beijos

  • emilya costa
    09 maio, 2016

    Oi pah, eu estava curiosa pra ler esse livro agora com a sua resenha achei melhor ainda, eu gosto de livro assim que mostra não so a felicidade do casal, mas tabem as barreiras que eles enfrentam pra continuarem junto, igual a vida real….bjs

  • Vania Correa
    09 maio, 2016

    Gostei muito do tema da história, realmente devemos repensar mais o nosso relacionamento e poder curtir cada momento, a capa está linda, ainda não li nada da autora, beijos…

  • Priscila Tavares
    09 maio, 2016

    Oi Paola, primeira vez que vejo uma resenha sua e posso afirmar que adorei a forma como você descreu a história e os sentimentos que ela causou.
    Já me conquistou e quero muito ler, apesar de como você mesma disse a leitura pode não sei das mais fáceis.
    Beijos

    Quanto Mais Livros Melhor

  • Raquel Moreira
    09 maio, 2016

    Oi, Pah!
    Antes de você postar essa resenha, uma amiga já havia me falado deste livro. As conclusões que as duas chegaram foram parecidas. Fiquei um pouco incomodada com a escrita atemporal dos capítulos, não sei se conseguiria terminar esta leitura.
    Gostei da sua resenha. Beijos

  • rayane colombo gomes
    09 maio, 2016

    nossa devo dizer que quando li o conteudo atras d livro nao dei mta bola nao achei que sei la.. mas parece ser mto bom e ate mesmo meio triste no final! nao sei pq estou com essa impressao. mas com uma liçao de vida

  • Dalila Ferreira
    09 maio, 2016

    Ain, eu comprei esse livro ontem e tô doida pra ler. Sei que vou chorar, porque sou boba assim. haha!

  • Cassiana Ollmann
    09 maio, 2016

    Já li vários pontos positivos deste livro. E sua resenha me deixou com mais expectativa de lê-lo. Espero que a leitura seja fluída…
    bjs

  • Vanessa DiegoBalhs
    09 maio, 2016

    Olá! Gosto dessa autora mas confesso que por mais que a história pareça ser bonita pela sua resenha ja da pra ver o quanto é cansativa. Não gosto muito dessas desse tipo de narrativa,enrolo muito para terminar de ler… Parabéns pela resenha como sempre vc faz nós percebemos todos os pontos positivos e negativos dos livros… Bjs

  • Esther D.
    09 maio, 2016

    EU PRECISO ler este livro , que coisa linda , não conhecia o autor … Beeeijos !

    http://extintadoplanetablog.blogspot.com.br/

  • Gabriela Gonçalves
    09 maio, 2016

    Estou ouvindo muitas coisas boas sobre esse livro Pah, apesar de ser uma leitura densa como falou, deve ser um romance do tipo que nos faz refletir bastante e nos emocionar ne… Adorei a resenha Pah!

  • Bárbara Carollo
    09 maio, 2016

    Oi Pah!
    Também tive que interromper a leitura algumas vezes devido a intensidade dos fatos, mas principalmente pela forma como a autora conduziu a narrativa. Ficou cansativa e atrapalhou a fluidez, mas a escrita poética e reflexiva da autora (como você disse) fez com que eu me envolvesse na história de Mollly e Ry.
    Ri e chorei muito, mas o aprendizado foi grande. Percebi que somos muitas vezes guiados pelo desejo de "mais", quando já temos mais do que sonhamos. Os erros e acertos de Molly me ensinaram a repensar algumas atitudes tomadas e, claro, a ser mais! Viver o momento e valorizar ao máximo cada instante com quem amamos.
    Sem dúvida, esse é um livro difícil de ser avaliado e comentado, mas que vale a pena ser lido!
    Ótima resenha!
    Beijos,

    versosenotas.blogspot.com.br