julho 03, 2016

[Resenha] Dama da Meia Noite – Cassandra Clare

Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada. O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro mas eles nunca podem se apaixonar. Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras. Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian têm a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas antes que o assassino coloque eles na mira. Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais e ela pode suportar saber a verdade? A magia e aventura das Crônicas dos Caçadores de Sombras tem capturado a imaginação de milhões de leitores em todo o mundo. Apaixone-se com Emma e seus amigos neste emocionante e de cortar o coração no volume que pretende deliciar tantos novos leitores como os fãs de longa data.

Fantasia | 574 Páginas
| Cortesia
Editora Galera Record| Skoob |
Compare
& Compre:
SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 5/5
Meu
relacionamento com a Cassandra Clare vai muito além dos doze livros dela que
tive o prazer de ler. Amo sua narrativa instigante e misteriosa, seus
personagens marcantes e charmosos, suas histórias conectadas e inteligentes e,
principalmente, seus romances apaixonantes e emocionantes. Ela é, sem dúvida,
uma das minhas autoras preferidas. E é dela também, através de um dos
triângulos amorosos mais incríveis que já vi na literatura, o posto de romance
de fantasia preferido da vida – nunca vou superar o final de Princesa Mecânica. Entretanto, imaginei
que chegaria uma hora que a autora e suas fantasias já não me envolveriam tanto,
e confesso que pensei que esse momento seria com Dama da Meia Noite. Ledo engano! Mais uma vez, a autora ganhou meu
coração, minha atenção e minha mente. Mergulhei de cabeça nessa leitura,
devorei suas páginas repletas de aventura e mistério, amei seus personagens, e
me apaixonei perdidamente pelo romance. Sabe histórias de amor impossíveis,
lindas e dolorosas? Pois bem, Dama da
Meia Noite
é o início de uma trilogia que une jogos de poder, mortes e
perseguições, e um amor proibido extremamente tocante. Ou seja, é impossível
não amar esse livro.

A trama
gira em torno de Emma Carstairs e de seu parabatai Julian Blackthorn. Os jovens
são amigos desde pequenos e juntos, quando ainda tinham doze anos, participaram
de uma batalha sangrenta protagonista por Sebastian Morgenstern; é por causa da
ganância do Sebastian que Emma e Julian foram arrancados do seio de suas
famílias e viveram momentos de luta e dor. Anos depois da grande guerra, Emma
ainda sonha com o dia em que encontrará o verdadeiro assassino de seus pais – ela
não acredita que Sebastian tenha sido o responsável pela morte deles (afinal os
dois foram encontrados afogados e com o corpo cheio de marcas antigas e irreconhecíveis).
Enquanto Julian, após a morte do pai e da iminente responsabilidade de cuidar
dos irmãos mais novos, tenta apelar para a Clave devolver seus familiares que
são descendentes de fadas, já que desde a grande guerra os Caçadores de Sombra
entraram em um período de paz fria que exilou e penalizou todos aqueles que são
do reino das fadas. A vida desses dois jovens é rodeada de sacrifícios, dor e,
principalmente, de perguntas não respondidas. E mais uma vez eles serão
testados: outras mortes estranhas, semelhantes a dos pais de Emma e envolvendo
fadas, estão acontecendo aos arredores de Los Angeles. Desafiados pelo líder
dos povos das fadas (que tem um interesse pessoal em desvendar esses crimes),
Emma e Julian vão burlar as regras da Clave e se envolver em assuntos do
submundo. Nesse meio tempo, os jovens vão desvendar perigosos segredos do
passado, fazer novos amigos, contar com o retorno do irmão mais velho de Julian
(que estava servindo o povo das fadas e que exatamente por isso está completamente
mudado e perdido), e descobrir que o laço que os une vai muito além do amor
fraternal de um parabatai. Não é permitido se envolver com fadas e muito menos
se apaixonar por seu parabatai, contudo é exatamente isso que Emma e Julian
estão fazendo. Ou seja, esses jovens estão muito encrencados.
Quando a
série Instrumentos Mortais terminou
(e sim, Dama da meia Noite possui uma
ligação com o final da saga anterior, porém traz um cenário completamente
diferente) eu soube que a decisão da Clave de penalizar o povo das fadas –
mesmo aqueles que não participaram da grande guerra – resultaria em divisão, discórdia
e novas batalhas. Por isso, o que mais gostei na leitura desse livro foi da
grande questão social que permeia a trama. O povo das fadas errou, mas as
punições da Clave, assim como todas as leis que regem o mundo dos Caçadores de
Sombra, foram muito severas. Portanto, ao invés de ensinar uma lição, a Clave
incitou nos membros do submundo um sentimento de injustiça e vingança. Achei
essas colocações importantes e reflexivas, principalmente porque elas abordam
temas importantes como preconceito, favoritismo governamental, e disparidade
social (algo que, convenhamos, reflete muito da nossa política atual). Senti
que tal abordagem foi inteligente, bem estruturada, e misteriosa o suficiente
para deixar o leitor com o coração na mão. Além disso, gostei que pela primeira
vez em muitos anos a autora criou personagens que questionam as regras dos
Caçadores de Sombra e o poder autoritário da Clave. Emma e Julian sofreram por
causa das leis duras, preconceituosas e impessoais criadas pela Clave, e estão
cansados dessa excessiva dominação. Ou seja, o livro tem um teor crítico e
revolucionário que eu amei. Amo quando a Cassandra Clare torna seus livros instigantes,
inteligentes e reflexivos. E amo ainda mais quando ela quebra tabus ao falar de
temas como preconceito racial e sexual. – E vocês achando que o livro era só
mais uma história de fantasia, não é mesmo?
Outra
coisa que eu amei foi como a trama gira em torno do amor proibido. Julian e
Emma são parabatais e estão se apaixonando. Essa relação é perigosa e temida,
portanto é impossível não sofrer e torcer por esses dois. Achei lindo e tocante
como eles lutam para conter esse sentimento e, principalmente, como eles
possuem medo da punição caso sejam descobertos. Além disso, amei a
personalidade de todos os personagens centrais dessa trama. Como era de se
esperar, o livro não gira em torno apenas da história de Julian e Emma. Existem
outras tramas e outros romances paralelos que, assim como um quebra cabeças
gigante, torna o livro ainda mais cativante e surpreendente. Nesse ponto, entra
em questão a personalidade de Julian e o amor dele por seus irmãos. O jovem,
depois da grande guerra, carrega nos ombros a responsabilidade de criar e
cuidar dos irmãos. Por cinco anos ele foi mais pai do que irmão, então achei
lindo não só a entregada e a dedicação desse personagem, como também o fato dele
incluir a família em suas decisões. Quando Julian e Emma decidem investigar
mais sobre as mortes estranhas que estão acontecendo, eles conversam e incluem
os irmãos mais novos de Julian nessa missão. Assim, temos um grande grupo unido
em uma mesma intenção, o que significa que é delicioso vê-los trabalhando em
conjunto e mostrando nas ações de dia a dia que são uma família unida,
carinhosa e dedicada – bem diferente da maioria das famílias de Caçadores de
Sombra, por sinal. Amei como Emma foi acolhida por essa família, e amei e
chorei muito com Julian e seu coração gigante. Acho lindo esse tipo de
personagem que ama sem esperar nada em troca. O que esse jovem faz pelos irmãos
é mais do que cuidar e proteger, é entregar um pedaço da sua alma e do seu
coração. Tanto Emma quanto Julian, com suas personalidades fortes e seus corações
amorosos, entraram para a minha lista de personagens preferidos.
Em suma, temos
então: romance proibido, perigosas aventuras e investigações, valiosas discussões
sobre o preconceito e as rígidas leis dos Caçadores de Sombras, e incríveis laços
de amizade e amor familiar. Ou seja, tudo o que eu mais amo em livros de
aventura! Sinto que essa trilogia promete muita ação, emoção e superação. Já
estou apaixonada pela trama, pelos personagens, e por esse romance que ganhou
meu coração. Indico esse e todos os livros da Cassandra Clare de olhos fechados.
Para os
fãs: Só leiam Dama da Meia Noite
depois de terminarem As Peças Infernais
e Instrumentos Mortais. Nossos
personagens preferidos de ambas as séries possuem um papel muito importante na história
que está sendo construída pela Emma e pelo Julian.
• Sobre a Série •
Dama da
Meia Noite
é o
primeiro volume da trilogia Os
Artifícios das Trevas
. Até o momento – e infelizmente – apenas o primeiro
livro foi publicado pela autora. A expectativa é que a continuação saia em
2017.
Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

18 Comentários

  • Rafaella Abreu
    02 agosto, 2016

    AINDA não li nenhum livro da Cassandra Claire e pretendo mudar isso em breve!

  • Ester Andrade
    21 julho, 2016

    Conheço os livros dela através de Shadowhunters , mas estou doida pra ler os livros , e sua resenha só me deixou mais ansiosa ainda , já quero ler sobre a história desses dois antes de ler As outras séries kkkkk mas vou me obrigar a ler os outros antes , amei ❤️

  • Jesica Duarte
    17 julho, 2016

    Só a Cassandra Clare pra nos fazer pirar com seus livros, não vejo a hora de ler, to terminando de ler os instrumentos mortais, logo vou ler As Peças Infernais pra começar o mais rápido possível esse trilogia.

  • Jesica Duarte
    17 julho, 2016

    Só a Cassandra Clare pra nos fazer pirar com seus livros, não vejo a hora de ler, to terminando de ler os instrumentos mortais, logo vou ler As Peças Infernais pra começar o mais rápido possível esse trilogia.

  • Maria Fernanda Medeiros
    17 julho, 2016

    A história me interessa muito mesmo, mas não conseguiria ler só esse e não ter todos os anteriores, mesmo as pessoas dizendo que é possível ler unicamente a partir dessa nova história. E eu sinceramente não tenho mais a mínima condição de pegar séries tão longas para iniciar agora 🙁

  • Anônimo
    08 julho, 2016

    Pah voce nao tem noçao da minha reaçao quando vi que voce tinha feito resenha desse livro! A Cassandra é a minha escritora preferida da vida ate a morte , eu a amo demais , ela é minha protegida, sou muito fã do trabalho dela!! Eu estou guardando esse livro para as férias, e também dando uma enrrolada para ler , porque quando acaba e nao tem continuaçao eu fico na bad haha !!

  • Vania Correa
    06 julho, 2016

    AInda não tive oportunidade de ler livro da Cassandra, mas sei que são ótimos, com personagens marcantes, fiquei bem interessa na Dama d ameia noite, fiquei feliz em saber que é uma série, a capa está surpreendente.Beijos…

  • Micheli Pegoraro
    06 julho, 2016

    Oi Pah,
    Fazia um bom tempo que queria ler os livros da Cassandra Clare, há apenas alguns meses tive meu primeiro contato com sua escrita lendo o primeiro volume de Instrumentos Mortais, e nossa! Por que não iniciei a leitura antes?! Amei a narrativa instigante e surpreendente, os personagens marcantes e cativantes, enfim, amei mergulhar nesse universo, estou ansiosa para ler os demais livros.
    E mesmo não tendo lido ainda os livros das séries anteriores não resisti essa edição maravilhosa de Dama da Meia Noite e garanti o meu exemplar hahaha. Preciso ler o quanto antes todos esses livros maravilhosos e de preferência todos nesse ano, para depois devorar Dama da meia-noite, mas já sei de antemão que vou adorar os protagonistas Emma e Julian, pois já gostei do que li da personalidade deles.
    Beijos

  • mirian kelly
    06 julho, 2016

    Conheci a Cassandra quando soube de Instrumentos Mortais, porém ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livrinho dela, mas quero muito. Adoro o jeito ue o povo fala da Cassandra sempre dizendo que seus livros são maravilhosos o que me incentiva cada vez mais a querer. Eu simplesmente amo amor proibido, misturado com a fantasia da Cassandra deve ser um livro incrivel, gostei de saber que o livro aborda preconceito racial e sexual, o que traz um pouco de realidade.

  • Pamela Liu
    06 julho, 2016

    Oi Pah.
    Eu amo a série Instrumentos Mortais, li a trilogia das Peças Infernais e confesso que não estava com vontade de ler essa nova trilogia. Como você, achei que o tema já estava um pouco saturado e não sabia se eu iria gostar tanto desses personagens como dos anteriores.
    Mas depois de ler a sua resenha, fiquei mais animada para ler Dama da noite. Parece que a autora linda não perdeu a mão e que o romance proibido entre os parabatais e a punição contra o povo das fadas vai dar muito o que falar rs
    Vou ler assim que possível.

  • Evellyn Mendonça
    05 julho, 2016

    Oiii Pah, amo muito esse universo de Caçadores de sombras.
    As peças Infernais e Instrumentos Mortais são uma das minhas séries preferidas da vida… Adorei saber que nossos personagens preferidos de ambas as séries possuem um papel nessa historia.
    Amei essa capa, achei muito linda, assim como todas as capas desse universo que são maravilhosas. Estava com muita vontade de ler esse livro, agora então depois dessa resenha estou roendo as unhas para ler.
    Bjs e até mais…

  • tereza weizt
    05 julho, 2016

    Muito bom o blog e suas resenhas, entretanto,gostaria de dar uma dica para aqueles que gostam de cultura e viagem para Campos do Jordão realmente a estância é tudo de bom e nesta estância turística recomendo conhecer a The Writer's House ,a casa do escritor que é algo inovador em termos de Brasil e a escolha de Campos do Jordão para sediar este projeto inspirado num conceito igual americano não poderia ser diferente,pois,a região está localizada entre diversas cidades literárias como Taubaté ,a capital da literatura infantil e a cidade de Monteiro Lobato.Estive na Hub City ,e sei como esse projeto literário foi fundamental para a cidade Spartanburg, SC. Em maio de 1995, três escritores se conheceram em uma cafeteria com uma idéia para um livro, uma antologia sobre a experiência de viver em Spartanburg, SC. Desde então, o Writers Project Hub City já publicou mais de 65 títulos e 500 escritores, estabeleceu uma livraria independente, e desde a educação escrita criativa para milhares de pessoas.Parabéns para o Curador brasileiro da The Writer's House ,a casa do escritor em Campos do Jordão,único projeto temático semelhante em nosso país.

  • Theresa Cavalcanti
    04 julho, 2016

    Eu ainda não terminei de ler Instrumentos Mortais! SOS Parei no quinto livro, mas não lembro muita coisa, ai quero ler tudo de novo, mas nunca arrumo tempo.

  • Jeniffer Mattos
    04 julho, 2016

    Oi Paola! Confesso que nunca li livros dessa autora nem do gênero fantasia, acredita? Mas essa resenha me chamou atenção, principalmente por ter um romance proibido. Acho que esse vai entrar para a minha lista de desejos…

  • Adriana Holanda Tavares
    04 julho, 2016

    Paola confesso que ainda não li nenhum dos livros da Cassandra e eles estão na minha lista e em ordem de prioridade e quando vi esse post fiquei bem receosa de ter muita coisa sobre a série de livros, mas eis que sou super surpreendida com uma resenha bem feita e super delicada em não entregar nada da trama que comprometa minha vontade de ler,pelo contrário, agora estou mega ansiosa com cada linha e já fã de uma autora que nem conheço ainda. hihihi, gente que capa divina de linda é essa? amei amei amei

  • N4tyDark
    04 julho, 2016

    Amo as capas do livro da Cassandra, são lindas mesmo. Quero logo me deliciar com seus livros , embarcar nesse mundo de fantasia, já tinha visto falar muito bem desse livro mas esperava ansiosa por seus comentários, amei a resenha!! Curto muito a escrita da Cassandra Clare, amo a série, gosto muito de sobrenatural e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história. Tem cara de ser uma leitura super interessante e que te prende do inicio ao fim.
    Adooooooro, por demais, esse estilo de obra.♥

  • Priscila Tavares
    03 julho, 2016

    Oi Paola, não sei bem o porque mas acredita que até hoje nunca li nenhum livro da Cassandra Clare? Eles não chamam minha atenção apesar de ver muita gente lendo e gostando. Mas confesso que as capas são lindas.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

  • Lara Cardoso
    03 julho, 2016

    Olá!
    Essa é a terceira resenha que leio falando bem desse spin-off. Eu confesso que não gostei de Instrumentos Mortais, mas o burburinho em cima de Dama da meia-noite é tão grande que estou me sentindo tentada a começar essa leitura.