julho 19, 2016

[Resenha] Sedução da Seda – Loretta Chase

Talentosa e ambiciosa, a modista Marcelline Noirot é a mais velha das três irmãs proprietárias de um refinado ateliê londrino. E só mesmo seu requinte impecável pode salvar a dama mais malvestida da cidade: lady Clara Fairfax, futura noiva do duque de Clevedon. Tornar-se a modista de lady Clara significa prestígio instantâneo. Mas, para alcançar esse objetivo, Marcelline primeiro deve convencer o próprio Clevedon, um homem cuja fama de imoralidade é quase tão grande quanto sua fortuna. O duque se considera um especialista na arte da sedução, mas madame Noirot também tem suas cartas na manga e não hesitará em usá-las. Contudo, o que se inicia como um flerte por interesse pode se tornar uma paixão ardente. E Londres talvez seja pequena demais para conter essas chamas. Primeiro livro da série As Modistas, Sedução da seda é como um vestido minuciosamente desenhado por Loretta Chase: de cores suaves e românticas em alguns trechos, mas adornado com os detalhes perfeitos para seduzir.

Romance de Época| 304 Páginas|  Cortesia
Editora Arqueiro| Skoob |
Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação 4/5
O que
mais me surpreende na escrita da Loretta Chase é que suas protagonistas nunca
são as típicas damas do século XIX. Na
época, o reconhecimento e a aceitação social eram direcionados apenas para as
mulheres de berço, de criação e comportamento impecável, e de beleza
tradicional e etérea. Desta forma, a autora quebra paradigmas ao criar
personagens ferminas fortes, destemidas, trabalhadoras (o que era inadmissível,
ainda mais para mulheres) e que lutam pela sua sobrevivência independente da
opinião da aristocracia Inglesa. Tanto é que na série As Modistas, Loretta dá vida a três irmãs que, graças à
irresponsabilidade de seus pais, tiveram que trabalhar para construir um lar.
Ainda crianças essas três conquistaram uma profissão e, desde então, viraram
talentosas modistas. O resultado de tanto esforço é um ateliê rentável e muito
especial para essas mulheres; o que faz com que Sedução da Seda seja– antes mesmo do romance e da narrativa sensual
e bem-humorada – uma história de garra e de superação do preconceito social. E
você achando que romances de época não são reflexivos, não é mesmo?

A obra
gira em torno de Marcelline – a mais velha das irmãs Noirot – e Gervaise, o
Duque de Clevedon. A relação dos dois começa pelo interesse: Marcelline pretende
usar a posição de Clevedon para fazer com que seu ateliê seja reconhecido e
aceito pela nobreza Inglesa. Todos sabem que as irmãs Noirot são as melhores
modistas da região, entretanto o tradicionalismo sempre fala mais alto entre os
ingleses, o que faz com elas tenham poucas clientes da nata da sociedade.
Dispostas a tudo para alcançar o topo, as irmãs elaboram um plano para fazer
com que a jovem Clara Fairfax, futura noiva do Duque de Clevedon, seja sua mais
fiel cliente. Para isso, Marcelline vai a caça de Gervaise e mergulha em um
perigoso jogo de sedução. A ideia é mostrar para o Duque o quanto um vestido é
importante e, consequentemente, fazê-lo convencer Clara de que ela precisa das
irmãs Noirot para ser uma Duquesa mais que adequada. O problema é que a sedução
entre Marcelline e Gervaise vai virar mais do que uma mera negociação
comercial, colocando em xeque as perfeitas
regras sociais que ditam que um Duque quase noivo não deve perseguir (e muito
menos se interessar) por uma mera costureira. Com certeza esses dois vão
aprontar muito e, por mais que alguns digam o contrário, a sociedade vai adorar
acompanhar as aventuras protagonizadas por Noirot e Clevedon.
O que
mais gostei no livro foi o fato da narrativa focar no trabalho das irmãs
Noirot. Levando em conta o papel da mulher (e principalmente da burguesia) no
século XIX, achei corajoso e inusitado o fato da autora criar protagonistas que
sobrevivem do próprio trabalho, que não se envergonham do que fazem, que amam
seu ateliê da mesma maneira que se amam, e que são sim ótimas manipuladoras,
sedutoras e estrategistas. Amei essas jovens, amei o talento nato que elas têm
para criar vestidos e manter um negócio, e amei ainda mais a família que elas
construíram com tão pouco. A história delas, mesmo tendo como cenário um
período tão distante, assemelha-se a de muitas mulheres espalhadas pelo mundo:
empreendedoras que lutam, sonham e fazem acontecer. Foi gostoso vê-las planejando
e construindo um negócio cada vez maior e mais atrativo. Sem contar que elas
fazem de tudo pelo bem do ateliê, o que significa que elas vivenciam
experiências para lá de divertidas e surpreendentes (morri de rir com
Marcelline perseguindo o Duque com seus belos vestidos e deixando claro para
ele que só queria usá-lo como ponte de expansão para seu negócio).
Outro
ponto positivo do livro é que ele aborda com maestria a rigidez por trás das
leis sociais do século XIX. Ao unir uma modista e um Duque, duas figuras com
posições sociais opostas, a autora nos faz refletir sobre preconceito social e,
principalmente, sobre a crueldade que permeia a disparidade social. Gosto muito
desse tipo de romance “socialmente impossível”, pois ele nos mostra que o amor
é maior do que qualquer convenção social. O que conta em um relacionamento não
é o dinheiro ou um título, mas sim a vontade de estar todos os dias ao lado de
uma mesma pessoa. E, exatamente por isso, adorei como a figura do Duque personifica
essa dualidade: a metade que quer seguir o papel exigido pela sociedade, e a outra
metade que quer se envolver com essas modistas – não só no sentindo de amar uma
delas, mas de entrar nessa família, de ajudá-las a resolver seus problemas, e
de colaborar para o crescimento do negócio delas.
Assim
como todos os livros da Loretta a narrativa de Sedução da Seda é divertida, surpreendente (exatamente por
apresentar personages diferentes das que costumamos ver em romances de época),
irônica na medida certa, emocionante e – claro – muito apaixonante. Adorei a
leitura, os personagens, o romance, e o delicioso e cativante desfecho. Não
vejo a hora de ler o próximo volume dessa saga.
• Sobre a Série •
Sedução da Seda é o primeiro
volume da série As Modistas. Cada
livro
conta a história de amor de um casal diferente (a das três irmãs Noirot e de uma
de suas clientes).
Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

24 Comentários

  • Beatriz da Silva
    15 agosto, 2016

    Este livro, eu quero muito ler, alem de ele estar em um projeto que estou fazendo!

  • Rafaella Abreu
    02 agosto, 2016

    As capas da série são realmente muito bonitas, não li nenhum ainda, mas quando leio sua resenha e me empolgo sei que posso da uma chance aos livros.

  • Evellyn Mendonça
    31 julho, 2016

    Oiii Pah, achei a capa muito linda!!!
    Adorei a resenha, fiquei com muita vontade de ler. Parece ser bem interessante, adorei o fato dela ser modista, e fiquei curiosa pra saber o que acontece…
    Bjs

  • Leticia Golz
    26 julho, 2016

    Oi, Pah
    Um romance de época já bom, reflexivo e com uma personagem forte é melhor ainda. Apesar de muitas pessoas falarem que mocinhas a frente de seu tempo já está ficando chato no gênero, eu me delicio com esses livros.
    Também amo quando o amor supera a convenção social, são tramas sempre inesquecíveis. Já queria muito ler o livro e amei a sua resenha sempre tão sensível.

  • Micheli Pegoraro
    26 julho, 2016

    Oi Pah,
    Estava ansiosa aguardando sua resenha desse livro. Quando vi o lançamento já fiquei doida pra ler, a editora arrasou com todas essas capas lindas e maravilhosas ♥ quero reservar um lugarzinho na minha estante para coloca-los em destaque hahaha
    Amo romance de época, é meu gênero literário favorito, mas confesso que cansei de ver que geralmente o casal protagonista é da aristocracia. Então AMEI esse diferencial e ousadia da autora, amei saber que a protagonista é uma mulher trabalhadora e que não tem toda aquela inocência de sempre, já sei que vou gostar dessa mulher!
    Ainda não tive a oportunidade de ler Loretta Chase, mas uma das minhas próximas leituras será O Príncipe dos Canalhas. Como prefiro iniciar a leitura de uma séria após todos os volumes serem lançados, vou esperar pelos próximos livros de As Modistas, assim leio todos em sequência.
    Beijos

  • N4tyDark
    26 julho, 2016

    Oii Pah !!
    To muito curiosa por este livro, gosto muito da escrita da Loretta Chasee, cada resenha que leio dele me deixa ainda mais curiosa em conferi essa história. A capa é bem lindinha, e a trama me deixou bem cativada !!
    Ótima resenha.
    ♥♥♥

  • Unknown
    24 julho, 2016

    É muito interessante a história dele, fiquei com vontade de ler para saber se a Marcelline vai acabar ficando com o duque no final.

  • Melissa
    23 julho, 2016

    Quando vi esse livro na livraria achei tão linda a capa, adoro romances de época, gostei da sinopse e ao procurar resenhas para saber se é bom acabei encontrando esse blog (primeira vez que entrei a aqui e adorei, vou explorar depois os outros posts).

    Interessante isso que vc citou da protagonista trabalhar porque realmente em romances de época as mocinhas não tem profissão e as que têm ou se dedicam as tarefas do lar ou são no máximo preceptoras, legal ela ser modista, me lembrou um pouco a Coco Chanel (que também era pobre e ascendeu por conta da profissão).

    Imagino que deve ter causado rebuliço um romance entre o nobre (ainda mais sendo noivo) e a mulher que ia vestir a futura noiva, estou curiosa para ler! Minha única ressalva é que parece que não existem mais livros únicos, sempre a personagem tem vários irmãos e irmãs só para poderem fazer sagas, até gosto de sagas, mas geralmente sempre tem uma irmã meio chatinha que dá preguiça de ler o livro mas a gente tem que ler para poder entender os demais.

  • Jesica Duarte
    22 julho, 2016

    Gostei bastante que a autora quebra esses paradigmas da sociedade do passado e que ainda existe nos dias de hoje infelizmente. Muito bom amei a resenha.

  • Cailes Sales
    22 julho, 2016

    Oii Pah!!
    Estava esperando sua resenha desse livro, e como sempre, mais uma opinião bem fundamentada e cativante!
    Que bom que gostou da leitura, estava receosa, pois vi alguns comentários aleatórios de que o livro não era tão bom. Mas independente, ele já estava no meus desejados e lá ficaria kkkkk
    Também gosto quando as protagonistas não são moças comuns, gosto quando são assim como a Marcelline, determinadas e fora dos padrões!
    Bj Pah!!!!!

  • Lara Cardoso
    22 julho, 2016

    Estou com esse livro para ler, mas acabei passando o último da Júlia Quinn na frente, mas com certeza irei embarcar nessa história. Enquanto isso emprestei para minha mãe ler e ela está amando, assim como todos que leram esse romance de época sem igual.
    E essa capa perfeita!!?? LINDA!!!!
    Enfim foi ótimo saber suas impressões da leitura.

  • Gabryella Oliveira
    21 julho, 2016

    Estou curiosa para ler este livro e tirar minhas conclusões, pois lendo a resenha aqui teve como ter uma noção de como deve ser intrigante e divertida a relação da modista com o rapaz mas o que acontece com a noiva???????????????? Já fiquei desinquieta. Curiosa positiva e negativamente. Vamos ver rs

  • Theresa Cavalcanti
    20 julho, 2016

    Quero muito ler esse livro! Vi muita gente falando, e parece ser bom.

  • Gislaine Motti
    20 julho, 2016

    Adorei sua resenha! Tenho visto muitos elogios sobre esse livro, mas nenhuma tão bem elaborada. Me deu muita vontade mesmo de ler a obra!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

  • Josy Novais
    20 julho, 2016

    Não gostei nada desse livro, porque achei ele com um senso ético bem distorcido. Não gostei do que Marcelline e suas irmãs são capazes de fazer para se darem bem em todas as situações, não consigo achar isso digamos "romântico" elas mesmas dizem o tempo todo que são mercenárias e não tem escrupulosos e isso me incomodou profundamente, detesto a tese de que "os fins justificam os meios" a aura de malandragem que a autora tentou passar das irmãs não me convenceu em nada, e fiquei mais preocupada ainda quando elas não acham nada de mais implantar se não totalmente falsas, noticias distorcidas e maquiadas para lhes favorecerem. Hoje em dia isso muda vidas, e podem causar tragédias, tudo bem que é um livro de época, mas achei que a autora abriu um precedente perigoso, definitivamente não gostei do caminho que ela conduziu o livro e olha que tinha amado os outros dois livros dela publicados aqui no Brasil.

    • Paola Aleksandra
      Paola Aleksandra
      21 julho, 2016

      Que pena que não gostou, Josy!
      Percebi que o ponto que a autora quis abordar é que a Marcelline, por causa dos pais e de tudo que fez em nome das irmãs, se vê como alguém bem pior do que ela é. Toda vez ela fala do coração negro, mas o romance veio para provar que na realidade ela não é má. Acho que a forma dela amar a filha e as irmãs prova isso. E não sei, todos os livros da autora possuem mocinhas que fazem certas artimanhas para ganhar a vida, acho que não senti nada de ruim nessas sabe?! hahahaha Mas super entendo seu ponto 😉 Em a Indomável Sofia eu percebi isso um tiquinho. Já leu?

    • Josy Novais
      21 julho, 2016

      Eu tenho, mas ainda não li, é uma das minhas muitas leitura pendentes, sempre que o separo pra ler, tem um lançamento que corta a fila rsrsrsrs!!!

  • Adriana Holanda Tavares
    20 julho, 2016

    Assim que eu vi que a Arqueiro iria lançar mais uma série da Loretta, já fiquei louca para saber mais sobre o livro. Ainda não consegui comprar, infelizmente, mas caramba, eu amo romances de época e não vejo a hora de começar a ler esse livro! Também gostei do fato da autora ter abordado o trabalho puro, como ele é – e claro também, os preconceitos daquela época, coisa que vemos em muitos outros livros de época.
    As fotos estão lindas e a resenha também. Um beijo!

  • Maria Fernanda Medeiros
    20 julho, 2016

    Se eu for iniciar outra série de romance de época, será essa! Já vi o primeiro na livraria e me apaixonei por essas capas MA RA VI LHO SAS! Também gostei muito da resenha e da temática, os comentário foram tão bons que nem entendi pq não foi 5 estrelas 😀
    Queria que a Arqueiro fizesse um Box lindão para eles *-*

  • Vania Correa
    20 julho, 2016

    Ainda não li nada da Loretta, mas confesso que me apaixonei com a sua resenha, rsrs…adorei esse casal, a história é bem envolvente e cheia de aventuras, quero ler a série toda, beijos…

  • Priscila Tavares
    19 julho, 2016

    Oi Paola, muitas pessoas que eu acompanho nos blogs já leram esse livro. Eu não conheço o trabalho dessa autora mas só ouço elogios. Sem contar que amo esse tipo de história.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

  • Ingrid Quicoli
    19 julho, 2016

    Confesso que comecei a ter vontade de ler romances de época pelas suas resenhas e sua animação quando fala sobre haha mas confesso que tenho um preguicinha de ler quando vejo quantos livros a série tem ):
    Adorei a resenha ♥

  • Pamela Liu
    19 julho, 2016

    Oi Pah.
    Eu adoro romances de época e quero muito ler Sedução de Seda.
    Achei a protagonista bem peculiar e diferente do que vemos normalmente nesse gênero literário. Adorei o fato de Marcelline ser modista, uma moça trabalhadora que ama o que faz e põe a sua família acima de tudo. Vai ser interessante ver como a autora retratou o preconceito entre as classes.
    Além disso, achei a capa muito linda!

  • Juliana Carrenho
    19 julho, 2016

    Estava em duvida se adicionava esse livro na minha lista de desejos, pois já li umas resenhas falando não muito bem desse livro. Gostei bastante da resenha, trouxe uma outra visão da história, o que me incomoda é o mocinho ser quase noivo e começar a se envolver com outra pessoa…