[Resenha] Obsidiana – Jennifer L. Armentrout

Começar de novo é um saco. Quando a gente se mudou para o interior, bem no início do último ano do colégio, eu já vinha me preparando para o sotaque caipira, o tédio, a internet lenta e um monte de chatices…Até dar de cara com o meu vizinho lindo, alto de dar tontura e com intimidantes olhos verdes. Hummm…os prognósticos estavam melhorando. Até que…ele abriu a boca. Daemon é irritante. Arrogante. Dá vontade de matar. A gente não se dá bem. Não mesmo. Mas, quando um caminhão quase me transforma em panqueca, o garoto literalmente congela o tempo com um aceno de mão e aí, bom, algo inesperado acontece. O alien gato (meu vizinho) tem poderes!!! Você me ouviu bem. ALIEN! A verdade é que ele e a irmã têm uma galáxia de inimigos que querem roubar seus poderes. O rastro que deixou em mim brilha como árvore de natal e isso não é nada bom. O único jeito de sair viva dessa é ficar colada em Daemon até a magia alienígena desaparecer. Quer dizer, isso se eu não matar o cara primeiro.
Fantasia | 320 Páginas|  Cortesia Editora Valentina| Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon| Classificação 4/4
Iniciei a leitura de Obsidiana sem muitas expectativas – minha única certeza, por sinal graças aos comentários de vocês, era a de que iria encontrar um protagonista masculino misterioso e apaixonante. E o fato é que, desde a primeira página, consegui perceber o apelo por trás da fama desse personagem: ele é sexy, cativante, lindo, demasiadamente convencido e o típico bad boy que no fundo não tem nadinha de bad. O ponto é que mesmo a partir de uma história clichê e previsível, Jennifer L. Armentrout criou um personagem masculino cativante o suficiente para manter nosso interesse. Assim, mesmo que o livro não traga muitas novidades, ele ganha pontos por ser divertido, envolvente, e por apresentar um casal de personalidade forte que – com suas brigas no estilo cão e gato – prendem o leitor do início ao fim.

Após a morte do pai, Katy e a mãe precisavam recomeçar. Para isso elas saem da cidade grande e vão morar no interior – e bem no último ano do ensino médio! Enquanto a parte racional de Katy entende a necessidade de uma mudança, a parte emocional está chateada de ter que construir uma nova vida. Um dos problemas é que Katy não é o tipo de garota muito social; ela prefere o conforto do seu quarto, dos seus livros e do seu blog literário. Mas para fazer a mãe feliz e mostrar que está seguindo em frente ao superar a perda do pai, Katy decide ser ousada e se apresentar aos seus novos vizinhos, os irmãos Daemon e Dee. Enquanto a garota é animada e educada com Katy, o garoto é um pé no saco, ríspido, sem educação, grosso e convencido. Katy e Daemon não se suportam desde o primeiro segundo que se encontram. Já em contra partida, Dee vira uma das melhores amigas de Katy. E a questão é que quanto mais convive com Daemon e Dee, mais Katy tem certeza de que eles não são desse mundo. Claro que a vida diferente que eles levam faz com a cidade inteira desconfie que os irmãos são seres sobrenaturais, entretanto é ao adentrar na rotina deles que Katy consegue mensurar o tamanho da enrascada na qual foi se meter. O que será que esses irmãos são? Quais os segredos que eles escondem?
Não foi uma surpresa o livro ser clichê: dois irmãos lindos e misteriosos, acontecimentos estranhos com cara de sobrenaturais, uma protagonista perdida em tantos segredos (e com uma predileção para estar no lugar errado na hora certa), e um romance entre dois personagens que vivem brigando mas que não veem a hora de cair nos braços um do outro. Fala sério: já vimos isso por aí, não é mesmo? Contudo, mesmo com uma trama extremamente previsível, não posso deixar de dizer o quanto a leitura é divertida e envolvente. Confesso que achei que a obviedade, e até mesmo a semelhança com outras histórias do gênero, me faria desanimar da leitura. Porém, como disse no início da resenha existe algo na personalidade do Daemon que deixa a história muito viciante. Sei que o encanto com o personagem tem seu lado negativo, até porque ele é um valentão em boa parte da história, mas existe nele uma centelha de esperança que me deixou vidrada– simplesmente precisava saber o que ele era e se, finalmente, ele e a Katy parariam de brigar e assumiriam estar caidinhos um pelo outro. Assim, definitivamente é o personagem masculino que rouba a cena e faz essa obra ser tão especial. Graças a ele, Obsidiana é o tipo de livro rápido e fácil de ler.
Além de um protagonista muito charmoso, o livro também traz muita diversão (Katy é uma figura!), uma protagonista forte e decidida (que tem mimimi, mas bem pouco), e uma mitologia fantástica bem diferente da que vemos por aí. O lado sobrenatural da obra tem sim suas surpresas e faz com que o relacionamento entre Katy e Daemon só fique mais atrativo aos outros dos leitores. Ou seja, tudo nesse livro volta para esses dois, para suas constantes brigas, e para os pequenos momentos em que eles jogam tudo para o alto e se entregam aos chamados do coração. Gostei bastante da leitura, dos personagens e da escrita despretensiosa da autora. Esse é, sem dúvida, um livro para lermos sem muitas expectativas e para nos deixarmos envolver com a jovialidade e com as aventuras dos protagonistas. Já quero o próximo e mais de casal tão intenso e cativante.
• Sobre a Série •
Obsidiana é o primeiro volume da série Lux (até o momento composta por cinco livros). No Brasil, a Editora Valentina já publicou os dois primeiros volumes da saga.

Beijos,



Participe Aqui

20 comentários:

  1. Não to muito empolgada para ler esse livro, apesar de muita gente falar bem. Acho ele mais ou menos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Paola, tudo bem? Recentemente li os dois primeiros livro desta série. Como você disse é uma história previsível e clichê, contudo, altamente viciante :). O fato Katy ser louca por livro e ter um canal em que fala de livro também fui muito bacana, é legal ter uma personagem parecida com pessoas normais, com interesses como os nossos (quem não fica louca diante livros novos, vindos pelo correio lá lá lá). Quanto ao Daemon..., o que falar dele, né!? Além de ser um personagem forte e, como você mesmo disse, no estilo bad boy, quando conhecemos as razões por trás de suas ações acabamos gostando ainda mais dele. Dessa forma, mesmo sem podermos ter expectativas quanto ao livro nos deparamos com uma leitura envolvente, cativante e que deixa uma gostinho de 'quero mais'.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Pah, eu já olhei essa sinopse mil vezes e nunca encontro algo que me deixe extasiada por ele. Me parece tão clichê e igual a tantos por ai. Mas quando vi sua classificação fiquei ate me perguntando o que eu estava deixando escapar nas entrelinhas da sinopse kkk
    Consegui me enxergar na personagem, quando leio que ela é sem vida social a prefero o quart, sou assim mesmo. Não sei se eu teria paciência pra cinco livros da serie, mas que bom que você gostou ! Quem sabe eu ate comece essa leitura em algum momento.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ai, toda a impressão que eu tive é que teria um triagulo amoroso. Espero que não seja assim, pois a premissa do livro é bem legal, mesmo sendo um clichêzão. Sabe o que me veio a cabeça quando comecei a ler a sua resenha? The Vampire Diaries, não me pergunte por quê. Eu sou fã de bad boys que não tem nada de bad, quem sabe uma hora eu sou uma conferida? Vou esperar por outras resenhas da série primeiro.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Paola, não consigo navegar no blog ver outras páginas, acredito que tenha algum erro. Adoro seu blog, sou de Londrina, tenho 23 anos e simplesmente amo o Antony do Visconde que me amava!Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Gabi. O que será que é? Você acessa pelo celular ou pelo computador? Fiz um teste e está tudo normal :(

      E bom saber que você mora aqui pertinho e que gosta (que nem eu) do lindo do Antony ♥

      Beijos

      Excluir
  6. Eu tô quase no fim e tô gostando muito! É divertido os dois brigando e quando ele se aproxima dela e ela se arrepia, fica nervosa, rsrsr... mas o que me deixou estremamente chateada durante a leitura, foi o excesso de "dei/deu de ombros" e "assentiu" meu deus, faltou expressão nessa tradução?!
    https://coisinhasdeangel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Pah!
    Eu gostei muito do livro, me diverti bastante e fiquei caidinha pelo Daemon, eu dei 5/5, não que a leitura seja uma obra prima kkkk, mas me fez passar momentos agradáveis, fazia tempo que não lia um livro do gênero!!! ❤️😁😘

    ResponderExcluir
  8. kkkkkkkkkkk, eu achava que Obsidiana era um livro nacional, e vala descubro que não é e que além disso é uma Quintologia? Como assim produção, eu estava bem tapada nesse livro, lesei mesmo e agora que li, sabendo que é extremamente clichê, mesmo assim já quero ler, e achei curioso o nome dos títulos serem pedras preciosas, fiquei curiosa por saber o que isso tem a ver com a história propriamente dita!

    ResponderExcluir
  9. Já está na minha lista de "livros a ler" faz um tempinho! Já tinha me esquecido do livro e agora que li a resenha, voltei a me interessar pela leitura! (Tendo a gostar de histórias assim)...
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Tenho encontrado bons comentários a respeito desse livro, mas ainda não me decidi por ler. Gostei muito da sua resenha e fiquei um pouco curiosa sobre os personagens e aventuras vividas pelos mesmos. As capas são bem bonitas. Talvez venha a ler, um dia desses. Obrigada pela dica. Beijinhos.;

    ResponderExcluir
  11. Esse livro ta me chamando pra ler ele, mas ainda não tive a oportunidade. Ele tem um ar de crepúsculo, que é um bom sinal, com certeza vou ler.

    ResponderExcluir
  12. É aquela coisa sobre livros clichês né? Por quê não? But, é o que você colocou na resenha... tem umas premissas que já deixa a gente desanimada de ler por ser meio previsível... mas que bom que sua avaliação foi positiva e que tem algo nesse personagem.. que prende.

    ResponderExcluir
  13. É aquela coisa sobre livros clichês né? Por quê não? But, é o que você colocou na resenha... tem umas premissas que já deixa a gente desanimada de ler por ser meio previsível... mas que bom que sua avaliação foi positiva e que tem algo nesse personagem.. que prende.

    ResponderExcluir
  14. Parece bom e apesar da sua resenha. Nao é um livro que me dá vontade de ler. Quem sabe mais pra frente

    ResponderExcluir
  15. Pah!
    Como boa fissurada em ficção, principalmente as que falam de seres extraterrestres, sou louca para ler esse livro desde o lançamento, ainda mais com um protagonista tão charmoso e com uma protagonista hiléria, maravilha!
    “Demore na dúvida...E descubra a sabedoria que insiste em se esconder na ausência de palavras.”(Padre Fábio de Melo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  16. Oi Pah,
    Confesso que se dependesse apenas da sinopse do livro eu dificilmente daria uma chance, por se tratar de um romance juvenil, sobrenatural e com um alien envolvido? Definitivamente não é o meu tipo de leitura. Mas agora, depois de ler algumas resenhas e ver os comentários positivos, a história passou a chamar a minha atenção. Adoro fantasia, originalidade e personagens bem escritos. Gosto de protagonistas de personalidades fortes, determinados e seguros, e a Katy parece ser uma dessas, sem contar que ela é uma blogueira literária. Estou ansiosa pra conferir as cenas de discussão entre a Katy e Daemon, esse tipo de enlace amoroso é o meu preferido, com um casal que vive entre tapas e beijos, adoro esse clichê kkkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  18. Eu fiquei muito interessada neste livro assim que o vi em alguns blogs literários - uma vez que, antes disso, nunca havia ouvido falar dele! Amei sua resenha e era o que eu precisava ler para querer adquirir este livro ainda mais rápido *-* Acho que muuuitos livros tem um "quê" de clichê mas, para nossa felicidade, muitos autores conseguem lidar com isso de uma maneira fascinante e que não torna a leitura maçante, muito pelo contrário, nos proporcionam excelentes horas de leitura!! Beijos!

    ResponderExcluir