[Resenha] Boa Noite - Pam Gonçalves

Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa
Jovem Adulto | 240 Páginas | Cortesia Editora Galera Record | Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 5/5 | Resenha da May

Confesso que ainda não havia parado para ler a sinopse da obra - estava torcendo para ser surpreendida por ela. E o fato é que, ao findar a leitura, foi exatamente assim que me senti: surpreendida com uma história doce, fluída, gostosa de ler e cheia de lições e significados. Definitivamente a Pam Gonçalves estreou com chave de ouro provando seu talento e nos deixando ansiosos para que outros trabalhos dela sejam lançados.
"Este livro é para todas as meninas, garotas e mulheres. Não deixem que digam que não são capazes, vocês podem ser o que e quem quiserem". Pam Gonçalves.
A trama nos apresenta Alina, uma garota de 18 anos que sai de Laguna para cursar Engenharia   da Computação em Pedra Azul, cidade universitária próxima de Florianópolis. Com o desejo de deixar para trás seu status de ‘garota nerd’ e com o coração ansioso para viver muitas aventuras, Alina e outras três garotas, as únicas mulheres da turma de engenharia, terão que enfrentar o preconceito e machismo de seus colegas e também professores, que não acreditam que lugar de mulher seja na área de engenharia. Alina é uma personagem muito carismática e é fácil de gostar e se apegar a ela; a jovem é inteligente, responsável, tem o desejo de provar sua capacidade e adora ser desafiada. Ela nunca morou sozinha ou deixou a casa dos pais por tanto tempo, logo sua jornada de crescimento e amadurecimento pode ser familiar a muitos de nós, – eu inclusive, fato que me fez simpatizar e me conectar mais ainda a protagonista, pois muitos dos desafios e medos que ela viveu e sentiu dentro da história eu já senti também – e longe da casa e do colo dos pais ela terá que lidar com as consequências de seus atos e lutar para conquistar os seus sonhos.
Alina dividirá a república das loucuras, local onde vai morar, com a Manu que estuda Comunicação, a Talita e o namorado Bernardo (que praticamente mora por lá também) que estudam Administração, e o Gustavo, estudante de Medicina. Ao lado deles ela começará uma nova fase em sua vida, fará novas amizades, conhecerá pessoas, será desafiada a sair da sua zona de conforto e a arriscar-se. E é ao lado deles também que ela viverá suas primeiras decepções da vida adulta e justamente neles encontrará abrigo quando mais precisar. Com o apoio desses amigos, Alina e suas colegas de curso embarcam de cabeça num projeto que não apenas provará a todos sua capacidade e sua inteligência, como também poderá ajudar milhares de garotas. Através de uma página anônima do facebookque traz notícias de tudo o que acontece na universidade, além de denúncias feitas pelas estudantes que sofrem qualquer tipo de abuso, elas têm a ideia para seu projeto que baterá de frente com pessoas importantes dentro da própria universidade, mas trará uma forma de ajudar a colocar um fim nestes casos de abuso que tem se tornado tão recorrentes dentro do campus. Portanto, os lanços de amizade construídos durante a narrativa são muitos e também são verdadeiros, aos poucos eles encontram um nos braços do outro força para superar desafios e seguir em frente e cada um deles traz para a obra uma história e um desafio a ser superado.


Boa Noite foi meu primeiro contato com a Pam escritora, e a obra me encantou completamente. Eu li em poucas horas e ao terminar a última página eu queria mais, afinal a Pam soube dosar o drama, as cenas cômicas, o romance e os problemas que ao longo da narrativa são inseridos, de forma que a leitura tornou-se leve, extremamente fluida, fofa e também reflexiva. Quando comecei a ler eu não esperava encontrar tantos tabus sendo trabalhados e eu achei isso o máximo, principalmente porque a autora tocou nestes assuntos de forma doce, falando sobre eles abertamente, mas de forma crível e tocante, nos fazendo torcer pelas personagens, nos fazendo se colocar no lugar delas e nos levando a refletir ainda mais sobre estes temas tão banalizados de tão comuns que estão se tornando. Eu também adorei o fato da história acontecer aqui em Santa Catarina, e embora não conheça Pedra Azul pessoalmente, a sensação de ler algo ambientado no meu estado, próximo da minha cidade, me fez me sentir mais ligada ainda a história e a protagonista. 

Em linhas gerais, Pam desenvolveu uma história fluida, rápida de ler, gostosa e que fala sobre várias formas de preconceito, machismo, abuso e empoderamento feminino de forma leve e divertida, mas ao mesmo tempo reflexiva, trazendo referências a Harry Potter, ao movimento Vamos Juntas? e muito mais, o que só enriqueceu mais ainda a obra. Definitivamente um livro que vale a pena ser conferido por todos.


Beijos,









Participe Aqui

13 comentários:

  1. Oi, May!
    Acompanho o canal da Pam há um bom tempo e acompanhei o processo de Boa Noite também, logo estou curiosíssima pra ler! Adorei que ela tenha retratado o abuso sexual de uma forma empoderadora, e o quão bem você disse que ela fez isso. Já gosto da Alina e mal posso esperar pra ler e conhecer tudo com meus próprios olhos. Ótima resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Oi May. Nossa, que sinopse mais verdadeira ne? Digo, com certeza existe muitas meninas que pensam dessa maneira. Taí uma sinospe que se encaixa na realidade.
    Eu percebi que a leitura foi leve e rápida, alem de muito prazerosa. Que bom que te agradou tanto. A gente sempre busca livros assim. Obrigada por trazer a resenha, acho que esse livro , acima de tudo, traz um ensinamento pra gente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Mayara!
    Bom demais quando um livro nos surpreende para melhor.
    Não imaginava também que o livro pudesse abordar temas importantes e profundos e pudesse surpreender.
    Parabéns para autora.
    “A simplicidade representa o último degrau da sabedoria.” (Arthur Schopenhauer)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mayara
    Queria muito ver como a Pam se saiu em seu primeiro livro. Adorei saber que você aprovou a obra. Gosto ler um livro onde tabus são tratados de forma mais densa, mesmo assim também ia gostar desses assuntos serem tratados de forma mais leve e divertida.
    Fiquei curiosa pela leitura.

    ResponderExcluir
  5. Adoro a Pam e estou querendo muito ler o livro dela. E o fato da história falar de tabus, preconceitos, amadurecimento e superação da personagem me fez querer ler ainda mais. Também acho que vou me conectar com a Alina e essa coisa de sair da casa dos pais e tentar viver ''por conta própria''. Quero conhecer os colegas da casa da protagonista e ver como ela vai lidar com as dificuldades do curso que ela escolheu. Adorei a capa (foi a que eu escolhi na votação) e já quero novos livros da Pam publicados

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito da Pam, não li nenhum livro dela, mas gosto do seu canal. Quero muito ler esse.

    ResponderExcluir
  7. Oii! Não existe a cidade de Pedra Azul... Provavelmente ela se inspirou na Pedra Branca, que é um bairro universitário de Palhoça. :D

    ResponderExcluir
  8. Oi Mayara,
    Estava curiosa quanto a esse livro, pois a sinopse me chamou a atenção desde o lançamento. Gosto quando são abordados vários assuntos polêmicos que merecem reflexão, e mesmo que sejam tratados de uma forma mais leve, sempre dá pra tirar algo de bom. Li alguns comentários que dizem que a autora poderia ter ousado mais, ter apostado mais no drama que é o ponto principal da história, já que esse tema é que remete ao título, então poderia ter sido mais trabalhado. Mas mesmo assim acredito que seja uma história que vale a pena a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Mayara! Adorei a resenha!
    Eu acompanho o canal da Pam no Youtube há algum tempo e adoro os vídeos dela. E quando vi que ela ia lançar uma livro de ficção, já fiquei muito curiosa. Eu gostei da sinopse e achei muito legal ela ter inserido na obra temas importantes como os que você citou. Fiquei ainda mais curiosa para ler esse livro :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  10. Eu adquiri esse livro quando fui no evento da pam aqui em bh, ainda consegui autógrafo! Fiquei muito feliz em saber que tem uma opinião positiva sobre, pois eu ainda estava meio receosa de minhas expectativas com o livro serem frustradas. Ainda bem que pam soube explorar tudo muito bem.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Mayara quando vi a capa achei meio sem graça apesar de ser bonita (liga não sou doida com capas) e achei que seria um mega clichê sem fim, daí resolvi ler sua resenha e teve uma parte já no finzinho que me ganhou de forma arrebatadora: fala sobre várias formas de preconceito, machismo, abuso e empoderamento feminino de forma leve e divertida, mas ao mesmo tempo reflexiva, trazendo referências a Harry Potter, ao movimento Vamos Juntas?

    gente eu gostei demais das temáticas abordadas nesse livor, desde o movimento vamos juntas que muitas pessoas nem sabem do que se trata até o empoderamento (apesar de eu não gostar deste termo) das mulheres. Bom, resumindo: quero quero quero, pera vou ali vender um rim!

    ResponderExcluir
  12. Quero muito esse livro, e ler seu trabalho sobre ele me da ainda mais vontade de te-lo!

    ResponderExcluir
  13. Eu quero muito esse livro, e ler o seu trabalho sobre ele me da mais vontade de tê-lo!

    ResponderExcluir