[Resenha] Enclave – Ann Aguirre


“No enclave, apenas as pessoas que sobrevivem até os 15 anos ganham o direito de ter um nome. Nesse mundo subterrâneo, a corajosa Dois faz parte do grupo de Caçadores responsável por garantir a comida e a segurança de todos. Os túneis ao redor estão lotados de Aberrações – criaturas terríveis que devoram tudo que encontram pela frente –, e o mundo na superfície é inabitável. Será? Dois nunca questionou as leis do enclave, mas tudo está prestes a mudar agora que ela conheceu Vago, um Caçador misterioso, indisciplinado e letal. Esse encontro vai alterar o delicado equilíbrio que protege a sobrevivência do enclave, e o mundo que eles conhecem talvez esteja perdido para sempre.
Distopia | 232 Páginas | Skoob | Cortesia Editora Callis | Compare & Compre: Submarino • Amazon | Classificação: 4,5/5 | Resenha da May


Enclave sempre chamou minha atenção; já faz alguns anos – quando tivemos o boom das distopias por aqui – que o enredo despertou minha curiosidade. E hoje, algum tempo depois, finalmente tive a oportunidade conhecer a história. A obra nos leva a um mundo pós-apocalíptico bem diferente, mas que conta com elementos que já vimos em outros livros do gênero e que, ao contrário do esperado, ao invés de parecer clichê só aumenta o impacto da leitura.

Dois é uma caçadora e desde pequena treinou para conquistar esta posição no Enclave Faculdade, local onde mora. Como caçadora ela é responsável por: manter a segurança de todos que moram ali, trazer comida, realizar as rondas, e lutar contra as Aberrações – seres mutantes que se alimentam de carne humana (acredita-se que as aberrações surgiram após a terrível peste que dizimou a população e os fez exilarem-se no subterrâneo em busca da sobrevivência). Dois é uma das melhores caçadoras do enclave, uma garota jovem, mas forte e determinada, que não tem medo do perigo ou de arriscar-se para proteger as pessoas. Ela é uma exímia lutadora, do tipo badass, e que acredita e segue todas as regras do enclave e dos anciões que comandam o lugar sem questionar ou desconfiar de nada. Só que o problema é que as coisas começam a mudar quando ela recebe um novo parceiro de rondas e caçadas, Vago, o menino que não nasceu no enclave, mas veio da superfície para lá. Vago é o melhor caçador que o enclave tem, ele vive isolado e preso em pensamentos, e apesar da fachada durona esconde um enorme coração. O garoto já vivenciara mais do que qualquer um ali dentro e sabe de verdades que os anciões lutam para esconder da população. Ao lado dele, Dois e os outros habitantes começam a descobrir que as aberrações estão muito mais próximas do seu lar, estão ficando mais inteligentes e perigosas, e talvez não seja mais seguro viver no subterrâneo. Graças a Vago, Dois embarcará em uma jornada de autoconhecimento e descobrirá mais sobre si mesma e sobre a história de seu povo. – Será ela capaz de questionar a verdade e, talvez, descobrir um novo mundo?


Enclave nos leva a uma jornada de descobertas e nos apresenta um mundo devastado e desolador, onde não há esperança ou expectativa de vida, onde cada novo dia é uma grande conquista – assim como a maioria das distopias, temos um sistema político bem impactante e reflexivo. Além disso, Ann Aguirre criou personagens carismáticos, fortes, guerreiros e que nos conquistam e fazem torcer durante toda a leitura para que encontrem uma luz no fim do túnel e um modo de sobreviver.  Em certos momentos é angustiante e tememos pelo futuro incerto de Dois e Vago, mas a leitura é fluida e enquanto não chegamos ao final, enquanto não sabemos o que irá acontecer, não conseguimos largar o livro.

Minha única ressalva foi que achei o final um pouco corrido e conveniente demais – talvez porque eu queria mais, afinal o livro tem pouco mais de duzentas páginas e este final poderia ter sido desenvolvido um pouquinho mais, mas não foi nada que estragasse a leitura. A edição que recebi é muito linda, eu adorei a capa nacional, embora eu ache que ela remete a um livro mais infanto-juvenil por ser desenhada, e a editora fez um trabalho de diagramação lindo e uma revisão impecável.

Aventura, uma jornada de conhecimentos e descobertas, personagens fortes e envolventes e uma leitura fluida é o que encontramos aqui. Livro mais que recomendado para todos aqueles que estão com saudades de uma boa distopia.

• Sobre a Série •

Enclave é o primeiro volume da trilogia Razorland da autora Ann Aguirre, composta por Outpost e Horde, ainda sem previsão de lançamento por aqui.

Beijos,






Participe Aqui

20 comentários:

  1. Oi Mayara! Adorei a resenha!
    Eu já tinha visto este livro em algum lugar, mas não sabia exatamente sobre o que se tratava. Após ler a sua resenha e descobrir um pouco mais da história, acabei ficando muito curiosa pela leitura. Eu adoro ler boas distopias e já estava ficando com saudades de ler algo do gênero, então pretendo dar uma chance para "Enclave". Eu gostei da capa brasileira, pois dá um ar de mistério, mas prefiro as originais :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Me lembrou muito de Silo e os outros livros da série, e eu, como uma boa amante de distopias achei interessante apesar de pelo menos nesse primeiro livro não parecer tão original... Só discordo quanto à capa, gostei mais das capas originais, lembraram Leviatã do Scott Westerfeld.

    ResponderExcluir
  3. Oi May, boa noite!
    Foi quase impossível não pensar na serie Divergente ao ler a sinopse,você também lembrou?
    Eu gostei bastante da ideia da leitura, pra mim não é muito clichê, já que não é uma leitura habitual, mas com certeza seria uma escolha minha 😉
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Fiquei super curiosa para ler esse livro e devorar a série(quem sabe?! risos), mas arrasaram na resenha, gostei bastante e me fez adicionar esse livro na minha lista, que já está enoorme kkkk!!! Super beijo, Pah!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha, é um livro no qual desconhecia e despertou minha curiosidade em lê-lo depois de hoje, será que a editora tem previsão para lançarem os outros livros? O chato é isso ficar esperando pela continuação.
    Beijos
    dicasdaisacereser.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Adorei muito a história do livro e mesmo não sendo muito fã de distopias (li tanto quando estava em alta que enjoei um pouquinho) quero muito ler essa. Fiquei curiosa para saber mais desse mundo e descobrir o segredo que os anciões guardam, conhecer a Dois e ter um crushzinho pelo Vago (só pela resenha gostei dele). Preferi a capa original que a nacional que como você disse a daqui ficou com uma pegada mais infantil. Espero que a editora lance logo os próximos para assim eu poder ler tudo de uma vez

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito de livros com essa pegada! Não conhecia esse, mas já fiquei louca para ler!

    ResponderExcluir
  8. Enclave é um livro que me chamou atenção há uns dias (e a capa me lembra do filme "Plataforma do Medo", embora menos sangrenta - amém!). Não tenho o hábito de ler distopias, minhas leituras seguiam praticamente a mesma linha num todo. Mas há pouco tempo decidi conhecer outros gêneros e estou adorando a mudança - e muito animada e esperançosa com os novos títulos *-* Amei sua resenha, e estou super curiosa pra ler Enclave *-*

    ResponderExcluir
  9. Acredita que eu nunca nem tinha ouvido falar sobre esse livro? Mesmo com esse boom que vocÊ comentou. A capa é bem misteriosa e já deixa aquela vontade de conhece.r É uma distopia bem diferente mesmo, com todas as descobertas e caçadas. Gostei muito da personagem principal e acho que essa história vai parar na minha lista de desejados.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Mayara!
    É bom demais quando podemos ler um livro que há algum tempo se tornou viral, como as distopias, e poder perceber que ele é bom de verdade. Sim porque no afã do boom, acabamos achando, após algumas leituras, que todos são iguais.
    Agora percebo que esse é diferenciado e bom.
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  11. Oi May,
    Não conhecia esse livro, mas gostei do que li na resenha, fiquei curiosa para ler essa distopia, afinal, não leio muito livros desse gênero e pretendo corrigir isso durante os próximos meses de leitura. Gosto quando os personagens são bem desenvolvidos, isso torna a leitura bem mais envolvente uma vez que não estou acostumada a ler distopia. O chato é que os demais livros ainda não foram publicados e como prefiro iniciar a leitura de uma trilogia após todos os livros já estarem impressos, por enquanto vou adiar a leitura de Enclave.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. faz algum tempo que quero ler esse também, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha, agora estou mais afim de ler rsrs distopia é uma das melhores formas de sair da realidade e viver em outro mundo :D

    ResponderExcluir
  13. Hum,parece legal, eu gosto de distopias mas nunca li nenhuma que tenha zumbis, aliás nunca li nada de zumbis

    ResponderExcluir
  14. AMO DISTOPIAS , O QUE MAIS GOSTO DESTE TIPO DE GENERO , É O FATO DE QUE A PERSONAGEM QUASE SEMPRE ESTÁ OU EM BUSCA DE ALGUMA VERDADE , OU EM BUSCA DE JUSTIÇA, PARA MELHORAR O JEITO DE SE VIVER DE SEU POVO QUE SOFRE NAS MÃOS DE ALGUM TIRANO QUE SÓ PENSA EM SEU PRÓPRIO ORGULHO.
    A RESENHA TAMBÉM FICOU ÓTIMA.ADORO O JEITO COMO VOCES ABORDAM A HISTÓRIA , SEMPRE DEIXANDO UM POUCO DE SUSPENSE.

    ResponderExcluir
  15. Ótimo comentário, mas na boa, o que tem esse pessoal que escreve distopia? Adultos são doentes? Adultos não podem viver aventuras e refazerem suas vidas? Tirando isso acredito que o livro deve ser bom, um cenário diferente, criaturas que aparentemente não são iguais aos zumbis comedores de cérebro dos filmes de horror... Agora a capa, tá uma gracinha mesmo, para um livro infantil.

    ResponderExcluir
  16. Achei muito legal, a proposta da autora, não que seja nova, mais interessante. Pena que ainda não tem no Brasil.

    ResponderExcluir
  17. eu adoro distopias tudo bem q as últimas que eu li foi mais do mesmo
    acho que vou dar uma chance a esse mundo subterraneo
    espero que lançem logo por aqui

    ResponderExcluir
  18. Tem uma coisa que me incomoda e muito em distoías: o fato de que a maioria dos livros que fala dessa temática aborda que só os jovens fazem algo de extraordinário ou impressionante, e que os mais velhos (e nem falo de velhos não falo de 30 anos acima) são descartáveis nas histórias. Isso me distancia e muito desse tipo de leitura, quando li na sinopse que jovens de 15 anos fiquei com a mesma sensação de: DE NOVO? poxa, sei lá, parece que os adolescentes são mega ultra power fantásticos (eu com 15 era tão esa!!!) hihihih, mas vou dar uma chance ao livro

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia a obra e tenho que admitir que tô meio de saco cheio para distopias, porém falou tão bem da obra que bateu certo interesse em sabe mais

    ResponderExcluir
  20. Nesse bum de distopias eu descobri que gostava bastante delas, mas confesso que é a primeira vez que eu ouço falar dessa em especial hahahaha Ela me interessou bastante, mas fico meio triste de saber que o fim ficou corrido. Que custava colocar umas paginas a mais e trabalhar ele direito, né? É um livro que eu sem duvida pretendo ler, mas não está no topo da lista

    ResponderExcluir