Destaques

Newsletter

assine a newsletter!

E receba a notificação de novos posts por e-mail

fevereiro 08, 2017

[Resenha] Ligeiramente Pecaminosos– Mary Balogh

Por Paola Aleksandra

Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia. Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos. Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão. Neste quinto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh apresenta um romance repleto de humor, com personagens carismáticos que o leitor não conseguirá abandonar ao fim da história.
Romance de Época| 272 Páginas|  Cortesia Editora Arqueiro| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação 4/5
Os romances da Mary Balogh são cheios de sedução, paixão e – meu preferido – reflexão. Gosto de como a autora usa e abusa dos pré-conceitos estabelecidos pela sociedade londrina do século XIX, romantizando o período sem deixar de lado o quanto ele era desigual, machista e extremamente rígido. Tanto é que em Ligeiramente Pecaminosos encontramos um lorde desmemoriado que é salvo graças à boa vontade de prostitutas – jovens mulheres maltratadas pela vida e completamente excluídas da sociedade. Ao unir dois mundos tão diferentes, a autora usa o romance para falar de igualdade social, julgamentos precipitados e, principalmente, recomeços.

Imagine estar no meio de uma guerra, cair do cavalo, bater a cabeça, acordar dias depois em um estado de vida crítico e, se não fosse suficiente, ainda não fazer a menor ideia de quem é? Alleyne não reconhece o reflexo que vê no espelho e não faz a menor ideia de qual seja seu nome, contudo tem certeza de que está no paraíso. Depois de dias sob os cuidados de quatro mulheres bonitas e atenciosas, Alleyne finalmente entende que está em um prostíbulo. Além disso, o jovem também percebe que deve sua vida a essas mulheres – e que, independente de suas profissões – todas são donas de um grandiosíssimo coração. A única peça solta nesse quebra-cabeça é a doce e angelical Rachel. Foi a jovem que encontrou Alleyne na floresta, e é ela também que passa as noites velando seu sono como uma enfermeira mais que atenciosa. Racionalmente Alleyne sabe que até mesmo a mais astuta das prostitutas pode fingir ser uma garota pura, contudo no seu íntimo ele sente que Rachel não faz parte desse mundo. Enquanto se recupera, o casal compartilha noites de longas conversas e descobre um forte laço de companheirismo e amizade. Porém, a verdade sobre Rachel vem à tona e muda completamente o futuro do desmemoriado Alleyne. E a pergunta que não quer calar é: o que esses dois, um homem sem posses e memórias e uma jovem que tem como melhores amigas três prostitutas, irão aprontar?
O mais interessante dessa história é saber pouco sobre ela, por isso evitei passar muitas informações sobre Rachel e o misterioso Alleyne. Contudo, posso dizer duas coisas que são completamente surpreendentes nessa trama: primeiro que o romance começa com um enlace físico que acaba da pior maneira possível (o primeiro encontro amoroso deles é um fiasco – e achei isso hilário) e segundo que bem antes do romance engrenar o casal embarca em uma aventura incrível, cheia de mentiras, oportunidades perdidas e muita diversão. Na intenção de retribuir tudo o que Rachel e as amigas fizeram por ele, Alleyne bola um plano para recuperar a herança que a jovem perdeu muitos anos trás. E essa aventura, sem dúvida, é o ápice da leitura. Gostei de como o relacionamento de Rachel e Alleyne baseia-se na amizade e na ajuda mútua, permitindo que o leitor acredite na veracidade dos sentimentos que eles alegam ter. E gostei ainda mais das peripécias protagonizadas por eles e seus novos amigos; é interessante ver como as mentiras que contam aos poucos viram verdade, fazendo-os ansiar por uma nova vida. Amei a confusão divertida que essas mentiram geram, mas amei mesmo como cada dia de farsa ajuda Rachel e Alleyne a descobrirem mais sobre quem realmente são. Por incrível que pareça, é mentindo que eles entendem que precisam perdoar e recomeçar. E gostei muito disso.
Outro detalhe encantador é que a obra está recheada de reflexões: os altos e baixos da perca de memória, o dinheiro e a falta dele ou de um título, a necessidade de perdoar e recomeçar, e sobre o amor familiar que supera qualquer barreira – desde que nos esforcemos para isso. Foi tocante ver Alleyne sofrer ao não conseguir recobrar suas memórias ao longo dos dias de recuperação, mas foi ainda mais emocionante vê-lo descobrir que não são nossas memórias que definem quem somos. Já Rachel é um exemplo de força e bom coração; mesmo depois de ser abandonada por pessoas em quem amava e confiava, ela está aberta ao amor – seja por suas amigas, por familiares rabugentos e até mesmo por um homem desmemoriado que conquista seu coração.
No geral o livro tem seus clichês, contudo o romance é cativante e extremamente divertido. Além disso, essa leitura responde questões que ficaram em suspense no volume anterior – por sinal, questões extremamente tocantes e emocionantes. Indico o livro, e a série como um todo, para aqueles que procuram romances de época mais reflexivos e inusitados.
• Sobre a Série •
Ligeiramente Pecaminosos é o quinto volume da série Os Bedwyns. Composta por seis livros, a saga narra a história de amor de cada um dos membros da família Bedwyn.

Beijos,


Participe Aqui


Comentários via Facebook

13 comentários:

  1. Eu gosto muito dessa série e acho os Bedwyns apaixonantes, contudo nem todos os romances me arrebataram, achei essa história divertida, com bons personagens secundários, mas o romance em si não me conquistou, o primeiro envolvimento foi realmente um fiasco e dali por diante não consegui me conectar com eles romanticamente, individualmente são bons personagens mas juntos não me cativaram a ponto de suspirar. Ainda assim, é um livro leve e que vale a pena e tem uma cena de reunião familiar das mais lindas que já li <3 Só amor pelos Bedwyns e já tô na expectativa do próximo lançamento ;)

    ResponderExcluir
  2. Estou bem curiosa em relação a essa série.
    Todos os livros e suas devidas histórias, parecem ser ótimos e bem apaixonantes.
    Sou completamente apaixonada por romances de época e mal vejo a hora de conhecer a escrita da autora e essa série.
    Sua resenha me deixou bem animada. Espero conferir em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. quero muito ler essa série !! e adorei sua resenha, e fiquei super curiosa pra saber mais das aventuras que eles passaram pra conseguir resgatar a herança, e quero conhecer mais de Rachel e de Alleyne !!

    ResponderExcluir
  4. Acho que li só o primeiro dessa série... Lembro que gostei, mas estou precisando retornar a lê-la

    ResponderExcluir
  5. Ai, Pah!
    Amo essa série! Estou ansiosa por ler esse, depois de ter acabado como acabou o volume anterior. É claro que ele não estava morto, não podia ser rs
    Também gosto de como a autora trata das desigualdades nos livros. Gostei de saber que têm ainda essas aventuras e momentos hilários. Quero muuuuito ler logo!

    ResponderExcluir
  6. Posso até reconhecer que não ando gostando muito de clichês, mas admito que este me pareceu bem interessante. Se não fosse romance de época (eu não consigo ler de jeito nenhum, o que vem acontecendo com romances normais também), eu até talvez arriscasse, pois com tudo o que você falou acerca da obra, me parece uma boa.

    Que bom que você gostou da leitura, e espero que os leitores que se agradam do gênero aproveitem ao máximo.

    Abs!

    ResponderExcluir
  7. Amo romances de época (mesmo tendo lido poucos) e essa série é uma das minhas desejadas. Sempre leio coisas maravilhosas a respeito e cada vez me encanto mais. Parabéns pela resenha, está espetacular!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Paah, adoro essa série!! Não é a minha preferida dos romances de época, mas adoro a construção do amor pela convivência, amizade. Ainda não cheguei nesse livro, mas estou ansiosa depois da sua resenha!! Amei sua resenha, você arrasou! Super Beijoo

    ResponderExcluir
  9. Gostei da resenha e estou começando a me aventurar nos romances de época com a família da Julia Quinn rsrs Gostei de saber que o amor familiar é bem presente no livro, não li nada da Mary, mas fiquei intrigada

    ResponderExcluir
  10. Páh,amei a premissa desse livro um dememoriado e uma jovem que tem amigas prostitutas,dessa série só li o segundo e gostei bastante,gosto de livros que tratam de pré conceitos sociais,amei saber que há momentos hilários na história é que o romance é construído através da amizadee que a primeira noite dos dois é um fiasco.😘❤

    ResponderExcluir
  11. Não conheci a saga. Quando comecei a ler sua resenha, achei que fosse um libro independente kkkk. Porém,isso não significa que me decepcionei de saber q se trata de uma saga. Gostei da história, bem divertida, da pra perceber que eles vao se meter em muitas aventuras em busca de suas conquistas e vao se dar super bem. So nao vou da uma chance a esses livros no momento, porque daqui p frente quando eu começar a ler uma saga, quero concluí-la....super beijao

    ResponderExcluir
  12. Oii Pah, tenho muita curiosidade em relação á essa série.
    Fiquei morrendo de vontade de começar a ler essa série por esse livro kk, mas vou começar pelo primeiro volume é melhor kkk
    Amei a resenha, esse livro parece ser bem bacana e cheio de reflexões.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Essa serie é maravilhosa pra quem curtir estilo historias mais clássica. Uma coisa que gosto bastante que tenha é detalhes neste tipo de livro, gosto de imagina totalmente o local. Desde da porcelana sobre a mesa de jantar, até a cortinas feita mão na janela. Ajuda muito idealizar um local que não faz parte do seu ambiente natural. Eu ainda não cheguei a ler essa serie, mas já li algumas resenhas a respeito, e a maioria bastante positiva. Um coisa que gosto bastante é capa do livros, apesar de sempre ter o mesmo estilo, acho lindas

    ResponderExcluir

Resenhas

© Livros & Fuxicos – Desenvolvimento com por Subir