[Resenha] Retratos Falados dos meus Amores Impossíveis – Fabio Baptista

De uma singela cafeteria, ao último pôr do sol. Das lembranças mais doces da infância, às histórias inventadas nos bares da vida. Saudades, medos, angústias, cascas de cebola, amores eternos e corações partidos se entrelaçam nessa coletânea que explora, com beleza e sensibilidade raras, as diversas facetas dos sentimentos que nos fazem humanos.
Contos (Romance + Drama) | 130 Páginas|  Skoob | Amazon | Conheça o Autor
Retratos Falados dos meus Amores Impossíveis é a união de doze contos – histórias de amores improváveis, fracassados ou até mesmo perdidos ao longo do tempo. Confesso que por tratar-se de contos, que geralmente são mais fluidos e superficiais, não esperava muito da leitura. Porém, logo nas primeiras páginas fui surpreendida pelo toque irônico e dramático da escrita do autor. Cada um desses contos propõe uma reflexão ao leitor, fazendo-nos avaliar as inconstâncias da vida e, principalmente, do amor. E não apenas o amor entre um homem e uma mulher, mas também o amor familiar, o amor platônico, e até mesmo o amor por si mesmo. Fabio criou contos que descrevem nossa sociedade e mostram que nem sempre o amor é simples ou belo.
"O que é a vida? Uma simples sucessão de eventos caóticos e aleatórios que não nos conduzem a lugar algum? De que valem todos os sorrisos, todas as conversas, confissões e segredos, se no final tudo tende a acabar em lágrimas, despedidas e indiferença?"
Cada conto traz a história de um personagem diferente. Alguns são rápidos e apresentam protagonistas sem nomes, já outros são densos, poéticos e até mesmo raivosos – tudo depende do momento em que os personagens estão: paixão física, início ou final de um relacionamento, decepção com a vida, insegurança e arrependimento por ter feito escolhas erradas e, principalmente, solidão (aquela solidão que corrói e assusta).  Meus contos preferidos são: Coisas que Lembraremos Antes de Ver o Pôr do Sol, que mostra como o amor entre pai e filho pode se perder com o tempo e com o orgulho; Memórias de uma Bruxa, protagonizado por uma jovem que volta para a cidadezinha do interior em que nasceu e prova o quanto superou o passado e tornou-se dona do próprio destino; e Por Causa da Chuva, que conta o início, o término e – talvez – o recomeço de um amor construído ao longo dos anos e por causa da chuva. Esses três contos, assim como os outros, possuem algo em comum que me agrada muito: emoção, dor, superação e recomeços.
O grande charme da escrita do Fabio está no fato dele conseguir transmitir emoção em cada palavra escrita – ás vezes as emoções são cruéis e dolorosas, mas o fato é que elas transbordam de cada página. Adorei a construção dos personagens e de cada conto, gostei da ambientação diversa, da ironia por trás de certos protagonistas e, como já era de se esperar, da dura realidade por trás dessas doze histórias. Aqui, falamos sobre luto, amores interrompidos, traição, e sobre as falhas que qualquer ser humano pode cometer quando o assunto é amor. Portanto, o livro é perfeito para aqueles que gostam de histórias reais, dolorosas e que nem sempre possuem um final feliz.
Em contra partida, existe algo em especial que me desagradou durante a leitura e que preciso compartilhar com vocês. Racionalmente sei que um autor não precisa pensar como seus personagens e que, na grande maioria das vezes, ele cria figuras controversas na intenção de incitar o leitor a refletir sobre valores e prioridades. Contudo, não posso negar que alguns dos protagonistas criados pelo Fabio me insultaram. Veja bem, nenhum conto visa ofender ninguém, mas me senti assim ao encontrar homens que propagam uma visão de mundo em que as mulheres são constantemente objetificadas. Vi descrições de mulheres que estão chorando, e que se choram perante um estranho obviamente justifica-se isso por motivos amorosos, ou de mulheres admiradas pelo seu corpo e que não aceitam envelhecer e não percebem que a beleza também está em suas linhas de expressões e, no caso pior, de homens que veem a beleza apenas no corpo jovem e curvilíneo de uma mulher. Mais uma vez digo que sei que esses personagens refletem parte da nossa sociedade, mas emocionalmente – como alguém que sempre fala sobre aceitação e beleza real, e não comercial – não consegui aceitar o ponto de vista desses personagens sem me sentir insultada, como se meu papel como mulher fosse apenas ser bonita, jovem e perfeita.   
Em linhas gerais achei os contos incrivelmente bem escritos, sinceros e tocantes – eles realmente nos fazem refletir sobre valores e prioridades, nos mostrando o quanto é preciso se esforçar para fazer o amor durar. Contudo, é preciso iniciar a leitura sabendo que nem todos os personagens centrais são cativantes e que, pelo menos para mim, boa parte deles tende a uma visão prepotente e subjugada da figura feminina – o que não significa que não exista no livro mulheres fortes o suficiente para provar o quanto essa visão está errada, como é o caso do maravilhoso conto Memórias de uma Bruxa. O importante é começar a leitura sabendo que ela é real, cruel, reflexiva e que, algumas vezes, ela gera ódio da sociedade preconceituosa em que vivemos. No final, gostei da escrita do autor e do que ele propõe. Espero ter a oportunidade de ler mais obras dele.
• Sobre o Autor  

“Começou a escrever meio que por acaso e acabou pegando gosto pela coisa (na verdade, foi uma maneira que encontrou para economizar com terapia). Participou de algumas antologias, foi finalista do Prêmio SESC 2012, categoria contos, e finalista do Prêmio SESC 2016, com o romance "A Redenção do AnjoCaído".”
Fabio Baptista escreve sobre vários estilos e conta com uma gama extensa de publicações na Amazon (entre eles livros de terror e até mesmo fantasia). Para os interessados, vale a pena dar uma conferida nas obras dele (veja aqui).


Beijos,






Participe Aqui

12 comentários:

  1. Ultimamente estou gostando bastante de ler contos.
    E a obra, em questão, me interessou bastante!
    Parecem ser histórias com bastante sentimentos, realistas, bem escritas e que conseguem prender o leitor.
    Fiquei curiosa, ainda mais sendo um nacional! Não conhecia os trabalho do autor ainda.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pah
    Estou conhecendo o livro agora. Eu sempre espero menos dos contos também, mas alguns vem para nos conquistar, principalmente se são tocantes.
    Ainda não conhecia o autor e todas essas obras dele, mas como você elogiou esse livro eu daria uma chance. Gosto de leituras reais assim.

    ResponderExcluir
  3. Paola,gosto bastante de livros de contos, principalmente de amores improváveis, fracassados e perdidos pois são um certo ar poético e melancólico,amei saber que os contos possuem um toque irônico e dramático.Além de terem em suas linhas emoção,superação é recomeços.Realmente colocar a figura dá mulher com objeto,dia pejorativo para mim também parece ser um insulto,mesmo que na sociedade isso seja por muitas vezes um comum.Parece que o autor é bem variável em seu estilo.Irei conferir.😘💖

    ResponderExcluir
  4. Geralmente não leio muitos livros de contos, mas tenho acompanhado muitas resenhas de livros nesse estilo, o que tem me feito pensar se não devo incluir um em minha meta de leitura desse ano. Contudo, esse livro de contos em especial parece ser um pouco controverso, alguns contos podem até ser inspiradores e o autor parece saber desertar todo tipo de sentimento, mas há contos (acho que a maioria) um tanto quanto machistas, que foram os que te incomodaram. Acho que não o incluiria agora como uma opção pra leitura, mas quem sabe no futuro. ;)

    ResponderExcluir
  5. Ooi Pah, geralmente não leio muitos contos, hábito que quero mudar esse ano
    Fiquei curiosa sobre esse livro, por trazer historias reais, dolorosa e por mostrar a sociedade preconceituosa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Pah. Fiquei muito interessada nesses contos! Compartilho com vc o incômodo de que boa parte da sociedade atual ainda não ter superado a visão distorcida sobre a mulher. Acho q é por essas e outras que a violencia contra a mulher foi tema do enem, porque a objetificação do nosso corpo e desrespeito ainda é visível, além de parecer normal. Adorei a resenha, beijos

    ResponderExcluir
  7. achei bastante interessante o livro, adorei, agora ta nessa onda de livros de contos e tals, kk e estou amando, esse me interessou bastante, pois carrega muita emoção, e os temas abordados são realmente fortes, traição, superação, Recomeços, e realmente é ruim quando nos sentimos insultada em alguma parte do livro, uma parte machista ou preconceituosa, mas infelizmente é assim que a nossa sociedade se encontra hj. gostei muito !

    ResponderExcluir
  8. Pah!
    Amo livros de contos e se são de amor em todas as suas formas e graus, deve ser uma leitura fascinante.
    Realmente para nós que não somos submissas e nem admitimos sermos subjugadas, ver trechos do livro onde o machismo impera é revoltante.
    “O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Nem me fale em contos, eu sou uma grande fã. E faz realmente muito tempo que não leio nada bom do gênero. Gostei do enredo dessa obra, acredito que posso arriscar e ter uma boa leitura.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. Geralmente não sou fã de contos, mas esse me atraiu bastante! Amo romances e saber que a escrita do autor é emocionante só me deixou com mais vontade de ler

    ResponderExcluir
  11. Quando vi o título e essa bela arte de capa, associei logo a obra a poesia. Imaginei que fosse uma coleção de poesias, poemas, não contos. Se fosse, eu sem dúvidas arriscaria ler, mas não sou muito fã de contos devido tanto a superficialidade quanto à ideia que sempre me fica na mente de que as histórias poderiam ser melhor aproveitadas e, mesmo você gostando da obra, não vou arriscar. Porém, continuo desejando sucesso ao autor (mais sucesso ainda, haha)!

    ResponderExcluir
  12. O livro parece ser leitura fácil de fato, são poucas paginas. Alem do mais, você começa ler e não consegue parar mais, justamente por ser livro de contos. Gostei muito de saber que podemos levar algo, apos ler o livro. Como você citou a lição de "preciso se esforçar para fazer o amor durar". Apesar de pouco contos, eu achei interessante esse por conta dos personagens, apesar da visão figura feminina

    ResponderExcluir