[Resenha] Fogo, como tudo começou – Kristin Cashore

Não é um tempo de paz nos vales. O jovem rei Nash se apega a seu trono, enquanto senhores rebeldes no norte e no sul reúnem exércitos para derrubá-lo. As montanhas e florestas estão cheia de espiões, ladrões e homens sem lei e honra. Isso é onde Fire vive. Com uma aparência selvagem, irresistível com cabelos da cor das chamas do fogo, Fire é a última remanescente de uma raça de monstros humanos, com habilidades especiais. Igualmente odiada e adorada, que tinha a capacidade única de controlar a mente das pessoas, mas ela guarda seu poder, sem vontade de roubar os segredos de pessoas inocentes. Especialmente quando ela mesmo tem tantos. Mas então o príncipe Brigan trata de trazê-la a cidade do rei. A família Real precisa de sua ajuda para descobrir a trama contra o rei. Longe de casa, Fire começa a perceber que há mais em seu poder do que ela jamais sonhou. Seu poder pode salvar o reino... Se ela não tiver medo de se tornar o monstro que seu pai um dia foi...
Fantasia Medieval | 512 Páginas | Cortesia Editora Rocco | Skoob | Compare & Compre: Saraiva • Submarino • Amazon | Classificação: 3,5/5 | Resenha da May
Fogo faz parte da trilogia Graceling da autora Kristin Cashore, entretanto sua história acontece trinta anos antes dos acontecimentos do primeiro volume, Graceling – o dom extraordinário, logo ele pode ser lido antes ou de forma independente do livro anterior. Li Graceling há muitos anos, e quando efetuei esta leitura fui completamente arrebatada por uma narrativa fluida e gostosa, e por uma mitologia única e diferenciada que fez a obra tornar-se um dos meus livros de fantasia medieval favoritos da vida. Ou seja, minhas expectativas com Fogo estavam nas alturas – apesar do tempo que passou entre uma leitura e outra – e sinto dizer que a leitura não foi tudo aquilo que eu esperava.



Para entender um pouco mais do enredo temos que ter bem definido o que é um Graceling: uma criança que nasce com um olho de cada cor, isso identifica uma criança especial que terá dons ainda mais especiais – seja uma habilidade comum ou até mesmo algo extraordinário, que a torna extremamente poderosa e perigosa, como ler e controlar mentes. Estas crianças especiais devem servir ao rei e aqui em Fogo, como tudo começou, temos a oportunidade de entender como estas crianças passaram a ser temidas e usadas pelos reis que governavam naquele período.
A trama nos apresenta Fogo, uma jovem filha de uma humana com um monstro, que vive em Dells. Nesse lugar distante dos Sete Reinos, que por sinal é assombrado por criaturas-monstros que possuem a habilidade de entrar na mente das pessoas para torna-las presas fáceis, Fogo convive com a herança deixada pelo pai: a capacidade de controlar a mente humana; por este motivo ela é temida por todos ao seu redor, e mesmo vivendo sob a proteção de Archer (seu melhor amigo e amante), sua vida está em constante perigo. Em meio a um ambiente hostil e perigoso, Fogo terá que aprender a controlar seus poderes para não se transformar em um monstro igual ao pai – afinal ele utilizava tal habilidade para atormentar e fazer o mal a todos ao seu redor, deixando para traz um rastro de medo e ódio. Além disso, vivendo escondida da sociedade e em meio a eminente guerra que assola todo o reino, a jovem terá que infiltrar-se no castelo do Rei para tentar desvendar quem é a pessoa que está tentando assassiná-lo.
Nesta jornada acompanharemos Fogo crescendo, aprendendo a controlar seu dom e utilizá-lo para driblar as tramoias políticas e ajudar sua nação. Fogo é uma personagem com um dom especial, ela tem habilidades sobre humanas, é diferenciada com seus cabelos cor de fogo e tinha tudo para ser outra protagonista forte, guerreira e que mudaria o mundo ao seu redor. Contudo, em toda sua jornada ela apenas se esconde e coleciona machucados de lutas e ataques dos quais não consegue se defender, tornando-a uma garota frágil, medrosa e muito dependente da proteção de terceiros – fato que eu definitivamente não esperava encontrar aqui. Meu primeiro contato com a autora foi maravilhoso, sua protagonista anterior é guerreira e cativante, portanto foi uma decepção encontrar Fogo e descobrir o quão frustrante ela é.
A narrativa também foi um pouco arrastada, do tipo que parece não caminhar para lugar algum. As descrições que tinham tudo para ser interessantes, tornaram-se maçantes, e senti falta de ação, de acompanhar as batalhas acontecendo em tempo real, de ver as personagens lutando junto da protagonista, e de mergulhar em um romance que me prendesse do início ao fim. Confesso que, por não encontrar nada disso, terminei a leitura sem aquele sentimento de emoção, ação e aventura que tanto estava esperando. A história tinha grande potencial, entretanto senti que a autora não soube explorar toda essa grandiosidade, deixando a desejar em muitos aspectos.
Recomendo muito a leitura de Graceling – o dom extraordinário, mas para a leitura de Fogo tenho minhas ressalvas, e acredito que valha a pena apenas para quem quer conhecer melhor o vilão que nos é apresentado em Graceling e que tem sua história contada em maior detalhe nesse volume. Porém, se você gosta de fantasias medievais e quer dar uma chance, vá em frente, existem muitos leitores que amaram esta obra tanto quanto amaram Graceling, então o livro que não funcionou bem para mim, pode sim encantar vocês. 
• Sobre a Série •

Fogo é o segundo volume da trilogia Graceling. Apesar de estarem interligados, cada livro narra a história sob um ponto de vista diferente.

• Um pouco mais sobre o livro Graceling • 
Em Graceling somos apresentados a Katsa, uma garota que possui um olho verde e outro azul, fato que ressalta sua beleza única e a marca como um ser especial e extraordinário. Seu dom é o dom da luta e de matar e, exatamente por causa disso, é usada pelo seu tio e Rei de Middluns em prol de seus objetivos. Cansada de ser usada pelos outros, Katsa cria uma confraria denominada de Conselho onde, secretamente, tentará impedir as injustiças cometidas pelo rei.
Graceling – o dom extraordinário foi uma leitura maravilhosa, aqui temos uma protagonista forte e guerreira que tem uma causa nobre e lutará até o fim para defender os fracos e inocentes. Em sua jornada ela desvendará muitos mistérios acerca do governo de seu tio e também encontrará em Po, um jovem graceling misterioso, um adversário a altura e que com o passar do tempo se tornará muito mais, podendo tornar seus sonhos de mulher realidade.

Aqui nós temos muita aventura e ação, temos personagens extremamente fortes e cativantes, um romance maravilhoso, e uma leitura fluida que a todo momento nos surpreende. Não é para menos que este livro tornou-se um dos meus medievais favoritos da vida e que recomendo de olhos fechados.


Beijos,






Participe Aqui

17 comentários:

  1. Não tenho costume de ler livros da época medieval, mas os Graceling me despertou uma vontade, fiquei curiosa para ler sobre esse poder que eles trazem com os olhos de diferentes cores. A personagem principal Fogo tambem me chamou atenção por ter inseguranças, tornando o livro um pouco mais real. Adoro suas resenhas, beijos. :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Mayara, a resenha é sobre Fogo mas fiquei interessada mesmo foi em Graceling rsr. Achei Fogo um livro diferente, pois é a primeira vez que vejo um segundo livro, onde a história se passa antes do primeiro e isso me deixou um pouquinho curiosa, assim como o fato de ser uma fantasia medieval, o que me agrada, mas em fantasias medievais eu gosto de ver mocinhas valentes e essa faceta mais dependente que você citou me incomoda. Contudo vou tentar adicionar Graceling a meta e se gostar vou pensar se quero continuar e ler Fogo :D

    ResponderExcluir
  3. Olá, Mayara!
    Gostei muito da trilogia, parece ser bem interessante. Não a conhecia, mas agora já conheço e pode entrar na minha lista de desejados...
    Feliz dia das mulheres!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Katharine Emídio8 de março de 2017 21:35

    May, pena que o livro não supriu suas expectativas! Não tinha ouvido falar dessa série, mas pelo enredo me senti tentada a lê-lo. Provavelmente lerei o primeiro volume e não terei animação para ler o segundo!! Adorei sua resenha! Super Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Mayara!
    Fantasia medieval é um gênero que praticamente não leio, porque não conheço muitos livros desse gênero.
    Gostei bastante da premissa de Fogo, porque achei a história diferente. Pena que a leitura não foi tão boa como você esperava. Também gosto de protagonistas fortes e inspiradoras e não tenho muita paciência com protagonistas que não fazem muita coisa hehehe
    Por isso eu talvez dê uma chance para Graceling, pois os seus comentários sobre ele me deixaram curiosa pela leitura :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  6. Mayara!
    Parece ser uma série muito boa e gostei de saber que podemos ler de maneira independente.
    Um livro que traz controle de dons e fantasia, mas que tem uma linguagem arrastada, atrapalha um pouco a leitura, ainda sim acredito que merece a leitura.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. O primeiro livro dessa serie esta na minha lista, mas não sabia que já tinha o segundo, mas um motivo para eu ler logo. Adorei as capas, é uma pena que a narrativa seja um pouco arrastada, mas ainda assim pretendo dar uma chance.
    http://livrosseriesfilmesemais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Mayara, eu não sabia da existência desses livros menina! Fiquei boquiaberta com a história e apesar da obra não ter suprido suas expectativas, vou ler porque acho que vou adorar.
    Beijos
    [SORTEIO]Baile Literário
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro, apesar de ser interessante, não fiquei empolgada para ler. :/

    ResponderExcluir
  10. Oi, May
    Essa trilogia não me atrai muito, mesmo eu gostando de fantasias medievais. Ainda mais sabendo que muitos pontos no livro ficou a desejar. Porém, sei que daria uma chance no futuro se tivesse oportunidade. Adorei a sinceridade da resenha.

    ResponderExcluir
  11. Olá, amei a resenha, sempre perfeita...
    Amei muito a capa do livro, e a historia nem se fala...achei super legal essa fantasia, de garota com super poderes, achei ela uma personagem forte, uma personalidade diferente..nunca ouvi fala dessa obra porém agora que sei, irei procura para ler!!

    ResponderExcluir
  12. Mayara!
    é a primeira vez que vejo falar da trilogia, mas já estou louca para ler.
    Adorei saber que os livro podem ser lidos de maneira independente, a premissa é bem interessante e estou louca para descobrir esse novo universo, uma pena que o livro deixou um pouco a desejar, mas infelizmente acontece né, mas ainda assim vou ler.
    P.S Amei essas capas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. E a primeira vez que vejo esse livro, não sou muito fã desse tipo de gênero, mas a capa desse livro e bonita.

    ResponderExcluir
  14. Não costumo ler livros de fantasias medievais, são história que não me atraem muito e pelo fato do livro deixar a desejar, é mais provável ainda que acabe não lendo, as capas são lindas, mas realmente, não me atraem muito não, quem sabe se tiver algum tempo sem nada para ler eu leia.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Primeiramente, preciso falar dessa capa?? Achei lindona, meu deus......
    Já sobre a resenha, a pontuação dela foi bem razoável. Sempre olho aquela avaliação antes de começar a resenha. Porque acho super importante ter esse tipo de coisa em blogs literários. Pois bem, eu gostei bastante, eu achei que não iria gostar mas surpreendi.
    Já havia lido algumas coisas sobre Kristin Cashore, até então gostei. Leio pouquíssimo historia do gênero medieval, mas fiquei curiosa em arrisca ler essa trilogia. Beijos

    ResponderExcluir
  16. Quando eu li a sinopse deu a impressão de que conteria mais ação e que a personagem seria daquelas guerreiras, uma pena não ser. As historias são interessantes contando sobre garotas que tem olhos de cores diferentes e dons que a tornam temidas, eu gostei.

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia essa autora, nem esse livro. Não me chamou a atenção.

    ResponderExcluir