junho 02, 2017

[Resenha] Em Águas Sombrias – Paula Hawkins

Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã. Jules não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre para cuidar da filha adolescente que a irmã deixou para trás. Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, de saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos… Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo em seu explosivo livro de estreia, A garota no trem, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente.

Suspense| 364 Páginas|  Cortesia
Editora Record|
Skoob |
Compare & Compre: Saraiva
Submarino
Amazon| Classificação 4,5/5
Paula Hawkins me deixou sem fôlego.
Uma das coisas que mais amo, e isso vale para qualquer livro ou gênero
literário, é um drama familiar real e reflexivo. Gosto de mergulhar em
histórias de pessoas como nós: que erram, mentem, escondem segredos perigosos
e, infelizmente, escolhem destinos repletos
de dor e solidão. Portanto, foi surpreendente começar a leitura de Em águas mais Sombrias sem nenhuma
expectativa – até porque já havia visto algumas críticas negativas – e acabar a
leitura completamente embasbacada e chocada com os dramas presentes na obra.
Foram quatro horas ininterruptas devorando as páginas desse livro na esperança
de compreender um pouco mais da mente humana e das mentiras que ela cria para
tonar nossas vidas menos dolorosas. Trata-se de um livro cruel, real e
instigante. De fato, terminei ansiando por mais leituras assim: completamente atordoantes.

Jules nunca achou que voltaria
para a cidadezinha na qual cresceu e viveu os anos mais dolorosos de sua
infância e adolescência. Por anos ela fugiu da família, das lembranças e do
passado, porém a morte – abrupta e chocante – da irmã fez com que ela fosse
obrigada a retornar e a encarar a dor que carregou nos ombros durante anos. Além
disso, Jules precisa lidar com as consequências da morte de Nel: a fixação que
a irmã tinha com o Poço dos Afogamentos (lugar que sempre amou e que,
aparentemente, decidiu cometer suicídio), a dor de Lena – filha adolescente de
Nel – que se sente abandonada e traída pela mãe e, principalmente, todas as perguntas
não respondidas que Nel deixou para sua família. Contudo, o que mais assusta
nessa morte é que Nel não foi a primeira mulher a morrer afogada no Poço dos
Afogamentos. Ao longo das décadas o poço carrega histórias de mulheres que
decidiram se matar e todas possuíam um motivo para isso: traição, medo, raiva e
até mesmo amor… Assim, a pergunta que fica é qual o motivo por trás da morte
de Nel?

“Beckford
é um local para se livrar de mulheres encrenqueiras”.

O livro é descrito em capítulos
pequenos e cada um deles é narrado por um personagem distinto (se não me engano
são nove narradores ao total). Não
posso negar que inicialmente os capítulos parecem confusos e desconexos –
afinal, queremos descobrir os segredos por trás da morte de Nel e de todas as
mulheres que, antes dela, morreram em Beckford, e não mergulhar no cotidiano de
pessoas que parecem não ter relação nenhuma com a história. Porém, depois de
conhecer todos os narradores passei a sentir o quanto a opinião deles era
essencial para manter o clima de suspense da trama, para confundir
completamente o leitor e, principalmente, para ir aos poucos inserindo
informações importantes como: um caso extraconjugal, uma mentira pequenininha
que parece inofensiva, ataques de raiva e de ciúmes, e até mesmo
relacionamentos agressivos e abusivos. Assim, nos dividimos entre inúmeros
estilos de narrativa e mergulhando na mente de pessoas tocadas – direta ou
indiretamente – pelas histórias das mulheres que se mataram no Poço dos
Afogamentos. E isso é instigante e completamente agoniante. É impossível não
devorar esse livro na ânsia de descobrir a conexão que leva todas as pessoas
até o Poço dos Afogamentos, sem dúvida o grande protagonista dessa história.
Além de uma narrativa cativante
e que envolve diversas histórias paralelas – não se engane, cada narrador tem
algum segredo para contar – a autora surpreende com a veracidade por trás dos
temas abordados. O Poço dos Afogamentos esconde histórias sobre ser mulher e o
peso que carregamos nos ombros; aqui, as cobranças da sociedade são evidentes e
nos levam a sentir na pele o que cada uma das pessoas envolvidas nessa história
sente: a certeza absoluta de que a morte é a única solução, a raiva, o medo e a
vergonha, a sede por vingança, a dor inconsolável de ver a mãe ou a filha
morrer, e a certeza de que nunca irá superar a morte de alguém que sempre amou.
São sentimentos cruéis e sinceros, os quais tocam o coração do leitor e nos
fazem pensar que esses personagens, principalmente as mulheres que morreram no
Poço dos Afogamentos, podiam ser qualquer um de nós.
Adorei a leitura frenética proporcionada
pela autora, amei o fato dela ligar várias histórias em um único livro e também
vibrei com cada revelação feita – sério, o clima de suspense desse livro é
altíssimo! Contudo, minha única ressalva é quanto ao final: uma parte dele foi bem
previsível e quebrou o clima de tensão mantido durante todas as páginas da
obra, porém a outra parte – aquela reservada aos últimos minutos do segundo
tempo – foi extremamente surpreendente (pelo menos pra mim) e fez toda a trama
valer a pena. Indico muito a obra e agora espero poder ler outros livros da
autora.
Beijos,

Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

23 Comentários

  • susi
    29 abril, 2018

    Quis ler esse livro porque amo suspenses e amei a garota no trem. Mas não foi tão envolvente assim. Teve um final inacabado para mim, ou não entendi mesmo kkk. Agora concordo com os últimos minutos do segundo tempo, fez todo o sentido com a história da detetive e da pulseira rs. Resumindo, foi morno.

  • Ingrid Del Castilo
    14 agosto, 2017

    Oi Paola, estava procurando uma boa resenha desse livro e você o fez muito bem. Já quero comprar e começar a ler logo. Adoro essas histórias instigantes com finais surpreendentes! Adorei o Blog também, continue escrevendo e nos mostrando mais desse mundo literário maravilhoso! Beijos!

  • Ana Paula Santos Moreira
    16 junho, 2017

    A capa não é chamativa, porém a història deixa um pouco de suspense e mistério no ar, fazendo querer saber logo o final, o porquê do suicìdio ou se tem algo a mais por ai. Curti muito a resenha, mesmo parecendo complexo, quero ler.

  • Lily Viana Music
    16 junho, 2017

    Olá Pah,
    Que livro incrivelmente incrivel, eu já tinha lido varias resenhas dele e fiquei tipo encantada com a trama dele, a historia tem aquele misterio que te prende até o final da leitura para descobrir sobre o que aonteceu realmente com as mortes de varias mulheres!

  • Lara Cardoso
    11 junho, 2017

    Oi! É maravilhoso ler uma resenha cheia de empolgação como a sua. Se eu gostasse do gênero, com certeza eu leria. Já que explicou muito bem sobre a trama. Beijo ❤

  • beatriz rosa
    10 junho, 2017

    Primeiramente, que capa maravilhosa! Já li a garota do trem e gostei bastanteda escrita da autora, mas confesso que ter 9 narradores me deixou um pouco desmotivada apesar de ter amado a sinopse. Talvez futuramente eu leia!

  • Theresa Cavalcanti
    08 junho, 2017

    Nunca lu nenhum livro dessa autora, mas já vi muita gente falando super bem, o que me deixa com muita vontade de ler algo dela.

  • Micheli Pegoraro
    07 junho, 2017

    Que suspense mais intrigante Pah!
    Quero muito conhecer a escrita dessa autora, mas ainda não tive a oportunidade de ler A garota no trem e nem de assistir ao filme. Adoro um bom thriller, com um suspense de tirar o fôlego e que prende o leitor, sem falar que amo histórias com drama familiar e com uma carga reflexiva assim; imagino a angustia de ler as histórias tão cruéis e sombrias dessas mulheres.
    Não tenho nem ideia do desfecho da história, então espero me surpreender com a leitura.
    Beijos

  • Aline M. Oliveira
    07 junho, 2017

    Desde o lançamento deste livro estou louca pra ler! O fato de ser também da mesma autora da Garota no Trem já te deixa bastante doido, e depois de tantas resenhas e agora a sua falando que ficou atordoada com o livro e leu em 4 horas, é pra querer ler mesmo! A história do suicídio num local que muitas mulheres se mataram antes, tantos mistérios misturados com a relação das irmãs, que não era das melhores, a sobrinha.. Enfim.. Quero!!
    Bjoxx ♥

  • Lívia Silva
    07 junho, 2017

    Depois desta resenha, o livro já está na "Wish List" amo livros com pega suspense, dramas familiares.. eles são cativantes. amei sua resenha

  • Carol Castil
    06 junho, 2017

    Oi Pah, assisti apenas A garota do trem e amei o filme! E agora este livro já chamou a atenção também. Com certeza vai pra minha lista! Bjs

  • Gessica Korchak
    05 junho, 2017

    Adoro livros de suspense e estou muito empolgada para ler esse, sua resenha me deixou ainda mais curiosa haha Sem falar que acho essa capa super bonita. Você já leu "A garota no trem" da mesma autora? Gostaria muito de ver a resenha dele aqui no blog também. Bjs

  • Bruna Luiza
    05 junho, 2017

    Oi Pah 🙂
    Que resenha incrível, vou colocar na minha lista.
    Vou me arriscar em um suspense. Beijoos

  • Leituras da Ketellyn
    05 junho, 2017

    Tenho visto varias divulgações, adorei a sua resenha, mas estou indecisa principalmente por causa da parte cruel, mas achei legal essa de misturar varias histórias em um só livro e fiquei curiosa sobre esse segredos. Acho que não é um livro que eu compraria, mas se acontecesse de eu ganhar ou uma amiga me emprestar eu leria.

  • Jéssica Fernanda
    05 junho, 2017

    Oi Pah, adoro suas resenhas! Se você diz que gostou sei que posso ler sem medo. Não li A garota no trem mas já imagino que vou amar os livros dela, você falando do que gosta nesse livro e o que ele te causou internamente me fez lembrar a sensação que tive ao ler Mentiras como o amor, então indico que leia esse também e eu vou tentar ler Em aguas sombrias.

    Abraços.

  • Leticia Golz
    05 junho, 2017

    Pah, também amei esse livro e concordo com tudo em sua resenha. Eu também vi muitas críticas negativas, só que tudo que eu ouvi de mal era justamente o que eu tinha amado, principalmente essa conexão de cada uma das pessoas com as vítimas que você citou.
    Uma parte do final foi mesmo previsível lá perto do desfecho, mas a outra parte eu estava imaginando um pouco, pois achei que o fulano lá se entregou muito fácil (alguma coisa tinha a mais) rs.
    Contente que você também gostou.

  • Nayane Evylle
    04 junho, 2017

    Oi Pah!
    Esse livro tem me rodeado por todos os lugares que olho rsrs achei diferente a construção da história e da divisão da narrativa. Não esperava que fosse assim. Amo suspensee. Realmente gostei.
    Bjus

  • Anna Mendes
    03 junho, 2017

    Oi Paola! Adorei a resenha!
    Na verdade, a sua resenha é a primeira resenha positiva que vejo sobre este livro. Ainda não li nada da autora. A garota no trem está nas minhas metas de leitura desse ano e quero muito ler.
    Gostei da premissa de Em águas sombrias; parece ser uma história envolvente e repleta de mistério. Parece também ser uma história profunda, na medida em que traz temas reais para a história. Enfim, a sua resenha me deixou bem curiosa para ler esse livro. 🙂
    Bjos!

  • Dan Igor
    03 junho, 2017

    Boa tarde!
    Nossa, posso falar com toda certeza que este é um livro que estou LOUCO para ler! A premissa é simplesmente fantástica. Amo quando o autor envolve na história os passados condenáveis dos personagens. O ritmo da história me parece envolvente e arrebatador, o que me deixa ainda mais animado para ler Em Águas Sombrias.
    Abraços!

  • Lili Aragão
    03 junho, 2017

    9 narradores é um numero bem grande Pah, mas curti a resenha e todo o clima de suspense que você descreveu. A capa tá ótima e apesar desse não ser um gênero que leio com frequência fiquei bem curiosa pra saber mais do desfecho e descobrir se ele vai ser previsível pra mim também 😉

  • Mariana Vantine
    03 junho, 2017

    Eu já queria ler esse livro e depois dessa resenha estou ainda mais ansiosa!! Amo o clima de suspense!

  • Bruna Lago
    03 junho, 2017

    Oi Pah, esses livros tão super em altas né? Digo, esse tema. Tipo de suicídio ( ou não) e o drama familiar que isso envolve.
    Não li o livro citado que também foi escrito por ela, mas quero muito assistir ao filme, e pretendo fazer ainda esse mês 🙂
    Achei bem diferente ter tantos narradores, acho que nunca li nada assim que no início parece confuso, mas acredito que no decorrer da leitura tudo fica mais claro.
    Adorei a dica, parece ser eletrizante !
    Abraços

  • RUDYNALVA
    02 junho, 2017

    Pah!
    Já gostei que os capítulos são pequenos, porém muitos narradores, por vezes me deixa bem confusa.
    A ideia de várias histórias paralelas, aparentemente sem conexão, para depois se interligarem, foi genial, porque de certa forma nos desligamos do tal Poço e ainda temos vários segredos a serem desvendados.
    Pena que o final foi um tanto previsível, mas ainda assim, quero poder ler.
    Desejo um mês cheio de prosperidade!
    “A sabedoria consiste em compreender que o tempo dedicado ao trabalho nunca é perdido.” (Ralph Waldo Emerson)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.