Destaques

Newsletter

assine a newsletter!

E receba a notificação de novos posts por e-mail

julho 25, 2017

[Resenha] Ligeiramente Perigosos – Mary Balogh

Por Paola Aleksandra

Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção. Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente. Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida. Em Ligeiramente Perigosos, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito.

Romance de Época| 304 Páginas|  Cortesia Editora Arqueiro| Skoob | Compare & Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação 4/5
Esperei tanto por esse livro! Amo romances de época que fazem parte de uma série, ainda mais quando se trata de uma saga familiar cheia de membros cativantes e charmosos. E os irmãos Bedwyn são exatamente assim. A cada livro a família ganhou um pedacinho do meu coração; uns me emocionaram, outros surpreenderam, e alguns me deixaram com um sorriso bobo no rosto. Fora que todos eles aumentaram minha curiosidade pelo desfecho, para conferir a aguardada história de amor do Duque de Bewcastle – o irmão mais velho e personagem indireto dos volumes anteriores. De certa forma é esse irmão que mantem o mistério da série, então é claro que minhas expectativas estavam altíssimas. Afinal, passamos SEIS livros aguardando esse homem ser arrebatado pelo amor! Ainda assim, adianto que a história do Duque está longe de ser uma das melhores da saga. Contudo, como tudo que a Mary Balogh escreve, a trama é envolvente e extremamente romântica. Ou seja, na medida certa para os fãs de romances de época.

Wulfric cresceu conhecendo suas responsabilidades como futuro Duque. Apesar do que parece, o título de prestígio e honra traz um lado negativo que ninguém fala: o peso de ter sua vida tirada de você. Depois que virou Duque tudo o que vêm de Wulfric é o título e sua posição social. E o título é tão forte que ás vezes ele esquece que é um homem antes mesmo de ser um Duque. Por isso, tudo o que Wulfric faz é relacionado – primeiramente – com suas responsabilidades: cuidar dos seus familiares, ver seus irmãos felizes e bem casados, comparecer aos eventos necessários e conviver com as pessoas certas, e manter o bem estar dos seus arrendatários. Em suma, tudo nele grita pompa e responsabilidade. E isso porque é exatamente assim que ele é: um Duque responsável e plenamente atento aos seus deveres. Mas, como a vida é cheia de surpresas, uma mulher vai aparecer e virar o mundo desse homem de cabeça para baixo. Christine é uma viúva marcada pelas dores de um matrimônio fracassado. Mas, mesmo perante a dor, seu espírito forte e cativante sempre falou mais forte. De certa forma, Christine é do tipo que enfrenta o mundo de cabeça erguida, por isso ela ilumina qualquer ambiente e contagia todos ao seu redor. A força do seu espírito e, principalmente, do seu sorriso, é do tipo que deixa todos apaixonados por ela. E é exatamente isso que ela fará com Wulfric: o encantará o suficiente para que ele passe a questionar suas regras rígidas e sua vida exclusivamente focada no Ducado. Porém, essa relação não vai ser só flores, afinal eles não se suportam, são orgulhosos e estão determinados a manterem a maior distância possível. – Mas, cá entre nós, alguém acredita que isso será possível?
Uma coisa bem legal desse livro é que ele tem um clima de Orgulho e Preconceito. Wulfric e Christine são de classes sociais completamente distintas. Além disso, o comportamento deles é oposto: um rígido e socialmente impecável, enquanto o outro é livre e imprevisível. Eles vivem brigando, discordando e ressaltando o quanto são diferentes. Entretanto, existe uma atração inegável que os une. E é a partir desse sentimento que ambos vão descobrir serem mais parecidos do que imaginam. Tema que, apesar de clichê, cativa demais. Entendemos os motivos que os afastam, mas como telespectadores logo nas primeiras páginas percebemos que eles são perfeitos um para o outro. Wulfric, apesar da pose, tem um coração gigante; ele defende e luta por quem ama, e é muito bonito vê-lo abrindo o coração para Christine. Enquanto ela tem uma história de vida triste, de um casamento que trouxe mágoas e desconfianças, até surgir certo Duque para ajudá-la a superar, de uma vez por todas, as dores do passado. – Vai dizer que não é lindo imaginar esses dois, orgulhosos e mandões, caindo de amores um pelo outro?

O ritmo de leitura é gostoso, a trama tem vários pontos de reflexão – algo bem típico dessa autora e uma característica que me faz amar os livros dela – e o romance é do tipo que nasce no dia a dia, que muda e cura os protagonistas, e que deixa o leitor com o coração aquecido. Contudo, não posso deixar de dizer que fiquei um pouco frustrada com a leitura. A obra é ótima, mas o fato é que esperava mais dela – esperava mais entrega, mais paixão, mais devoção. No geral é o tipo de obra gostosa, mas que sem dúvida poderia ser mais grandiosa (ainda mais com um protagonista tão rico em detalhes).
Em suma, gostei do livro e do romance, mas achei que o final dessa série merecia um pouco mais. Porém sempre vou indicar essa autora e esses irmãos tão carismáticos e apaixonantes. E claro que irei lembrar da história desse charmoso Duque.
• Sobre a Série •
Ligeiramente Perigosos é o último volume da série Os Bedwyns. Composta por seis livros, a saga narra a história de amor de cada um dos membros da família Bedwyn (Veja AQUI as resenhas dos outros volumes da saga).
Beijos,






Participe Aqui

Comentários via Facebook

16 comentários:

  1. Aii, preciso colocar minhas leituras em dia pra acompanhar os romances históricos q tanto amoo! Mas vai lançando eu vou lendo e vou esquecendo dos q coloquei na meta! Porém, agora estou tentando me segurar hahahaha
    E essa capa gente? Ameeei!

    ResponderExcluir
  2. Essa série já esta na lista de leituras... simplesmente não consigo vencer a lista. Quando acho que estou progredindo e comprando/lendo todos, adiciono mais uns 10 de uma vez só - AINDA BEM (L).

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro essa série e a escrita da autora é muito viciante, apesar de que só li dois livros dessa série até agora, mas os dois que eu li, li em um dia hhehehe... E esse personagem é o que mais encanta na série, pois como temos pequenos flashs dele ao longo dos livros, ficamos muito curiosas para ler a história dele. Que chato ele não ter alcançado todas as suas expectativas :(
    Beijos

    Ana Magiero
    Garota Sonhadora Em Livros

    ResponderExcluir
  4. Ligeiramente Perigosos é o meu livro favorito da série, porque acompanhamos o Wulfric durante toda a saga e vamos conhecendo a personalidade dele aos poucos, conforme ele vai se mostrando.
    Também acho que ficou faltando um fechamento para a série, um pouco mais de páginas dando um panorama de toda a família.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Pah. Tenho vontade de ler essa série. Ela está na minha meta há algum tempo e todos vez que vejo uma resenha, aumenta a vontade.
    Gostei do casal dessa história. São bem opostos mesmo. Como eu amo orgulho e preconceito, fiquei com vontade de sentir essa vibe no livro também *-*

    ResponderExcluir
  6. Pah, esse é o volume que mais aguardava. Quem não torce para que o Wulf seja arrebatado pelo amor, não é mesmo?
    acho que também vou adorar ver esses dois brigando e discordando tanto. Uma pena que não achou que foi um volume tão bom quanto os outros. Eu pelo menos esperava muita paixão nesse volume também. Espero não demorar a ler.

    ResponderExcluir
  7. Como não se apaixonar por essa séries familiares e ainda por cima de época? Eu amo os Bedwyns, e esse também era bem esperado :)
    Adoro os personagens que não se suportam kkkkkkk assim a gente sabe que a paixão vai ser avassaladora! Eu também indico a série, porque mesmo o final não sendo de deixar a gente babaaando, toda a série é muito boa :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Pah!
    Tão bom ver um livro que estávamos curiosos para ler, ser ainda melhor do que esperávamos.
    E melhor ver que os protagonistas parecem com os protagonista de Orgulho e Preconceito,festa do estica e puxa...kkk
    Gostaria de ler e gostaria também de entender porque essas escritoras de romances de época vão buscar nomes esquisitos para seus protagonistas.
    Wulfric, fala sério.
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Pah do Céu!!!
    Só eu que ainda não li esta série? Eu preciso ler!!! Vou incluir o primeiro livro nas minhas próximas leituras!!! Bjosss

    ResponderExcluir
  10. Olá Pah!
    Esse livro é uma fofura, eu ganhei ele de um sortei, porém não li ainda, ainda mas nem sei se posso ler antes dos outros livros, será que devo???
    A premissa dele e maravilhosa, tem um romance super fofo e já quero muito começa já a ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Lily. Eu recomendo ler os outros antes, sou fã dessa série, e acho legal conhecer as histórias na ordem.

      Excluir
  11. Oi Pah,
    Faz tempo que quero ler a série Os Bedwyns, pois quero muito conhecer a escrita tão elogiada da Mary Balogh, sem falar que amo uma saga que envolve uma família *-*
    Só vejo comentários positivos a respeito da autora, que seus livros vão além do romance e abordam assuntos mais sérios, reflexivos e polêmicos, gosto de livros que trazem algo a mais. Pelo que já li nas resenhas, os livros são muito envolvente, ainda mais com o cenário histórico abordado.
    Fiquei intrigada para conhecer o Duque e Espero ser cativada por essa família ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, conheci essa série na mesma época que conheci os Bridgertons, escolhi eles e coloquei essa na lista, mas eu não estava acostumada com tanta indicação boa e a toda hora que essa lista foi crescendo e eu acabei esquecendo. Não sei quando vou arranjar tempo, mas vou ler sim. Nossa esperar o último pra falar do mais velho.

    ResponderExcluir
  13. Que resenha maravilhosa. Foi massa conferir suas impressões tão cheias de emoção.

    ResponderExcluir
  14. Pah vai me dizer que tu não morreu de rir na cena em que a Christine tira do bolso o monoculo e olha pra ele! HAhaha me diverti muito lendo este livro ♥

    ResponderExcluir

Resenhas

© Livros & Fuxicos – Desenvolvimento com por Subir