[Resenha] O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard

Sinopse: Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.
Romance Adulto || 512 Páginas || Skoob || Cortesia Editora Arqueiro || Compare & Compre|| Classificação: 5/5 (Favorito)
Observando as semelhanças existentes entre os inúmeros livros do gênero adulto que estão sendo lançados no Brasil ultimamente, fica fácil concluir qual é o perfil de história que caiu nas graças dos leitores brasileiros. No geral, as prateleiras de nossas livrarias estão abarrotadas de livros sensuais e eróticos que giram em torno de um protagonista forte, rico e complicado que se envolve com uma mulher capaz de transformá-lo por inteiro. Sendo assim, segui essa linha de raciocínio e julguei premeditadamente o romance “do autor¹” Sylvain Reynard, catalogando-o mentalmente como mais um romance adulto. Entretanto, a leitura do livro ‘O Inferno de Gabriel’ me reservou muitas surpresas, as quais me mostraram constantemente o valor dessa obra, sua complexidade, e o melhor, a riqueza de sua escrita. Repleto de citações literárias, musicais, populares e artísticas, o livro é bem mais que um romance escrito para entreter o leitor, ele é um achado cultural que une, majestosamente, a sociedade contemporânea com a arte clássica.
-“Se você for esperar que sua cicatriz desapareça, Julianne, vai ficar esperando para sempre. Cicatrizes nunca desaparecem. (...). Feridas podem se fechar e talvez até sejamos capazes de nos esquecer delas com o tempo, mas as cicatrizes são para sempre. Nem mesmo Jesus perdeu as suas.”

A inspiração fundamental para tal história deu-se da obra de Dante, A DivinaComédia, na qual Dante caminha pelo Inferno em busca da redenção, ou seja, da absolvição necessária para entrar no Paraíso. Em sua jornada, sua amada Beatriz serve não só como uma fonte de força, como também, um anjo, uma luz que o guia pelas trevas. Temos então, na obra em questão, a encarnação contemporânea desses personagens: o professor Gabriel Emerson, que carrega nos ombros as dores do passado, erros que o fazem agonizar e queimar em seu inferno pessoal; e Julia, jovem pura de alma e de coração, que procura no amor a comprovação da bondade nata desse sentimento. Entre encontros e desencontros, passado e presente, nossos protagonistas se unem em um emaranhado de conflitos, segredos e emoções.  
Na primeira parte do livro somos apresentados ao passado dos protagonistas, não o suficiente para descobrirmos seus segredos, mas o necessário para a compreensão do sentimento que os une. Ficamos na torcida para que ocorra (logo) o desenvolvimento dessa união, e aqui o grande ponto é que a expectativa não é nutrida pelos motivos tradicionais, ou seja, não está ligada ao desejo carnal que fica evidente entre o casal, mas sim, ao sentimento de salvação que esse o amor poderá provocar em cada um deles. Da mesma forma que Julia, torcemos para que o amor prove o quão puro e bondoso é, e é exatamente sobre isso que lemos na segunda metade do livro, a respeito de ações e emoções que evidenciam a luz do amor. É claro que temos a representação do desejo carnal, e uma ou outra cena sensual, contudo, todas elas refletem o amor descrito, um sentimento real e palpável o suficiente para emocionar o leitor.
Em cada uma das descrições sentimentais desse casal fui submergida em um plano emocional paralelo, fiquei presa em suas dores e medos, e terminei de ler o livro com uma nova percepção do amor e da magnitude desse sentimento. Gabriel provou, não com palavras, mas sim com ações, que um homem, mesmo marcado pelo pecado, pode ser digno do verdadeiro amor. Desta forma, diferentemente dos livros dessa classe que estamos acostumados a ler, o personagem masculino prova ser merecedor da mocinha antes mesmo de descobrir que é dono do seu coração, fator que mexeu comigo o suficiente para elevar o patamar das minhas leituras adultas, levando-me a conclusão de que não vou me acostumar com livros que ofereçam menos do que Sylvain Reynard nos proporciona com sua obra.
Mas não é só a forma de apresentação do amor, ou a intensidade do personagem masculino que garante a imprevisibilidade desse livro. Outro ponto favorável para isso é a escrita do autor, que como eu já disse, é rica em cultura popular e artes clássicas, deixando o leitor extremamente curioso sobre as cidades, obras literárias, quadros e esculturas citadas. Por isso gostei tanto do livro, por ele ser mais do que uma bela história de amor e por ir muito além de cenas sensuais, ele difere-se ao utilizar o clássico para criar algo novo, envolvente e despretensioso. Desta forma, se você espera um romance alá Cinquenta Tons de Cinza, pode se decepcionar, ou se surpreender como eu, ao se deparar com a inteligência dessa obra. Só lendo para descobrir em qual grupo você se encaixará, e eu, sem dúvidas, correria o risco para descobrir.
Ficou curioso? Participe da promoção de aniversário do blog (AQUI) e concorra a um exemplar do livro.
¹ Do autor, pois sua identidade ainda é desconhecida. Não sabemos se Sylvain Reynard é o pseudônimo de um autor, ou de uma autora.
Quotes Preferidos:
“Ela o consumia pouco a pouco e, quando abria um sorriso ou ria, Gabriel achava que iria pegar fogo.
“-Quero beijar você - sussurrou ela. Ele sorriu. - Também quero. Ela esperou. Mesmo assim, ele não se mexeu. - Julianne - chamou ele. Ela abriu os olhos. - Venha pegar o que quer.”
-“Estou me abrindo para você. Sou destrutivo. Emocionalmente instável. Tenho um péssimo gênio. Parte disso tem a ver com meu vício, parte tem a ver com o meu... passado. Será que eu estava tão errado ao tê-la em tão alta conta que minha única explicação para a sua existência fosse achar que você era o produto de uma mente desesperada ou o ápice da criação divina?”.
Capas pelo mundo:
  

  




27 comentários:

  1. não sabia que este era inspirado em A Divina Comédia. já li este livro e adorei!
    parece ser muito bom este livro, e ele vai para a minha lista, com certeza!

    ResponderExcluir
  2. Oi gêmea!
    Dá pra ver o quanto você se encantou e se emocionou com a leitura!
    Achei que o(a) autor(a) foi muito feliz no desenvolvimento da história, principalmente por enriquecê-la com tantas referências artísticas.
    Não li 50 Tons ainda, mas, pelo que pude notar da minha leitura de O Inferno de Gabriel e dos comentários feitos por quem leu o outro, esse me parece bem melhor em termos de escrita e de conteúdo.
    Beijão!
    P.S: Resenha linda e super emotiva!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li esse,porem já li toda a trilogia de 50 tons, e mega indico,pois conta uma historia linda de transformação que só o Amor pode fazer, e o que uma infância mal administrada sem amor influencia na personalidade de um adulto....

      Excluir
  3. Pah do céu, não faz isso comigo. Se já tinha gostado da sinopse quando li, agora, depois de ler sua resenha, surtei!! Menina, fico impressionada como você escreve bem, como me surpreende a cada resenha e como consegue transmitir seus sentimentos em relação a um obra nos prendendo e nos deixando loucos para ler o livro também. Te admiro demais Pah. Acho que em termos de resenhas bem feitas, você é minha blogueira favorita. Quando crescer quero ser que nem você.. kkkk
    Bom, acho que vou ter que ir correndo comprar esse livro e com certeza vou me apaixonar por ele tanto quanto você. Grande bjo!! Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  4. Mais um livro que está incluído nesta "nova" safra de livros eróticos (que sinceramente,sempre existiram,mas sem tanto marketing promocional), mas que movimentaram o mercado editorial mundial ano passado depois da febre do lançamento famosa trilogia, trilogia de “50 Tons de Cinza".
    O Inferno de Gabriel” também faz parte de uma trilogia erótica.Pela sua resenha o livro parece: sensual,romântico, diferente,poético....
    As capas pelo mundo são sensuais e criativas.

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Esse livro vem me chamando muito a atenção, primeiro pela capa que é linda e segundo pela história que de início não percebi que se encaixaria na categoria de romances eróticos, ele me pareceu muito mais que isso. Acho que estava certa! ;)
    Depois de sua resenha preciso ler urgentemente esse livro. Tenho certeza que se tornará um favorito, pelo que percebi ele tem todos os elementos que está faltando nos romances adultos da atualidade.

    Beijos,

    Rafa {Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
  6. Adoreeeeeeei a resenha. Quero resenhar assim quando crescer! Fiquei com vontade de ler o livro. *-*

    http://livrinhoseeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ficou espetacular sua resenha e me deixou doidinha pra ler o livro. Fiquei bastante curiosa e feliz em saber que algum livro se difere da onda dos eroticos que vieram na rasteira do '50 tons' (que perdi a vontade de ler!). Parabéns pela resenha e pelo blog. Bjus...

    Kivia
    http://cabanadoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Achei interessante o livro pela sua resenha.
    Li conquenta tons e acho que não existe outro livro parecido com ele, rsrs

    Bjinhs*

    ResponderExcluir
  9. Para mim o autor é mulher rsrsrrss
    Amei o livro, muito bem escrito!
    Nota 10 e quero logo a continuação ;)

    ResponderExcluir
  10. amei resenha pah, to muito anssiosa pra ler esse livro...bjs

    ResponderExcluir
  11. Apesar da boa resenha não foi um livro que despertou meu interesse, quem sabe mais pra frente...

    Agora quero dizer que li O Diário de Suzana para Nicolas (depois de assistir seu vídeo sobre os melhores livros que vc leu em 2012 fiquei muito curiosa, não consegui resistir) e adorei o livo...fiquei com os olhos cheios e lágrimas, tão lindo

    ResponderExcluir
  12. ai pah estou sentindo que vou gostar bastante desse livro ! vai ser minha próxima leitura !

    ResponderExcluir
  13. Quando vi o livro na primeira vez, pensei que fosse "mais um" livro erótico, depois li algumas resenhas e me surpreendi.

    Sua resenha esta mais que maravilhosa e só aumentou minha curiosidade... ainda bem que dei uma passadinha na livraria pra conferir as novidades e já comprei o meu...hehehe

    Bjoss

    ResponderExcluir
  14. Gente amei o livro O que você quiser alguem sabe me dizer quando sai o segundo?

    ResponderExcluir

  15. Oi Pah,
    Também gostei bastante desse livro exatamente por ele não focar somente
    nas cenas sensuais e sim por abordar temas culturais e relevantes, deixando a obra mais rica
    e bem escrita.
    Definitivamente Sylvain Reynard me ganhou!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oii Pah!
    Esse livro parece ser ótimooo! Já comprei o meu, só to esperando chegar :D
    To muito curiosa, só to ouvindo opiões positivas!

    Adorei a resenha :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Super quero ler to mundo sem tempo para ler um bom livro ultimante,mais mesmo assim esse livro ja foi para a minha lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk faça como eu, leio dentro do onibus na ida e vinda e como fico uma hora dentro do onibus(rsrsrsrs) leio todos os dias e no fim de semana tbm em casa... esses livros me deixam curiosa pra saber o final e acabo ate sonhando....
      Faz uma força que vc vai conseguir!
      bjs

      Excluir
  18. ja li e adorei nao vejo a hora de ler o segundo

    ResponderExcluir
  19. O livro é muito bom. Acabei de ler e tive a mesma impressão quanto a qualidade da escrita do autor.

    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  20. Eu ja li a trilogia de 50 tons de cinza um montão de vezes e vou ser sincera comprei o livro inferno de gabriel achando que seria igual e estou completamente viciada nesta historia, estou na metade do livro e é maravilhoso, nem terminei o primeiro livro e ja estou anciosa pelo segundo. A boa noticia é que posso ler novamente pois qdo gosto do livro leio umas tres vzs e em cada vez descubro algo novo....
    Amei esse blog... Parabens!!!

    ResponderExcluir
  21. Olá, Pah!
    Excelente a sua resenha! Ela aborda exatamente td o q senti no livro...
    Não sei se vc sabe, mas o SR criou contas oficiais no twitter (@GIFansBrazil) da série para cada país q tem uma tradução e aqui no Brasil, eu (Bia) sou a moderadora da conta...
    Posso divulgar sua resenha no nosso espaço?
    Abs
    Bia

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Parabéns pela resenha!

    Resume o êxtases que foi ler o livro. Gostaria de receber o segundo livro por e-mail seria possível?

    e-mail: annekarolps@gmail.com

    ResponderExcluir
  24. Adorei o livro, não tem como não se apaixonar po Gabriel.

    ResponderExcluir
  25. Adorei essa trilogia, realmente já tá enchendo isso de livros com essa frescura de bdsm. Esses livros são ótimos. Quando me interessei para comprar, o que me chamou a atenção foi o título, quando li a sinopse e as resenhas fique doida para ler.

    ResponderExcluir