[Resenha] Laços de Sangue - Richelle Mead

O trabalho de Sydney Sage não é nada fácil: ela e seus colegas alquimistas são os únicos no mundo todo que sabem que vampiros existem para além das telas de cinema - e são uma ameaça real à humanidade. Para manter a ordem, eles devem impedir, a qualquer custo, que esse segredo vaze e que os reles mortais se aproximem desses seres perigosíssimos. Mas agora a paz que os alquimistas vêm garantindo há tempos está prestes a desabar, e Sydney, para o bem de todos os humanos, terá de passar a proteger vinte e quatro horas por dia a princesa vampira Dragomir, ou uma guerra pelo trono eclodirá no mundo dos vampiros, trazendo consequências avassaladoras para os homens. E defender alguém que até então era alvo de seu desprezo será mais difícil do que Sydney imaginava...
Jovem Adulto; Sobrenatural || 440 Páginas || Cortesia Editora Seguinte || Skoob || Compare & Compre|| Classificação: 5/5 Favorito
Laços de Sangue é o primeiro volume da série Bloodlines, que segundo a autora contará com seis livros no total – sendo que entre esses, três já foram lançados nos EUA. Após o final de Vampire Academy (♥) e da tão aguardada conclusão da história da dampira Rose Hathaway, muitas questões a respeito do mundo criado pela Richelle Mead ficaram pendentes. Ávidos por mais detalhes, queríamos saber como o governo dos vampiros iria se reestruturar ou ainda, como os amigos de Rose seguiriam em frente após tantas perdas e desilusões; e então, eis que surge Bloodlines, uma nova série, com uma nova perspectiva a respeito desse mundo de dampiros, vampiros e alquimistas, porém, uma trama tão interligada com os acontecimentos de Vampire Academy que, em alguns momentos, é quase impossível lembrar que estamos lendo outra série. Sendo eu uma fã assumida de Vampire Academy, digo sem medo que não estava me aguentando de curiosidade para ler Bloodlines; foram tantas expectativas criadas, e para o meu deleite, todas altamente superadas. Como digno da autora o livro é repleto de aventura, mistério, luta e um romance inesperado e exatamente por isso, muito envolvente. Na visão dessa humilde fangirl, esta é mais uma série perfeita para cairmos de amor.
“(...) – Que eu até sou legal... para um vampiro – ele explicou. Eu sacudi a cabeça, sem parar de sorrir. – Vai ser difícil fazer com que um alquimista confesse isso. Mas posso dizer que você até que é legal para um baladeiro irreverente com momentos ocasionais de brilhantismo”.

Antes de qualquer coisa eis um fato: se você não leu e/ou não quer ler Vampire Academy fique tranquilo, você pode ler Bloodlines sem medo, afinal por mais que tais histórias estejam conectadas, é fácil acompanha-las de forma distinta. Porém, se você quer ou está acompanhando a série Academia de Vampiros é de SUMA importância concluí-la antes de iniciar Bloodlines já que ela parte do princípio de que sabemos o que aconteceu com Rose, Lisa, Dimitri (♥³), Adrian (♥²) e as mudanças que eles vivenciaram, e até mesmo iniciaram, nessa complexa sociedade sobrenatural.
Se em Vampire Academy mergulhamos no mundo dos vampiros sob o ponto de vista de uma dampira – uma mestiça criada para proteger os vampiros nem que isso custe sua própria vida, em Bloodlines quem dá voz a narrativa é a humana Sydney, uma alquimista gerada para proteger a sociedade humana dos vampiros, ou seja, para manter-nos afastados dessas anomalias da natureza. Só aqui já dá para sentir a diferença de perspectiva, não é mesmo? Para os alquimistas os vampiros, além de antinaturais, não são criaturas vivas; para eles, tal raça é guiada apenas pela sede de sangue e pelo desejo de matar, e as crenças que os alquimistas passam de geração a geração giram em torno do fato de que, se deve trabalhar para cobrir os rastros dos vampiros, mas nunca misturar-se com eles. E é aí que a Sydney se mete em uma enrascada; ao tomar a decisão (forçada, se me permitem lembrar) de ajudar uma dampira e seus amigos vampiros ela é acusada de traição, e sob a pressão e controle rígido do pai, o medo de perder sua irmã mais nova, e a sombra de um castigo por parte dos alquimistas, ela recebe uma nova – e talvez última – missão, a de proteger uma vampira Dragomir.
Agora imaginem: a Sydney é uma garota lógica, forte e pragmática. Ela foi criada para fazer o que os alquimistas mandam, para proteger os que precisam e para lutar na defesa dos seres humanos, contudo, nada disso deixou espaço para perspectivas emocionais, então, como ela poderia ser capaz de cuidar e proteger uma vampira, um ser para o qual ela foi criada para odiar? Como evitar sentir repúdio ao se fingir de irmã de uma vampira? E o pior não é o ódio, o medo ou o desprezo direcionado aos vampiros que é fortemente enraizado na cultura dos alquimistas, o verdadeiro problema está na perspectiva de se envolver com os vampiros o suficiente para descobrir e aceitar que eles não tão ruins quanto parecem.
“- Realmente é assim tão terrível ficar perto de nós? (...) é complicado. Me ensinaram certas coisas a vida toda. É difícil me livrar delas. – As maiores mudanças na história aconteceram porque as pessoas foram capazes de se livrar do que os outros lhes diziam para fazer”.
São tantos conflitos, tantas emoções e de bônus ainda temos o fato de que vários personagens de Vampire Academy estão presentes em Bloodlines. – Adrian, seu lindo! Sendo assim, a cada página a autora vai apresentando-nos um pouco mais sobre o mundo dos alquimistas, isso sem deixar de inserir novos detalhes a respeito dos vampiros envolvidos, ou seja, ao mesmo tempo em que somos apresentados a um novo mistério, a uma nova grandiosa trama de mentiras e segredos, vamos obtendo respostas para as perguntas deixadas em aberto pelo final de Vampire Academy, por isso a ligação entre ambas as séries é tão forte.
Fora isso, temos personagens principais e paralelos envolventes e misteriosos – alguns nos enganam com seus sorrisos bondosos, outros nos deixam desconfiados desde as primeiras páginas do livro, mas o fato é que gostamos de ser enganados, não é? Temos também muitos mistérios e tramas paralelas que vão se interligando durante a narrativa, o que dá a sensação de estarmos montando um complicado quebra-cabeça. Outro ponto é que a autora abusa de segredos familiares que comovem e surpreendem o leitor, além de nos cativar com um romance que cresce do inesperado e que não é instantâneo ou físico, muito pelo contrário, é fortemente emocional. E como se não bastasse, ainda somos presenteados com um final tão surpreendente, que bem, só consigo pensar que eu PRECISO urgentemente do próximo livro da série.
Sinto-me incapaz de fazer uma resenha que retrate meu amor por esse livro, e também, sinto que preciso dizer que, como já amo Vampire Academy, foi muito fácil amar Bloodlines. Eu não sei para quem não leu a série anterior como vai ser, mas de fato, é inegável a forma rica e envolvente com a qual a autora nos prende em sua história.
Se eu indico? Pelo amor, se eu pudesse compraria um exemplar desse livro para cada um de vocês e os obrigaria a lê-lo... pois é, eu disse, é muito amor

Nota: O lançamento nacional do livro é HOJE, então corra comprar o seu! 
Capas pelo Mundo:
 

  



9 comentários:

  1. Oi Pah!
    Eu realmente compartilho esse grande amor pela Série, pelos livros de Richelli Mead, pela história, pelos personagens...POR TUDO!

    Amo demais e queria que todo mundo pode-se sentir o que sinto quando leio esses livros!
    Paixão!

    Amei a resenha!
    Amo Adrian! S2
    hahhaha

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Pah, amei a sua resenha :)
    Eu sou completa e absolutamente apaixonada pela série Bloodlines, bem como por Vampire Academy. Mas preciso confessar que Bloodlines superou VA, pelo menos para mim rs
    Eu já li todos os livros da série em inglês e posso te garantir que vai ficar cada vez melhor. A Sydney é uma personagem incrível, ela é tão badass quanto a Rose e outras personagens femininas da Richelle Mead, mas ela é badass de um jeito só dela, você vai ver ^^
    E o Adrian? não tenho o que falar dele, um dos melhores personagens masculinos que eu já tive o prazer de conhecer *-*
    Enfim, espero que você continue fazendo resenhas da série e apesar de acompanhar o seu blog, nunca tinha comentado em nenhuma resenha , vou ver se a partir de agora comento mais vezes.
    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. Nossa Pah, não tinha muita ideia sobre o que versava essa série, muito menos que ela estava conectada a VA (que nunca li). Mas sou doida por vampiros, então com certeza vou colocá-la na minha wishlist. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Pah!
    Nossa, com sua emoção até me deu vontade de ler. Pelo que vc diz o livro é ótimo e me deixou morrendo de curiosidade.

    Beijinhos*

    ResponderExcluir
  5. Oi Pah, confesso que não estou muito animada para ler este livro. O fato é que não gostei dofinal de VA, e me senti meio que aliviada por encerrar mais uma série. A resenha me ajudou a pensar em ler... vamos ver!

    Beijos
    @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi gêmea!!
    Como ainda não terminei AV, precisei pular uns trechos da resenha.
    Ainda assim, li o suficiente pra saber que vou querer ler depois que terminar *.*
    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu amo VA e sou louquinha pelo Dimka!
    Pelo visto Laços de sangue é ótimo! Já comprei, agora falta a Saraiva me entregar hehhee.
    Gostei mais da capa nacional!

    ResponderExcluir
  8. Pah, é normal ler a resenha e ouvir o som da sua voz?
    Tenho muita vontade de ler VA, mas o medo e a sinopse me desencorajam!Talvez nunca a leia!
    Espero que assim que dê eu procure saber desse livro, quem sabe me interesso?
    Parabéns pela resenha,
    Ana.
    Um livro e nada mais-http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que para quem acompanha o blog sempre é normal viu, Ana? E isso me deixa bem feliz, fico contente em saber que você acompanha o blog, as resenhas, os vídeos e que sempre comenta por aqui! Muito obrigada viu querida?!

      Excluir