[Resenha] E Se Fosse Verdade... - Marc Levy

Autor francês mais lido em todo o mundo, Marc Levy deve em muito o sucesso de suas vendas e críticas positivas a E se fosse verdade..., livro que marcou sua estreia literária. O romance nasceu da ideia de Levy, à época um empresário de sucesso, escrever uma história para seu filho, para que ele a lesse quando chegasse à idade adulta. Lauren é uma jovem médica com muito potencial: faz residência no San Francisco Memorial Hospital, na Califórnia. Porém, sua carreira promissora é interrompida quando ela é vítima de um grave acidente de carro e fica em estado de coma. Com morte cerebral confirmada, ela acorda e descobre que está fora de seu corpo – incomunicável como um fantasma. De forma misteriosa, Lauren consegue ser vista apenas pelo solitário Arthur, o novo inquilino de seu apartamento. Cético, ele leva algum tempo para acreditar na história da invasora, mas logo o sentimento entre os dois se torna algo a mais. Sem esperanças, os médicos e a família da jovem decidem fazer a eutanásia. Agora, o casal terá que lutar para salvar o corpo de Lauren, e descobrir alguma forma de reuni-lo com sua consciência. Grande sucesso de vendas, a inusitada história de amor foi publicada originalmente em 1999. Seus direitos para o cinema foram comprados por Steven Spielberg e a adaptação homônima, estrelada por Reese Witherspoon e Mark Ruffalo, lançada em 2005, foi também sucesso de público e crítica.
Romance || 232 Páginas || Cortesia Suma de Letras || Skoob || Compare & Compre || Classificação: 5/5 (Favorito)
Depois de assistir um filme inúmeras vezes, decorar as falas dos personagens principais, rir e se emocionar sempre nos mesmos momentos e ainda assim não enjoar da história, é de se esperar que eu não me surpreendesse ao ler o livro que inspirou tal adaptação cinematográfica, certo? Errado, completamente errado! Eu já conhecia a história central do livro E se fosse verdade... (da mesma forma que você também já deve conhecer afinal, quem é que ainda não viu essa delícia de comédia romântica com a Reese Witherspoon e o Mark Ruffalo?), mas nem por isso deixei de me espantar com a intensidade dessa obra. Claro, a trama é irreal, extremamente fantasiosa e até certo ponto inimaginável, porém existe algo de único na intensidade dos sentimentos, lembranças e sonhos descritos, fato que o filme deixou passar despercebido, enquanto o livro nos obriga a viver e experimentar tais emoções. Se você viu o filme pode erroneamente esperar do livro nada mais do que um belo e inusitado romance, contudo não é apenas isso que encontramos na ambiciosa trama do autor Marc Levy. Ele fala de amor, família, amizade, esperança e principalmente, da beleza e da riqueza da vida, então e daí se para isso ele usa como artifício um episódio fantasmagórico? O que realmente importa é a verdadeira e bela mensagem que o livro traz – a qual não tem nadinha de ilusória.
“- Cada segundo com você conta mais do que qualquer segundo.”

Lauren sofreu um acidente, entrou em coma e vai entender o porquê, viu sua alma de desprender do seu corpo inerte em uma cama de hospital. Como uma versão assustadora de si mesma ela vaga pelo mundo, podendo ir para qualquer lugar, ver tudo o que quiser, fazer o que der na telha, mas sem a possibilidade de compartilhar suas aventuras com as pessoas que ama, sem poder tocar um objeto ou receber um abraço reconfortante de um amigo – nem se comunicar ela pode já que ninguém a vê, ou melhor, ninguém além de Arthur, o novo inquilino do seu apartamento. Sem nenhuma explicação racional Lauren pode ser vista por Arthur, pode falar com ele, sentir seu cheiro e até mesmo tocá-lo de uma maneira única e especial. Para ela, ele é seu bote salva-vidas, uma chance de sair desse grande e escuro buraco chamado solidão. Já para ele, ela é fruto de sua mente insana, ou talvez, de uma pegadinha de seu melhor amigo, ou ainda de qualquer outra explicação que faça mais sentido do que o fato dele estar vendo e falando com um fantasma.
Se desse de cara, à meia-noite, com um sujeito escondido no armário do banheiro, meio agitado, tentando explicar que é uma espécie de fantasma, em coma, o que acharia e qual seria a sua reação imediata?
Em primeiro instante a relação de Lauren e Arthur é de pura comédia. Ela tenta convencê-lo de que está viva, enquanto ele aparece em público falando sozinho, ou gesticulando bravamente com alguém que aparentemente não existe ou ainda abrindo a porta do carona de seu carro para “seu amigo Gasparzinho”; é simplesmente impossível não se divertir com esses dois que mesmo em suas diferenças se entendem muito bem. Aos poucos uma amizade floresce, eles criam um laço de companheirismo, como se os dois soubessem de um segredo que o mundo inteiro desconhece. E então, como um esperado raio em dia de tempestade, eles são abocanhados pela realidade de que seu tempo juntos está se esgotando e é aqui, no momento principal da trama, que o filme (desculpem-me pelas excessivas comparações) vira um mero resumo dessa grandiosa história.
Em busca de uma solução para o caso de Lauren, nasce um romance, um amor que transforma a ponto de fazer Arthur abrir seu coração e ah gente, como eu gosto disso, de personagens que revelam pequenos pedaços de suas vidas, memórias de infâncias, suas perdas e conquistas mais marcantes, deixando-nos completamente envolvidos em suas histórias. Por esse motivo eu não poderia dizer que o livro é exclusivamente sobre Lauren (sobre as dificuldades e medos que ela encontra em sua atual condição e a respeito da dor que é ficar tanto tempo em coma), pois para mim ele é mais sobre Arthur, sobre seus sofrimentos e suas descobertas, sobre a luta que ele trava com seu passado para manter Lauren em seu presente. Então, me digam, entre tamanha emoção e superação, como não se envolver com essa história? Sério, são personagens tão intensos, memórias tão ricas, ensinamentos tão verdadeiros que é impossível não se deixar tocar pela beleza dessa narrativa.
Contudo, é claro que não são apenas flores; o autor tem uma forma peculiar de escrever, uma maneira que não é negativa, mas é... diferente, eu mesma confesso que demorei a me adaptar a ela, mas assim que o fiz me deixei levar pela trama, permitindo-me ser surpreendida, emocionada e abocanhada por um mundo só do Arthur e da Lauren. Eu chorei, ri e me apaixonei com eles e tudo isso porque eu não esperava muito do livro, ou seja, nesse caso a grande questão é não criar muitas expectativas quanto à história. Talvez você goste, talvez não, mas o que vale mesmo é tentar, dar uma chance ao livro, pois ele definitivamente vale a pena. Aprendi muito com o autor em apenas 232 páginas, e graças a ele, vou aproveitar muito mais os abençoados mais de oitenta mil segundos que recebo todos os dias do banco da vida.
Para ler ao som de...
PS. Culpa sua Manu, se eu só conseguia pensar nessa música enquanto lia o livro u.u
Para quem leu e gostou de...
Romances em Geral | Adeus,por enquanto | P. S Eu te amo
Trecho Marcante:
“Quantos se dão conta, a cada manhã, do privilégio que é acordar e ver, sentir, tocar ouvir? Quantos de nós são capazes de esquecer por um instante as preocupações, para se maravilhar com esse espetáculo fantástico? Acho que a maior inconsciência do homem é com relação à própria vida.”
Outras Capas + aqui

 






16 comentários:

  1. Essa capa é tão linda...suas resenhas só me deixam com vontade de ler logo o livro, desse jeito você vai me levar a falência.hahaha.

    Beijo Pah.

    ResponderExcluir
  2. Já vi esse filme algumas vezes também (obrigada, globo! haha) e toda vez choro feito nenem! É muito lindo! <3
    Quero muito ler o livro, que com certeza deve ser mais profundo! :')

    tatimunhoz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. também já decorei as falas do filme... é lindo demais, e mesmo já tendo assistido mais de 10 vezes, sempre choro :'(
    é bom saber que eles tem bastante diferenças entre eles, porque estou bem curiosa para lê-lo, e era isso que eu esperava *-*

    ResponderExcluir
  4. Eu quero ler o livro justamente por causa do filme, eu ADORO o filme, mas é bom saber que tem diferenças assim não fico esperando exatamente a mesma coisa

    bjos
    pah - lendo e escrevendo

    ResponderExcluir
  5. Oi Pah! Quero muito ler esse livro porque amei o filme. Sempre que passa em algum lugar (vulgo "sessão da tarde") eu paro pra assistir. É lindo demais! Já vi algumas resenhas desse livro e sei que o livro é um bem "diferente" do filme, mas mesmo assim quero muito ler!

    Um beijo, Karine Braschi.
    Geek de Batom. (@geekdebatom)

    ResponderExcluir
  6. Ah, e sou maluca pelo filme e sempre quis ler o livro, tenho certeza de que vou gostar muito da trama. Nunca li nada do autor apesar de ter dois livros dele na minha estante e saber que é um autor muito bem conceituado. Quero e preciso começar por E Se Fosse Verdade!

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Fiquei bastante curiosa com o que você disse sobre a escrita do Levy ser "diferente". Nunca li o autor, mas ele está na minha lista de autores que preciso ler o quanto antes. Tenho um livro dele já na fila, que é a edição francesa de Filhos da Liberdade, apesar de que um amigo me disse que este que tenho é bem diferente dos demais livros do autor. Mas enfim, a questão é que quero ler Marc Levy urgentemente!
    Vi o filme E Se Fosse Verdade no cinema quando lançou, achei bonitinho, nada assim muito inesquecível, mas bem fofo, com ótimos atores. Agora falta ler o livro, né...

    Um beijo! Livro Lab

    ResponderExcluir
  8. Oi Pah!! Tudo bom??? Ahhh eu estou louca para ler esse livro, já assisti o filme e é um dos meus preferidos <3.
    Te indiquei para uma tag, se fizer me avisa para eu ver, ok?
    Beijos!!!

    http://etcoetra.blogspot.com.br/2013/08/tag-quais-os-5-livros-que-voce-gostaria.html

    ResponderExcluir
  9. Eu sou apaixonada por esse filme e não tinha a menor ideia que era baseado em um livro. Até ouvi falar da obra de Marc Levy mas nunca me passou pela cabeça que os dois estavam ligados, rs. Agora fiquei super animada para ler, já até coloquei na wishlist.

    Beijos
    insanidade-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Pah, adorei!

    Não gosto muito de ler os livros depois que já vi a adaptação, mas acho que esse livro funcionaria pra mim, pois tem um bom tempo que vi esse filme, de que lembro que gostei muito. Acho que seria interessante, e essa capa está linda. Adorei também a que tem a Reese e o Mark na capa, lindos demais! rs

    Beijos,

    Marcelle
    www.bestherapy.net

    ResponderExcluir
  11. Confesso que nunca tinha ouvido alar, mas pra começar agora fiquei com vontade de assistir o filme.
    Vim aqui para repassar uma tag. No meu post eu não tinha repassado a ninguém, mas decidi fazê-lo agora porque quero muito ver as respostas de outras pessoas. Gostava muito que respondesses *-*
    http://fofocas-literarias.blogspot.pt/2013/08/tag-verao-com-leituras.html

    ResponderExcluir
  12. Ai, eu adoro o filme!!!!!! Sério, acho o Rufulo um ator perfeito para esse tipo de filme.
    Quanto a essa capa nova que a Suma trouxe, é perfeita!
    Sou doida para ler o livro, mesmo tendo sérios problemas em ler livros depois que vejo filmes. Eu leria! Eu leria! Eu leria!
    kkkkkk

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Ai, Pah, fiquei bem contente em ler sua resenha. Eu fiquei em dúvida em comprar esse livro. Gosto do filme mas ele tinha uma carinha de que a adaptação pro cinema que gerou uma boa história. Tinha muito receio de comprar e não ser nada do que eu esperava.

    Mas vi que não e que ainda consegue trazer algo novo.

    Valeu, mesmo.

    E sobre a história ser fantasiosa, bom ela de certo modo pode ser, mas também tem muitos aspectos a serem pensados diante da realidade.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Confesso, eu sou apaixonada por este filme, quando saiu no cinema eu ainda namorava com o meu marido, ele me levou para assistir e foi marcante pra nós dois, e toda vez que vejo, eu me divirto...

    Estou super doida para ler livro, parece ser muito legal também. A capa que mais gostei das que tem ai, é a que tem a imagem dos atores do filme, acho que fica perfeito.Adoroooooo.

    Bjkas, eu adorei a sua resenha, só e incentivou mais ainda para ler o livro.

    Marina

    Leituras e Afins
    http://afinsdaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Aimeudeusss!! Eu preciso ler esse livro! Eu simplesmente amo, amo, amo o filme e assim como você já perdi as contas de quantas vezes eu o vi! Amei a resenha. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  16. Oii Pah!
    Eu AMO esse filme! *.*
    Nunca canso de assistir (e sempre choro assistindo).
    Então, é óbvio que preciso ler esse livro!!
    E você ainda fala que o filme é um mero resumo do livro, AiMeuDeus! preciso ler urgente!

    Adorei a resenha!
    Beijos :*

    ResponderExcluir