janeiro 28, 2016

[Resenha] A Educação de Caroline – Jane Harvey-Berrick

Dez anos depois de seu primeiro romance, rompido de modo tão dramático, Sebastian e Caroline se encontram novamente, desta vez, em circunstâncias completamente diferentes, tendo como pano de fundo a guerra no Afeganistão. Agora uma jornalista de sucesso e correspondente de guerra, Caroline encontra o oficial da Marinha Sebastian Hunter. Ele a havia esquecido ou ainda esperava por ela? Podem antigas paixões ser revividas?

Romance | 382 Páginas |
Cortesia
Novo Século| Skoob | Compare & Compre: BuscapéAmazon|
Classificação: 4/5
Quem leu minha resenha de AEducação de Sebastian sabe que fiquei dividida entre o amor e o ódio.
Não consegui amar completamente a história, mas também não fui capaz de me
desligar dela. E o mesmo aconteceu com sua continuação, A Educação de Caroline. Não nego que achei o segundo volume
infinitamente melhor, porém o problema principal continua: uma imaturidade
constante dos protagonistas (que brigam por coisas supérfluas mesmo quando
juram amor eterno). Ainda assim, o livro surpreende por seguir caminhos
inimagináveis. Deixando de lado o romance e os encontros e desencontros típicos
do destino,
Jane
Harvey-Berrick
elaborou um cenário que envolve um tema real e complexo: a
guerra do Afeganistão. Desta forma, entre um amor arrebatador que durou anos,
os traumas do passado que constantemente afastam o casal, e a tragédia que só
uma guerra é capaz de causar, mergulhamos em uma história emocionante, imatura
em alguns pontos, mas em totalidade extremamente envolvente.


Em A Educação de
Caroline
reencontramos nossos personagens principais dez anos depois do
final do primeiro livro. Depois da separação abrupta do casal, Caroline correu
atrás do tempo perdido e construiu uma nova vida. Agora, aos quarenta anos, ela
tem boas amigas, uma casa para chamar de lar, e um emprego como uma das
jornalistas mais renomadas do país. Por causa da sua história com militares,
Caroline se aprofundou em política e guerra, e agora viaja o mundo em busca de
matérias que descrevem a realidade do dia a dia militar. Seu trabalho mais
recente é no Afeganistão, coincidentemente onde Sebastian está servindo como
interprete, o mesmo Sebastian que ela não vê há dez anos. O reencontro entre
eles é doloroso e sentimental. Para Sebastian, Caroline desistiu do amor deles
ao não ir procurar por ele. Assim, ele assumiu um papel de cafajeste mulherengo
que não se importa com nada. Já Caroline imaginou, durante esses anos, que
estava fazendo um bem para Sebastian ao deixar ele viver sua vida sem o peso de
estar ao lado dela – a mulher mais velha e com bagagem. Porém, quando se
reencontram ambos percebem que estão errados, que são melhores juntos, e que
agora precisam lutar para ficar juntos enquanto vão para o Afeganistão.
Depois de dez anos Sebastian e Caroline estão mais maduros,
entretanto eles continuam brigando pelas mesmas coisas: diferença de idade,
ciúmes, insegurança, medo do futuro. Confesso que fiquei sem paciência com
eles, principalmente pelo ciclo constante de briga, separação, conversa, sexo
de reconciliação. O reencontro é bonito porque, até embarcarem para o
Afeganistão, eles possuem um período livre para se conhecer novamente, para
descobrir como foram os dez anos separados, e para fazer a viagem pela Europa
pela qual sempre sonharam. E não vou negar que, mesmo irritada com eles em
alguns momentos, amei vê-los aproveitando um momento juntos e conhecendo países
incríveis. Adoro histórias com viagens pelo mundo, então fiquei de queixo caído
com as paisagens descritas entre França, Suíça e Itália.
Mas, como já disse, o que realmente surpreende nesse livro é
o momento em que Caroline e Sebastian embarcam para o Afeganistão. Confesso que
meu lado racional martelava: Será que a
autora não tem dó desses dois? Será que eles já não passaram por dificuldades
demais? Será que não é fantasioso em demasia fazer com que eles se reencontrem
em uma mesma missão de guerra?
Porém, não dei ouvidos para ele, pois a essa
altura meu coração já estava completamente imerso no cenário de guerra, nas
dores narradas e presenciadas pelos protagonistas, na força que os dois
demonstram no campo de batalha, e nas novas dificuldades que eles precisam
superar.
É doloroso e reflexivo acompanhá-los no olho
da guerra, tanto do lado militar de Sebastian (e dos jovens ao lado dele que se
entregam e morrem em nome do seu país) quanto do lado repórter de Caroline, que
é vista como prêmio pelos extremistas em guerra que querem a publicidade por
trás da captura de alguém envolvido com as grandes mídias. Achei que a autora
foi muito inteligente e perspicaz em suas colocações, é nítido o quanto ela
pesquisou e se aprofundou no tema para tentar mostrar um lado real da guerra, e
é notável o quanto esse momento de tensão ajuda no amadurecimento de seus
personagens principais – o que deixa o romance belo e tocante.
Como disse, minha relação com essa trama é repleta de altos
e baixos. Mas verdadeiramente consegui me envolver com esse segundo volume e
com as emoções que ele traz. Não é fácil falar de temas tabus, eles nem sempre
são aceitáveis sob os olhos do leitor, mas no final o que importa é se o autor
foi ou não capaz de gerar alguma reflexão. E, entre traição, imaturidade,
diferença de idade, separação, reencontros, guerra, dor e crescimento, a
Jane Harvey-Berrick foi
capaz de criar uma trama envolvente e reflexiva. Mas se vale a pena ler ou não,
só lendo para descobrir. Só sei que vale dar uma chance.
• Sobre a Série •
A Educação de Caroline é o segundo
volume da trilogia “A Educação”. Os dois primeiros livros são sequenciais, já o
terceiro é a recontagem do segundo livro só que na visão do mocinho da
história.

Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

24 Comentários

  • Marcia Cairo
    12 agosto, 2016

    Eu comecei a ler e fluiu a leitura pra mim,eu gostei muito da história!

  • Jéssica Fernanda
    01 fevereiro, 2016

    Oi Pah! Não gostei dessa trilogia, até cheguei a começar A educação de Caroline, mas eu vinha me forçando a terminar e acabei desistindo.

  • Ana I. J. Mercury
    01 fevereiro, 2016

    Esse segundo volume me deu mais vontade de ler que o primeiro, o primeiro pelas resenhas que li, parece ser tão errado e ao mesmo tempo, tão certo o relacionamento dos dois.
    Nesse a protagonista está mais centrada e já recomeçou sua vida, então acredito sim, que ficou muito mais aceitável o relacionamento deles, apesar da diferença de idade.
    Mas ainda estou na dúvida de ler ou não a trilogia, rsrsrs
    bjos

  • Rafaella Abreu
    01 fevereiro, 2016

    Pela sinopse o livro parece ser muito bom, eu li a sua resenha do primeiro livro e me animei bastante pra ler essa série, espero que a leitura me prenda!

  • Veronica Vieira
    01 fevereiro, 2016

    Tinha ficado na dúvida sobre ler ou não essa série, quando você resenhou o primeiro livro, mas agora eu desisti de vez… o contexto da história me agradou principalmente a do segundo livro, porém esse vai e volta e reconciliação com sexo, me desagrada, porque para uma mulher com 40 anos, isso não deveria acontecer, então eu acho que ia passar muita raiva com essa série, principalmente que o fato da traição ja tinha me desagradado inicialmente.

    Então infelizmente essa vai ser uma história que eu não vou conhecer…
    Que venham outras…

  • Beatriz Farias
    01 fevereiro, 2016

    Gostei muito da resenha Pah,nunca li nada dessa autora mais fiquei curiosa para ler esse livro.

  • Evellyn Mendonça
    31 janeiro, 2016

    Ooi Pah, a resenha desse segundo volume me deixou muito mais curiosa do que o primeiro, mas mesmo assim não me interesso muito nessa série.
    Bjs

  • Bia
    31 janeiro, 2016

    Li a resenha do 1º livro e continuo não atraída pela historia, mas acho que isso é muito pessoal não quer dizer que seja ruim. Não gosto muito desse tipo de chove ou não molha como parece ser deles, mas talvez de uma oportunidade de tanto que minha amiga fala bem do livro

  • rayane colombo gomes
    30 janeiro, 2016

    nao li ainda os livros! mas parece que é mto triste! hahah principalmente a parte de se separarem! fiquei mto chateada! espero que este tenha um final feliz… achei legal este periodo de 10 anos

  • Jesica Duarte
    30 janeiro, 2016

    Depois da primeira resenha achei que o segundo iria suprir o que faltava no primeiro livro, me decepicionei, ver as mesma brigas e o mesmo dilema é chato, sinceramente esperava mais.

  • suzana cariri
    30 janeiro, 2016

    Oi!
    Gostei desse segundo livro mais do que do primeiro pois achei legal que a Caroline conseguiu construir sua vida, mas acho que iria me irritar pelas brigas com o mesmo tema das do livro passado !!

  • Micheli Pegoraro
    30 janeiro, 2016

    Olá Pah,
    Esse segundo volume chamou mais a minha atenção do que o primeiro, principalmente pela história ser num cenário de guerra, uma coisa que sempre deixa o romance mais profundo e tocante. Apesar de o primeiro livro ter muitos pontos negativos, vou dar uma chance quando surgir a oportunidade.
    Beijos

  • Dan Igor
    30 janeiro, 2016

    O livro parece avassalador, mexendo com a alma da gente mesmo. Não fiquei interessado nessa série, mas parece uma boa pedida p/ quem curte o gênero. Abraços!

  • camila rosa
    30 janeiro, 2016

    Oiiiee,
    Já devo começar dizendo que eu não tenho paciência para imaturidade de personagens principalmente se elas não são mais uma mocinha que ainda esta descobrindo o mundo, deve ser cansativo essas brigas por coisas bobas, parece ser uma trilogia boa, mas ainda estou com um pé atras.
    Beijos *-*

  • BORA LER
    30 janeiro, 2016

    Estou lendo O Silêncio das Montanhas e também estou na guerra no Afeganistão só que em 1930…rsrsrs este país dá o que falar, achei o romance interessante através da sua resenha mas entendo essa coisa dos protagonistas ficarem bringando por coisas pequenas ou infantis me fez lembra a trilogia Estilhaça-me, lá a história começa lindamente no entanto no segundo livro e no terceiro os argumentos que a autora cria para os personagens poderiam ser melhores, mais maduros e convincentes… fiquei curiosa sobre A educação dos bonitos aí apesar de ter que confessar que um romance cujo título começa com a palavra "educação" me dá calafrios..kkkk gostei muito da resenha grande abraço

  • Amanda Ferreira
    30 janeiro, 2016

    Li a resenha de "A educação de Sebastian" e não me interessei pelo livro, então acredito que não leria A Educação de Caroline também.

  • Lara Cardoso
    29 janeiro, 2016

    Olá Pah!
    Acabei de ler esse livro, alguns minutos atrás.
    Que livro chato!!! Sabe tudo aquilo que eu amei lá no A Educação de Sebastian? Então…..escafedeu-se.
    O livro, pra mim, já começou ruim porque ODEIO esse cliché de homem torturado que vai curar as mazelas da vida pegando todas as mulheres. (Como se isso funcionasse, hunf.) E a história só foi piorando. Sebastian tinha sérios probleminhas psicológicos já lá no começo e a coisa só foi piorando. Eu catei uns pedaços do final pra ver como terminava e lamentei o rumo que a história tomou.
    Desculpa o desabafo, mas eu precisava chorar as pitangas no ombro de alguém.

  • Raissa Albuquerque
    29 janeiro, 2016

    Lendo essa resenha acredito que fiquei mais interessada em pegar o primeiro, principalmente sabendo que esse livro se passa 10 anos depois!

  • Aciclea vieira
    29 janeiro, 2016

    Paola,estou lendo essa continuação no momento,me encontro bem no início ,mas percebi logo a diferença desse livro para o primeiro,com certeza esse também está me envolvendo mais e me irritando menos,apesar do casal apresentar muitas inseguranças é bonito acompanhar o reencontro e com certeza viajar por paisagens lindíssimas incrivelmente descritas.Mil beijinhos!!!

  • Três Livrólatras
    29 janeiro, 2016

    Quero muito ler A educação de Sebastian desde a resenha que você postou, não sabia que tinha uma continuação e fiquei bem feliz por ser melhor que o primeiro! Beijos:*

  • Potato Purple Blog
    29 janeiro, 2016

    Não sei o porquê, mas não tenho muito interesse em ler este livro. Pode ser que eu esteja enganada, mas ele não me agradou muito. Beijos.

    http://www.potato-purple.blogspot.com
    http://www.youtube.com/potatopurpleblog

  • Theresa Cavalcanti
    28 janeiro, 2016

    Quando li sua resenha do primeiro livro, fiquei com muita vontade de ler ele. Vou procurar para ler o mais rápido possível.

  • Maria Fernanda Medeiros
    28 janeiro, 2016

    A resenha desse segundo volume conseguiu me chamar muito mais atenção que o primeiro, porém realmente ainda estou com um pé atrás… mas, quem sabe né?

  • Josiane
    28 janeiro, 2016

    não gostei muito dessa autora 🙁
    se ela escrevesse um livro pra mim seria: a falta de educação de Josiane
    sou mais chick lits, histórias modernas, um toque de comédia